MENU

quinta-feira, 14 de agosto de 2008 - 4:18Pequim 2008

O QUE MUDOU?

PEQUIM (debaixo d’água) - O vôlei brasileiro não é mais o mesmo. Não sou eu que estou dizendo, mas sim todos meus colegas que seguem o time de Bernardinho muito de perto, em todas as competições. Hoje, perdeu a primeira nos Jogos, 3 a 1 para a Rússia, a mesma Rússia que tirou dos brasileiros o terceiro lugar na Liga Mundial, cujas finais foram disputadas no Brasil.

Os meninos ganharam as duas primeiras partidas por aqui sem grandes dificuldades, 3 a 0 no Egito e 3 a 1 na Sérvia. Essa derrota de hoje não representa muita coisa no que diz respeito à caminhada atrás de uma medalha, mas tem um significado que, para os especialistas, supera a mera questão de classificação, pontos, saldo de sets etc. Significa que o time não é mais imbatível.

Nas mãos de Bernardinho, essa seleção tem resultados espantosos. Mas há que acredite que algo se quebrou antes do Pan, apesar do ouro no Rio. Foi o caso do Ricardinho, até hoje mal-explicado, ou simplesmente inexplicável, porque os dois lados deram suas explicações, e ninguém entendeu nada.

Ricardinho, garantem os especialistas, não tem substituto à altura na seleção. E o levantador é a alma de qualquer time. Os que vêm jogando são bons, claro. Mas não tanto quanto ele, que dava uma velocidade aos ataques brasileiros que até agora nenhum conseguiu igualar. Agrava a situação o fato de que um dos substitutos de Ricardinho é Bruninho, filho de Bernardinho — não sei por que no vôlei tem tanto “inho”, são todos grandões. E não se deve esquecer, também, que Ricardinho era o capitão do time. Ninguém é capitão à toa. Ele tinha a admiração e o respeito dos colegas.

Essa história toda, em resumo, pode estar eclodindo aqui. E o vôlei, que até o início do ano era aposta segura de ouro em Pequim, pode acabar decepcionando. Isso se a moçada não virar o jogo. Às vezes, uma derrota como essa de hoje para a Rússia serve para acordar o time, mostrar aos jogadores que eles não são imbatíveis.

“Ter a humildade de reconhecer que pode ser derrotado é o primeiro passo para encontrar o caminho da vitória”, disse Confúcio uma vez, quando levou um cacete de um discípulo chamado Ga-Fang-Yotung numa partida de ping-pong. Depois de dizer isso, não perdeu mais nenhuma. Arrebentou a raquete na cabeça de Ga-Fang-Yotung.

58 comentários

  1. Sabrina disse:

    Concordo com a opinião de lenardo henrique

  2. cassia disse:

    eu acho que o bernadinho coloko o bruno e é a melhor coisa pois ele joga tao bem nao é so pq ele é filho do tecnico pois ele tem esse talento belissimo de ser um otimo levantador essa é a minha opniao

  3. Zizu 1X0 disse:

    Acho que deveriamos contestar não é como ou porque, mas o quando foi o corte do Ricardinho. O Bernardinho alega que não seria o primeiro caso de indiciplina. Então por que esperar o término do campeonato mudial para o corte. Pq não o fez antes ou o colocou no banco? Será que como o Brasil iria jogar um campeonato de nível inferior que é o Panamericano e que somente ápos um ano teria um campeonato de alto nível acho que teria tempo para treinar um substituto ou faze-lo pedir desculpas (humilhação pública e admição de erro). Vale apena pensar a respeito.

  4. Pedro disse:

    Claro que o Bernardinho ´´e um grande técnico. Mas, sem bons jogadores ele não ganha medalha também. Eu, não vejo o Bruninho, como t-ão bom assim. E, me admiro de um Pai fazer um papelão desse com o filho. Pois, é claro que a torcida ia cobrar a falta do melhor se não obtivesse vitórias.E, o Ricardinho faz a diferença. E, a arrogância do nosso treinador custou caro…. E, a torcida precisa ser respeitada. Se não tiver torcedores não há patrocinadores. Pois, o volei cresceu empurrado também por está torcida que está a reclamar e com toda razão… NÃO POR SER MEDALHA DE PRATA .Mas,essa atitude não bem explicada.

