MENU

segunda-feira, 27 de julho de 2015 - 18:31Indústria automobilística, Tecnologia

TEMÍVEL MUNDO NOVO

SÃO PAULO (tô fora) – O Eugenio Chiti, amigão que coleciona alguns dos carrinhos mais espetaculares do mundo, postou o link no Facebook e lançou no ar a discussão que é mais do que válida. A notícia dá conta de que dois hackers “invadiram” o Jeep Cherokee de um repórter da “Wired”, assumindo o controle de várias funções do carro — um desses “conectados” a tudo que é sistema sem fio do planeta. Veículos assim são cada vez mais comuns. Essa conectividade tem sido usada como peça de venda e sinal de modernidade.

E é. Um carro ligado na internet, por que não? Pode-se navegar pela internet, consultar roteiros, encontrar cinemas, reservar mesas em restaurantes, tudo aquilo que é possível de realizar através de um computador, tablet ou smartphone. E é essencial que eles os carros sejam conectados para que possam andar sozinhos — nova coqueluche da indústria automobilística de ponta.

Diz o Eugenio que um carro que anda sozinho não é, em si, um problemão. Se o sujeito quer abrir mão de dirigir e a tecnologia lhe oferece algo que faça isso por ele, OK. Cada um com seus gostos. Falamos disso aqui outro dia, deste que parece ser um caminho inevitável — a extinção do uso individual do automóvel, que migraria para frotas monumentais de veículos autônomos operados por grandes corporações como Google, Microsoft, Apple e sei lá mais o quê.

Só que, como diz meu amigo, e se os carros forem vulneráveis a “cyberataques”? Se puderem ser “invadidos” por hackers e controlados remotamente sem que o “motorista” possa fazer algo para impedir? “Hackers poderiam fazer o 11 de setembro parecer uma brincadeira de criança”, conclui o Eugenio.

A Fiat, dona da marca Cherokke, convocou o recall de 1,4 milhão de carros para atualizar o software que os comanda.

Por essas e outras, concordo com meu amigo.

23 comentários

  1. Guilherme disse:

    Já é possível.
    How to Hack a Car: Phreaked Out:
    https://youtu.be/3jstaBeXgAs

  2. Sanzio disse:

    Eu comentei naquele post dos carros autônomos que a indústria tradicional faria de tudo pra desmoralizar esses carros. Isso aí é um pequeno exemplo.

  3. Atenágoras Souza Silva disse:

    Linus Torvalds apressou a mundança da versão do kernel para 4.0 para se aproximar mais rápido do kernel Linux utilizando pelo exterminador no filme “Exterminador do Futuro 3”, pois a data também estaria se aproximando.
    Carros que andam sozinhos (tudo bem, o computador de bordo de um avião já faz muita coisa sozinho há anos), controlados e acessados por rede, Internet das Coisas, Ataques de Drones… Será? :-D

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
    Atenágoras Souza Silva.

  4. JAL disse:

    Ja faz um tempo que parei de ler testes/avaliações de carros de certas publicações justamente por não falarem do carro em si, mas focarem tudo no “kit multimidia” do veículo.
    Algumas vezes li algo absurdo(no meu ponto de vista) sobre tal carro não ser bom por não possuir boa conectividade.
    Compra um celular e seja feliz.
    Alias, anda tudo tão misturado que é até dificil diferenciar um celular de um computador, um computador de um carro e um carro de um celular. Vai ver é tudo a mesma coisa.

  5. Luiz Carlos Silva disse:

    Olha eu tenho 39 anos e não sou um “velho ranzinza”, propriamente…mas sinceramente não vejo necessidade desse monte de fru fru nos carros de hoje. Parece que todo mundo está “adolescendo”.

    Pra mim o máximo de tecnologia (tirando a segurança, claro) que um carro precisa ter é “ar, vidro elétrico, trava elétrica, direção hidráulica” e mais um bom motor, um bom câmbio e conforto. E Tchau!

