ENTREVISTA COM O BLOGUEIRO (14)

SÃO PAULO (por que invento essas coisas?) – Calma, macacada, são só 18 páginas de perguntas. Vamos à quinta parte, a página 14, da já remota proposta de uma entrevista coletiva feita pela blogaiada com o blogueiro. Nesse ritmo, até o fim do ano acabo.

[bannergoogle] Ah, nunca é demais lembrar que não estou editando as perguntas. Elas estão sendo publicadas como vieram, com suas qualidades e defeitos. No máximo estou tirando “abraços”, “olás”, “ois” e “bons dias”.

Hoje tem futebol, religião, F-1, Fórmula E, Nascar e, claro, política no cardápio.

Divirtam-se e comentem, comentem muito. Mas não adianta perguntar mais nada, porque a sessão de perguntas já foi.

Marcos – Há motivo específico para a preferência por automobilismo, dentre os esportes? Inclusive como competidor? Seu trabalho é instigante e provocador. Você também é assim?
RESPOSTA – Eu gosto de vários esportes. Sempre sonhei trabalhar com futebol, no entanto, e na “Placar”. E no fim das contas minha carreira profissional passou e ainda passa por quase todos os esportes — hoje minha principal atividade na Fox é falar de futebol. Automobilismo também faz parte desse universo. É um esporte, afinal. Gosto de carros, gosto de competição entre carros, gosto dos personagens envolvidos nas corridas, do pioneirismo do início do século passado no lidar com essas máquinas que mudaram a história do planeta. Talvez esse gosto por automóveis tenha me levado ao automobilismo, e talvez por linhas tortas. E poder competir, ainda que com carros antigos, é muito prazeroso. Além disso, ajuda no exercício da minha profissão. Muita coisa a gente só entende quando faz. Quanto à segunda pergunta, sou a pior pessoa do mundo para me definir. Instigante e provocador… Talvez. Acho uma boa definição, mas deixo para os outros acharem o que quiserem de mim.

bugre78a
Guarani campeão brasileiro de 1978

André Longhini – Exceção feita a Lusa, qual foi o melhor que time que você viu jogar?
RESPOSTA – A seleção brasileira de 1982 foi um time que me encantou. Descarto esses supertimes de hoje, que só o são porque há uma ditadura do poder econômico que distorceu o mundo e o futebol, por tabela. Ah, gostava muito do Guarani de 1978, também. Dos poucos times que escalo sem gaguejar: Neneca; Mauro, Gomes, Edson e Miranda; Zé Carlos, Renato e Zenon; Capitão, Careca e Bozó. Mas é claro que nenhum deles se aproxima de nenhuma Portuguesa da história, só para deixar claro.

Joelton Batista – Flávio, bom dia. Gostaria que vc exponha sua opinião dos três pilotos campeões mundiais de F1 brasileiros. Separadamente, pilotos e homens, qual a análise que vc faz deles?
RESPOSTA – Acho que já respondi isso. Mas, resumidamente, acho o Emerson o mais importante, o Piquet, o mais interessante, e o Senna, o melhor. Como figuras humanas, Piquet é de quem mais gosto.

