MENU

quarta-feira, 19 de agosto de 2009 - 15:42F-1

AS REGRAS

SÃO PAULO (tudo ajeitado) – A FIA divulgou hoje seus regulamentos para o ano que vem. Nenhuma grande novidade em relação a tudo que se esperava. Uma das bobagens previstas não passou, a proibição das mantas térmicas que aquecem pneus. É um negócio barato, prático e útil. E se todo mundo largasse de pneu frio, poderiam acontecer algumas batidas bestas. Além do mais, economizam-se algumas voltas de aquecimento com as mantas.

O sistema de pontuação foi mantido. Por um lado, é bom. Descarta-se outra bobagem, a proposta de Bernie Ecclestone de dar o título a quem conseguir mais vitórias. Já discutimos isso à exaustão em março, quando a ideia quase foi colocada em prática. Por outro, eu gostaria de um sistema que aumentasse a diferença entre o primeiro e o segundo colocado. Mas a FOTA só falou nisso por alto e nunca apresentou sugestão nenhuma, então fica como está.

Acabou o reabastecimento. Foram 16 anos seguidos de mangueiras nos boxes, equipamento caro e nem sempre muito confiável. Os pit stops vão continuar, para troca de pneus. Nunca vi grande vantagem no reabastecimento. Prefiro ver todo mundo largando com o mesmo peso. Aquela história de sair mais leve ou mais pesado mascarava as diferenças entre carros e pilotos e induzia a muitas cagadas dos engenheiros, prejudicando pilotos com menos voz ativa.

Por conta disso, os carros ficarão mais pesados, 620 kg de mínimo, porque os tanques serão maiores. O KERS continua opcional. Não gosto do KERS. Acho caro e desnecessário. Azar das equipes, que vão ter de continuar gastando nisso, porque quando funciona faz uma diferença brutal num duelo sem-KERS x com-KERS.

Por fim, a definição do grid. Com 26 carros, o Q1 vai eliminar os oito mais lentos, o Q2 degola mais oito e o Q3 terá os dez mais rápidos fazendo a classificação com pouquíssima gasolina no tanque, sem aquela história de treinar com o combustível que será usado na corrida.

É a melhor parte, embora óbvia, com o fim do reabastecimento. Teremos, de novo, os carros e pilotos mais rápidos largando na frente.

E aí. Gostaram?

100 comentários

  1. Marco Moreira disse:

    “Salvem a F1″

    Achei que com a virada do ano a F1 iria começar a década com alguma mudança nos carros mais olhem, estão mais feios do que nunca. Com quem será que podemos falar, chamar a atenção ou esbravejar, do autor do regulamento, o dono da F1…. Como não sei apenas posto aqui minha indignação. Salvem a Formula 1 dessas mentes perigosas.

  2. Marilia Compagnoni Martins disse:

    tchau reabastecimento… espero que nunca mais volte!

    pena que os treinos sem limite de voltas às sextas e aos sábados, ambos valendo, não voltaram…

  3. Dionisio disse:

    Bom dia Roberto, obrigado pelo comentário. Estou vendo que você entende do assunto. Quanto ao Nelsinho, você pode ter matado a charada. O Nelsão é muito amigo do Frank.

  4. Braulio Gerhardt disse:

    O que eu mais gostei foi o fim do reabastecimento. E nem tanto pela questão dos treinos, mas pela corrida mesmo. As ultrapassagens agora terão que ser feitas na pista e não nos boxes. Pode até acontecer de alguém ganhar alguma posição nas trocas de pneus, mas será algo eventual e não mais milimetricamente planejado.

  5. Claudio Aun disse:

    não vamos esquecer que fazer uma prova de 300 kilometros com estes motores beberrôes,,,,,,,,é o mesmo que ter limitador de velocidade, o ganhador será o que melhor poupar o equipamento, e não o mais rapido como é o conceito F1.
    Os motores quase não abrem o bico e aquelas quebras com a fumaceira do lancamento do motor quase não existe.

