MENU

Monday, 29 de April de 2013 - 19:18Futebol, Gira mondo

GIRA MONDO, GIRA

SÃO PAULO (e como gira…) – Morreu Paulo Vanzolini. Sobre ele escreveu tudo que tinha de ser escrito o Kiko Nogueira, aqui. Ou quase. Acrescentaria, apenas para dar um toque pessoal à coisa, que o professor Vanzolini foi uma das pessoas com quem mais conversei nos tempos em que era repórter de ciência nas rádios Cultura e USP e, depois, na “Folha”. Nunca falamos de música. Ele se considerava um amador no assunto. Era, sim, um cientista. Puro. Uma vez ele implicou que eu sempre o chamava de “professor”. “Mas vou chamar de quê?”, perguntei. “De zoólogo.” Argumentei que numa conversa entre duas pessoas é impossível se dirigir a alguém usando “zoólogo”. “Zoólogo, me fale sobre a diversidade de espécies de sapos na Amazônia.” Não dá.

Continuei chamando de professor.

Morreu também o Sérgio, da Ju-Jovem. Aos 61 anos, jovem demais. Torcedor histórico do querido Juventus, deixa a cidade mais vazia e triste.

Como triste demais está ficando o futebol brasileiro. Sábado inauguraram um estádio construído onde ficava o Maracanã. O mestre-de-cerimônias da entrega daquilo que um dia foi um dos maiores símbolos do Rio foi o carioca de Higienópolis Luciano Huck, usando uma camisa com o logotipo de seu programa e de um quadro em que ele reforma casas de gente miserável que escreve cartas para conseguir umas latas de tinta e uns móveis fajutos.

Gastou-se 1 bilhão de dinheiro público para destruir o Maracanã e fazer outro estádio, e seu primeiro papel foi de cenário para o programa do Luciano Huck, que nunca deve ter entrado no Maraca para ver um jogo na vida. Como o Lúcio de Castro, da ESPN Brasil, também vivi o Maracanã e jamais, jamais vou esquecer o que senti na primeira vez em que passei pelo túnel de acesso à arquibancada e me dei com aquela imensidão.

Isso nunca mais vai acontecer com ninguém. Fizeram um estádio que simplesmente eliminou a mais doce característica do velho Maraca: sua alma, um palco de todos e para todos. Esse estádio novo não é mais o Maracanã, lamento. É uma arena, como gostam de dizer agora, feita no lugar onde ele ficava.

Adeus, Maraca.

enfiemAí, ontem, chovem caxirolas na Fonte Nova. Uma bobagem inventada pelos organizadores da Copa que no fundo não passa de um grande negócio de 3 bilhões de reais que querem nos enfiar goela abaixo como símbolo da felicidade e da musicalidade do povo brasileiro. Bobagem aprovada pelo governo, encampada pela presidenta, que não entende picas de futebol, pelo ministro do Esporte, um deslumbrado, e, claro, pela Globo. Afinal, quem criou essa coisa patética foi um cara contratado da emissora, Carlinhos Brown, que participa de um programa de calouros.

Globo que ficou indignada, oh!, com a chuva de caxirolas. E através de seu apresentador no “Fantástico” deu uma bronca no público, como se o ameaçasse com umas palmadinhas, porque as pessoas desrespeitaram as caxirolas. Como pode? Nã-nã-nã-nã-não. Feios. Comportem-se, meninos!

Agora a Globo quer ensinar as pessoas a torcer e determinar como elas devem se comportar num estádio de futebol. É demais pra mim. A revolta das caxirolas foi uma ótima resposta a essa babaquização que está tomando conta do futebol, ainda que motivada pela raiva da torcida do Bahia com seu time, e não com as caxirolas propriamente ditas. Não acho que se deva jogar nada dentro de um campo de futebol. Pode machucar alguém e atrapalha o jogo. Mas adorei ver a chuva de caxirolas. Foi um ato de resistência, mesmo que simbólico.

Todo desprezo do mundo às caxirolas, ao tatu Fuleco, à bola Cafusa, a essa mercantilização de uma paixão que foi trazido ao Brasil por uma elite europeia e que acabou sendo apropriada pelo povo deste país.

Enfiem no rabo as caxirolas. Deixem-nos em paz.

