P20, P4 E P1

SÃO PAULO(vídeo mais tarde) – Como a Classic Cup é muito complexa, preciso informar que Meianov venceu sábado na principal categoria, a de carros soviéticos, donde o P1 do título. O P4 é da divisão TL. E P20, a menos importante, na classificação geral.

A corrida foi bacana. Tivemos 35 carros na classificação e larguei em 28°, com 2min15s638. Não foi lá uma volta excepcional, visto que o russinho já virou 2min14s em Interlagos. Acho que o macacão antigo que usei, uns 100g mais pesado que o novo, teve alguma influência. Chambel, com o Tenebroso Passat Tedesco, fez a pole na geral com 2min00s155.

Éramos sete na TL (Turismo Light) e um na CS (Carros Soviéticos), daí a vitória tranquila nesta última. Os três primeiros da TL, Cury (Fusca), Lima (Passat) e Grosso (Fiat), são bem mais rápidos e com eles não brigo. Com os outros tem disputa e deu para chegar na frente de um Passat, um Opala e um Puma.

Larguei com alguma cautela, porque nas primeiras corridas do ano andei me esfregando demais na turma da frente depois de passar 15 ou 20 até a primeira curva. Como a pintura é nova, resolvi poupar o carrinho.

Tive uma briga bem legal com o Fusca #3 do Marquinho e com o Voyage #58 do Cassoli, que faz drifting o tempo todo. Dei uma cozinhada em ambos porque meu carro é mais forte que o #3, e o melhor seria ultrapassá-lo mais para o fim da corrida, para não tomar pressão durante muitas voltas (no miolo, o Marquinho é o capeta e eu iria acabar errando em algum momento). O #58, naquele ritmo, andando de lado, uma hora iria se atrapalhar, como se atrapalhou. No fim, passei ambos e cheguei ao final sem maiores sustos. A vitória na geral foi do Paulo Sousa com o Puma Sapão Verde, da nossa equipe, o que me deixou muito feliz.

Teve uma treta na corrida, entre o Fusca #13 e o Voyage #41. Vou me eximir de comentários sobre isso, para não ser deselegante com o motorista do pequeno besouro. Foram às vias de fato ainda na pista e desclassificados. Só sei que para tirar do sério o Harmel, do Voyage, é preciso fazer muito. E o rapaz parece que fez, de novo. Cabe à FASP, agora, decidir o que fazer com o impetuoso dublê de minotauro.

A foto abaixo, da estreia da pintura nova do Meianov em Interlagos, é do brother Irineu Desgualdo. Ficou bonitão, o carro.

69irineu

Comentários