  6. Rafael Alves disse:

    Não são só os carros que estão sujeitos a isso. Meu professor de segurança da informação da faculdade juntamente com outro especialista, conseguiram achar uma falha no sistema da linha 4 amarela aqui em SP no qual poderiam assumir o controle dos trens, que não possuem condutores e são controlados remotamente. Uma palestra a qual ele ia falar sobre o assunto foi cancelada e a polícia o levou para explicar o ocorrido. Ele informou que apenas encontrou a falha e que a operadora da linha é quem tinha que corrigir. Agora imagina isso na mão de um terrorista?

  7. Seinfeld disse:

    Pra quê eu vou comprar um carro para dirigir sem entrar nele?
    Para isso sai mais barato ter um videogame!
    E se não gosta de dirigir, USE O METRÔ, o ônibus, o táxi, o “Ubber”, o “aerotrem” oras!.
    Já acho uma frescura broxante esse negócio de carro automático.
    Essa viadagem toda começou com isso daí!
    Ter um carro pra controlar com o celular? Sera uma geração de gordos que não sabem, nunca vão aprender ou não querem dirigir.
    E mesmo assim vão fazer cagada por via “remota”.
    O mundo vai ficando cada dia mais chato.

  8. RB 10 disse:

    Flávio,
    Lembra quando o Pinguim controlou remotamente o Batmóvel do Keaton em “Batman, o Retorno” pois bem, Tim Burton anteviu o futuro.

  9. Andre disse:

    “A Fiat, dona da marca Cherokke, convocou o recall de 1,4 milhão de carros para atualizar o software que os comanda.”

    Convocou para atualizar um software? Pq raios não é atualizável remotamente, igual o Android e seus aplicativos. O Tesla por ex. atualiza o software sozinho, via wifi da casa do dono.

  10. Sérgio Lima disse:

    O que possibilita esse ataque…o GPS.
    O cara quer invadir o “sistema” do carro, ele vai ter que localizar o “alvo”, e isso é possível graças ao GPS.
    Da mesma forma que invadiram e controlaram o carro, podem invadir e controlar uma avião, um navio…qualquer coisa que possua conectividade e tenha sua localização através do GPS.
    O GPS foi criado para fins militares, liberaram para uso civil e depois “tiraram” o erro no sinal que afetava sua precisão…dependendo da situação política…esse erro pode ser novamente inserido ou até cancelarem o acesso aos satélites…mais pra isso acontecer teríamos uma situação meio que apocaliptica acontecendo.
    De qualquer forma, a segurança para o acesso “civil” dos dados GPS, seja do sitema americano (GNSS), russo (GLONAS), europeu (GALILEU) que são os mais conhecidos (existem os satélites chineses, japoneses, é uma bagaceira lá em cima), tem que ser revista, pois não vai tardar para um maluco fazer uma merda algum dia.

  11. JECATATU disse:

    Isso é coisa do DEMONHO!

  12. Fernando Monteiro disse:

    Meu caro Flávio Gomes, pegando carona no caso da Jeep digo que não sou contra a internet ou as tecnologias mas graças a Deus o meu trabalho não necessita que eu ´precise ficar conectado o tempo todo à internet com dispositivos moveis para resolver coisas. Meu celular ´ainda é daqueles bem básicos que só fazem ligação e olhe lá. Digo isso porque, nesses tempos de redes sociais e afins, as empresas apregoam uma falsa necessidade das pessoas ficarem conectadas o tempo todo à grande rede sem ter restringido o seu direito de ir e vir graças dispositivos moveis super sofisticados, gerando uma falsa sensação de liberdade. Ora bolas, como as pessoas podem ser livres conectadas a alguma coisa? O próprio substantivo conectado revela um elo ligado (preso) a alguma coisa, então que liberdade moderna é essa? Convenhamos, liberdade vigiada não é liberdade. E a verdade, ao meu ver, ´é que somos vigiados o tempo todo. Semana passada fiquei assustado com a notícia sobre um televisor, ou smart tv – agora chamam assim – que está chegando ao mercado, dotado de inteligência artificial e que mesmo em stand by, monitora o que as pessoas conversam em suas casas identificando suas predileções e afinidades como possíveis necessidades de consumo e as enviando a certas empresas. Os dispositivos moveis, que ao meu ver são mais uma febre que uma necessidade, irão servir – se já não servem – para nos monitorar o tempo todo. Alguns identificam até onde você está, se você estiver conectado a alguma rede social, automaticamente ele (dispositivo) posta o local onde você se encontra sem você saber ou autorizar. Hoje, as empresas facilmente sabem onde as pessoas andam, onde elas vão e o que estão fazendo e com quem. Esse é o novo mundo meu caro e ao meu ver é a pior das ditaduras, porque as pessoas gostam disso. Acho que a afirmativa de Aldous Huxley nunca soou tão atual: “A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão”