140 comentários

  1. Matheus says:

    Excelente texto.

    O que mais me aflige é saber que a mesma presidANTA está para ser reeleita em 2014. E será o mesmo povo “revoltado” que a elegerá…

  2. levasco says:

    Enfiem no rabo as caxirolas…
    Foi a primeira coisa que pensei ao ver a imagem!

  3. Henrique says:

    Caro Flavio, deixo aqui uma pequena contribuição que escrevi sobre as caxirolas e os seus negócios: https://pimentalab.milharal.org/2013/04/29/caxirola-os-negocios-da-copa-inovacao-e-o-neocolonialismo-corporativo/

  4. Marques Goron says:

    Caxirola de cú é rôla… Que ardam no inferno todos esses idiotas!

  5. Janir says:

    Tem muito ladrão neste meio politico ( não só lá ), esperar o que com tanto dinheiro rolando fácil.

  6. Neto Brucutu says:

    Olha, quando me falaram eu não acreditei, mas tai a prova do senso da imbecilidade maiúscula do Sr Carlinhos Marrom ,pois se é Brasil não pode ser Browm !!

    Vai uma caxirola aí ?

    http://youtu.be/isKu94XHEl8

  7. Ron says:

    Perfeito.
    E só lembrando: depois ainda tem as Olimpíadas para terminar de vez com tudo por aqui.
    A partir de 2017 deve aparecer o rombo completo que, se aqui fosse terra de gente séria, pelo menos seria feito com coisas para beneficiar o povo.

  8. E LA SE VAI MAIS UM TORCEDOR DA PORTUGUESA…..O CEU FICOU MAIS RICO…

  9. luis fernando says:

    gágálvão,huck e carlinhos brown empregadinhos da fifa e a proibição da festa de são joão na bahia é realmente o fim do mundo.

  10. Murilo says:

    Este texto é uma metralhadora de gabaritos.

  11. Bruno says:

    Flavio,

    como você

    consegue ler

    um texto

    do Cosme Rímoli?

  12. Mauricio says:

    Outra coisa que vai gerar muita confusão serão os ingressos numerados. Se já não bastasse a educação média do torcedor ser equina (não digo que todos o são), ainda teremos de conviver com ingressos duplicados. Ah! Cara já estou morrendo de vergonha…
    Será patético.
    Acho que nem preciso mencionar os aeroportos, mobilidade urbana…

  13. Nelson says:

    E VIVA O BRASILSILSIL!!!

  14. Mauricio says:

    Texto perfeito e admirável.
    A acrescentar um ponto a respeito das tais caxirolas.
    Por anos nós aprendemos com nossos erros a controlar as multidões nos estádios. Hoje a coisa ainda não é perfeita, mas caminha dentro de um bom senso. Entre as regras várias cito apenas duas que hoje são regra e que na Copa vão ser exceção e já antevejo muitos problemas:
    -Objetos arremessáveis: Hoje são proibidos. A própria caxirola seria proibida de entrar pois é uma verdadeira “pedra”. Vai virar arma nas mãos dos malucos. Não sei de onde tiraram essa ideia ridícula.
    -Bebidas alcoólicas. Foram banidas dos campos já ha algum tempo pois incitava confusão e brigas. Na copa será permitida pois o principal patrocinador é a AMBEV/AB-IMBEV. Não sei como vão fazer, mas se venderem garrafas e latas, os estádios mais uma vez vão virar palco de confusão e até morte, como acontecia não muito antigamente.
    Em nome do dinheiro está se abrindo mão da segurança.
    Vou assistir a Copa de casa, pela TV. É mais seguro.

  15. Guilherme says:

    O futebol brasileiro morreu e esqueceram de enterrar. A Seleção não tem identificação com o povo e serve apenas para disputar jogos caça-níqueis ou para eventos sem importância como aquele realizado na Bolívia para limpar a barra do Corinthians. Depois do boneco João-Bobo, do mascote de nome ridículo, agora a Grobo impõe essa tal caxirola. Pior ainda é ver a “grande mídia” trabalhando em prol de um único clube, elevando-o ao patamar do Flamengo de Zico, do Santos de Pelé, do Palmeiras de Ademir ou ao São Paulo do Telê, e ainda fazendo propaganda para que o melhor jogador em atividade vá logo para a Europa.
    Essa Copa será um evento para os coxinhas que nunca sentaram numa arquibancada de cimento para rir ou chorar pelo time de coração. Infelizmente essas arenas com porta-copos sepultarão o pouco do que restou do nosso futebol. Agora fica mais nítido o que vc quer dizer com “futebol de verdade”.

