ACA BHALOGO (1)

O carro de Sainz: batida forte no segundo treino

SÃO PAULO (cumprindo tabela) – Metade do grid, hoje, teve apenas 26 minutos de treino em Abu Dhabi. As equipes deixaram para cumprir na última corrida do ano a obrigação de oferecer um treino livre a novatos, e a primeira sessão teve dez deles na pista. Na segunda, com todos os titulares em ação, duas bandeiras vermelhas tomaram 34 minutos do treino e, assim, o dia não serviu para muita coisa.

Mas esse GP também não serve. No calendário desde 2009, a partir de 2014 a prova de Yas Marina passou a fechar as temporadas da F-1, mediante robusto pagamento. Foi assim também nos dois primeiros anos. E em apenas quatro oportunidades o campeão saiu da corrida noturna nos Emirados Árabes: em 2010 (com Vettel), 2014 (Hamilton, com a ridícula pontuação em dobro que felizmente não foi decisiva), 2016 (Rosberg) e 2021 (Verstappen). A última delas é célebre, aquele rolo todo envolvendo um safety-car no fim e a presepada do ex-diretor de provas Michael Masi, que tirou o oitavo título de Lewis.

Neste ano, é um GP amistoso novamente. Os dois títulos estão decididos a favor de Verstappen e da Red Bull, e de relevante, mesmo, restou uma disputa pelo vice entre Mercedes e Ferrari. Os alemães estão quatro pontos à frente.

Por isso, um enxame de garotos invadiu o circuito no primeiro treino, entre eles o brasileiro Felipe Drugovich, que acabou se destacando com a segunda colocação. Ele só ficou atrás de George Russell, da Mercedes, que fez o melhor tempo em 1min26s072. O piloto de testes da Aston Martin ficou 0s288 atrás do inglês, um bom resultado. Foi o único reserva a andar na frente do titular, já que Lance Stroll terminou a sessão em quinto. Entre as equipes, só a AlphaTauri andou com seus dois pilotos principais. A Red Bull deu folga a ambos e até um quase veterano de 28 anos, Jake Dennis, campeão da F-E, teve a chance de guiar um F-1 pela primeira vez — presentão de Natal, ocupou o cockpit do carro de Verstappen, vejam vocês.

A molecada acabou se comportando melhor que os adultos, já que Carlos Sainz e Nico Hülkenberg bateram no segundo treino causando as longas interrupções. O primeiro, vítima do bueiro de Las Vegas na semana passada, perdeu o controle numa ondulação da pista árabe e bateu forte na barreira de proteção. Estragou bem a Ferrari #55. Isso com dez minutos de treino. Depois de quase meia hora de paralisação, o alemão da Haas rodou sozinho e deu de traseira no muro assim que a sessão foi reiniciada.

Os tempos de hoje, portanto, são pouco representativos para apontar o que pode acontecer na derradeira etapa de 2023. Amanhã o terceiro treino livre servirá para que pilotos e equipes busquem algum caminho para a classificação e a corrida, se nenhuma intercorrência atrapalhar.

Mas cumpre, claro, registrar os melhores. O ferrarista Leclerc foi o mais rápido com 1min24s809, meros 0s043 à frente de Norris, da McLaren. A equipe papaia tende a andar bem em Abu Dhabi, recuperando-se do mau desempenho de Las Vegas. Em sexto no Mundial com 195 pontos, Landinho sonha em superar Sainz e Alonso, que têm 200 e estão à sua frente na classificação. Seria um belo prêmio de consolação para quem faz uma segunda metade de temporada admirável. Nas últimas dez corridas, Norris somou 135 pontos e só perde para os 268 de Verstappen. No mesmo período, os que estão à sua frente na tabela foram superados até com folga: Pérez marcou 102, Hamilton fez 99, Sainz somou 113 e Alonso amealhou 61.

Os tempos do segundo treino: poucas voltas

Max foi o terceiro colocado, seguido por um surpreendente Bottas, Pérez, Russell, Zhou, Hamilton, Gasly e Piastri nas dez primeiras posições. O holandês foi protagonista de alguns momentos engraçados durante os treinos, ansioso que estava para percorrer o maior número possível de voltas, já que seu carro foi emprestado a outrem na primeira atividade da sexta-feira.

Pelo rádio, reclamou com seu engenheiro que tinha gente saindo à sua frente nos boxes e, depois da segunda parada, ultrapassou dois carros da Mercedes pelo acostamento na saída do pit-lane, que em Abu Dhabi se dá por um túnel debaixo da pista. Estava com pressa. Alguém pode achar que é arrogância ou bobagem, já que nada mais há a decidir neste ano. Eu interpreto como profissionalismo, mesmo.

Verstappen x dupla da Mercedes: pelo acostamento

Agora vocês vão ficar com uma pilha de caixinhas coloridas para atualizar o noticiário da semana, que foi até agitadinho.

PAUSA PARA A F-1 – Dois dos novatos que andaram no primeiro treino estão na disputa pelo título da F-2 neste fim de semana em Abu Dhabi: Théo Pourchaire, francês da Alfa Romeo, e Frederik Vesti, dinamarquês da Mercedes. O primeiro lidera o campeonato com 191 pontos, 25 à frente do segundo. Vesti começou melhor os trabalhos, ficando com a nona colocação no grid para a corrida longa de domingo. Pourchaire larga em 14º. O regulamento inverte os dez primeiros para a prova curta de sábado, e assim Vesti parte da primeira fila amanhã, em segundo, ao lado de Enzo Fittipaldi — décimo colocado hoje. O pole de verdade para domingo é Jack Doohan. Pelas regras, larga em décimo na Sprint. É meio idiota, a regra? É.

ENZO FICA… – …com a Red Bull. Mas não na Red Bull. Não sei se deu para entender. O neto de Emerson Fittipaldi, piloto da Academia da Red Bull neste ano na F-2, continua com o patrocínio da marca em 2024. Mas não fará parte do programa de desenvolvimento de jovens pilotos do time de energéticos. Segue apenas como garoto-propaganda. Enzo está cavando um lugar na Indy, onde correrá seu irmão Pietro.

AQUI E LÁ (1) – Já o mexicano Pato O’Ward, também presente hoje no primeiro treino livre com a McLaren, foi confirmado como reserva do time para a temporada 2024 da F-1. Paralelamente, ele segue correndo na Indy, campeonato do qual a equipe papaia também participa.

AQUI E LÁ (2) – Outro que definiu seu futuro foi Mick Schumacher. Dispensado da Haas no ano passado, passou a ser reserva da Mercedes e foi a todas as corridas desta temporada na condição de papagaio de pirata de Toto Wolff. Seu contrato foi renovado para que continue ao lado do chefe vendo as provas de fone no ouvido, mas ele arrumou também uma boquinha para correr no WEC pela Alpine na categoria de hipercarros.

HAMILTON NA RED BULL – Telegraficamente, para não esticar muito. No início da semana, em entrevista ao “Daily Mail”, Christian Horner disse que foi procurado pelo estafe de Hamilton no começo do ano para sondar um lugarzinho na Red Bull. E acrescentou que o inglês também “conversou sério” com a Ferrari. Ontem, Lewis negou. Disse que não fala com o chefe rubro-taurino “há anos” e que o único contato com o dirigente foi uma mensagem de texto que recebeu antes de começar a temporada “num número de telefone antigo”. “Chequei com todos que trabalham comigo e ninguém procurou Christian. A gente o conhece. Ele adora dessas coisas”, espetou. Na tréplica, Horner devolveu: “Quem me procurou tem o sobrenome Hamilton”, garantiu, insinuando que o pai no piloto, Anthony, estaria envolvido no caso. “O pai de Lewis não trabalha com ele desde 2010”, respondeu Toto Wolff. “O outro lá só quer atenção.”

Leclerc: segue na Ferrari, e com Sainz

MAIS ALGUNS ANOS – A informação é do jornalista italiano Leo Turrini, que não erra: Carlos Sainz e Charles Leclerc terão seus contratos estendidos com a Ferrari. Os dois compromissos terminam no final do ano que vem e o espanhol estava fortemente associado a boatos que o colocavam na Audi — a marca alemã está comprando a Sauber e estreia na F-1 com time próprio em 2026. Pelo jeito, Maranello convenceu Sainz a ficar. Charlinho parece eternamente ligado ao time vermelho.

MAIS UM ANO – Já Fernando Alonso, que tem a vida acertada com a Aston Martin também até o fim de 2024, deve espichar seu acordo por pelo menos mais uma temporada, a de 2025. É a intenção da equipe, inclusive. E Alonso, quando assinou, fez um contrato 2 + 1: dois anos garantidos, mais um terceiro opcional. Não será surpresa nenhuma, sua permanência. Apesar da idade — está com 42 anos –, Fernandinho segue em plena forma. Só neste ano já juntou oito troféus. A Aston Martin tem nove no total.

MAIS SETE ANOS – E a Mercedes seguirá sendo fornecedora de motores da McLaren até 2030. O contrato atual termina no final de 2025 e foi esticado por mais cinco anos. Nos próximos sete, portanto, McLaren é Mercedes e ponto final. As duas se uniram pela primeira vez em 1995 e a parceria foi até 2014. Em 2021, depois de de experiências não muito bem sucedidas com Honda e Renault, a equipe voltou a usar os motores alemães. De Mercedes novamente nas últimas três temporadas, a McLaren conseguiu 15 pódios e uma vitória — de Ricciardo, em Monza/2021.

ESCOLINHA – Toto Wolff, chefão da Mercedes, recebeu uma reprimenda formal da FIA por ter batido boca com Frédéric Vasseur, homólogo da Ferrari. A discussão aconteceu em Las Vegas por causa da absurda punição a Sainz, que quebrou a bateria de seu carro numa tampa de bueiro. O time italiano solicitou que o piloto não perdesse posições no grid pela troca do equipamento, mas Wolff se posicionou contra. Houve xingamentos de lado a lado. “Foi a segunda vez que fui repreendido na vida”, debochou Wolff. “A primeira foi em 1984 quando eu tinha 12 anos, na escola.”

