MENU

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 - 9:46bicicletas, Brasil, One question

ONE QUESTION

SÃO PAULO (adivinhem…) – Hoje faz dois anos que o ensandecido Ricardo Neis atropelou dezenas de ciclistas e feriu 17 deles numa manifestação em Porto Alegre. A pergunta: ele está solto, passeando alegremente pelas ruas da capital gaúcha, com seu empreguinho no Banco Central garantidíssimo?

42 comentários

  1. marcelo a f da silva disse:

    Já quase fui “atropelado” por ciclistas em plena Av. Paulista, com o sinal verde para os pedestres! Então vamos parar com esta hipocrisia de dizer que só porque o sujeito está em cima de um selim é santo!

  2. ECidade disse:

    Senhor Flávio,

    Sou servidor do Banco Central do Brasil, em Brasília, e, por coincidência, sou também ciclista de estrada e mountain bike. Não conheço o Sr. Ricardo, não sou advogado nem juiz, conheço o filme do incidente (sim, não foi acidente) e não vejo desculpas para o gesto do colega. Apenas não cabe a mim julgá-lo e encarcerá-lo. Apenas não gostei do termo “empreguinho”, que denota de sua parte, profundo preconceito e desconhecimento das responsabilidades de um servidor público sério – sim, eles existem e em quantidade surpreendente. Vamos então separar as coisas: O Sr. Ricardo deve responder por seus atos e isto não tem nada a ver com o local onde ele trabalha. Vamos respeitar as pessoas em geral com seu trabalho e suas responsabilidades. Sinceramente não gosto do senhor nem de suas opiniões sobre futebol e do seu limitado conhecimento sobre a História do automobilismo. Não é, por exemplo, da minha natureza chamá-lo de “jornalistazinho”. Apenas me reservo o direito de não lê-lo, vê-lo ou ouvi-lo. Mais respeito pelas pessoas só faz bem à sua credibilidade.

    Atenciosamente,

    Eraldo Cidade da Silva
    Brasília (DF).

  3. Peter Losch disse:

    Não entendo como o repórter não perguntou qual era o time da mãe…

  4. Guilherme disse:

    Infelizmente essa é a justiça desse Pais!!! Aqui no Paraná fazem 4 anos que hoje um ex-deputado FDP estava bêbado,levantou voo com seu carro a mais de 150 km por hora em um bairro de Curitiba e matou duas pessoas…. e simplesmente esse cretino não vai a julgamento. Nossa ” justiça” além de Lerda, Omissa é muito mas muito Inoperante. Casos como esse são mais comuns do que imaginamos e nós achamos que somente casos de grande repercussão é que são lerdos… Mero engano nosso.

    http://g1.globo.com/parana/noticia/2013/02/stj-aceita-recurso-e-julgamento-do-ex-deputado-carli-filho-e-adiado.html

  5. Nelson Barreiros Neto disse:

    A resposta segundo vi no jornal apresentando pelo excelente Ricardo Boechat na Band, a resposta é sim… Ele está livre, e segundo seu advogado, aquela insanidade toda só causou ferimentos leves nos ciclistas, e que estão fazendo muito barulho por nada…

    Bom, farei das palavras do Sr. Boechat, ao vivo, minhas, quando o mesmo disse que gostaria de saber se a senhora mãe do tal advogado tivesse sido atropelada daquela maneira, será que ele teria a mesma reação???

  6. Marcelo disse:

    Publicado em 25 de março de 2011.
    Ciclistas preparam ações indenizatórias contra motorista.
    http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rs/ciclistas+preparam+acoes+indenizatorias+contra+motorista/n1238191723200.html

    Além de responder por 17 tentativas de homicídio, o responsável pelo atropelamento pode ter que indenizar os ciclistas. Eles devem pedir reparos por causa de lesões e danos em bicicletas.

    Publicado em 25 de fevereiro de 2012.
    Como anda o processo do Ministério Público contra Ricardo Neis?
    http://vadebici.wordpress.com/2012/02/25/como-anda-o-processo-do-ministerio-publico-contra-ricardo-neis/

    “Por mais que eles (a defesa) tentem postergar e enrolar o judiciário, não existe outra possibilidade. Os advogados dele querem que isso caia no esquecimento do público. Essa é a estratégia, mas nem o MP e muito menos a sociedade(tá fodido na mão do Gomes) vão deixar isso acontecer”.