    • Guilherme says:

      Reiterando: Padrão Fifa é o c…!

    • Vinicius says:

      exatamente Guilherme.

      A espanholização do futebol brasileiro é o sonho de consumo da globosta,o que nada mais é do que fazer dos travecos(corinthians) a unica potencia do futebol brasileiro.

      todos os outros clubes serão varridos do futebol brasileiro,até mesmo o Flamengo não escapará dessa sanha global e traveca pelo controle absoluto do Futebol Brasileiro.

      A espanholização do nosso futebol só não vai acontecer caso os clubes parem de ser totalmente submissos a globosta.

  16. Ulisses says:

    Belo texto Flávio!
    Não é de hoje que a Globo imbeciliza e infantiliza qualquer coisa em que põe a mão!
    E a revolta das caxirolas foi a maior revolução popular que esse país já viu desde a Guerra dos Farrapos!
    Esse país está ficando mais imbecil a cada dia!

  17. Flavio, uma pena que você tenha misturado o grande Paulo Vanzolini com essa porcaria de discussão da Copa do Mundo no Brasil.
    Ele merecia um texto à parte.

  18. ANSELMO PEREIRA RIBEIRO says:

    Flavinho,
    Você esqueceu de mencionar que, entre tantas qualidades, Paulo Vanzolini torcia para a nossa Lusa.

  19. Thiago Azevedo says:

    O Paulo Vanzolini foi um baita músico e que pelo que eu já ouvi falar, um baita pesquisador.
    Você poderia chamá-lo de biólogo, ele certamente não discordaria.

    Putz, fuleco. Não poderiam escolher um nome mais “fuleco” do que esse.

    Lembro que a presdiente Dilma tinha sido deselegante quando, na abertura das olimpíadas de Londres, disse que a festa aqui seria melhor, que a nossa música é melhor e tal, mesmo depois de ter ouvido o Paul Mcartney cantar.

    Neguinho da Beija-Flor é legal e tal… mas colocaram um outro lá que eu nem sei o nome, musica feia da porra (bem fuleca, mesmo). Da pra imaginar o show de horrores que será.

  20. Carlos Frangoso says:

    Quem assiste a esse programa desse apresentador global ridículo? Eu não conheço ninguém.

    Já essa idéia idiota, babaca, idiotizante desse instumento boçal tem que ser boicotada. Espero que o brasileiros vão ao estádio com bandeiras, rolos de papel higiênico e tudo aquilo que é verdadeiramente popular.

    Odeio essa noçaõ de futebol da FIFA e quero que ela se foda!

  21. Neto Brucutu says:

    F.G e a todo o pessoal, bom dia !

    Lendo em “Caiu levanta 2”, narrativa gostosa de como se deu esse passeio, me fez voltar aos meados de década de 70, em que meu pai eu e meu irmão mais novo, iamos toda 4ª feira ao Morumbi quando tinha jogo do São Paulo.
    Chegavamos por volta das 19h30 pois os jogos começavam as 20h00, sempre portando nossas bandeiras em mastros de PVC ,Tigre, (Ops, desculpe pelo patrocínio). A torcida jogava o pó de arroz ,soltava rojão, para cima é claro e fazia a festa com suas bandeiras. Só que o melhor de tudo era, que ganhando ou perdendo sempre na volta paravamos na Av. Francisco Morato com a Av. Roberto Lorenz, essa sem saida, onde hoje fica o laboratório Lavosier, para comermos uma pizza de mussarela com guaraná Antartica aquele da garrafa marrom, pois alí existia um padaria, e ainda encontravamos varios outros torcedores, não só do São Paulo, que mantinham esse hábito também. Eramos conhecidos de padaria.
    Isso tudo acabou, o negocio hoje é grana e mais grana, os clubes não tem mais identidade, pois os jogadores não tem mais paixão pelo clube, querem fazer dele um trampolim para sair do País. Outra coisa, cruzar com outros torcedores no mesmo recinto, é briga na certa, e se não morrer ninguem, é lucro.