  6. Claudio Aun disse:

    O reabastecimento e troca de pneu nasceu de uma trolha que o PIQUET ( pai) em uma prova que estava liderando com mais de um minuto na frente da renault (Prost / Arnoux).Choveu e bandeira vermelha ,volta da prova faltando poucas voltas para completar,e o que era uma diferença descomunal ficou quase nada com o carro renault leve e pneus supermacios,ai ficou claro o caminho,para o esperto Piquet e seu ardiloso engenheiro Murray, que desenvolveram até liquido de freio para ser abastecido para alcançar o peso minimo do carro.Pode ter alguns esquecimentos nesta historia mas esta muito perto da realidade

  7. Atílio disse:

    É quase unanimidade não é? Tirando o Kers e aumentando para quatro pontos a diferença do primeiro para o segundo colocado, ficaria perfeito.

  8. Fabio Tust disse:

    Eu não gostei da mudança de regras, pois irá afetar novamente o desenvolvimento dos carros, pois o tanque maior não cabe no carro atual.
    Acho que está regra irá prejudicar as equipes menores em detrimento das maiores. Carro desenvolvido novo, KERS pra quem puder pagar, sem possibilidade de táticas de abastecimento… Acho que Brawn, Red Bull, etc irão sentir esta mudança. Acho que tem o dedo da Ferrari e McLaren nisso tudo.
    Acho que ano que vem voltamos ao grid “desmisturado”, uma pena.

  9. ALEX B. disse:

    Flavinho, isto nao deve ter sido coisa do caduco e nem do tarado, né? Só pode! Ser for assim mesmo, gostei e assino em baixo! ;)

  10. Andre Benevides - Fortaleza/CE disse:

    Depois dessa o posto BR aqui da esquina vai fechar.

  11. Fabio Luiz disse:

    Aprovo o fim do reabastecimento, era uma saco ganhar posição nos pits devido ao cálculo dos engenheiros, agora os pilotos terão que lidar com comportamentos distintos do carro mais pesado e mais leve com os pneus no bagaço, para melhorar que tal outro fornecedor de pneu?, quanto a claassificação tem que ser assim mesmo tanque vazio e caro no limite o resto fica por conta do “c” do piloto.

  12. Bruno Mantovanelli disse:

    A melhor época da F1 foram os anos 80, onde não havia reabastecimento. Isso vai ser ótimo para a disuputa na pista, coisa que desapareceu em 94.

  13. Paulo de Tarso Moraes disse:

    Boooom! Gostei!!!!

    Com exceção do KERS, que na minha opinão deveria ser banido…

    ah, e faltou tambem uma mudança na pontuação, com mais pontos para o 1º colocado!

  14. Roberto disse:

    Flavio,
    Só um palpite sobre o futuro do Nelsinho Piquet.

    Vai para Williams F1.
    Rosberg está certo na MacLaren.
    Piquet pai já acertou tudo com Frank.

    A conferir.

  15. Claudio Aun disse:

    pessoal pare com os comentarios que o expert João vai falar,,,,,,,,,,,,

  16. Após ler atentamente, reparei de um detalhe: Como serão os pneus no Q3? Porque no Q2 com certeza estarão com os mais macios. No Q3, se o o piloto usar os macios também ele terá que largar com um pneu que desgasta mais rápido principalmente com o carro pesado, e nisso vejo problema. Seria lógico usar o pneu duro para conseguir ficar mais tempo na pista. Concluindo: Ainda poderemos ter os melhores tempo na Q2.

  17. Rogério Gonçalves disse:

    Os carros vão iniciar a corrida com cerca de 250 litros de gasolina. Imaginem onde colocar esse volume em um carro de F1. Provavelmente os pilotos estarão sentados literalmente dentro dos tanques, pois para conseguir colocar toda essa gasolina o tanque ficará atrás dos pilotos, porém também nas laterais do cockpit. O tanque não poderá ser alto para não subir o centro de gravidade do conjunto e portanto será espalhado pelo assoalho do carro.

