MENU

sábado, 8 de novembro de 2014 - 12:09F-1

S DA SALVELINA (13)

SÃO PAULO (é bom, claro) – Antes de sair para comer, vídeo do drift do Pequeno Verstappen ontem. O moleque chamou muito a atenção por ter feito o sexto tempo em Interlagos. É claro que é alguém especial, o que não quer dizer que será o maior gênio de todos os tempos. Ele foi 0s085 mais lento que Alonso, mas ficou a 1s063 de Rosberg. Em Austin, foi o décimo colocado, a 1s844 do primeiro. Em Suzuka, 12°, a 2s696 do líder.

Devagar com o andor. Mantenho o que disse ontem. Esses carros, hoje, são inteiramente preparados pelos engenheiros. Qualquer um que tenha noção de pilotagem chega muito perto do máximo que cada automóvel pode render. Se colocarmos Ricardo Maurício, por exemplo, no carro do Verstappinho, provavelmente o brasileiro vai virar o mesmo tempo. É mais ou menos isso.

27 comentários

  1. Valter Duarte disse:

    O Niki Lauda disse o mesmo há alguns anos e não conseguiu ficar dentro da pista!rs

  2. eduardo disse:

    Vi algumas corridas de Formula 3 que pra mim vale mais que a horrivel Gp 2 e a boa mas com grid fraco Wold Series juntas e não da para acreditar que ele tem só 17 anos,é bom lembrar que o Maldonado não é nem um garotinho e erra como um bebe e o Grojeam demorou uma eternidade para se acentar,se ele não for um fora de serie e tem potencial para ser pelo menos tem a cabeça que Alonso e Vettel demostraram logo de inicio

  3. Ed disse:

    Se colocar o Gomes, que também é piloto, no volante, quanto será que ele fez? rsrsrs

  4. Douglas disse:

    Uma coisa que não estamos debatendo é o quanto os simuladores evoluíram. Não tinha isso em outros tempos, ou não era possível emular ambiente de corrida com tanta perfeição quanto hoje.
    Acho válida a observação de o quanto os carros são preparados pelos engenheiros, mas só funciona porque a molecada chega lá muito bem treinada!

  5. Chupez Alonso disse:

    Duvido.

    E Al Caponso é um ex-pilotinho em atividade.

    • Alberto disse:

      E aí, Pinto, o rapazote está pronto para substitutir o Vettel no seu coração, não é mesmo? Sim, porque o maior lance da Formula 1 este ano, segundo 11 em cada 10 pachecos tedescos, foi aquela “controlada” do Vettel. E o moleque demonstrou o mesmo potencial, isso não é demais? Cá enter nós, vamos admitir, o Vettel é como as 7 Quedas: quem viu, viu, quem não viu….

      • Paulo Pinto disse:

        Foi apenas um elogio, Alberto.

        A “controlada” do Vettel foi acompanhada de uma boa dose de sorte (coisa comum nos grandes campeões).

        Sou fã de Schummy. Vettel tem, de minha parte, uma torcida sobressalente (por lembrar bastante Herr Hepta). E, por fim, espero que o alemãozinho seja como as Sete Quedas: encantar até chegar ao sétimo título (igualando o maior do mundo) e dar adeus.

    • Anselmo Coyote disse:

      O Piquet fez de propósito, para mostrar mesmo quem mandava na bagaça. O moleque deve ter levado um baita susto e mesmo assim não deixou a barata chicotear, o que é quase impossível nestas situações.
      Muito bom de ver.
      Abs.

  6. Fabiano disse:

    Seguindo a discussão de termos em língua portuguesa… Nem tanto ao céu, nem tanto ao inferno – os carros da F1 são muito mais fáceis de se pilotar do que já foram, mas não concordo que qualquer um com experiência em automobilismo possa levá-los a um alto desempenho. Talvez a experiência não conte mais tanto, mas que uns tem uma tocada muito melhor do que outros, isso tem. É só ver as diferenças dentro de uma mesma equipe que isto fica nítido.

  7. Fernando Piccione disse:

    Conta isso pro Raikkonen, pro Vettel e diz o mesmo pro Schumacher que nunca se acertou com o carro.
    Qto ao ronco do motor estimado mini blogueiro vc lembra como se escutava os carros nos 80, principalente os Turbos, Flavio Gomes vc eh o Grinch da F1, parabens pra vc.

  8. Victor M. Reis disse:

    É o Lucas Di Grassi comentando?

  9. Ferdinandes disse:

    Devagar com o andor… Sem apelar pro google nem pro santo de barro – alguem realmente sabe o que significa “andor”?

  10. fernando disse:

    Entao qdo um piloto da mesma equipe toma meio segundo do outro, o q dizer?

    • Felipe Masr disse:

      Aquelas desculpas quando alguém perde no “video-game”:

      Meu controle está assim-e-assado, vamos trocar de controle (“carrinho”) que eu quero ver;

      Hahaha.

      Também acho que não é bem assim, mas que talvez os “chegantes” andem mais no limite. Quando acertam, tudo bem, mas isto também dá margem para cometerem os tantos erros que observamos. Tem os que vão encontrando o equilíbrio ao andar por cima do muro, como o Hamilton (que só se achou de pouco tempo para cá), e tem os que começam a andar “galopando no muro” (sentados), arriscando menos, constantes, “sem quedas”, mas também sem velocidades espetaculares.

      “O segredo de um piloto rápido é buscar o equilíbrio próximo ao limiar superior, e não na média, em um balanço de riscos que parece perfeito”.
      (Felipe Masr).

      [Cederei os direitos para um quadro - com uma arte bem "racing e estilosa" - na parede do QG do Flavio Gomes]

      Quero uma caneca! :D

  11. Allez Alonso! disse:

    Peraí, comparar um menino-fenômeno na ponta do cascos com um senhor que não guia monopostos há dez anos?? E Verstappen é um fenômeno, sim. Mas comparar com Alonso? Qual o sentido? Kvyat andou mais rápido com o mesmo carro. Isso é comparável. As vezes você pensa só como jornalista e não como piloto.

  12. Mariot disse:

    Bom, se chegamos a esse ponto, tem algo mesmo muito errado com a F1, pena. Em tempo: bonita corrigida do Verstappinho.

  13. Guilherme disse:

    Se qualquer Zé Ruela pilota um F1 no limite, por que o ótimo Raikkonen tem menos de um terço dos pontos de Alonso?

    Antes que usem o argumento de primeiro piloto, basta ver grandes disparidades de performance em outras duplas muito mais neutras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>