    Valeu pela sua aventura.

    Quanto à Copa do mundo : Vamos perder nas quartas de final para a França aos 46 do 2º tempo com gol impedido de mão, e a bola não vai entrar mas o sensor colocado na trave vai falhar e dar bola dentro.

    Quanto à caxirola : TIRA O TUBO !
    http://www.youtube.com/watch?v=bCyxM1bdu2I

    Um abraço a todos!

  22. Cristiano JP says:

    Concordo com vc Flávio em gênero, número e grau.
    Isso tá uma palhaçada.

  23. artur melo says:

    O Jô Soares ontem fez um comentario realmente feliz.Transformaram o Maracanâ em Maracaninho..Acabaram com identidade do estadio,patrimonio nacional.É de doer.

  24. YPVS says:

    Perfeito!
    Devima ter mijado na caxirola antes de jogar!

  25. Christian - Do Niva says:

    O pior é quando a fatura desta babaquice sem tamanho chegar para pagarmos. Daqui a pouco todo o esforço que o Brasil fez nos anos anteriores para organizar as finanças do Brasil vai para o buraco. Seremos a nova Grécia…

  26. Sidney says:

    Moro em Salvador.
    O pior para mim da nova Arena Fonte Nova que tem o Itaipava antes é que por enquano nem posso levar meu filho pra ver um jogo.
    Campeonato Baiano assim como a maioria do nordeste é fraco, fora os times com pouco dinheiro, quando aparece um jogador bom ele é vendido e o time fica sempre entre os medianos, sempre brigando para não ir para série B.
    Mas enfim, eu não to liso, mas estou apertado financeiramente.
    Sou casado e tenho um filho.
    Aí penso em ir a nova fonte…
    Mas pra ver um jogo meia boca na nova arena não é coisa nem de classe média.
    Ingresso R$70 inteira e R$35 meia.
    Pra mim levar a família é R$175 de ingresso, R$25 de estacionamento e R$30 de lanche.
    Os lanches são padrões de lanchonete de shopping, preços lá em cima.
    Total pra ver um joguinho “fuleiro”: R$230
    É pra ver um jogo aqui e outro bem acolá… ou seja… é pra ver um jogo no início e juntar dinheiro pra ver se da pra ver outro até o fim do campeonato.
    E o resto do povo?… sei lá,, mais barato assinar uma TV por assinatura e ver pela TV.

  27. claudio aun says:

    Já que a invenção do instrumento é um golpe,deviam chama-lo de Cacciola

  28. Rogério Magalhães says:

    Sobre o Vanzolini, uma perda grande para a ciência do Brasil e, ainda que ele não achasse isso, para a história da música nacional, com suas clássicas composições. Mas o que me surpreendeu mesmo, FG, foi ler essa nota no site do nosso time: http://portuguesa.com.br/noticias_m.asp?id_noticia=7793 Nunca vi em lugar algum essa informação, mas de toda forma, mostra como a torcida rubro-verde, tirando eu e mais uns picaretas, é altamente qualificada socialmente e intelectualmente.

    Sobre o Mangiullo, um desfalque grande para o mundo do futebol de verdade de São Paulo, um abnegado como são todos nós que torcemos para os times outsiders da ditadura dos grandes times protegidos pela mídia esportiva, esses que fomentam a cultura coxinha das arenas insípidas, inodoras e assépticas, torcidas convertidas em espectadores de cinema/teatro, em suma, estádios sem alma, sem vida. Se minha memória não me trai, ele era do meu bairro na ZL. Quando bem mais novo, costumava ver muito um Mercedes-Benz O-362 estacionado na avenida principal, na altura dos fundos da minha casa, estilizado com uma pintura que levava o nome da Ju-Jovem, sempre imaginei ser dele. Legal a homenagem dos juventinos a ele (até no site do clube) e fico imaginando se o nosso Sardinha, quando também se for, merecerá do clube a mesma reverência. Tomara que sim.

