LEMBRAM?

vectra941

RIO (eu lembro) – Fazia um tempo que eu tinha essa foto, que me foi enviada pelo Rodrigo Canda em… 2014! Ele esteve em Imola na passagem dos 20 anos da morte de Senna e o safety-car daquele GP de San Marino estava lá. Segundo o Rodrigo, o carro hoje pertence a um colecionador de Roma.

Esse safety-car esteve à frente do pelotão da primeira à quinta volta por conta do acidente entre Lamy e Lehto na largada. Muito lento — a FIA, depois, viria a adotar os Mercedões com velocidades muito mais apropriadas para comboiar carros de F-1 –, levou a uma queda brutal da temperatura dos pneus de todos os competidores. Caiu, também, a pressão. Muita gente (como Damon Hill) acredita que isso pode ter causado o acidente do brasileiro, que estava com o carro muito pesado e baixo. O assoalho teria batido no chão causando a perda de controle na Tamburello.

[bannergoogle]

Comentários

  • A Williams logo após o acidente retirou a caixa-preta do carro é a destruiu segundo consta, além de desligar um sistema no carro do Hill, esse acidente do Senna permanece um dos maiores mistérios da Formula 1, acredito em várias hipóteses ou que a conjuntura delas possa ter causado o acidente, perda de pressão nos pneus, carro pesado devido ao tanque cheio para apenas uma parada, pista com emendas, coluna de direção, aerodinâmica do carro deficiente devido a retirada da suspensão ativa e afins.

  • boa tarde Flávio! Sou leitor de seu blog já há muito tempo. Pois então, estou indo para belgica ano que vem e quero assistir a corrida de F1. Quero saber se vc ou alguém que te acompanha tbm pode me dar algumas dicas, tipo: qual o melhor lugar para assistir a corrida ou qual o melhor ingresso comprar. abs e obrigado.

  • boa tarde Flávio! Sou leitor assíduo de seu blog. Pois então, estou com viagem marcada para Belgica para 2020, quero assistir o GP de F1, mas estou em dúvida sobre qual ingresso comprar e o melhor lugar para assistir à corrida. Vc pode me dar umas dicas? abs e obrigado.

  • Acho ridícula esta estória do acidente do Senna ter sido causada pela baixa pressão dos pneus…
    A Coluna de Direção quebrou na solda, se você ainda tem alguma dúvida sobre isso pergunte ao Edgard…

    • Solda? Me parece que quem aponta esta tese nunca viu uma solda na vida. O pior é que peritos apontaram isso no julgamento. Mesmo que o reparo tenha sido feito de última hora, estamos na F1. Tenho certeza absoluta que em primeiro lugar, não foi um assistente que tentou soldar a coluna de direção do maior piloto até então da F1. Além disso, Senna era criterioso com tudo a sua volta e dificilmente pilotaria um carro que não estivesse em condições… acredito que o impacto rompeu a barra e que como Henri Toivonen, Ayrton Senna que sempre andava no limite, errou. Perdemos um gênio por sua audácia, não por sabotagem.

  • O processo na Itália concluiu que o motivo da batida foi o rompimento da barra de direção. Peritos engenheiros mecânicos analisaram a barra rompida e encontraram rompimento por torção (estriado) em vez de rompimento abrupto por quebra (o que poderia ter ocorrido durante a batida). O volante não só ficou completamente solto como também cedeu um pouco, saindo da posição. Essa teoria de pressão de pneus foi logo após o acidente (o Piquet também levantou essa hipótese num “Roda Viva” poucos dias após o acidente). Com os laudos técnicos já se sabe o real motivo da batida e fica-se pensando que a barra não poderia ter se rompido durante o safety car, numa curva lenta onde se vira mais o volante? Seria uma batidinha ridícula daquelas que alguém só lembra quando computa os pontos perdidos na temporada. Senna estava no auge, com ao menos uns 3 anos em altíssimo nível ainda. Daí que se vem toda a devoção e saudade de seus fãs.

  • Já estava na hora de ser um modelo da Alfa Romeo ou da Maserati.
    Da Alfa Romeu poderia ser o Giullia ou Giullietta.
    Com certeza são tão potentes e velozes qtos. os atuais safety cars que já estão há tanto tempo na F1.
    E chega de prata.

    • Porque o Mercedes é o melhor carro para isto. Simples assim. Qualquer carro da Se Ferra-ri ou da Erroult não chegam nem perto daquela máquina possante. Além do mais, o carro de segurança antes deste que o dono do blog nos mostra era Fiat Tempra. Não lembra dele em Interlagos, quando o Senna venceu e teve de ser amparado na pista?

      • Máquinas por máquinas, as Mercedes GT que correram nas 24h Nurburgring são fortes, mas tanto os Porsches quanto os Audi trituraram o carro da equipe Mannfilter. Ferraris, Aston Martin e BMW não deram nem pro cheiro…

  • Poucos lembram, mas na corrida anterior o safety car puxou o pelotão na volta de apresentação, o que fez com que os pilotos não conseguissem aquecer os pneus de forma apropriada. Senna ficou pistola com isso. Pelo menos naquela ocasião foi um Porsche, mas ainda assim foi muito lento no ritmo.

  • Apesar de ser lento para a F1, era um belo 2.0 16V Turbo so nao sei se era com tração integral!
    O carro médico também era um desse.
    Da pra ver nesta foto em atendimento ao Rubinho.
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcSLvsCcBtz3EGdtJ3Lip1RKgR-JkvGiyiY4FLItwBaj_P7CbiMm
    A Ambulância era um Astra Belga SW!

    E Nesta o Senna e o Sid conversando e o Vectra ao fundo.
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcTCtP7mCRCUM4JvrAeocyPIjqLwP5PE0oZa8PuM_MYwKyFqQIe5

  • Esse Vectra-Monza foi um carro interessante ..Junto ao Omega um salto da GM frente as outras montadoras na entrada da década de 90 por aqui…
    20 e tantos anos depois vários rodam ainda .. eram muito bem construídos …

  • Tenho uma ideia sobre qual carro eu acho que deveria ser o safety-car. Sei que a ideia pode ser considerada maluca, mas tudo bem: gostaria que o safety-car da F-1 fosse um carro de F-1, com a mesma potência dos outros carros e com uma cor bastante chamativa, para diferenciá-lo dos outros 20 carros.

    Difícil isso se tornar realidade, mas caso acontecesse, pelo menos um problema não surgiria mais: Hamilton reclamar – em todas as corridas ele faz isso – que o safety-car está muito lento. Além de reclamar, de vez em quando ele “quase encosta” a asa dianteira de sua Mercedes no safety-car, para pressionar por mais velocidade.