Marcelo Rezende – Bom dia Flávio, ou melhor… Доброе Утро. Nosso automobilismo a cada ano perde mais um pouco de sua glória, nossas safras de bons pilotos diminuem e vemos boas iniciativas fracassarem por falta de apoio das federações e por vezes até da imprensa. Um exemplo é a bobagem de não pronunciar o nome de uma categoria num canal que não transmite por exemplo. Por outro lado é claro o aumento do interesse nos últimos dois ou três anos por programas sobre reforma de carros, carros envenenados, leilões, etc… Como você acha que o pessoal do automobilismo pode aproveitar o aumento do interesse por carros em geral? Você não acha que se faz muito pouco evento para promover as categorias nacionais? Temos eventos de carros antigos, tuning, miniaturas em todo canto mas raramente se vê um carro de corrida sendo exposto ou um piloto dando autógrafos em eventos que não são “oficiais” da categoria. Não faltaria um pouco de vontade por parte dos pilotos e equipes para uma maior divulgação?
RESPOSTA – Você tem toda razão. O interesse por carros, e isso a gente vê na TV fechada, tem crescido em determinados segmentos. Acho que o automobilismo, todo seu universo, não está sacando que dá para surfar nessa onda. Há uma aparente contradição no que eu disse no início, e inclusive já escrevi sobre isso: o interesse dos jovens por carros só cai. Mas o mundo não é feito de jovens, apenas. E quando os jovens envelhecem, impressão que tenho, passam a se interessar por coisas mais antigas – e os carros estão entre elas. Fato é que a relação do jovem com o automóvel hoje é bem diferente de 20, 30, 40 anos atrás. Carro hoje, para o jovem urbano, é um estorvo. Custa caro, não tem onde parar, paga imposto, tem de abastecer. Antes, era símbolo de liberdade, masculinidade. Mas quando o sujeito ganha uma graninha, pode ser que o interesse volte, ou passe a existir. O problema do automobilismo é que ele vive no seu mundinho próprio e acha que não precisa do mundo exterior para existir. É um erro. Carros de corrida chamam a atenção. Essa turma toda deveria abrir os olhos para o que acontece no mundo, trazer gente para os autódromos, tentar seduzir a juventude.

Américo Teixeira Jr. – Teria havido, querido amigo, um dia que você ficou prá lá de puto e falou: “Caralho, vou mandar esse automobilismo para a merda e nunca mais escrevo sobre isso”? Se houve, claro, foi – felizmente para nós, leitores, amigos e fãs – algo que desapareceu logo da mente. No mais, um agradecimento público pelo amigo que você é. É um privilégio conhecer Flavio Gomes.
RESPOSTA – Sem confetes, que eu jogo mais! Não, Américo, nunca houve. E olha que motivos não faltaram! Basta ver a quantidade de gente do meio que está me processando por uma coisa ou outra. Mas eu gosto de carros, gosto de corridas, gosto de correr, e gosto da maioria das pessoas com quem convivo graças ao automobilismo – você é um deles, claro. Qualquer atividade tem altos e baixos, a gente passa por vários momentos ruins, mas é preciso colocar a convicção da escolha acima disso.

foice_martelo
Ui, que medo

Saulo Caram – Flavio, sou um admirador antigo dos seus textos, das suas posições, da sua acertividade e das suas paixões (carros, mulheres, aviões). Entretanto, discordo de suas posições políticas e econômicas. Então pergunto: Você é realmente comunista? Em caso positivo, você acredita na viabilidade do sistema político-econômico comunista em um país como o Brasil?
RESPOSTA – Mania de rotular as pessoas… OK, vamos lá. Acho o sistema capitalista um desastre. Basta olhar para o mundo em que vivemos. Dizer que o comunismo não deu certo para afirmar, de imediato, que o capitalismo deu é um silogismo barato. E não precisa ter medo de o Brasil virar um país comunista. Tal regime, hoje, não existe em lugar nenhum. O que estraga os regimes são as pessoas. Na teoria, é claro que o comunismo é infinitamente mais justo e melhor que essa selvageria que vivemos hoje.

Marcos Andre rj – Vc é o cara… vou preparar minhas perguntas…
RESPOSTA – Espero que tenha dado tempo.

Carlos Camardella – Como iniciou sua paixão por produtos da extinta URSS?
RESPOSTA – Não tenho tantos produtos soviéticos assim. Só carros e um relógio de um submarino nuclear. Mas gosto da história do país, do momento histórico em que a Revolução de 1917 aconteceu, do conflito ideológico que tomou conta do mundo. As discussões eram mais ricas.

P1040189
Gerdolino em Leipzig

Rodrigo Romão – Se fosse pra ficar com só um carro da sua coleção, qual seria e pq? (com certeza alguem perguntou mais sobre os demais carros, entao…) puta ideia daora!
RESPOSTA – Talvez já tenha respondido. O Trabant. Mas não consigo nem pensar nessa hipótese, porque é assustadora demais! Por quê? Tenho uma história pessoal muito forte com esse carrinho. Coloque “Gerd” no sistema de busca do blog.