    Sobre o Maracanã, assim como o Mineirão, vou vistoriar tudo isso na Copa das Confederações. Uma coisa tenho como certo: não será a mesma coisa. O Mineirão não terá mais a aura que vivenciei na semifinal do Brasileiro de 1998 entre Portuguesa x Cruzeiro, quando eram mais de 100 mil pessoas e nossa brava torcida de 25 ônibus e 2 aviões (mais os avulsos) fazendo eco em meio ao mar azul, nem o prazer de ter voltado 10 anos depois ao mesmo lugar nas cadeiras (na altura do banco do visitante) e ser um pontinho verde-vermelho em meio ao mesmo mar azul pra ver minha Portuguesa, já rebaixada, naquela última rodada do Brasileiro de 2008. O Maracanã, aquele que sonhava ver um jogo em suas arquibancadas e sempre tratei como a “Meca” do futebol (onde todos que amam futebol deveriam pisar ao menos uma vez na vida), pude ainda estar antes dessa “morte”, também em 2008, vendo Portuguesa x Fluminense (mas me penitencio sempre por não ter ido naquele épico Lusa 3×2 Flamengo de 1998, o famoso “jogo da devolução do dinheiro”).

    Tanto na Copa das Confederações como na Copa do Mundo, não faço a menor questão de ver o Brasil jogar. Quando muito, se chegar lá (o que tenho sérias dúvidas pelo que vem apresentando), na semifinal ou na final. Acho que será bem mais divertido, na Confederações, os dois jogos do Taiti que verei, contra Nigéria e Espanha. E na Copa do Mundo, também não farei questão de ver o Brasil em campo, quero ver outras seleções, porque ainda dentro de mim tenho paixão pelo futebol e tento, herculeamente, usar essa paixão como escudo para encarar de frente essa “coxinhização” do esporte, não deixar que a pasteurização pachequista global e de seus asseclas/clones atrapalhem, matem esse gosto. Há que se resistir em meio ao cenário hostil e inóspito, para que a essência nunca se apague, por mais que Fifa, Globo e quetais tentem isso.

    A caxirola? Vindo a idéia de quem veio, daquele imbecil que acha que é artista, só podia ser mesmo uma merda, como ele. Aliás, vai ver pensou naquilo porque é mais leve do que as latinhas que levou, merecidamente, no Rock in Rio anos atrás. Uma babaquice sem tamanho…

    • R.Garcia says:

      Rogério, só queria cumprimentar pelo seu comentário,como também torço pela LUSA , tenho esse mesmo sentimento com relação ao tratamento dado pela mídia em geral ao nosso time.

  29. Acarloz says:

    Esse país tá cada vez mais circo, um circo que só têm palhaços.

  30. raphael says:

    Rapaz executado num assalto sem reagir, dentista queimada viva, turista estuprada coletivamente no Rio, … Por que nada disso merece um gira mondo desse blogueiro? Já sei, porque tudo isso é o resultado da luta de classes, dos pobrezinhos sem chance na vida, dos manos que vão assaltar com o carro da mamãe e resolvem por fogo na vitíma. Políticos hipócritas, formadores de opinião mais hipócritas ainda, ainda bem que vou embora daqui brevemente.

    • Renato says:

      Vai embora mesmo, vai para uma Suiça da vida, quando estiver ruim lá vc vai para a Noruega, quando estiver ruim lá vc vai para o Japão. Gafanhoto.

    • Eltontoptec says:

      1- Já vai tarde.
      2- Assista ao Datena

      • raphael says:

        Vou mesmo, boa sorte pra vocês que ficam, se um dia forem vítimas de alguma violência, não abram a matraca pra reclamar, combinado?

      • Rodrigo Mota says:

        engraçado os “brasileiros” que vão pro exterior achando que são a última bolacha do pacote…

        aí quando tem terrorismo lá fora choram pra deus e o mundo que querem voltar pro Brasil, que é o melhor país do mundo etc…

        e quando tem desastre natural (furacão, terremoto etc) fazem igual, e lá vai a FAB mandar 707 pra resgatar estes bandos de chorões…

        não gosta de ser Brasileiro? fica humilhando “quem fica”?

        pois bem. faça o seguinte.