    Publicado em em 15 junho de 2012.
    Atropelador Ricardo Neis irá a júri popular em Porto Alegre, ainda não há data para o julgamento.
    http://vadebike.org/2012/06/atropelador-ricardo-neis-ira-a-juri-popular-em-porto-alegre/

    Desde então, não há nenhuma novidade sobre o processo!

    País é uma lata de lixo, não existe justiça, melhor fazer com as próprias mãos! Cerca esse maluco quando estiver fora de seu carro(senão ele joga em cima de novo), arrebenta na porrada e aproveita bota fogo em seu carro. Só assim pra esse safado tomar vergonha na cara safada!

  7. retka disse:

    boa adriano arruda e egberto! falaran tudo, BRASIL AQUI E O CIRCO E NOS SOMOS OS PALHAÇOS!

  8. Kleber disse:

    Este país nunca vai ser um país sério!!

  9. Adriano Arruda disse:

    Depois da entrevista do “di menor” ontém, a palavra “justiça” simplesmente sumiu do dicionário Português/Brasileiro. Veja:
    - um garoto de 17 anos, de famíla pobre, vai pra Bolívia de ônibus durante a semana (Não estuda nem trabalha? Quem pagou a viagem? A mãe autorizou? Como saiu do país sem um responsável?);
    - um garoto de 17 anos, de famíla pobre, vai comprar jogos de videogame e “aproveita” pra comprar um sinalizador de R$ 150,00 (tá sobrando R$ 150,00?);
    - um garoto de 17 anos, de famíla pobre, recebe a orientação para deixar o país e se entregar somente no Brasil (Quem orientou? Há advogados no grupo?);
    - um garoto de 17 anos, de famíla pobre, procura o Fantástico para dar uma entrevista e assumir a culpa (Esclarecido, não?);
    Mas vai ser assim, enquanto formos um país de pessoas condescendentes. Um país de pessoas que reclamam de corrupção mas acham que “molhar a mão” do guarda não é tão grave. De pessoas que se revoltam com acidentes provocados por motoristas bêbados mas baixam aplicativos nos seus celulares para saberem onde estão as blitz. De pessoas tão (mal)acostumadas com esse tipo de tragédia que já esqueceram do atropelador de Porto Alegre, assim como os 240 mortos em Santa Maria. De pessoas que esquecerão a tragédia do menino boliviano na próxima batalha campal entre Gaviões, Mancha, Independente, Jovem, etc.

    • Valente disse:

      Abordagem abrangente e inteligente. Gostei da leitura.

    • Nelson Barreiros Neto disse:

      Parabéns pelos seus questionamentos…

      Realmente tá dando nojo dos nossos poderes…

    • Newton disse:

      O melhor de tudo é o advogado de defesa do moleque querendo provar que ele é CULPADO!
      E dá-lhe impunidade…

      • Mário disse:

        Adriano, tenho opinião semelhante a sua, infelizmente faltam desde a lucidez até vergonha ao povo brasileiro, sem falar a tão propalada falta de memória ,e o pior é que quem tenta levar uma vida honesta e pacata nesse país ainda é motivo de chacota….

    • Basilio disse:

      Adriano Arruda, excelentes as suas palavras, mas vou me atrever a responder as perguntas que vc levantou de uma forma bem simples: os manda-chuvas da Rede Globo, desesperados com o risco de eliminação do corinthians do torneio continental e o consequente prejúízo para a toda poderosa, já que gastou centenas de milhões pagos ao corinthians a título de direitos de imagem, iniciou essa campanha cretina, tentando desvincular o clube dos atos da torcida organizada, ou devo chamar quadrilha? Como se as passagens, estadia, alimentação não fossem pagos pela diretoria do clube. Resumindo, negócios, nada mais do que isso. Aliás, pra acreditar nesse papo de imprensa benfeitora, moralista e fiscalizadora tem que ser muito otário. Acreditar na bondade do luciano Huck, no criança esperança, no gugu liberato dando casas de presente pra manter os “paraíbas” longe do morumbi, meu Deus, quanta ingenuidade desse povo. .

