FIM E COMEÇO

322642_735862_actionexpress_car_31_felipe_nasr_new_driver_for_2018RIO(fez bem) – Felipe Nasr está indo para os EUA. Assinou com a equipe de Christian Fittipaldi para correr no SportsCar, campeonato que está crescendo bastante. O próprio Christian está começando a tirar o pé. Vai ser diretor-esportivo da Action Express e disputará apenas as provas de longa duração mais clássicas, por assim dizer.

É um recomeço de carreira para o brasiliense, depois de deixar a Sauber e ficar parado quase o ano inteiro — fez uma prova de Porsche recentemente, para não dizer que não fez nada.

E é o fim de qualquer pretensão de um dia voltar à F-1 — o que não significa que vá morrer por causa disso.

Comentários

  • Pontuou no GP de estreia na categoria máxima com uma Sauber quase nanica, chegando em quinto lugar. E pontuaria de qualquer forma em qualquer época (na década de 50 só pontuavam os cinco primeiros).
    Pontuou em sete GPs, num total de 29 pontos nas duas temporadas em que disputou com a mesma Sauber apequenada.

    Faria muito mais se tivesse um mínimo de chance.

  • Estreou na F1 dominando o Ricciardo na Austrália (com um 5º lugar) e saiu dominando Fernando Alonso, debaixo de chuva, no Brasil (um 9º lugar). Merecia melhor sorte. Curioso ver as portas fechadas para ele na Europa… Que corra de tudo nos EUA e mostre seu valor.

  • Entendo que a F1 seja o topo do mundo automobilístico, mas acho que a categoria já perdeu muito de seu brilho, logo, estou feliz pelo Nasr.
    Pena que foi pra Sportscar…..preferia que tivesse ido pra FE.

    Se eu fosse um piloto de 20 anos, sabendo tudo que sei hoje, iria pra FE, sem nem tentar a F1.
    Por mais que critiquem, a FE é o futuro e a F1 é o passado.

  • Boa sorte ao Felipe, é um excelente piloto.

    Dos ultimos brazucas que passaram pela F1 parecia o mais promissor, uma pena não ter tido uma chance em uma outra equipe e ter corrido junto com esse bunda mole do Ericsson.

  • Até parece que a F1 é a única modalidade de automobilismo. Existem muitas outras categorias ótimas em que pilotos podem ser muito felizes. Essa é uma delas, muito concorrida, com corridas emocionantes e disputadas pau a pau. A F1 se tornou puramente comercial e só vai atrás de grana e está limitada a 2 ou 3 equipes, sendo as outras meramente participantes, com corridas massantes, sem emoção e com resultados previsíveis.

    • Concordo! Eu queria pilotar um F-1 para ver a emoção, mas competir lá não.Só uma equipe ganhando e as outras sendo só figurantes de luxo.Prefiro a F-1 do passado, até a fase que a Mclaren começou a dominar,depois foi só lixo salvando alguns lances.

  • Off: Parabéns ao Pedro Henrique Marum pela matéria sobre os protestos nos EUA, Está excelente, muito informativa e escreveu o que muita gente deve ter medo de escrever, ainda mais em um site de automobilismo.

  • Nasr fez muito bem , e assinou com um time solido da IMSA , a categoria acertou na receita ,está dando um banho na WEC que vê dia após dia as fabricas indo embora, demorou a acordar , impressionante isso!!!!

    Enquanto isso na IMSA as fabricas chegam mais e mais, este novo regulamento agrada a todos por lá, as fabricas e os independentes , a Cadillac dominou este ano , mas os demais times venceram corridas , inclusive a ultima que foi vencida por um time independente , foi o time Visit Florida que usa um Ligier-Gibson.

    Para 2018 além da Cadillac ( chassi Dallara) vão continuar a Nissan (chassi Ligier) , a Mazda ( chassi Riley) e vai entrar a Acura (chassi Oreca) , este Time da Acura (honda) vai correr com o time Penske , e outra grande noticia é que o tme da Mazda vai ser comandado pelo time Joest que comandava na Audi .

    Isso mostra como a IMSA tá bombando!!!!