    250 litros de gasolina significam aproximadamente 160kg. Imaginem toda essa massa de gasolina na primeira curva!!!!

    Vai haver um desenvolvimento constante para conseguir uma gasolina que propicie uma economia de combustível (para carregar menos gasolina no tanque) e também buscar gasolinas mais leve (para diminuir o peso final do carro).

    Vão pressionar as petroleiras para desenvolver gasolinas melhores com a vantagem de não entrar no custo anual da equipe, pois o custo será absorvido pelo patrocinador.

  18. rubem rodriguez gonzalez disse:

    Para os izpescializtas de plantão fiquem tranquilo que os incêndios e explosões não estão associados a quantidade de combustivel que é carregado no automovel e sim da maneira que ele é carregadoe protegido, a quantidade de combustivel que hoje é transportada em um F1 é suficiente para incendiar e destruir todo grid.
    O que evoluiu foi a forma segura de transportar esse combustível e o reabastecimento era só mais uma forma insegura de lidar com o combustível, haja vista todas as medidas de segurança para o reabastecimento, agora só falta acabar com a troca de pneus também, é outra escrecência dessa F1 se alguém tem dúvidas assistam a uma corrida de motovelocidade e verão a emoção de verdade de se largar e chegar sem tomar conhecimento de trocas de pneus e reabastecimento, é o somatório de velocidade e adiministração do desgaste natural da maquina e seu consumo, o resto é gincana. Daqui a pouco vão sugerir uma corrida de ovo na colher quando o cara parar no boxe, por favor não confundam emoção com palhaçada e falta de proósito.

    Para os menos avisados e desinformados em geral:

    Apesar do incêndio espetacular e visualmente horripilante do acidente de Ronnie Peterson em Monza 78, ele não morreu torrado, assado ou sequer chamuscado. apesar de toda a plasticidade horripilante do acidente ele morreu em consequencia das horríveis fraturas nos membros inferiores que obrigaram os médicos a amputar um pé e cogitar a amputar a outra perna. a causa mortis do sueco voador foi EMBOLIA PROVOCADA PELO DESPRENDIMENTO DE PLACAS DE GORDURA NA REGIÃO DA FRATURA QUE ENTRARAM NA CORRENTE SANGUINEA.

    Portanto para quem não acompanhou o acidente ao vivo ( pela televisão) e toda a cobertura na época como eu, ao menos se dê a um pequeno trabalho de pesquisa antes de emitirem opiniões equivocadas e sem embasamento.

  19. Walter Terra Campos - Poa/Rs disse:

    Olá
    Não sei se a memória é que está falhando, pois tenho quase certeza de quem deu início ao reabastecimento foi o Nelson Piquet – na época ele dizia ser partindo com menos combustível e andando muito rápido compensaria a parada para abastecimento.
    Lembro que achei estranha a lógica, porém deu certo, tanto que nas provas seguintes outros pilotos também adotaram a prática.
    Até que ficou instiuido como regra, o que voltou a equilibrar os carros, passando a valer a rapidez em que era processado o abastecimento.

    Também não havia troca de pneus, elas ocorriam no caso de pneu furado ou de chuva.

    Também lembro que a manta térmica foi introduzida pelo Piquet.

    Em entrevista Piquet dizia que o ideal, em sua imaginação, era ter uma “casinha” que pudesse esquentar o carro todo.

    Assisto corrridas de F1praticamento desde o início das transmissões, tendo assistido ao vivo a primeira corrida no Brasil, 72, não contou pontos para o campeonato, depois em 74 GP da Argentina (Carlo Reutmann liderava e na metade da última volta, para gaudio dos brasleiros que lá estavam, ficou sem combustível, os argentinos sairam chorando do autodromo (argentino é muito emotivo), o Emerson quebrou, e o Moco eu não lembro se completou a prova.