  10. Alex Tr. disse:

    Está sim, assim como o “di menor” que matou um lá na Bolívia, e não vai acontecer nada, absolutamente NADA com ele. Vai continuar passeando alegremente pelas ruas e frequentando os estádios como se nada tivesse acontecido.

  11. Maurício A. disse:

    Gostaria de relatar algo que aconteceu comigo recentemente. Estava indo para um casamento junto com a minha esposa na Vila Madalena justamente no dia em que estava acontecendo o carnaval de rua do bairro. As ruas estavam todas tomadas e os carros dificilmente conseguiam passar. As ruas estavam interditadas até as 18hs e ja passava dás 21hs mas os foliões continuavam tomando as ruas do bairro. Um grupo mais alterado do que a média colocava-se na frente dos carros dançando e fazendo gestos para todos. Logicamente por estarmos em traje social chamamos ainda mais atenção. Fomos provocados de toda forma pelo grupo. Chegaram a colocar uma grade que estava na calçada na frente do meu carro e diziam que só nos deixariam passar se pagassemos um “pedágio”. Começaram a levantar os limpadores de parabriza do carro, mexer nos retrovisores e balançar o carro. Não reagi, não abri os vidros e apenas fazial sinal para por favor nos deixar passar. Mantive a calma. Me senti um bosta, tendo que implorar por um direito meu. Não conseguia defender a mim e a minha esposa. Foi então que um grupo mais consciente intercedeu removendo estes rapazes e moças do caminho e liberando nossa passagem. Me vi numa situação onde se eu fosse alguém menos equilibrado, vendo o nervosismo da minha esposa ao lado, poderia ter acelerado o carro e passado por cima de todos. Eu seria sem dúvida um criminoso que deveria ser preso. A dois anos atrás fiz campanha contra o maluco de Porto Alegre. Ainda acho que ele deveria estar preso, pois cometeu um crime e acho que ele deveria ter mantido a calma como eu fiz. Mas não falo hoje com tanta veemencia sobre o ocorrido pois simplesmente não estava lá, não sei o que passou na cabeça dele e o que foi dito a ele para ter feito o que fez. Pode ser que ele seja mesmo um idiota, que seja violento e estúpido, mas não tenho a certeza de nada, por isso não me vejo no direito de julgar, apenas lamentar o ocorrido. Não estou defendendo o homem, mas vale a reflexão, pois passei por situação semelhante.

    • JP disse:

      Você tirou as palavras da minha boca. Apesar de achar de que nada justifica o que o cara fez, boa parte desses “cicloativistas” são uns talebans sobre rodas.

    • Carlos Amaral disse:

      Relato interessante. Num momento de destempero podemos nos tornar criminosos de uma hora pra outra. Nada justifica a atrocidade que esse cidadão de Porto Alegre cometeu, e nada justifica também o fato de nada ter sido ainda resolvido quanto a esse caso. O grande problema que passamos, em última instância, é de educação. De todos nós.
      Imagina você, apressado e atrasado para um compromisso importante, ao se deparar com a má-educação alheia, se fosse igualmente mal-educado e estivesse armado? Atiraria na multidão. Ou simplesmente arrancaria com o carro e atropelaria dezenas.
      Temos que nos educar. Educar nossos familiares, nossos filhos. Reclamar, se indignar, lutar contra a má educação alheia e suas consequências nefastas é válido. Mas não podemos esquecer que também temos a nossa cota de responsabilidade, se queremos viver numa sociedade melhor.

    • Alex Silva disse:

      Sou da mesma opinião, porque já passei por situação semelhante e confesso que minha vontade era passar por cima de tudo mundo, infelizmente, como tudo que acontece neste mundo, sempre tem um grupinho idiota, bebados, cherados, movidos a drogas que acham que a vida é uma putaria só, e ae qdo acontece algo semelhante como no caso deste infeliz que atropelou os ciclistas, fica a dúvida…

      • Flavio Gomes disse:

        Deixa de ser tonto, rapaz.

      • Marcos disse:

        Peloamor, vcs não precebem que estão justificando o cara atropelar os ciclistas? Acham que é normal atirar em alguém porque ficam “irritados”.

        O Mauricio A., que escreveu o comentário acima, disse que não baixou os vidros do carro. Talvez se tivesse conversado com o pessoal, levando em consideração que estes estavam um pouco “alterados”, conseguisse passar com mais facilidade.