Subscribe
Notify of
guest

20 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Fonseca
Fernando Fonseca
3 meses atrás

Flavio, quando você fala da “presepada do Masi, que tirou o oitavo titulo do Hamilton”, isso significa deslegitimar o titulo do Verstappen?

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  Flavio Gomes
3 meses atrás

Acho que o próprio Flavio escreveu naquela época algo como…”merecido mas injusto”…acho que é o sentimento…por tudo que aconteceu naquela temporada, ele fez por merecer…mas pela última…o que fizeram com Hamilton foi cagada…ele só se aproveitou como Hamilton faria se fosse o inverso…

O crítico
O crítico
Reply to  Fernando Fonseca
3 meses atrás

Two and a half champion, pra mim.

Sandro
Sandro
3 meses atrás

Essa pista de Yas Marina é um lixo! Parabéns Mister Tilk! Ficou menos horrível ao mudar alguns trechos da pista mas pior que isso só Las Vegas (81 e 82).

O GP de Abu Dhabi poderia se chamar The Lexotan Abu Dhabi Grand Prix! Não lembro o ano, a corrida estava tão chata que eu dormi! Quando acordei era no momento do pódio!

Andre Strunz
Andre Strunz
3 meses atrás

FG sempre leio seu blog. Inclusive sempre espero avidamente ,em ler nos finais de semanas de GP. Este último, por mais assertivo que o o escriba mor foi, percebi uma morbidade não usual. Espero que esteja tudo bem FG. Forte abraço

Caue de Oliveira Romero Conde
Caue de Oliveira Romero Conde
3 meses atrás

Vim de Marte pra dizer que eu leio seu blog. E entro nas lives do Pari fazendo perguntas óbvias e absurdas só pra rir de vc ficando puto.

Marco Moreira
Marco Moreira
3 meses atrás

Adoro!!! Leio sempre!!! Bom conteúdo, bom humor e conhecimento!!! Parabéns

CHAGAS
CHAGAS
3 meses atrás

Doohan foi ao radio dizer que quase sofrera o acidente mais grave de sua carreira ao ver Sargeant passeando no traçado antes da ultima curva talvez pensando na morte da bezerra. O americano novamente pediu desculpas por aumentar a coleção de incontáveis erros. Tradução piloto despreparado pra F1.
Drugovich o único novato a bater o titular de quebra o segundo melhor tempo do brasileiro também foi melhor que o de Stroll. Na única vez na vida que a Aston Martin pede pro rapaz acelerar a barata, ele faz um temporal. Tradução piloto preparadíssimo pedindo passagem pra correr na F1.
Mas apenas pachequismo ne? Sei.
Em tempo: O simpático americano mantendo o ótimo repertorio, foi ultimo de novo.

Last edited 3 meses atrás by CHAGAS
Marcus
Marcus
Reply to  CHAGAS
3 meses atrás

Você não sofre de pachequismo, você é o pachequismo. Sim, Drugovich foi muito bem ontem, e Sargeant muito mal, porque o brasileiro é melhor. Mas não vai guiar na F1.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
3 meses atrás

Recordar é viver!

“Aonde o Versttapen vai atacar? Porque ele vai atacar!”

Rumo ao 8cta…

IMG_6856.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
3 meses atrás

Baba, fase oral, baba.

Weverton Teixeira
Weverton Teixeira
3 meses atrás

Sempre ótimo Flavinho! Pra quem não consegue acompanhar ao vivo, seu texto é um ótimo resumo do dia !

Last edited 3 meses atrás by Weverton Teixeira
Emerson Moraes
Emerson Moraes
3 meses atrás

Bom resumo.

Sergio Trancoso
Sergio Trancoso
3 meses atrás

Se o Sainz esticar mesmo seu contrato com a Ferrari, será interessante saber quem a Audi vai procurar

Marcos Bassi
Marcos Bassi
3 meses atrás

Até que pra um “acaba logo”…rendeu bem o texto do primeiro treino. Como eu gosto de lê-lo (meu deus com esse verbo)…me senti bem satisfeito com a coisa toda…já que os treinos foram bem chatinhos…

Livio Parrini
Livio Parrini
3 meses atrás

Na rede X, fez comentário sobre o blog invisível. Não sou da turma da piada, li, não é textão, leitura tranquila. Gosto das caixas coloridas, o assunto vem completo. Não tenho costume de fazer manifestações, informo o blog não é invisível, eu li!

Joao
Joao
Reply to  Livio Parrini
3 meses atrás

Nós lemos :)

Francisco Braga
Francisco Braga
Reply to  Joao
3 meses atrás

Eu também… sempre!

Paulo E T Vasconcellos
Paulo E T Vasconcellos
Reply to  Livio Parrini
3 meses atrás

pode conjugar o verbo ler no presente ,inteirinho!!!!