        VÁ EM UMA EMBAIXADA BRASILEIRA E RENUNCIE A SUA CIDADANIA! entregue seus documentos Brasileiros e “so long”. pronto! se Brasileiro fede e você sente vergonha disso renuncie a sua cidadania. é previsto em leis internacionais.

        renuncie e vá ser lavador/faxineiro/garçom nos “países ricos”. tudo é uma maravilha até o primeiro louco denotar uma bomba a 500 metros da sua cabeça. aí o Brasil é um luxo não é?

        temos nossos problemas aos montes mas não temos inimigos externos. a Al Qaeda não tem nada contra a gente, nem a China, nem mesmo a Coréia do Norte, não existe “anti-Brasilianismo” no mundo. somos um povo que apesar dos apesares não criamos confusão com o resto do planeta…

        eu morei fora do Brasil. é muito legal etc.

        Mas eu não renuncio quem eu sou e de onde vim. gosto de ser Brasileiro e não me gabo de ter morado longe e nem “de quem fica”.

        “vitima de alguma violência”?

        tá bom guri. quantas vezes a Al Qaeda explodiu algo por aqui? nenhuma…

        quantas vezes a mesma Al Qaeda explodiu algo na Europa e America do Norte? muitas vezes não é mesmo?

      • raphael says:

        Ainda não, vou no meio do ano. Não destrato o Brasil, mesmo morando fora vou continuar sendo brasileiro, torço pra que um dia esse lugar fique civilizado. Agora, querer comparar mortes excepcionais (terrorismo) com mortes corriqueiras (violência urbana) é de uma estupidez inacreditável !!!

      • Rodrigo Mota says:

        “civilizado”?

        deixa eu ver.

        nos EUA existe racismo abertamente, especialmente no sul. o país é rico mas entre eles mesmos existe racismo…

        isso é ser civilizado?

        na Europa existe preconceito contra pessoas do leste Europeu e entre eles mesmos, como o fato de Franceses não gostarem dos Ingleses…

        isso é ser Civilizado?

        na França o povo se revoltou por causa da aprovação do casamento gay e a violência tomou conta das ruas.

        isso é ser Civilizado?

        violência é violência. morte é morte do mesmo jeito, seja por uma bala perdida do PCC ou por uma bomba da Al Qaeda. na hora não tem diferença, o sangue jorra do mesmo jeito e da mesma cor…

        terrorismo já deixou de ser morte “exepcional” porque a frequencia dos ataques é tão grande que a paranoia de saber que o seu vizinho pode ser um fanático religioso destinado a explodir meio quarteirão é complicado…

        quando você entrar em um aeroporto e passar 30 minutos aguardando pela inspeção da TSA (ou orgão semelhante), abrirem tua bagagem e te encherem de perguntas eu quero ver a “civilização” dos outros países…

        tá. tudo é melhor lá fora. engraçado mesmo é que tem muita gende de fora que vem pra cá e fica de vez. não temos furacões, não temos terrorismo, violência tem em tudo que é lugar, também tem crimes lá fora do contrário não haveriam prisões…

        não tente comparar isso aqui com o Iraque. nosso problema chama-se “corrupção”, se não fosse isso seríamos “primeiro-mundo” porque temos tudo o que muitos países querem e não tem. temos solo fértil, clima diversificado, tecnologia boa e barata, povo versátil, não temos inimigos externos…

        quando a primeira bomba explodir por causa de terrorista ou o primeiro furacão chegar não veja aparecer na globo implorando para a FAB te resgatar tá? porque o B707 e C130 são a serviço do Brasil.

        muito Brasileiro quando vai morar lá fora aprende a ser chorão. tudo é muito bom até a primeira merda acontecer, aí enchem o saco da FAB pedindo resgate. aliás eu sei disso porque um colega meu Major da FAB vive me relatando isso…

        “quando dá merda lá fora todo mundo quer ser Brasileiro de novo, todo mundo fala português. porque querem que a gente resgate esse pessoal. tem horas que dá vontade de dizer não”

  31. EduardoRS says:

    Será que não aprenderam com o episódio das vuvuzelas na África do Sul? O mundo inteiro odiou aquela bosta, e aquela copa ficou marcada por isso. Querem fazer o mesmo no Brasil?

    Talvez até seja proposital, para tirar um pouco a atenção dos problemas de infraestrutura das cidades-sede.

    O Lula enquanto presidente fez algumas coisas boas, fez algumas coisas ruins, e fez algumas cagadas épicas. Trazer a Copa do Mundo foi uma delas. A Dilma deve ter vontade de dar fogo nos contratos com a FIFA.