        Já me livrei de muita confusão e situações encrencadas com diálogo. Vcs poderiam tentar.

    • Mariana disse:

      Também passei por situação semelhante alguns anos atrás, mas no meu caso nosso carro se tornou alvo preferencial dos “foliões” por outro motivo: porque estávamos com um bebê, assustado e chorando. Logo que nos aproximamos do grupo, os vidros do carro estavam abertos e atiraram a famosa espuma na carinha dele.
      Bem, acho que o essencial é que também não passamos por cima de ninguém. E imagino que os ciclistas do caso em questão não estavam bêbados (pelo menos não a imensa maioria).

    • Marcelo dos Santos disse:

      Maurício, é possível notar o ponderamento e o cuidado do seu depoimento, para que não fiquemos aqui polarizando opiniões. Por que é comum. O atropelador é um puta criminoso, ele não só tentou abrir passagem como o fez com toda a violência de que dispunha. Descarregou seu destempero com imenso dolo. Mas compartilho seu sentimento, você fez o que era correto. Manteve a calma. Confesso que é admirável até, uma vez que acuados e com família é fácil perder a razão. Todos temos o direito de brincar o carnaval, de pedalar com segurança, de caminhar com segurança, de torcer pelo nosso time, de nos manifestar, de protestar, de expressar nossa opinião. O problema é que seja por estarem dentro de carros, ou seja por estar em grupo, as pessoas extrapolam seus direitos se sentindo inatingíveis. É na hora que falta o senso do viver em grupo que a merda desanda. Um provoca por estar em vantagem numérica, o outro reage por estar protegido pela lata. Será que é tão difícil assim respeitar o direito do outro? Seríamos tão infelizes assim se apenas ocupássemos o que cabe a cada um de nós? Precisamos ocupar o espaço do outro? Mesmo? O ser humano é uma merda.

      • Janus disse:

        Tem idiotas em todo lugar. É óbvio que às vezes tem idiotas andando de bicicleta também. Mas também é óbvio que, nesse caso de Porto Alegre, o idiota, E CRIMINOSO, estava dentro do carro. E isso não é julgar com falta de empatia. Isto são os fatos, o vídeo é muito claro.

  12. Alessandro Neri disse:

    Vergonha , escárnio , acinte , tapa na nossa cara dada por essa justiçazinha imoral de altos salários do nosso país. E quer saber o pior? Vai ficar por isso mesmo. Não vai acontecer nada com esse animal irracional. Já deve inclusive estar dirigindo novamente pelas ruas de POA. Vergonha , nojo de ser brasileiro.

  13. Adalberto Hoffmann disse:

    O advogado do maluco teve a petulância de afirmar em entrevista que não é justo que não haja movimento de apoio popular a favor de seu cliente (e não apenas a favor dos ciclistas). E que, também, ele foi tão bonzinho que não feriu ninguém com gravidade. Só matando (dos dois).

  14. Maxwell barbosa Medeiros disse:

    Dois anos? Nem parece. O cara deveris estar trancafiado e ponto final!

  15. Antonio Ribeiro disse:

    Semana passada perdi um amigo ciclista, atropelado no RJ: http://espn.estadao.com.br/post/311378_montanhismo-se-despede-de-fabio-muniz

    Flavinho Muniz era uma dos maiores expoentes na escalada esportiva aqui no Brasil, foi diversas vezes campeão brasileiro.

    Triste ver como um imbecil no volante se acha no direito de “educar” o ciclista, tirando finas propositais, e “cololocá-lo no seu devido lugar, porque rua não é lugar de ciclista”.

    • Jose Silveira da Silva disse:

      E como o motorista deve se comportar quando ao estar parado no sinal o ciclista tirar “fino” do seu carro, passando no corredor entre os carros.??

      • Osni disse:

        Que coisa mais estúpida de se escrever. Não faz nada, oras.