    Depois assisti o GP do Brasil de 75
    Tudo sem reabastecimento e sem troca de pneu, sai e para ganhar tinha que ultrapassar e correr na frente, sabendo economizar no combustível.

    Se alguém souber como começo o reabastecimento que me informe.
    Abraços

  20. Mauricio disse:

    Muito melhor ter classificação com todo mundo leve, e ver quem é realmente o mais rápido.
    Mas também gostaria de um distanciamento maior entre a pontuação das posições.
    Acho que um dos grandes problemas da falta de ultrapassagem na F1 é o custo-benefício. Um cara que está em segundo, embolsando 8 pontos, vai colocar esses 8 pontos em risco para ganhar apenas mais 2?

  21. Abel disse:

    Maravilha. Deviam apenas dar mais 2 pontos ao vencedor 12 pontos e não 10 como atualmente. E acabar com esta tolice de usar 2 jogos de pneus diferentes obrigatoriamente. As equipes levariam até 2 jogos a sua escolha por fim de semana e usariam como lhes conviesse duarante corrida (chuva e intermediario continuaria como esta, é claro).

  22. dlmoreira disse:

    eu nuca gostei desse lance de reabastecer. piloto carrega o carro pesado, leve…

  23. Victor Leôncio disse:

    Já que vão ser 26 carros no ano que vem, então porque não dar pontos para os doze primeiros? A pontuação que eu sugeria era assim: 20 – 16 – 14 – 12 – 10 – 8 – 6 – 5 – 4 – 3 – 2 – 1. Com pontos de bônus para o autor da volta mais rápida (1 ponto) e o autor da pole-position (1 ponto). É do jeito da antiga CART, mas agora que vão ser 26 carros, é boa idéia!

  24. Cláudio Cardoso disse:

    A Fórmula 1 voltou ao normal. Regras como as do final dos anos 80 e início dos 90. Menos estratégias e mais habilidade dos pilotos.

  25. Francisco A. Lückmann disse:

    Pow… dá logo 12 pontos para o vencedor e 1 ponto para o pole-position… quero ver se não vai ter neguinho se matando por isso.

  26. Davi Ribeiro disse:

    AH! Eu gostava de ver algumas injustiças, tipo um piloto largar na frente só porque colocou menos gasolina. Isso criava uma confusãozinha no já tão previsível resultado das corridas…
    Em relação a esse aumento de participantes, só acho que vai aumentar o pessoal do pelotão do fundo. Porque uma coisa é colocar uma equipe na F1, outra bem mais complicada é ser competitivo o suficiente para andar na frente. Até no miolo vai ser complicado para estes novos times chegarem…

  27. Olá

    O KERs infelizmente funciona ao contrário do esperado.Na maioria das vezes exatamente ao contrário do esperado, pois serve para evitar ultrapassagens ao invés de facilitá-las.

    Os tanques maiores vão complicar a vida dos projetistas que recém estavam começando a digerir os novos carros desse ano, não sei se muda aerodinãmica, mas muda no mínimo o centro de gravidade e impacta no balanço do carro, que vai mudar a suspenão e trá-lá-la. Agora eu sempre usei o fórum desse blog pra expor meu ponto de vista. Tanque ainda maior + KERs, e as apólices de seguro de pilotos e mecânicos com certeza vai aumentar. Os homens bombas lá do oriente médio vão morrer de inveja, e não descarto algum deles se inscrever como piloto, pois se é pra explodir (mesmo que seja em nome de Deus) que seja divertido.

    As retirada das mantas traria muitos custos, pois o que daria de batidas…. E aí vem uma questão de segurança.

    O sistema de pontos foi sugerido timidamente pela FOTA 12-9-6 (ou sete) para os três primeiros acho, mas não tiveram a mesma força para forçar isso que tiveram para barrar o teto, curioso isso, não é?

    RodrigoBM

  28. Fábio Dalri disse:

    Achei bacana. Deve ser um ano melhor que este.

    Abraço!

  29. Silvio disse:

    Voltaram ao óbvio.
    Como no futebol em pontos corridos veremos um campeão da melhor equipe e piloto mais regular.
    O Mark Weber com a RBR serão fortes candidatos em 2010.

  30. Roberto disse:

    Bom dia Dionísio,

    Embora o acidente de Peterson tenha sido espetacular, ele não morreu das queimaduras (que não foram extensas). Ele morreu devido à uma embolia causada pelas múltiplas fraturas que sofreu nas pernas.

  31. Carlos Fraga disse:

    Eu discordo do fim do reabastecimento pelo fato de que sou a favor de tudo o que possa eventualmente “dar errado”, proporcionando que o camarada que está atrás possa se aproximar ou ultrapassar, evitando a monotonia.

  32. Roberto disse:

    Bom dia Dionísio,

    Embora o acidente de Peterson tenha sido espetacular, ele não morreu das queimaduras (que não foram extensas). Ele morreu devido à uma embolia causada pelas múltiplas fraturas que recebeu nas pernas.

  33. Rogério Carvalho disse:

    Fala FG, blz? aqui em Itu a maior cidade do mundo esta tudo bem, cara adorei as mudanças de regras, corrida de carro tem que ser assim o mais rapido na pole, só acho que teria que ganhar um pontinho pra dar uma valor mais declarado ao cara que foi o mais rapido nos treinos. abraço.

  34. Fabrício disse:

    Concordo em partes, acho que a pontuação deveria ser como nos anos 90. Para o Kers valer a pena acho que deveria ser disponível por uns 12 segundos por volta.

  35. Rafaelxic disse:

    Essa regra vai beneficiar piloto que souber explorar melhor seus pneus, nao vai ter sacanagem de equipe mandando piloto vir antes ou depois da hora p/ ajudar o piloto nº1 da equipe alterando estratégias(gp da Espanha).
    Flávio, não sou tão contra o Kers, se esse dispositivo da Williams funcionar não vai ter pra ninguém pois não usa baterias, não vai prejudicar equilíbrio do carro nem nada, e parece que a equipe será a única a usar o dispositivo, pois a FOTA fez acordo de não uso do KERS, se tiver errado peço sua correção.

  36. Claudio Aun disse:

    PARA ACALMAR O CHORO DA FERRARI, UM PIRULITO ELETRONICO PARA CADA INTEGRANTE DA EQUIPE,,,,,E VÃO CHORAR NA CAMINHA QUE É MAIS QUENTE

  37. Claudio Aun disse:

    DESCULPE SE ESTOU ENVIANDO DE NOVO, era só deixar como está os bolidos, e as equipes optarem por abastecimento ou troca de pneus juntos jamais.

  38. Carlos disse:

    O cara não vai mais poder encher o tanque durante a corrida. Vai correr o Q3 de tanque praticamente vazio, eae como ele vai fazer pra encher o tanque depois sendo que após os treinos os carros ficam num parque fechado até o grid de largada?

  39. Claudio Aun disse:

    querem baixar os custos,e não ter que desenvolver carros com novos conceitos ,era só optarem por dois tipos de pits , abastece ou troca os pneus,juntos nunca.Daria uma nova dinamica na corrida e deixaria o repetitivo matematico Galvão BObueno,,,mais tagarela ainda

  40. Rodrigo disse:

    Assim como não gostei da padronização dos pneus, não gostei do fim do reabastecimento. Acho que trazia uma variável a mais para a corrida. Demais, tudo bem…

  41. Júlio disse:

    Gostei das mudanças.

    Acho que a F-1 de hoje está preparada para elas, não creio que largar com o tanque cheio seja tão perigoso como há 30 anos atrás. E com a telemetria avançadíssima que se tem hoje, vai ser interessante ver como se comportarão os pilotos com relação ao consumo de combustível, o aumento ou diminuição de ritmo durante a prova será comum, aumentando as chances de vermos brigas e ultrapassagens em pista…

    Com relação ao treino, muito bom também, é bom ver o piloto mais rápido na frente, de verdade!! E a pontuação é justa, talvez se o pole position fosse premiado, ajudaria na disputa.