Beto Carpini – Ok. Vou lhe fazer uma pergunta que realmente me intriga. Flávio Gomes, você gosta mesmo de Ladas? Se sim, O que lhe desperta tanta paixão nesses carros?
RESPOSTA – Já respondi, creio. Mas como faz tempo e não estou com disposição de procurar a resposta, digo o que já devo ter dito um milhão de vezes: esses carros foram feitos pelo proletariado soviético. É pouco? Além do mais, são carros ótimos, bonitos, resistentes, sexys.

Thiago – Qual a sua mais crítica ao atual governo federal?
RESPOSTA – Ter se rendido à frase batida de que “só é possível governar com o Congresso”. Por conta disso, da tal governabilidade, fez alianças incompreensíveis e inaceitáveis. Um governo tem de governar com o povo. O PT tinha de arrebentar tudo. Arrebentou só um pouco.

Evandro Jorge Riat – Não perdendo tempo…Vá lá!!
1ª F1 cogitou em retroceder algum forma de tecnologia, como cambio automático para o manual e assim exigir mais dos pilotos, mecânicos e Engenheiros ?
2ª Equipes e pilotos de F1 cogitaram em participar de outras provas tradicionais, como as 500 milhas de indianapolis, Le mans, Daytona.?Sem deixar a competição do calendário F1.
3ª Na F1 cogitou em reutilizar os autodromos tradicionais, como Paul Ricard, etc?
RESPOSTA – Para a primeira pergunta, não, nunca. Para a segunda, alguns pilotos às vezes cogitam – e vão. Mas equipes, não. Para a terceira, qualquer decisão sobre autódromos, hoje, passa por dinheiro. Não é a tradição de um autódromo que vai levar a F-1 de volta para ele. Infelizmente.

Rafael – Existe alguma empresa ou grupo de mídia em que você não trabalharia de jeito nenhum?
RESPOSTA – A Editora Abril. Quem publica aquela excrescência que é a “Veja” e emprega alguns tipos cujos nomes me dou o direito de não escrever jamais me terá em seus quadros.

Rafael – Percebo em blogs no geral, que jornalistas que cobrem esportes a motor pouco falam sobre a Nascar. Geralmente, só quem é especialista em Nascar fala sobre ela. E não é a mesma coisa que acontece com outros campeonatos, como Indy, F-1, até mesmo F-E. Por que isso acontece? Há um certo “preconceito” dos jornalistas brasileiros com relação à Nascar?
RESPOSTA – Não. O que há é poucos especialistas. Cito três nominalmente: Thiago Alves, Sérgio Lago e Rodrigo Mattar. A Nascar, como outros esportes tipicamente americanos, tem muitas especificidades. É preciso estudar, acompanhar, entender para falar e/ou escrever. Respondo por mim: não é meu caso. Vejo algumas corridas, me divirto com as porradas, mas não tenho conhecimento profundo para falar dela. Em relação às categorias de monopostos, elas têm mais tradição no Brasil e por isso acabam tendo uma cobertura mais sistemática.

Pai Wellington, um mito
Pai Wellington, um mito

Mibson Lopes Fuly – Quais suas orientações política e religiosa
RESPOSTA – Estudei em escola católica, fui batizado, fiz Primeira Comunhão, mas abdiquei da Crisma antes dos 15 anos e sou um ateu convicto há décadas. Respeito todas as religiões, de verdade. Invejo quem tem fé. Acho que a vida é mais fácil para quem acredita em desígnios divinos, essas coisas. Gosto do papa, acho uma figura. Desse papa, o Francisco. E sou fã de Pai Wellington, que apresenta o programa “No Templo dos Orixás”. É um cara sensacional. Nunca vi líder religioso nenhum ser tão franco com seus seguidores e respeitar tanto todas as religiões como ele.

Evandro – Seu estilo sincero e debochado já te causou algum tipo de problema profissional ?
RESPOSTA – Já, claro. Perdi um emprego por isso. Mas no geral, não causa muitos, não. Prefiro ser sincero e debochado do que falso e anódino.