  32. Danilo Junqueira says:

    O pior Flávio foi o gasto de 400 milhões em reformas no maracanã gastos para o Pan com a desculpa que o estádio já estaria pronto para a copa do mundo, depois destruíram tudo que tinha acabado de ser feito, e aquelas cadeiras novinhas…. aonde foram parar????
    Vamos esperar a próxima reforma para adequar as olimpíadas…. “Ha temos que fazer reforma para adequar o Maracanã para as provas de atletismo afinal ele é o estádio de abertura e encerramento…..” já estou até vendo as desculpas…..

  33. DOuglas says:

    Concordo com a questão das Caxirolnas (nem sabia do nome), do Tatu (coitado deste que recebeu este nome) e da bola (bola é bola, pra quê outro nome?).
    Mas a reforma do Maraca (mesmo cara, roubaram nosso dinheiro) era necessária. Ainda acho que ficou bonito. Meu Mineirão ficou lindo!! A Fonte nova renasceu. Tudo muito caro, sem dúvida mas foi bom o resultado.

  34. Filipe Pimenta says:

    Tô cagando para as caxirolas, que não representam em nada a cultura brasileira.

    O que me deixa tremendamente entristecido, é falta de educação do torcedor brasileiro, que não sabe se comportar. A “revolta das caxirolas”, é a revolta de alguns animais sem cérebro que acham que seu time vai jogar melhor se levar uma caxirola na cabeça. Nada tem haver com revolta contra a Rede Globo.

    Tivessem que se revoltar contra a Globo, que simplesmente se recusassem a receber “caxirola”. Pelo que consta, seu uso não era obrigatório dentro do estádio.

    Me espanta o fato de você meses atrás, você ter escrito um texto defendendo a punição de uma torcida inteira, pelo ato de vandalismo e violência de meia dúzia de idiotas. Hoje, uma torcida inteira comete um ato de vandalismo, você critica a Globo por que ela “quer ensinar as pessoas a torcer e determinar como elas devem se comportar num estádio de futebol”.

    “É demais pra mim”. (GOMES, 2013)

    Mudou de ideia, ou está apenas se contradizendo?

  35. charles says:

    Perfeito FG, nenhum outro texto poderia expressar maior ojeriza à essa porcaria inventada pela Globo e atribuida invenção ao Carlinhos Brown. Parabéns. Aliás, não consigo entender porque a Vênus Platinada tenta enfiar goela abaixo que o Brown é um ótimo cantor, simplesmente não consigo entender. Espero que na Copa, atirem no campo Caxirolas, Fulecos, Huck’s, Galvãos, e a PQP, como forma de expressar que o povo não é idiota, e que não engole qualquer coisa pré-fabricada pela toda poderosa.

  36. Fabio Fornari says:

    Carlinhos Brown é piada pronta. Depois daquele Rock in Rio ele já deveria ter aposentado a caxirola e deixado o mundo em paz.

    E, mais uma vez, não poupam motivos para nos fazer passar vergonha.

    http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-das-confederacoes/de-olho-na-copa-jornal-ingles-critica-caxirola-poupem-nos,8128f5868c75e310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

  37. Danilo Candido says:

    “(…) inauguraram um estádio construído onde ficava o Maracanã”.
    Sem mais.

  38. Guilherme says:

    Eu teria morrido sem saber o que diabos é uma caxirola, se não fosse isso!!
    E não teria feito diferença nenhuma…

  39. Ricardo Bigliazzi says:

    A questão do Maracanã é mais insólita do que parece… o Governo paga R$1.300.000.000,00 de dinheiro publico. para a reforma e vai conceder o Estadio para os caras que reformaram o Estadio pela bagatela de R$250.000.000,00 de dinheiros?!?!

    Quanto ao resto da Copa… isso é uma vergonha… você esqueceu de citar a Cerimonia de apresentação da Caxirola para o Mundo com a participação especial da Presidente Dilma a acompanhar o Hino Nacional tocando a Caxirola… cena tragicômica… cena de um Brasil que perdeu a vergonha na cara.

    Daqui a pouco isso vira “piada pronta”… vai ter neguinho aí a falar que o que o Brasileiro mais gosta é de “tocar uma Caxirrôla”

    Segue o jogo… como a Bolivia o Brasil anda sendo “refundado”… só que para pior…

    Imperador

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *