SOBRE DOMINGO DE MADRUGADA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 21 de março de 2019 - 9:38F-1

SOBRE DOMINGO DE MADRUGADA

meld196

Masashi Yamamoto e Christian Horner: a Honda está viva

RIO (vem, outono) – Tem rescaldão? Tem, sim senhor!

E começo com a foto bacana de Masashi Yamamoto sem saber se chora ou se ri ao lado de Christian Horner pelo primeiro pódio da Honda na F-1 desde 2008. Foram exatos 3.907 dias de espera desde o terceiro lugar de Barrichello em Silverstone, com a equipe de fábrica que seria extinta no final daquele ano.

Os japoneses vêm apanhando impiedosamente da crítica e do público desde a volta com a McLaren, em 2015. Alonso, que já não está mais lá, foi o maior algoz da marca, que começa vida nova com a Red Bull com um ótimo terceiro lugar de Verstappinho. Uma corrida mais do que decente do holandês, autor da única ultrapassagem de fato relevante no domingo ensolarado de Melbourne, sobre Vettel. É a imagem do GP da Austrália na opinião sempre modesta deste excelente escriba — eu.

A FRASE DE MELBOURNE

fraseleclercaus19

Leclerc: calma, neném.

“Não há motivos para entrar em pânico agora”

De Charles Leclerc, sobre o desempenho pífio da Ferrari em Albert Park. Vettel foi o quarto colocado e o monegasco, quinto — seu melhor resultado na F-1, inclusive, ele que tinha conseguido um sexto pela Sauber no Azerbaijão no ano passado.

Leclerc perguntou pelo rádio o que fazer quando chegou na bunda de Vettel no fim, e a equipe mandou ficar lá mesmo para não arrumar mais problemas. Já falei disso domingo, uma babaquice em se tratando de primeira corrida do ano. Fica mal para quem pede e obedece, começa a ficar com fama de segundão, e ainda pior para quem está na frente — ah, estão ajudando você! Esse pessoal precisa fazer curso de gestão.

O GP da Austrália, de acordo com os organizadores, juntou 324 mil almas no lindo parque em quatro dias. No domingo, foram 102 mil pessoas. Essa turba toda viu, na corrida, um total de…

O NÚMERO DA AUSTRÁLIA

aus19num…ultrapassagens, seis delas sem a asa móvel. No ano passado, segundo as estatísticas da FIA, a corrida de Melbourne teve só três ultrapassagens. Sinceramente, não lembro. De qualquer forma, é uma pista dura para passar.

Há que se destacar que o pelotão do meio foi, mesmo, bem equilibrado. Do sétimo ao décimo, numa prova sem safety-car, apenas 3s separaram quatro carros de equipes diferentes: Renault (Hulk), Alfa Romeo (Kimi), Racing Point (Stroll) e Toro Rosso (Kvyat). Apenas como curiosidade, já que a Alfa Romeo estava fora da F-1 desde 1985, o resultado de Raikkonen igualou o oitavo lugar de Riccardo Patrese no GP de Portugal de 1984. O italiano fora sexto no GP da Europa daquele ano duas semanas antes, em Nürburgring — último ponto da marca na F-1 até domingo.

masili1Neste ano, esta incrível seção do blog não terá as fantásticas charges do Maurício Falleiros, que está envolvido em outros projetos pessoais. Aproveito para agradecer demais o trabalho dele nas últimas duas temporadas — as portas estão permanentemente abertas. Ele será substituído na função pelo designer Marcelo Masili, que já estreia dando uma cutucada clássica em Mattia Binotto pela ordem de equipe mequetrefe que deu aos seus pilotos em Melbourne. Deliciem-se!

O fim de semana australiano foi marcado pela inesperada e chocante morte de Charlie Whiting na quarta-feira, homenageado pelos pilotos antes da corrida. Salvo alguma falta de atenção de minha parte, na transmissão da Globo nada se mostrou sobre o tema nos minutos que antecederam a largada. Uma pena. Seria interessante saber como foi observado o luto a personagem tão querido. Na falta de outra coisa, segue a foto que foi feita com todos juntos — pilotos, chefes de equipe, dirigentes, comissários — na reta de chegada.

meld197

O adeus a Charlie: todos reunidos em respeito ao dirigente

Bom, acho que é isso. Ah, antes que alguém diga que não demos o devido destaque ao recorde de pontos marcados por um piloto numa corrida só, os 26 de Bottas (25 da vitória e o extra da melhor volta), é preciso dizer que não foi recorde nenhum. Graças àquela insanidade da pontuação dobrada na última corrida de 2014, em Abu Dhabi, o vencedor (e campeão) Hamilton fez 50 pontos, Massa marcou 36 (foi o segundo numa prova brilhante pela Williams) e o mesmo Bottas, 30 (terminou em terceiro, também de Williams).

Ainda bem que não foi isso que decidiu o campeonato, porque Rosberg, com quem Lewis disputava o título, teve problemas de motor, foi perdendo potência e terminou em 14º, apesar de ter feito a pole. Curiosidade: foi o último pódio duplo da história da Williams. Não creio, pelo andar da carruagem, que isso se repetirá um dia.

E a gente fecha com o famosíssimo…

GOSTAMOS…

meld198

Bottas: foi atrás do ponto

…da brincadeira do ponto extra, que deu uma agitada nas últimas voltas da corrida. Até a 42ª, a volta mais rápida era de <<< Bottas, mas na 54ª Verstappen foi lá e cravou um tempo melhor. Valtteri, então, avisou pelo rádio que ia atrás do pontinho. Tentou uma vez, não deu. Na penúltima, conseguiu. Antes, Hamilton também tinha ido buscar, sem lograr êxito — adoro a expressão “lograr êxito”.

NÃO GOSTAMOS…

kubaus19

Williams: um horror

…obviamente, de ver a Williams >>> se arrastando de forma patética, com Russell tomando duas voltas do vencedor, em 16º, e Kubica uma posição atrás, tomando três voltas. Prometo que até o fim do ano a Williams não entra mais aqui, porque será assim o campeonato todo. Sempre que terminarem corridas, os dois serão os últimos a receberem a quadriculada. Uma lástima, um fim melancólico.

25 comentários

  1. kalil01 disse:

    reflitamos:
    será q o problema da f1mclaren era mesmo a honda
    ou o asturiano marrento?

  2. kalil01 disse:

    francamente, foto midiática tosca.
    pilotos poderiam ter tirado seus bonés (símbolo universal de reverência, principalmente a mortos).
    já tem propaganda demais nos macacões e o ato sem bonés seria emblemático.

  3. Fred disse:

    Ave, Rescaldo! O seu espaço foi reestabelecido, e nossa leitura foi preservada. Bem-vindo de volta!

    Valeu, Flavio!

    Abraço.

  4. CRSJ disse:

    Não gostamos foi do Vettel ficar fora de combate depois do erro tático na sua troca de pneus antecipada, e o pior veio depois com uma ordem de equipe da Ferrari dada ao Leclerc pra não ultrapassar ficando em quinto atrás do Vettel. A Williams está no seu habitat natural voltando a ser nanica, em 2013 o Bottas estreou na F-1 numa Williams nanica, lembram?
    Reginaldo Leme sempre lembrando com esse regulamento o Massa seria campeão em 2008, ele ainda está inconformado, ele só se esquece que depois do GP Brasil 2008 a carreira do Massa acabou, e se o destino teve alguma dúvida deu o Título ao cara certo que foi o Hamilton que hoje é um Penta a caminho do Hexa.
    Galvão Bueno malhou completamente o ponto extra dado a quem faz a melhor volta dentro dos dez primeiros, sendo que depois no final da corrida ele gostou de ver o Líder Bottas correndo atrás do ponto extra conseguindo no final, com isso o seu Galvão sempre tenta ser o dono da razão não sabendo falar o que pensa.

  5. Leandro Aquino disse:

    Não desmerecendo o Bottas que foi brilhante, mas acho que o Hamilton estava muito mais preocupado com o Vettel no início e quando se ligou no Bottas já era… As fantásticas charges do Falleiros vão fazer falta.