Askjao – 1 – Por que as vezes se porta como um babaca, principalmente no que ser refere a política, quando as opiniões são divergentes da sua? 2 – Entendo que as pessoas confundem as coisas, que se acham íntimo seu só porque lê o que você escreve diariamente, mas será que a forma, por diversas vezes, estúpida de responder faz parte de uma espécie de “personagem” ou é a sua forma mesmo de responder a questões babacas?
RESPOSTA – Não tenho problemas com quem pensa de forma diferente de mim. Mas quando o sujeito parte para a ofensa, expõe sua ignorância, me contesta com argumentos rasos, de forma agressiva, ou achando que é erudito, tenta impor a mim uma visão de mundo, se comporta como um idiota, a resposta vai no mesmo tom. Não sei qual é exatamente sua definição de “babaca”. Eu, por exemplo, acho babaquice vir aqui e me ofender, como você faz. Mas numa coisa sou absolutamente intransigente: defendo até a morte o direito que cada um tem de ser babaca, tolo, boçal. É o que permite, por exemplo, que uma pergunta como a sua seja publicada. Mas me dou o direito de achar o que quiser das pessoas. Quanto à segunda pergunta, não encarno personagem nenhum. Sou o que sou.

nelsinholb2015
Nelsinho Piquet, primeiro campeão da Fórmula E

Rafael – Você realmente vê na formula E um campeonato promissor, com vida longa, ou suas opiniões são de alguma forma “contaminadas” pelo fato de você ser contratado da mesma empresa que transmite o campeonato? (Deixo claro que é uma pergunta sem “alfinetada”, realmente é uma dúvida minha, que, a propósito, gostei da Formula E, e torço muito para que tenha vida longa).
RESPOSTA – Acho, sim. Todas as categorias de monopostos que surgiram nos últimos anos, Premier1, A1GP, Master Não Sei o Quê (nem sei se os nomes eram esses), essas de times de futebol, países etc. eram picaretagens. A Fórmula E nasceu de outro jeito. Primeiro, tem a chancela da FIA. Segundo, presença de gente grande como Michelin, Renault, Audi, McLaren, Williams. Os pilotos são bons. O conceito – corrida de rua, cenários bonitos, acesso mais aberto ao público, interatividade – é muito interessante e bem pensado. Tem alguns problemas, claro, como algumas pistas ruins. Mas nada que uma boa avaliação da primeira temporada não seja capaz de resolver. Tem gente séria envolvida, em resumo. E o campeonato foi muito bom. Os carros ainda são um pouco lentos, mas para o tipo de circuito onde correm, acho que são compatíveis. A ausência de ruído incomoda um pouco, mas é preciso entender que se trata de uma tecnologia que não faz barulho. Ela nasceu assim, não se transformou nisso. É uma modalidade de automobilismo tão defensável quanto qualquer outra.

Rildo – Oi Flavio, você sempre foi um defensor da F1 sem pachecadas dos torcedores brasileiros. Qual foi o brasileiro mais talentoso a passar pela F1 na era pós Senna, tendo obtido destaque ou não, sendo um compreendido ou incompreendido. Você torceu por ele? Acreditou ser um próximo campeão?
RESPOSTA – Acho que já respondi algo parecido, mas se não respondi, lá vai. Massa teve um excelente momento, que foi 2008. Na era pós-Senna, foi quem mais chegou perto de ser campeão, e disputou três campeonatos muito bons pela Ferrari. Acho que foi ele, portanto. E teve um que infelizmente não vingou, e tinha condições para isso, que foi o Cristiano da Matta.

alesimontreal1995
Alesi, o que foi sem nunca ter sido

Xico – Quando a gente assiste uma corrida à distância, geralmente constrói uma opinião a partir do resultado que vê. Se o cara roda, vai pra grama, não consegue fazer o carro andar, acaba sendo taxado como fraco. Qual a sua opinião sobre os comentários que geralmente lemos a respeito? Você que “conhece porque já esteve lá” diria que os jornalistas levam em conta isso, o que acontece de real? Você é realmente duro com os pilotos ou pega leve? E nestes mais de 30 carreira, boa parte deles vividos dentro de autódromos, quem na sua opinião já foi piloto pra caramba, mostrou isso na pista, mas na hora H não emplacou?
RESPOSTA – Começando pelo fim, Alesi. Os outros grandes pilotos que vi acabaram emplacando. A análise que se faz, em qualquer esporte, tem no resultado o critério mais forte. Afinal, é disso que se trata: vencer. Claro que muitos atletas acabam sendo supervalorizados em esportes coletivos porque estão no lugar certo, na hora certa. No caso específico do automobilismo, não. É um esporte de equipe, claro, mas quem personifica o resultado é um indivíduo, o piloto. Uma das verdades absolutas do automobilismo é que os melhores, em algum momento, estarão com os melhores carros. Uma equipe que faz um bom carro não tem interesse num piloto ruim, porque ele pode pôr tudo a perder. Agora, é claro que a avaliação do jornalista é bem mais superficial e menos embasada do que a dos técnicos e engenheiros que têm acesso a dados muito mais precisos sobre o que os pilotos fazem. Alonso, na Minardi, não conseguia resultados impressionantes – era impossível. Mas internamente, a F-1 sabia do que ele era capaz.

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Rogerio Kezerle
Rogerio Kezerle
6 anos atrás

Flavio, dias atras estava pensando sobre o seu apreço pelo comunismo e até ia responder. Mas aí em cima você respondeu. O que estraga o regime são as pessoas. Não vejo nada de errado em regime algum, mas as pessoas estragam qualquer um deles.
Dizer que o capitalismo é ruim e o comunismo bom e vice e versa para mim é bobagem. As pessoas são ruins não os regimes. Não concordo que o capitalismo é o responsavel pelas diferenças sociais. Veja o que ocorreu na maioria dos regimes comunistas. Os chefões viviam bem pra caramba e a população na merda, da mesma forma que no capitalismo.
A ideia, principalmente do socialismo, pode ser excelente. Mas nunca vai funcionar. O poder corrompe qualquer um.

marcos carvalho
marcos carvalho
6 anos atrás

ahh !! o Bugrão de 1978 , me lembro de assistir alguns jogos, era criança, mas foi maravilhoso, hoje o Guarani não existe mais, é um remendo (mal-feito) fruto de muita roubalheira e péssimas administrações (idem Lusa) aliás, o futebol atual está uma merda , acho que o 7 X 1 é o melhor exemplo da nossa realidade futebolística.
P.S apesar da derrota , este jogo foi um dos melhores que assisti , um show do Zico, infelizmente contra o meu querido Guarani:
https://www.youtube.com/watch?v=QbKjylib9FE

Chico Bravo
Chico Bravo
6 anos atrás

Flávio Gomes, o melhor da internet brasileira.

willian hoffmann
willian hoffmann
6 anos atrás

Flávio, discordo do seu ´comentário sobre a revista VEJA,, outro dia acendi uma churrasqueira com ela, quando taquei fogo cheirou igual merda, mas pegou fogo igual ao papel higiênico que aliás, se trata da segunda utilidade daquele canhestro folhetim.

Alfredo Aguiar
Alfredo Aguiar
6 anos atrás

“Ter se rendido à frase batida de que “só é possível governar com o Congresso”. Por conta disso, da tal governabilidade, fez alianças incompreensíveis e inaceitáveis. ”
No que eu concordo ser o ponto chave de toda a bandalheira. Essa execração de formar “aliados” em troca de ministérios é um erro inadmissível. Ou alguém acha que um PP da vida (Partido da Putaria) embarca num ministério pela qualidade de tocar a pasta? Moro nos USA e fico imaginando o Obama oferendo ao John Boehner um ministério para ele “dar” apoio ao governo. Eles não fariam um impeachment, enforcariam o Barack em praça pública. Mesmo com uma oposição ferrenha dos Republicanos, Obama conseguiu passar tudo o que queria na sua gestão. Reatou relações com Cuba, o que fez os Miami-contra vomitarem, fez um acordo com o Iran, contra a vontade de Israel e passou o Obama-care contra um lobby fortíssimo da “indústria da doença” americano. O Estados Unidos crescem como nunca, o desemprego cai e ninguém, além de meia dúzia de republicanos rednecks, falou seriamente em impedir o Presidente.
Não existe governo de “coalizão” com o congresso ou o judiciário. São poderes distintos e qualquer tentativa de junção é putaria. O preço tá aí, o PT não vê porque não quer enxergar.

Mario Mesquita
Mario Mesquita
6 anos atrás

Tive que procurar “anódino” no Houaiss…

Aliandro Miranda
Aliandro Miranda
6 anos atrás

Sobre Alonso na Minardi: na classificação, Tarso Marques ficava em último e ele em antepenúltimo.

Significa.

Jean
Jean
6 anos atrás

“Prefiro ser sincero e debochado do que falso e anódino.” — É bem por aí, rapaz! Por isso sou fã de teu blog e sempre o serei. Saudações!

Rafael Rego
Rafael Rego
6 anos atrás

A série é legal.
Não tive a oportunidade de mandar perguntas, pois perdi o prazo.
Só acho meio ruim que muita gente so pergunta de F1, quem é melhor piloto, etc…tem muita gente sem criatividade.

Preferiria perguntas mais cotidianas, mais assuntos de fora do automobilismo.
Enfim, mas como é um blog de automobilismo, natural que seja assim.

Caê Guimarães
6 anos atrás

Oi Flávio. Não sei se cheguei tarde para fazer as perguntas do Entrevista com o Blogueiro (puta iniciativa), tampouco se o caminho é por aqui, mas uma coisa me instiga. Sabemos que nem sempre o talento faz o campeão de F-1, a velha história do cara certo, na hora certa e no lugar certo funciona para a vida, dentro ou fora das pistas. Mas queria saber, na sua opinião quem está no top-5 de todos os tempos entre os pilotos que nunca ganharam um campeonato?

Alexandre Alves Andrade
6 anos atrás

Por que as perguntas foram encerradas? Não posso perguntar mais nada? E se eu quiser perguntar alguma coisa?

Brincadeira, mas já que você pediu para comentar muito, cá estou.

Não sei se concordo com você que os jovens não ligam para carro. Ainda vejo um grande número de jovens com interesse nas máquinas de 4 rodas. Tenho sobrinhos adolescentes além de contato com estagiários da empresa onde trabalho (todos por volta dos 20 anos) e praticamente todos sonham em ter carros e “tunarem” os mesmos. Pode ser que o interesse deles não seja propriamente pelo carro e sim em se exibir para as menininhas e para os amigos, mas sejamos sinceros, não foi sempre assim?

O que eu sinto é que acabou o interesse pela “cultura automotiva”, em realmente curtir o carro, em ter prazer ao dirigir, acompanhar os lançamentos, se interessar pelo automobilismo. Acredito que possivelmente eu seja da última geração de brasileiros (no início dos 30 anos) que ainda possa ser chamado de gearhead.

Talvez eu esteja completamente equivocado, mas acho que o que mudou não foi o interesse pelo carro, mas talvez pelo “estilo de vida”.

Israel
Israel
Reply to  Alexandre Alves Andrade
6 anos atrás

Pode não ser seu caso…mas todos que eu conheço que fazem ou gostam do tal tunning…a grande maioria não sabe nada de carros e nenhum deles sabe merda nenhuma de automobilismo. Só fazem isso por status. Nenhum deles sabe o verdadeiro significado e a excelência de uma Ferrari 250 Gto…um Porsche 356 ou mesmo de um Fusca ou um Polara! Ou seja…não sabem bosta nenhuma!

Alfredo Aguiar
Alfredo Aguiar
Reply to  Israel
6 anos atrás

Mas aí complica.
No meu tempo( já passei do 50) a gente mexia na carburação, no ponto, etc.. Hoje é tudo eletrônico.

Kevin Harvick fan
Kevin Harvick fan
6 anos atrás

O pessoal da Fox na NASCAR é mesmo do ramo,assim como também era o Roberto Figueroa no canal Speed. O que não dava para engolir era o “Montoyometro” do Mauro Cezar éo “Carrossel do Capeta” do João…

osvaldo fornazier
osvaldo fornazier
6 anos atrás

Flavio, é verdade que o Piquet tinha assinado com a Ferrari antes do acidente das 500 milhas? iria fazer a temporada daquele ano e do ano seguinte. Vi uma entreviata dele e ele deixou no ar que estava tudo certo

Mario Mesquita
Mario Mesquita
Reply to  osvaldo fornazier
6 anos atrás

Diz a lenda que Nelson se referiu a Enzo como “velho gagá”.

Acho que vetaram ele no fim…

Ricardo
Ricardo
6 anos atrás

Barrica também pode ser considerando um grande piloto que não emplacou, Afinal esteve a bordo de um grande carro (verdade absoluta?). Será?

Luc Monteiro
6 anos atrás

Gomes, o Pai Wellington (que não conheço) é mais fodão que o preletor Bob Abraham?

Kleber
Kleber
6 anos atrás

Ao amigo Askjao, gostaria apenas de endossar o que disse FG…
Já expus minha opinião divergente da dele em relação à política no Facebook, ele contra argumentou, argumentei novamente, e… Sigo aqui, sem bloqueio algum…

Posso te dizer amigo, que não é simples passar por uma situação complicada, onde um dos fatores determinantes para tal é o atual governo, e ver alguém defendê-lo, mas isso é um grande exercício de cidadania, respeito, educação num país democrático!!!

Abraços!!!

APM
APM
6 anos atrás

Sua resposta sobre o PT foi muito boa. Concordo plenamente. A grande chance de acabar com mutretas no Congresso foi perdida. E outro fato: o zagueiro Gomes foi campeão brasileiro pelo Guarani em 78 e pelo Coritiba em 85. Interessante.

Eduardo
Eduardo
6 anos atrás

Esse seu blog é viciante, parabéns. Leitura constante e obrigatória para mim. Só pra sacanear: qual sua altura, sem salto?

Israel
Israel
Reply to  Eduardo
6 anos atrás

Minha leitura obrigatória também. Morri de rir da piada…kkkkk

Gabriel P.
Gabriel P.
6 anos atrás

É Flávio
Parece que com o advento da internet o Brasileiro em boa parte ficou acéfalo, ou sempre foi e não sabíamos.
Espantoso a quantidade de cretinices que vemos pior, muitas vezes nem aquele amigo que achávamos bem informado, o é.
Tenho até pena dos moderadores e/ou blogueiros que tem que lidar com isso, e quanto mais bem informados, certamente devem “sofrer” mais.
O blog é sobre esportes a motor, mas bastou voce dizer que tem posição política mais socialista, para quem se acha informado, falar asneiras mil.
Pior, está havendo uma forte e grave manipulação da mídia no povo, com a única intenção dos burgueses e elite, o explorar ainda mais sendo que a preguiça de se informarem e se educarem só agrava.
99% dos que ficam abismados e não se conformam por voce se posicionar a favor do comunismo, se ao menos lessem Marx, não se espantariam.
Se não tivessem fugido das aulas de história na escola, também saberiam um pouco que seja do que é socialismo.
Por fim é muito fácil ser capitalista, quando se tem dinheiro, comida e boa vida e mais fácil ainda esquecer que boa parte da população não tem isso. Aliás, os miseráveis são invisíveis para sociedade capitalista.
E tem mais, sujeito nem sabe dirigir carroça, mas quer palpitar sobre competência de pilotos de F1.

Israel
Israel
Reply to  Gabriel P.
6 anos atrás

Muito bom!

Mentecapto
Mentecapto
Reply to  Gabriel P.
6 anos atrás

Não defendo comunismo, capitalismo, socialismo e nenhum outro ismo. Gostaria apenas de ter uma sociedade justa e melhor distribuição de renda para a população. Menos corrupção e progresso compatível com os recursos infinitos que temos no Brasil. Já que utopia pouca é bobagem, gostaria de ter uma Nova Zelândia por aqui.

Agora é notório a mobilização anti-PT que se tem formado. Até em alguns sites, bons por sinal, como o Autoentusiasta, que é excelente na análise de carros, histórias, etc, mas que quando seus editores se posicionam politicamente, ali é uma mini ditadura. Se vc tem opinião contrária a deles, simplesmente deletam teu comentário. Só se cria ali um bando de puxa-sacos, com as mesmas idéias políticas.

Até quando fiz um comentário discordando do que foi dito sobre F1,meu comentário foi simplesmente apagado. Não tinha nada ofensivo, pelo contrario era fundamentado em argumentos concretos. São essas pessoas que estão se sentindo incomodadas, pois não estão acostumados a criticas e opiniões contrárias.

Perdi a oportunidade de perguntar ao Flavio Gomes o que ele pensa sobre o Lobão e sua marcha anti-Lula/Dilma/PT

Antoniusa
Antoniusa
6 anos atrás

(Não sei se vale esse tipo de pergunta, mas gostaria de conhecer um pouco mais o piloto Flavio Gomes,……..)
Bem,…já vi umas três provas da Classic Cup, lá em Interlagos mesmo.
O que passa em sua mente quando você está prestes a descer o “S do Senna” e consegue perceber a presença de um ou mais colegas “colados”, disputando posição contigo? Você costuma brecar antes em nome da própria segurança e da de seu colega, ou você aposta em dividir a curva?
Apesar do clima de amizade que impera na categoria, você já teve “aquele momento” em que “o coração quase sai pela boca” (ou já se envolveu em algum acidente que quase o fez desistir do prazer de pilotar?)

Kleber
Kleber
Reply to  Flavio Gomes
6 anos atrás

Kkkkkkkkkkkkkkk…

Antonius
Antonius
Reply to  Flavio Gomes
6 anos atrás

Perdão, acessei depois do trabalho de madrugada e não percebi.

Flávio Mendonça
Flávio Mendonça
6 anos atrás

Pena que o Alonso voltou a guiar uma “Minardi”.

voulembrar
voulembrar
6 anos atrás

Já que falou em Alonso, queria tanto te perguntar… pena que acabou. Vi companheiro que foi esmagado por ele falando bem dele (entre eles Massa e Piquet Jr.). Voce acha que Hamilton é igual ou melhor do que Alonso (nem digo pior) ou em seu ano de estreia foi favorecido de alguma forma? acredita que o jogo foi aberto? Hamilton está comendo Rosberg que comeu Schumacher. Hamilton é melhor que Schumacher também? Quem vai ser o melhor (ganhar mais) dessa nova geração F1, Hamilton ou Vetel. Alonso já se pode descartar?

Albert
Albert
6 anos atrás

Uma dúvida bem besta: Qual a pronúncia de “Gerd”? “Jêrd”, “Jérd”, “Guêrd”, “Guérd”? Ou nenhuma das anteriores?

Conde
Conde
6 anos atrás

Cada vez melhor ,,,

Luciano
Luciano
6 anos atrás

Juro que “anódino” eu tive que procurar no google. Vivendo e aprendendo…

Matheus Mueller
Matheus Mueller
6 anos atrás

Parei no: “Senna melhor que o piquet”…pqp…vc já foi melhor que isso hein Flavio Gomes…

Alberto
Alberto
Reply to  Matheus Mueller
6 anos atrás

Ahahah Piquetista rasgando as saias no blog. Está aí uma coisa que ainda não tinha visto.

Iverson
Iverson
Reply to  Matheus Mueller
6 anos atrás

Ele não escreveu isso. Leia de novo.

Moita
Moita
Reply to  Matheus Mueller
6 anos atrás

Engraçado. Basta a pessoa não ter a mesma opinião que você em algo que é totalmente subjetivo (quem foi o “melhor”), para xingar.

jaimewc
jaimewc
Reply to  Matheus Mueller
6 anos atrás

Eu tenho como leitura quase obrigatória do blog, li esses comentários anteriormente, que dizia mais ou menos assim, Emerson foi o primeiro, Piquet o mais interessante e Senna , o melhor como piloto. Não necessariamente o melhor piloto , foi o ” cara “.

J Fernando
J Fernando
Reply to  Matheus Mueller
6 anos atrás

Também gosto mais do Piquet do que do Senna, mas temos que reconhecer que Senna foi um grande piloto. O que prejudica o Senna é justamente os fanáticos que o consideram “deus” e tals.
Como você faz para conviver com pessoas que não pensam de acordo com a sua opinião?
Porque este negócio de um é melhor que o outro é discussão inútil. Quem já tem opinião sobre isso não vai mudar, nunca!