MENU

quinta-feira, 22 de maio de 2014 - 16:39F-1

NA RUA (3)

cascohuntericssonSÃO PAULO (aqui chove) – Mônaco é um GP pródigo em homenagens e Marcus Ericsson faz a mais legal de todas. Vai correr com um capacete que lembra o de Ronnie Peterson, seu compatriota que há 40 anos venceu nas ruas de Monte Carlo.

E a bolsa, segundo o piloto da Caterham, é original! Está muito novinha e tem cara de réplica, mas tudo bem. Vale a intenção, claro. E Peterson merece todo o respeito. Bacana quando um piloto jovem como Ericsson lembra de alguém que foi muito importante em seu país.

Lucas Carioli mandou a foto.

29 comentários

  1. Luis Eduardo disse:

    Eu tinha 8 anos, mas já assistia e gostava de F-1. Torcia pelo Emerson, claro, mas admirava outros pilotos e o Peterson era um dos meus preferidos, principalmente naquele ano de 78 a bordo da Lotus preta e dourada. Muito carismático. Fiquei muito triste quando ele morreu. Justa homenagem.

  2. Antonio disse:

    O capacete do Peterson era um dos mais bonitos da época e o piloto, nem se fala. Mário Andretti deve seu título mundial a politicagem dentro da equipe Lotus que permitia a Peterson apenas comboiar seu companheiro de equipe, nunca permitindo a luta entre eles.

  3. Cristiano disse:

    Imagina que legal Massa ou Nasr com capacete do Pace no Williams Martini.

  4. Antônio disse:

    Cara, lindo capacete. Adoro as pinturas de cascos anos 70 ( Acho que essa coisa de layout é dos anos 90 pra cá…) com uma ou duas cores apenas, sem parecer uma touca de retalhos. Bela homenagem !!!

  5. Humberto disse:

    O melhor piloto de todos os tempos em contornar o antigo Laranjinha de Interlagos! Fazia todas as fezes derrapando nas quatro!

    • viúva solitária disse:

      O antigo Laranjinha era assim, tão temido que os pilotos se borravam?

      • Rallyman disse:

        Não, não era temida. Era chamado Curva do Laranja, por isso mesmo, por ser uma curva que qualquer piloto fracote fazia flat, mas NINGUÉM fazia essa curva como Peterson: ele entrava nela como se tivesse sido catapultado na entrada e a percorria toda com o carro em deriva, em four wheel drift, pelo MEIO da pista, longe da tangência, que deveria ser feita normalmente em modo contínuo em toda a sua extensão.. Chico Landi, quando viu Peterson fazendo o Laranja, ficou maravilhado e declarou que o sueco contrariava as Leis da Física, conforme os jornais da época. Eu vou além, e digo que Peterson DESMORALIZAVA as Leis da Física, pois para o tempo vir um carro precisa andar PARA A FRENTE, e Peterson fazia seus tempos e abaixava os dos outros com o carro DE LADO. Foi pilotando assim que ele foi o pole em Interlagos, em 1973. Ronnie Peterson foi o piloto mais impressionante que eu vi pessoalmente em ação, (vi-o várias vezes, tanto na F 1 como na F 2); quem mais se aproximava dele em estilo acrobático foi o fantástico e também rapidíssimo Jochen Rindt. Peterson não precisou ganhar um título para virar lenda, e lendas atravessam os tempos.

      • Paulo Pinto disse:

        Desempenhos pouco representam sem o respaldo dos resultados (vide a seleção de 82 e Alonso “tirando leite de pedra”).
        Peterson (que vi correr) era um piloto audaz e muito veloz. A pole em 73 no antigo Interlagos, foi realmente impressionante. O que ficou registrado? O “sueco voador” fez apenas 1 ponto em seis participações no GP do Brasil.

        Ah, sim! Somente um homem desmoralizou a Leis da Física: Albert Einstein.

      • Allez Alonso! disse:

        Pinto, o que fica é a emoção e o que o Rallyman descreveu. Por isso o automobilismo é apaixonante, os números são apenas o lado frio da história. Depois do Alonso aposentar Shumacher, estamos vendo uma geração fortíssima de pilotos na f1, e apesar dos 4 títulos do mediano Vettel, Alonso continua sempre fortíssimo.

      • Paulo Pinto disse:

        Vicellez, pergunte ao Moss, qual é a emoção de ter disputado campeonatos e não ter ganho nenhum?

        A resposta vai ser apaixonante.

  6. Sil C San disse:

    Acho bacana este tipo de homenagem, mas pior mesmo é nego que nunca viu ele correndo como é o meu caso, falando que ele era um puta piloto porque leu coisas antigas. Não vi o Pelé por isso pra mim o melhor jogador foi Maradona,

    • viúva solitária disse:

      Peterson era um piloto veloz e arrojado, mas emocionalmente inconstante.

    • Antonio Luiz Siqueira disse:

      Meu jovem, em verdade vos digo, pois não consigo não dizer tamanha a sua prepotência juvenil, que apesar de ter visto os dois jogando e por razões óbvias ter mais subsídios para opinar eu posso te garantir que sim você pode acreditar no que os mais antigos falam e não acreditar somente no que seus olhos viram ou verão.
      Eu não vi Leônidas jogando, mas imagino…..
      Eu não vi Nuvolari guiando, mas imagino……
      E sim Maradona foi o melhor jogador do planeta, pois Pelé era de outro.
      Abraços !!!

      • Sil C San disse:

        Minhas opiniões são baseadas naquilo que eu vi, vivi e presenciei. Assistir um vídeo antigo mostra apenas uma parte e não todo o contexto. Senna foi o melhor, assim como Maradona e Michael Jordan.

    • Alexandre "Garrincha" disse:

      Concordo completamente. Se fosse só por vídeos o Dodô poderia ser um dos melhores da história. Devemos sim, homenagear e não esquecer o passado, mas mitificá-lo, criando dogmas irrefutáveis, é até desanimador, pois petrificar alguém no posto de “melhor da história”, em qualquer esporte, é dizer que ninguém mais daqui pra frente em toda a história será tão bom o suficiente.

    • Muttley disse:

      tá certo, então a seleção brasileira de 70 e a de 82 eram uma bosta e a boa foi a Espanha de 2010 só porque você viu e que só sabia empatar e ganhar de 1 a 0 com aquele tic-tac chato e nojento. Então você é o gostosão dono da verdade e o mundo inteiro está errado, só porque você viu… ai, ai, é cada uma…

  7. Pelicioni disse:

    Atitude e tradição nao se compra na esquina.

  8. Beto Carpini disse:

    E sem falar que, esse tom de azul com amarelo, fica lindo. Parabéns pela homenagem.

  9. Caipira disse:

    Como Stirling Moss, Peterson eh considerado “campeao sem coroa”, alias, so nao o foi em 1978 porque teve que amargar um contrato de merda que favorecia Andretti, e passou GPs inteiros colado nele sem poder ultrapassa-lo para vencer, mas quem viu sabe que era muuuito mais piloto.
    Rapido, muito rapido, muito veloz e pouco reconhecido na minha opiniao, foi mais uma vitima dos famigerados Lotus, que enchia cemiterios com seus pilotos. Bela homenagem do seu conterraneo, quem viu Ronnie Peterson aplaude !!!

    • Caipira disse:

      Alias, Peterson morreu em 78, mas seria campeao assim mesmo, como Rindt…

    • Antonio disse:

      A Lotus era um cemitério de pilotos, mas no caso de Peterson, a equipe teve pouca culpa. Batida na largada em Monza e um baita azar na cirurgia que permitiu que pedaços de gordura entrassem em sua corrente sanguínea, causando embolia (pelo menos é isto que lembro da época). Sua morte foi uma grande surpresa, pois ele nem havia se ferido com muita gravidade no acidente, apenas uma perna quebrada, se não me engano.

      • Marcelo ao Antonio disse:

        Peterson teve ferimentos gravíssimos(lembro de um texto em uma revista Quatro Rodas da época). O piloto teve fraturas multi fragmentadas!!! Um dos pés teve que ser amputado horas depois do acidente, a outra perna também corria sério risco de amputação. As queimaduras foram consideradas de baixo perigo, mas as pernas foram muito afetadas. Por contrato o carro reserva era destinado exclusivamente ao primeiro piloto, no caso, Andretti! Peterson tinha danificado seu carro titular em um acidente no Warm Up, o sueco bem que tentou usar o carro reserva, mas foi impedido por Chapman, que alegou que o carro já estava todo regulado para Andretti, inclusive banco e pedais. Restou a Peterson largar com um modelo antigo(Lotus 78, usado nas seis primeiras corridas da temporada), nas outras sete correria com o Lotus 79. Então veio a corrida de Monza e Peterson teve que largar com esse carro defasado, inclusive em segurança.

        Produção desse Lotus 78 aconteceu entre 77-78, portanto bem desatualizado em relação ao modelo 79. Bom destacar, Andretti também usou o modelo 78 nas primeiras corridas em 1978! Com relação a disputa pelo título, Peterson não teve o mesmo privilégio que Andretti por um único motivo, e que motivo…

        Depois do título de Fittipaldi em 72 a Lotus passou por um período difícil sem sucesso. Em um encontro casual no começo da temporada 76, Chapman comentou com Andretti que precisava de um piloto experiente pra desenvolver um novo projeto revolucionário(o carro-asa). Andretti topou o desafio de desenvolver o carro mas com uma condição, ele seria o líder no time e levaria o bólido ao título! Ainda na temporada 76, Andretti trocou a equipe Parnelli pela Lotus, o carro ainda era o modelo 77, mas na temporada seguinte(1977) Andretti faria mais poles, vitórias e melhores voltas que o próprio campeão Lauda.

        http://pt.wikipedia.org/wiki/Temporada_de_F%C3%B3rmula_1_de_1977

        O problema é que o austríaco ‘assombrou’ em número de pódios, a Lotus sofria muito com quebras mecânicas. O ano de 1978 era promissor, e quando Andretti soube que seu companheiro seria Peterson, exigiu um contrato extremamente “amarrado”, o sueco não poderia brigar diretamente com Andretti por posições intermediárias, vitórias e o título. Peterson não pode fazer nada, e ele sabia que Andretti tinha trabalhado duro pra colocar a Lotus de volta ao topo, em Monza só restou largar com defasado Lotus 78, curioso foi o depoimento de Hunt depois da corrida:

        “O motor do carro de Peterson parecia falhar após a largada! Se tivesse largado com o modelo 79(reserva), com certeza largaria mais a frente e não se envolveria no acidente que o matou”

        As imagens abaixo falam por si, a largada foi tumultuada por erro do diretor de prova, os carros do fundo do pelotão já vinham em velocidade enquanto alguns carros a frente estavam lentos, mas é curioso a lentidão no carro de Peterson…

        Ronnie Peterson Fatal Crash
        http://www.youtube.com/watch?v=1wk7uSuWPkE

        Agora vocês entendem porque Schumacher era líder absoluto na Ferrari? Ele quem ajudou a organizar aquela bagunça na Ferrari, e desenvolver o carro. Ele sempre seria o líder no time. Se for observar, maioria dos casos é assim na Formula Um. Por isso Piquet e Prost pularam fora da Williams e Mclaren, eles não aceitavam de maneira nenhuma desenvolver o carro e dividir a liderança no time…

        No auge das brigas em 89, Prost disparou a Ron Dennis em um teste: “Ele(Senna) vai tirar férias no Brasil e eu fico aqui desenvolvendo o carro? Estou indo embora pra Ferrari, Steve Nichols vai junto! Nunca mais pilotarei uma Mclaren. Quero ver quando o carro perder desempenho, quem irá reerguer seu time, adeus”

        Por causa disso, Ron Dennis esta puto com o francês até hoje, observem que Prost não aparece na Mclaren a décadas.

  10. Carlos Pereira disse:

    Putz … linda bolsinha.
    Peterson foi um gigante. Saudades.

  11. Paulo Pinto disse:

    A homenagem a Peterson em Mônaco, coroa um feito do sueco nas ruas de Monte Carlo, com um carro que estava longe de ser o melhor da temporada.
    Tudo a ver.

    Bem diferente da homenagem a Hunt, feita por Kimi, também em Mônaco. Hunt é o único campeão da F-1, que nem sequer pontuou nas ruas do Principado.
    Nada a ver.

    • Julio Cesar Gaudioso disse:

      Só em Mônaco a habilidade do sueco poderia compensar a antigüidade do Lotus 72. Em 1971, com o 711, ele já tinha conseguido o segundo lugar (de vários aquele ano) bem a frente dos demais, só perdendo para o imbatível Tyrrel 003 do Jack Stewart. Quando voltou para a March protagonizou uma prova incrível em Monza. Em Tarumã (onde o vi) seu March 712 não correspondeu e ele não teve o mesmo desempenho que apresentou nas provas de Interlagos, disputando com o Emerson

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>