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    #nowwecanfight

    A Honda deve estar maravilhada com o que encontrou dentro da RedBull.

    Claro que esse Helmut Marko deve ser um entojo só, mas acredito que Ele é daquele tipo de pessoa que não aceita uma entrega de serviço que não tenho o maior e melhor nível de excelencia.

    Quanto ao resto da prova, tudo dito. O Campeonato será muito bom. Fica a minha torcida para que RedBull e Honda continuem o bom trabalho, que a Ferrari entregue o que prometeu na pré-temporada e que no resto o “pega continue para capar”.

  7. Comentarista Crítico disse:

    Flávio Gomes, você falou da dificuldade que é pra ultrapassar em Melbourne. Já disse aqui. Deviam acabar com a variante entre a curva 5 e 8. Ia criar um trecho de pé embaixo desde a curva 4 até a curva 9, sendo possível ultrapassar na curva 9. Deviam também cortar a reta entre a curva 10 e 11 pela metade, pois é uma reta inútil, e consequentemente aumentar a reta seguinte que seria um real ponto de ultrapassagem. Aumentar a reta principal e deixar a segunda reta metade do que é atualmente, também é uma possibilidade. Os carros de 2019 claramente tem menos dificuldades de ultrapassar que os carros de 2018 e por isso a corrida de Melbourne nesse ano foi ótima comparada a super bosta do ano passado. O prazo desse circuito na F1 vai até 2023 mais ou menos. Tá na hora de mudanças. E se os donos do circuito não realizarem as mudanças, que Melbourne saia da F1 e já vai tarde. Pois além das corridas chatas de Melbourne. Chato também é Adelaide não ter corridas há 24 anos e Mount Panorama não poder ter corrida de F1.

  8. Tiago disse:

    Opa, show o rescaldão!!!! Obrigado

  9. Ricardo disse:

    Falleiros é talentoso demais, sempre com uma tirada sensacional! Sucesso a ele nos novos projetos, tomara que algum cartunista atenda ao seu convite, Flavio.

  10. Acorda Viúva disse:

    Um recadinho pro Sennafredo: Aceita que o merdinha holandês é a reencarnação de Senna. O Galvão apesar de ser um mala gagá, fez uma observação bem inteligente no domingo: O Verstappen anda mais que o carro. E Senna também andava mais que o carro. Se conforma Sennete com a realidade.

    • Segafredo disse:

      Quando e, “se” – o merdinha holandês fizer algo “parecido” com o que Ayrton fez aos olhos do mundo da F1, vc pode vir aqui e me lembrar de que se tratam de pilotos parecidos, ok?

    • Segafredo disse:

      Seria mais ou menos algo do tipo: Strol ou o Pérez terminando o gp da Austrália na 6ª colocação em 2019………………ou ainda……………..vencendo o gp de Mônaco debaixo de chuva…………………………ou ainda……………..subindo ao pódio com o 3º lugar em Silverstone(porque BH não está mais no calendário)…………….entendeu? E lembre-se que só falei do ano de estréia de Ayrton com um carro que mal tinha condições de chegar ao final de uma prova, como se mostrou em várias ocasiões naquela temporada, e usou, por mais da metade da temporada, pneus tipo B para as corridas.
      O merdinha holandês já estreou apadrinhado numa equipe vencedora, se não a campeã daquele ano, mas vencedora de muitos Gps. Então antes de falar merda procure conhecer a fundo um pouco mais de Ayrton Senna, te garanto que vai abrir a visão quando o assunto for comparação.

    • Acorda Viúva disse:

      Blá Blá Blá Blá Blá nunca vai aceitar a realidade. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. SINCERO disse:

    Quando alguém fala que foi para projetos pessoais é porque levou um pé na bunda

    • Flavio Gomes disse:

      O Falleiros não recebia nada para fazer seus cartuns. Ele se ofereceu. Nem o conheço pessoalmente. Não tem o que dizer, rapaz, fica quieto. Em vez de falar merda. Aliás, o que mais se faz neste país: falar merda.

      • André Fonseca disse:

        E quando a gente fala merda pq o blogueiro também falou merda, mas não publica o comentário pq vai contra a ideologia que ele segue????