      • Thiago disse:

        É bem verdade que aqui ninguém sabe andar à pé e bicicleta, tampouco, dirigir carros, motos, caminhões, ônibus…

        Já cantava Renato Russo em “Perfeição”:
        “Vamos celebrar
        A estupidez humana
        A estupidez de todas as nações
        O meu país e sua corja
        De assassinos
        Covardes, estupradores
        E ladrões…

        Vamos celebrar
        A estupidez do povo
        Nossa polícia e televisão
        Vamos celebrar nosso governo
        E nosso estado que não é nação…

        Celebrar a juventude sem escolas
        As crianças mortas
        Celebrar nossa desunião…

        Vamos celebrar Eros e Thanatos
        Persephone e Hades
        Vamos celebrar nossa tristeza
        Vamos celebrar nossa vaidade…

        Vamos comemorar como idiotas
        A cada fevereiro e feriado
        Todos os mortos nas estradas
        Os mortos por falta
        De hospitais…

        Vamos celebrar nossa justiça
        A ganância e a difamação
        Vamos celebrar os preconceitos
        O voto dos analfabetos
        Comemorar a água podre
        E todos os impostos
        Queimadas, mentiras
        E seqüestros…

        Nosso castelo
        De cartas marcadas
        O trabalho escravo
        Nosso pequeno universo
        Toda a hipocrisia
        E toda a afetação
        Todo roubo e toda indiferença
        Vamos celebrar epidemias
        É a festa da torcida campeã…

        Vamos celebrar a fome
        Não ter a quem ouvir
        Não se ter a quem amar
        Vamos alimentar o que é maldade
        Vamos machucar o coração…

        Vamos celebrar nossa bandeira
        Nosso passado
        De absurdos gloriosos
        Tudo que é gratuito e feio
        Tudo o que é normal
        Vamos cantar juntos
        O hino nacional
        A lágrima é verdadeira
        Vamos celebrar nossa saudade
        Comemorar a nossa solidão…

        Vamos festejar a inveja
        A intolerância
        A incompreensão
        Vamos festejar a violência
        E esquecer a nossa gente
        Que trabalhou honestamente
        A vida inteira
        E agora não tem mais
        Direito a nada…

        Vamos celebrar a aberração
        De toda a nossa falta
        De bom senso
        Nosso descaso por educação
        Vamos celebrar o horror
        De tudo isto
        Com festa, velório e caixão
        Tá tudo morto e enterrado agora
        Já que também podemos celebrar
        A estupidez de quem cantou
        Essa canção…

        Venha!
        Meu coração está com pressa
        Quando a esperança está dispersa
        Só a verdade me liberta
        Chega de maldade e ilusão
        Venha!
        O amor tem sempre a porta aberta
        E vem chegando a primavera
        Nosso futuro recomeça
        Venha!
        Que o que vem é Perfeição!…”

      • Sieg disse:

        O motorista deve se comportar com muita calma, oras… ou resolveria se ele arrancasse pra perseguir o ciclista e atropelá-lo? Não, né…

      • Fernando disse:

        Vc quer comparar uma bicicleta de 20kg à 40km/h com uma tonelada de ferro que passa de 100km/h fácil?
        Que coisa estúpida de se escrever, como já disseram.

        Quantos morrem por ano atropelados por bicicletas?

  16. EduardoRS disse:

    Até onde eu fiquei sabendo, ele foi transferido de setor no BC, mas continuaria trabalhando. A imprensa daqui não falou mais nada sobre o assunto, o prefeito-jingle fala em construir centenas de km de ciclovias, então a opinião pública acabou deixando o assunto de lado. Mas a questão principal segue a mesma: Porto Alegre tem, provavelmente, o trânsito mais violento do país, e nenhuma autoridade toma providência. Carros e motos circulam livremente pelos corredores de ônibus, faixas de pedestres e ciclofaixas são ignoradas, até sinal vermelho é ignorado em alguns cruzamentos. A EPTC (Empresa Pública de Transportes e Circulação de PoA) é formada por um bando de bundões que adora multar infrações leves (nada contra, infrações precisam ser punidas), mas deixam os assassinos em potencial e demais lunáticos sociopatas livres nas ruas e avenidas.

  17. egberto disse:

    Com gaucho fico envergonhado com este assunto. Deve continuar dirigindo sem ser importunado. Esse é o nosso Brasilsilsilsil e Viva a Copa do Mundo, Olimpidas e circo.
    Nosso pais se superou ao permitir que um menor assumisse como responsável por essa insanidade ocorrida na Bolivia. Da-lhe Curintia e Globo (“fiel” patrocinadora).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>