  5. Marcus disse:

    O Ricardinho faz falta? Óbvio que sim! Mas não será pela falta dele ou não que o Brasil pode ficar sem o ouro nestas Olimpíadas.

    O Ricardinho é um jogador problemático, basta ver que acabou de brigar com o seu clube também e andou esculachando muitos dos seus companheiros. Não teria como reconvocá-lo.

    A grande questão aí é que o Brasil vem a muito tempo vencendo tudo, como aconteceu com a Seleção da Itália noinício da década de 90, só que todo era chega a um fim pois os adversários também evoluem. Quanto mais vencedor é um time mais estudado por seus adversários ele é.

    Então o Ricardinho nesta seleção atual poderia não estar significando nada de diferente. E o Bernadinho não pode ser criticado poir perder uma Olimpíada, aliás Bernadinho não, todo este grupo tem que já venceu mais do que qualquer outra equipe em esportes coletivos.

  6. margareth disse:

    VOCÊS SÓ SABEM RECLAMAR, VÁ SER O TECNICO DA SELEÇÃO, PRA VER SE É FACIL !!!!!!!!!! A SELEÇÃO É FEITA DE VARIOS JOGADORES, TODOS TEM SEUS MÉRITOS, E PRA ELES GANHAREM DEPENDEM DE TODOS, NINGUÉM É MELHOR QUE NINGUÉM, ELES FORMAM UMA EQUIPE E MARCELINHO E BRUNINHO FAZEM UM ÓTIMO TRABALHO. ENTÃO PAREM DE RECLAMAR, PORQUE PERDER FAZ PARTE, E BERNADINHO É UM ÓTIMO TÉCNICO E ESTÁ FAZENDO UM ÓTIMO TRABALHO, ELES LÁ FAZENDO O MAXIMO PARA GANHAR O OURO E VOCÊS FAZENDO COMENTÁRIOS PERSIMISTAS A RESPEITO DELES. ELES SÃO BONS E PRONTO. E PAREM DE FALAR DE RICARDINHO ELE FEZ UM ÓTIMO TRABALHO QUANDO ESTAVA NA EQUIPE, MAS SE ELE SAIU TEVE O SEUS MOTIVOS, AGORA É BOLA PRA FRENTE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!E VAMOS TORCER PELA NOSSA SELEÇÃO.

  7. Luiz disse:

    Caro, Paulo Renato, por mais de uma vez, o Bernardinho procurou uma aproximação com o Ricardinho. Isso ficou exposto na imprensa em alguns momentos. Quem parece carecer de humildade mesmo é o ex-levantador da seleção, Ricardinho.

  8. Paulo Renato disse:

    É fato que algo sério aconteceu naquela ocasião do afastamento do Ricardinho, muito embora o técnico da seleção e os jogadores tenham tentado minimizar o assunto.

    Houve uma ruptura. Não sei dizer se seria algo que comprometesse a estrutura do time como um todo, mas no mínimo diminui a força do time, visto que aquela velocidade alucinante que a seleção brasileira de vôlei imprimia nos jogos ainda não deu as caras em Pequim.

    Ricardinho é o melhor do mundo em sua posição e hoje é, sim, insubstituível. Não há reserva à altura. E não é no Brasil, mas no mundo. Creio que o levantador seja, digamos, uns 40% do time e o responsável direto pela velocidade e variação das jogadas de ataque, a ausência do melhor do mundo fica muito evidente.

    Como líder, acho que Bernardinho incorreu no erro de não resolver o assunto, passando a responsabilidade desse ato somente para Ricardinho, que também deve ter a sua parcela de culpa. Acho que se o técnico do time o tivesse procurado Ricardinho para uma conversa franca – sem se deixar corromper pela fogueira de vaidades que o acometeu (também é fato, visto que pensa ser a Rainha da Inglaterra) – a situação seria resolvida e o time, como um todo, não estaria passando por esse perrengue danado.

    Só Bernardinho não reconhece isso. Faltou humildade a ele, em primeiro lugar. Como líder, é preciso pensar no grupo e não somente em si mesmo. Conversar com Ricardinho não seria sinal de fraqueza, pelo contrário. Mostraria até uma certa nobreza de caráter.

    Agora, estamos a mercê da sorte. Era uma medalha de ouro certa, mas que por pura falta de humildade, está escapando das mãos do Brasil.

    Lamentável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>