        Mas uma vez meu comentário não será publicado, certo FG?

        O foda é que vc escreve bem sobre automobilismo. Fosse futebol, já teria deixado de entrar aqui faz tempo. Igual os Juca…

      • Flavio Gomes disse:

        Sim, será publicado para que eu possa te avisar publicamente que seus comentários não serão mais publicados. Vai procurar sua turma, brother. Não me enche o saco. Não sou seu amigo, não sei quem você é, quero distância de gente tóxica.

  12. Marcelo Silva disse:

    Piloto perguntando à equipe se pode passar o alemão Nutella é realmente de cair o cu da bunda….

  13. Jota disse:

    Achei divertido a questão do ponto a mais pela melhor volta, sacudiu um pouco o final da corrida, que nas últimas temporadas vinham sendo aquela coisa morna… estática, melhor ainda, xôxa.

  14. alex disse:

    Concordo plenamente sobre a Ferrari. Ora, e SE Leclerc for superior a Vetel no restante e ficarem segurando ele toda hora, estes pontos perdidos podem fazer falta na briga do campeonato. Explico, pode ser que o carro da Ferrari se torne o melhor carro, brigando pelo campeonato, e Leclerc desponte como melhor, mas perca o campeonato para o Hamilton por um ponto porque no começo a Ferrari privilegiou outro.

    Em outras épocas a Ferrari privilegiava quem até o meio do campeonato estava na frente, tanto que quando fizeram com Barrichello em maio de 2002 foi um escândalo por ser cedo.

  15. Leonardo Carvalho disse:

    Abençoado seja o RESCALDÃO!!

  16. Amaral disse:

    E o processo de manorização da Williams vai sendo concluído com absoluto sucesso.
    Kubica fez um trabalho bem decente pra quem tem um braço e meio, ficou oito anos sem correr e pegou a pior draga que a equipe já fez desde o paleolítico. Sim, ainda acho que ele tem espaço na categoria. O garoto Russell, coitado, ganhou de prêmio pelo título uma cadeira elétrica. É a chance dele mostrar que realmente é bom como pintam que é. Piloto bom aparece nessas horas, outro dia mesmo tinha o Wehrlein mitando com a Manor.
    Sinceramente torço com todas as forças para que a Wiliiams consiga se agarrar em alguma tábua nesse naufrágio todo e consiga algo como conseguiu a Sauber, que sinceramente pensei que faria água. O futuro da Williams deve mesmo ser deixar de existir como é hoje. Mas que, no final das contas, que deixe de existir se tornando a base para um projeto maior, e não jogando sua história fora descendo pelo ralo e se arrastando. Se fosse a última tomando um décimo do penúltimo, beleza, é do jogo, vamos pra próxima. Mas tomar um segundo do penúltimo é digno de Hispania no seu início, nem Minardi fazia esses papelões.

  17. Giovanni Dutra Menegazzo disse:

    Se analisar com profundidade, se percebe que o Bottas pareceu ter ido muito bem pq o Hamilton foi mal.

    Basta ver na comparação deles pra concorrência nos treinos e na corrida. Nos treinos Hamilton e Bottas foi 0,8s mais rapido por volta que os demais, mas na corrida só o Bottas repetiu a dose chegando 23s a frente (se considerar 58 voltas, dá média de 0,4s por volta!), enquanto que o Hamilton chegou 1s a frente do Verstappen.

    • Amaral disse:

      Sim, resumidamente, tem que ter uma corrida ruim do Hamilton pro Bottas ganhar.
      A menos que o Bottas resolva realmente ligar o modo pistola durante a temporada inteira e não só nessa corrida, fazendo poles, largando bem, e andando forte o tempo todo. Aí não tem jogo de equipe certo, o Hamilton vai ter que guiar o fino. Tem condições? Claro que tem. Ele é o melhor na atualidade nesse sentido. Bottas terá que andar 120% pra ganhar do Hamilton. Ou andar 100% num dia em que Hamilton não esteja com força máxima. Mas terá sempre que estar no fio da navalha se quiser ter alguma chance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>