  13. Rafael Chinini disse:

    hackers conseguem invadir o sistema do carro pelo “ar” e a montadora precisa chamar recall? não consegue atualizar o software remotamente também? hahahaha

    acho que muitas modernidades começam entrar no mercado só por impulso. até geladeira tem computador agora que conecta, e faz um monte de coisa. será que precisa tanto?

  14. Jean disse:

    Por isso eu ando de Fusca e de Lambretta: são “irraqueavéis”!

  15. Luciano disse:

    Instala o Avast neles, ora ! (desculpe, não resisti)

  16. Rael Gugelmin Cunha disse:

    Flávio, o que é mais intrigante disso tudo: algumas destas fabricantes estão tentando criar uma lei (lá nos EUA) para proibir as pessoas de fazerem testes de seguranças com os carros (e divulgá-los).

    Ou seja: quem está mal intencionado, vai achar as brechas, mas os pesquisadores de segurança (que exercem isso como atividade paga, e primeiro sempre avisam o fabricante de software) não poderão testar os carros.

    O óbvio: não é melhor quando esse tipo de falha (extremamente vital) vem a público (através da imprensa/internet) e a conhecimento de todos, para que atitudes possam ser tomadas e cobradas?

    Como sempre, querem matar o mensageiro.

  17. Celio Ferreira disse:

    Futuro duvidoso e perigoso, Tô fora !!!!!!!!!

  18. Willians Thiago disse:

    Mundo chato carro é pra se dirigir, guiar, conduzir seja o que for, bem feito p esse povo dependente de tecnologia.

  19. TJ disse:

    Coisa de filme.
    E os vendedores?
    Carro com AC/DH/trio elétrico/ABS/Air bag e firewall.

  20. Thiago Leal disse:

    Um dos documentários dos paradeiros do MH370 da Malaysian Airlines deixa isso implícito. O quão é seguro deixar um transporte a cargo da inteligência artificial? Como diria Raul Seixas, “Deus me livre, eu tenho é medo!”

  21. Mariachi disse:

    Flávio,
    Dois detalhes – um é que este número de recalls inclui chamadas desde 2009 até o mais recente de possibilidade de explosão (!) do tanque da Cherokee Sport (KJ, a Liberty pros estadunidenses) em caso de colisão traseira.
    O segundo, relativo à Cherokee hackeada, é que isso só foi possível remotamente pela rede CDMA (!!) da Sprint. Antes disso apenas ligado fisicamente ao carro. Assim, carros com sistema Uconnect da Jeep sem sistema de hotspot de fábrica – e parece que apenas o hotspot arcaico da Sprint possibilita essa invasão tão fácil, relatado na experiência da Wired – não têm como ser hackeados a distancia. Portanto o problema não é o carro, mas o fato do carro ter conexão autônoma à internet.
    Tudo isso para dizer que meu carro vai fazer muito mais aniversários comigo. Dizem que a Land Rover não fazia computadores porque não conseguia fazer vazar óleo. Esse é o espírito. :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *