SOBRE ONTEM DE MANHÃ

A IMAGEM DA CORRIDA

“Parabéns, Lando”: Verstappen cumprimenta Norris

SÃO PAULO (tudo meio cinzento, hoje…) – Verstappen venceu e ganhou um novo adversário neste ano: a McLaren de Lando Norris. Já foram outros — a Aston Martin de Alonso, a Ferrari de Leclerc, a Mercedes de Hamilton. Verdade que nenhum o ameaçou de verdade, nem vai. Max corre sozinho em 2023, pelo carro que tem, pelo talento que exibe. Mas as “segundas forças” têm-se revezado em função das pistas, das condições climáticas, do lidar com os pneus.

É a vez do time papaia. Que foi a grande coisa do GP da Inglaterra, mas possivelmente não será de novo daqui a menos de duas semanas na Hungria. Lá, o calor e as características do circuito colocarão outro na condição de desafiante. A Alpine, talvez? Ou a Aston Martin de novo?

Tanto faz. “Desafiante” é modo de dizer. Na vida real da F-1 nesta temporada, ninguém desafia Max.

Vencer virou algo tão rotineiro para Verstappen que ele esqueceu de pegar o troféu ontem em Silverstone, estourando champanhe antes de receber a taça. Foi o momento cômico do fim de semana. Os números que o holandês acrescentou ao seu cartel já foram destrinchados no textão pós-GP: 43 vitórias na carreira, oito no ano, seis consecutivas. Se vencer a sétima, vai para a vice-liderança dessa estatística ao lado de Schumacher (2004), Ascari (1952/53) e Rosberg (2015/16). O recorde pertence a Vettel, com nove vitórias seguidas em 2013.

Mas faltou um…

O NÚMERO DA INGLATERRA

8

…hat-tricks tem agora o piloto da Red Bull. É como chamamos a façanha de largar na pole, vencer e fazer a melhor volta em uma corrida. Para se tornar recordista, porém, Verstappen ainda tem de percorrer longo caminho. O detentor da maior série de hat-tricks é Schumacher, com 22. Hamilton tem 19, Clark fez 11 e Fangio, nove. Mas Max deixou Senna para trás mais uma vez. Ele é o brasileiro que mais vezes conseguiu hat-tricks, sete. O segundo é Massa, com quatro.

Max no pódio: oito hat-tricks na carreira

O domínio de Verstappen e da Red Bull neste ano se expressa não só nos pontos e nas vitórias — dez em dez etapas — como também nas voltas lideradas. Até agora, a equipe liderou 580 das 610 voltas dos GPs disputados na temporada, um assustador índice de 95,1%. A Ferrari vem em segundo com ridículas 12 voltas na liderança. Max esteve em primeiro lugar em 467, o que dá 76,6%. Pérez é o segundo com 113 (18,5%). A pontuação do atual bicampeão mundial é igualmente espantosa: 255 pontos em 276 possíveis, um aproveitamento de 92,4%.

É um massacre.

A FRASE DE SILVERSTONE

Alexander Albon, da Williams:

“Eu não queria que essa corrida tivesse mais nenhuma volta!”

Albon teve Leclerc em seus calcanhares nas voltas finais e precisou se desdobrar para segurar o oitavo lugar. Usou todo o vasto repertório de gestão de pneus e defesa de posição que possui. Foi destaque do fim de semana desde a sexta-feira, e o resultado pode até ter deixado o tailandês um pouco decepcionado. Piloto sempre quer mais. Mas a Williams não tem do que se queixar. Os quatro pontos que marcou levaram a equipe a 11 no total e ao sétimo lugar entre os construtores, deixando Haas, Alfa Romeo e AlphaTauri para trás. Não foi seu melhor desempenho no ano, porém. No Canadá, ele foi sétimo. Albon está mostrando que merece mais. E que a Red Bull fez bobagem quando o dispensou, no final de 2020.

Oitavo com a Williams: aplausos para Albon

O GP da Inglaterra foi recheado de notícias “de bastidores”, como se diz — detesto a expressão. Teve Shakira de novo (parece que está mesmo namorando Hamilton) e a turma que começou a rodar um filme que será estrelado por Brad Pitt. A equipe fictícia APXGP teve um box, mecânicos, carros e atores vestidos de pilotos participando das cerimônias antes da largada com os pilotos de verdade. Certamente as cenas serão bem realistas.

Mas melhor do que ficar descrevendo é ver o carrossel de fotos abaixo. Cliquem nelas se quiserem vê-las ampliadas.

GOSTAMOS & NÃO GOSTAMOS

GOSTAMOS da gentileza de Lewis Hamilton (abaixo, à esq.), que postou mensagem parabenizando Norris e a McLaren, sua ex-equipe, pelo resultado em Silverstone. É um gentleman.

NÃO GOSTAMOS da grosseria de Pierre Gasly (frame da TV acima, à dir.), que foi dar um tapão em Sainz por causa de uma disputa lá atrás por migalhas. Aliás, não gostamos da Alpine, que depois de cinco corridas seguidas nos pontos zerou. Nem da Ferrari, que largou em quarto e quinto e chegou em nono e décimo.

Subscribe
Notify of
guest

33 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adalberto
Adalberto
7 meses atrás

orLANDO NORRIS até hoje chora aquela corrida ganha, nas mãos e por babaquice entregou o ouro ao bandido, então só resta vibrar com o segundo lugar,

Cesar Lopes
Cesar Lopes
7 meses atrás

Os antigos já diziam que o “se” não entra em campo – ou na pista, nesse caso. E é claro que tem muito mais responsabilidade do Marko do que de qualquer outra pessoa. Mas sempre fico pensando o que seria da carreira do Albon se dois incidentes seguidos com o Hamilton não tivessem tirado dele duas excelentes chances de vitória…

Rafael
Rafael
7 meses atrás

Nada como um campeonato ja decidido, e todo mundo de bom humor no podium e nos resultados

OZZMAIR
OZZMAIR
7 meses atrás

O Hamilton, vira e mexe, cita a McLaren em algumas entrevistas, e sempre com carinho e respeito por tudo ter começado ali.

Albert
Albert
7 meses atrás

Gasly tem se tornado a nova chiliquenta da F1.

Deu piti ao não passar pra um Q2 numa corrida aí, depois cuspiu 5.000.000 de marimbondos ao ser bloqueado em outro qualify, agora fazendo isso nunca corrida que sequer terminou e o lance derradeiro nem foi com a vítima da agressão.

Inteligência emocional mandou saudações.

Pedro Araujo
Pedro Araujo
7 meses atrás

não é por nada nao, mas o brad pitt nao tá meio velho pra fazer papel de piloto de F1?

se ainda fosse filme ambientado nos anos 80 pra trás, ou se fosse filme sobre wec ainda rolava verossimilhança, mas o cara deve ter mais de 50 anos, né?

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Pedro Araujo
7 meses atrás

Cinema, né? Brad Pitt tem 59 anos. Mas passa por menos. E o resumo do roteiro é exatamente esse. Piloto mais velho tenta retornar ao mundo do automobilismo. O cinema tem alguns filmes que mostram casos de superação, como Wimbledon – O Jogo do Amor (título brasileiro horroroso…parece pornô soft), exatamente com um cara mais velho legal e gente boa, enfrentando o novinho primeiro do mundo, arrogante e chato. O final nunca é difícil adivinhar. Tem um chamado “O Melhor Jogo da História” baseado em fatos, e ótimo, que é o contrário. Um rapaz amador entra no Mundial de golfe contra todos os grandes. Contra tudo e todos. Apesar do esporte não ser tão popular entre a gente, o filme é bem legal.

OZZMAIR
OZZMAIR
Reply to  Pedro Araujo
7 meses atrás

Pelo que lí, o personagem dele é um ex-piloto que sai da aposentadoria para, digamos, se provar, ou algo assim…

Gabriel Medina, O outro
Reply to  Pedro Araujo
7 meses atrás

Dá uma olhada nos pilotos profissionais do WEC e acha algum com mais de 40.

Pedro Araujo
Pedro Araujo
Reply to  Gabriel Medina, O outro
7 meses atrás

o wec é cheio de veteranos sim, acho que até piloto chegando nos 70 tem

Pedro Araujo
Pedro Araujo
Reply to  Gabriel Medina, O outro
7 meses atrás

se chamar o mattar pra conversa ele cita até os nomes dos veteranos

sabe muito de wec o mattar…

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Gabriel Medina, O outro
7 meses atrás

Eu li agora a pouco um resumo feito pelo próprio Pitt. Ele é um piloto que teve sucesso nos anos 90 e resolveu sumir. A equipe então vai atrás dele pra ajudar um novo piloto meio rebelde…por um acaso esse novo piloto é negro. Assim…sem entrar em detalhes…da pra fazer um paralelo com Alonso e Hamilton…

Marcus
Marcus
Reply to  Pedro Araujo
7 meses atrás

É cinema, dá um tempo…

Fabio Ribeiro
Fabio Ribeiro
7 meses atrás

Falando em ontem de manhã, mais uma corrida muito boa do Gabriel Bortoleto na F3. Primeiro ano do garoto, e se não acontecer nada anormal nos últimos 3 fins de semana ele será campeão. Tá dando gosto de ver a F3 este ano (a F2 também tá legal, embora não tenha ninguém se destacando demais, com cara de pronto pra F1).

lagerbeer
lagerbeer
7 meses atrás

Red Bull 11 x sem tirar alcançou o McLaren 1988.. .. e olha que coincidencia …. os 2 com motores HONDA … então vou comprar um Fit usado 2006

Celio Ferreira
Celio Ferreira
7 meses atrás

Max não se preocupa com nada , sabe que vai ganhar. O que poderia
tira- lo dessa folga é Perez , mas não sei o que acontece com o Mexicano.
A F1 está previsível demais , chata mesmo .Vamos aguardar 2024, porque
esse ano já foi . Os demais ficam se degladiando , quebrando o marasmo
da corrida do lider ….

Jader
Jader
Reply to  Celio Ferreira
7 meses atrás

Pérez não tem capacidade de vencer o Verstappen. Sob pressão, só erra. Em Mônaco, quando surgiu a oportunidade de virar líder do campeonato, começou a série de barbeiragens.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Pesquisei o nome completo dos 20 pilotos (de 2023) da F1. Isso é “cultura inútil”, mas eu gosto muito. Segue um TOP 5 com os nomes, digamos, mais “surpreendentes”.

1- Alexander Albon Ansusinha. Ansusinha é qualquer nota! Parece nome de personagem de uma comédia.

2- Esteban José Jean-Pierre Ocon-Khelfane.

3- Hendrik Johannes Nicasius de Vries.

4- Charles Marc Hervé Perceval Leclerc. Perceval é muito estranho! Parece nome de remédio.

5- Lance Strulovitch.

Luiz Gustavo Martins
Luiz Gustavo Martins
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Perceval é o nome de um dos cavaleiros da Távola Redonda das lendas do Rei Arthur!

Last edited 7 meses atrás by Luiz Gustavo Martins
Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
Reply to  Luiz Gustavo Martins
7 meses atrás

Sobre Perceval / Rei Arthur, eu já sabia. A ideia da minha postagem é apenas identificar os nomes/sobrenomes “compridos”, engraçados e diferentes.

Nos anos 70, lendo o Jornal da Tarde,tomei conhecimento da existência do jornalista Percival ( com I) de Souza, e já associei Percival com nome de remédio.

“Saindo da F1”, acho que, no Brasil, nada é mais surreal e engraçado do que o nome Wandergleysson ( com W, Y e 2 S !!!).

Marcus
Marcus
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Que tal Alain Marie Pascal Prost? E Patrick Daniel Tambay, Didier Joseph Louis Pironi e René Alexandre Arnoux? Também faço esse exercício. Franceses e espanhois geralmente têm nomes compostos.

Last edited 7 meses atrás by Marcus
Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
Reply to  Marcus
7 meses atrás

Vc apontou quatro bons exemplos de nomes compostos.Se formos fazer um levantamento completo, iniciando a pesquisa a partir dos pilotos que correram em 1950, acredito que aparecerão muitos nomes “exóticos”.

Wagner
Wagner
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Nome exótico, tem o príncipe tailandês Bira, que correu na F1 nós anos 50: Birabongse Bhanutej Bhanubandh.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
Reply to  Wagner
7 meses atrás

Bem lembrado.Nome muito exótico!

Megas Alexandros
Megas Alexandros
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Impossível ignorar este (que nem “Jr.” é):

Carlos Sainz Vázquez de Castro Cenamor Rincón Rebollo Virto Moreno de Aranda Don Per Urrielagoiria Pérez del Pulgar

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Os 4 irmãos da minha cidade no Paraná que corriam com cavalos vale? Gerolino, Bertolino, Fidelcino e Colatino….tá …deixa pra lá…

CHAGAS
CHAGAS
7 meses atrás

Quando Hulk cruzou a linha de chegada perguntou quem foram os três primeiros. Verstappen e mais quem? Seria irônico se não fosse impressionante.
Qualquer um dos outros dezenove já iniciam a prova sabendo que estarão brigando pelo segundo lugar. O taurino não erra, e o carro não quebra.
Como disse Max, onze e contando. Tem (muuuita) gente que detesta o domínio, aconselho chuparem manga doce pra tirarem a careta do rosto.
A dificuldade de vencer Max explica como Norris comemorou a classificação de sábado como pole e o segundo lugar de ontem como vitória. Porque foi.
Alias Norris teve seu momento ternura ao fazer uma declaração de amor muito bonita no fim da prova aos papaias que acolheram o menino, devidamente retribuído com um “Nos te amamos também”.
Mantenho minha opinião que Perez fica ate o final do ano que vem, mas precisa urgentemente acertar as classificações. O mexicano com esse avião nas mãos não tem mais o direito de errar. E estourar o champanhe com o companheiro tem que ser obrigação.
Ficou feio pra Sainz tomar três ultrapassagens em 20 segundos. Parecia que estava pilotando um F2.
Albon faz magica com a Williams. Parece ter mais brilho que Russel quando pilotava os azuis. Porem continuo achando o tailandês piloto de equipe menor, com todo respeito a historia da Williams. já Russell foi pra Mercedes, marcou território, e ao lado de um gênio diga-se.
Russell pode ser campeão do mundo, Albon creio que não.
Aston Martin apagou e Alonso também. Na Hungria será uma espécie de prova final, se for mal deve perder também pra Ferrari nos construtores.

guest
guest
7 meses atrás

Se eu mandasse na Renault colocaria uma placa “vende-se” na porta da Alpine.

Gabriel Medina, O outro
Reply to  guest
7 meses atrás

Mas ai ela mesmo compraria de volta daqui a uns 2,3 anos.

Luís Almeida
Luís Almeida
7 meses atrás

Caro Flávio, ainda há quem leia e com muito gosto. Agradeço-lhe muito o ainda haver quem escreva.

Fernando (Pai do Clark)
Fernando (Pai do Clark)
7 meses atrás

Verstappen parece que naturalmente aprendeu a ganhar… Nas duas aplicações do termo.
Na pista, não se afoba, vai pro choque a cada curva ou defende o indefensável, sabe que tem carro e braço para recuperar a liderança no momento que convier (espero ter conjugado no tempo certo).
Fora da pista, ficou mais legal ver suas celebrações, ele envolve até Hamilton como um parceiro que estão curtindo o momento.
Parece que a carranca (pra mim é pura personalidade, goste-se ou não) só restou para seu querido termo “bastidores”… Hahaha, o bicho é seco bagaraio…
Abs FG!
Até daqui a pouco no Pari Live Motor.