    No mais, gostei.

  42. Rafael Chinini disse:

    nossa, vão ter mesmo 26 carros! que milagre!!
    vai ser muito bom isso.

    Acho que ficar sem reabastecimento vai ser estranho demais…mas com certeza pode melhorar muito a qualidade da corrida.
    Não adianta…a F1 foi, enrolou, inventou, mas está voltando ao que era nos anos 80/90..pelo menos a época que eu acompanhava.

    So devia mudar a pontuação mesmo, dar mais valor ao 1º colocado.

  43. João Ferreira disse:

    Olha só Flávio, claro que sem o reabastecimento para economizar, foi melhor para a F1, mas com as corridas cada vez mais chatas, o reabastecimento definia quem ganharia a corrida ou mesmo o campeonato, então acho que devia continuar….

    Mas mudaria uma coisa, proibia o reabastecimento nos treinos classificatórios.

    Os pilotos teriam que encher o tanque no início de treino para durar o treino todo e começo da corrida. Com um tanque maior claro…

    Assim os mais rápidos ficariam mais leves, a volta mais rápida ficaria com o Pole Position, quem não fosse mais rápido na parte final do treino, poderia reabastecer para a corrida, com isso faria menos Pits.

    Os 10 primeiros teriam que montar a estratégia no sábado, antes do treino, colocar muito combustível ou apenas o suficiente?

    Assim os 10 primeiros teriam bem menos, já o restante vão completos, acho que assim, aumentaria a disputa na parte final da corrida.

  44. Marco disse:

    Se um carro, subitamente,começa a comer gasolina em demasia, esse carro terá que ser reabastecido para acabar a prova. Logo eu abria o reabastecimento só uma vez na prova,mas o carro teria de estar parado 15 segundos. Era uma janela emocionante de trabalho de táticas para os engenheiros. E corridas como hungaroring e barcelona podiam ser mais emocionantes
    De resto atribuía uma classificação para os primeiros 12 ou até 14 carros, pois acredito que um piloto que termina sempre em 12º é melhor que um que termina quase sempre em ultimo, e que por qualquer sorte de uma batida de outro carro, haja alterações com safety car, e esse piloto consiga um 6º ou 7ºlugar. Não demonstra a real capacidade do valor. Os americanos nisto são melhores que nós

  45. Samuel Lincoln M Barrocas disse:

    Gostei

  46. CARLOS HENRIQUE ZANATTA disse:

    Essa dupla de cartolas , deve renunciar mediatamente

  47. Dionisio disse:

    Um dos motivos que levaram a FIA adotar o abastecimento obrigatório ha 16 anos, foi tornar os carros mais seguros. Você se lembra da morte do Ronie Peterson, que morreu torrado ? Do acidente do Lauda que ficou deformado ? E tantos outros que explodiram ?

  48. Aliandro Miranda disse:

    Não gostei por não terem abolido o KERS e por acabarem com o reabastecimento. Queira ou não, reabastecer é estratégia, e estratégia faz parte do esporte, ainda mais de um onde muita gente trabalha ao mesmo tempo.

    Não dou nem três anos para o reabastecimento voltar, basta só acabar esta pindaíba mundial.

    E mais, desta vez tive a curiosidade — e o saco — de ler o regulamento esportivo todo. É muito engraçada a “ficha de inscrição” e as regras para admissão. Parece que basta mandar a papelada para a FIA, pagar 309 mil euros e aguardar pela aprovação da entidade. Parece mais simples do que se inscrever para campeonato de kart no Brasil.

  49. Aham disse:

    O Massa que deve estar feliz com o fim do reabastecimento. O pirulito eletrônico ainda ronda o sono dele…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>