MENU

terça-feira, 11 de setembro de 2012 - 19:19F-1

FORÇA NA FORCE

SÃO PAULO (boa sorte) - Depois de um mau fim de semana em Monza, Luiz Razia fez hoje um dia de testes com a Force India em Magny-Cours. Ferrari, com Jules Bianchi, e Mercedes, com Sam Bird, também participaram do primeiro dia de treinos para novatos. Essa atividade segue amanhã e depois. E depois do GP de Abu Dhabi. É a segunda sessão para calouros no ano. Em julho, HRT, Marussia e Williams andaram em Silverstone. É a chance de pilotos jovens andarem de F-1 e de as equipes experimentarem alguns moleques.

Razia sabe que depois desta temporada da GP2, seja campeão ou não, não pode permanecer na categoria. É seu quarto ano na turma, coisa demais. Se tem condições de guiar um F-1? Provavelmente sim. Mas só entra com grana, muita grana.

Ele tem grana, tem corrido com dinheiro do bolso familiar há bastante tempo. Nunca sei de onde vem tanto dinheiro. Em todo caso, é um bom piloto, o baiano, que está há bastante tempo na estrada. Mas desconfio que do atual lote da GP2 não vai sair ninguém muito espetacular. Talvez seja o menos promissor de todos. Basta ver a vitória de Luca Filippi em Monza no sábado, depois de um ano afastado da categoria.

O que pode ser apenas uma falsa impressão, claro. A GP2 é, desde sua criação em 2005, o principal celeiro de pilotos para a F-1. Atualmente, mais da metade dos que já largaram em ao menos um Gp em 2012 vieram dessa espécie de “Série B”, ou “Divisão de Acesso”. São 13 de 25, a saber: Hamilton, Rosberg, Grosjean, Pérez, Kobaysahi, Hülkenberg, Maldonado, Senna, Kovalainen, Petrov, D’Ambrosio, Glock e Pic. De todos os campeões, apenas Giorgio Pantano (2008) não está na F-1 — só para lembrar, os que ficaram com a taça foram Rosberg (2005), Hamilton (2006), Glock (2007), Hülkenberg (2009), Maldonado (2010) e Grosjean (2011). Outros sete egressos da GP2 chegaram ao topo mas já foram embora: Speed, Nelsinho, Buemi, Di Grassi, Chandhok, Yamamoto e Nakajima, e se esqueci alguém, me refresquem a memória. Da molecada que que poderia ter corrido e não correu, Vettel veio da F-BMW, Di Resta não cabia no carro e foi fazer carreira no DTM, e a dupla da Toro Rosso, Vergne e Ricciardo, cumpriu a trajetória imposta pela Red Bull, com passagens por várias F-3 e pelas categorias da Renault.

Ser campeão da GP2, portanto, é um bom cartão de visitas. Vice, também: seis deles chegaram à F-1 (Kovalainen, Piquet, Di Grassi, Senna, Petrov e Pérez). Mas não garante nada. Davide Valsecchi, por exemplo, pode conquistar o título em Cingapura e nem por isso enche os olhos de equipe nenhuma. Seu nome simplesmente não é falado no paddock, embora ele tenha sido “piloto de testes”, bem entre aspas mesmo, da Hispania em 2010 e da Lotus (atual Caterham) no ano passado — fez um treino de sexta-feira na Malásia pelo time verde. Razia também foi “piloto de testes”, igualmente entre aspas: da Virgin (atual Marussia) em 2010 e da mesma Lotus verde no ano passado, tendo andado nos treinos livres de sexta na China e no Brasil.

Ter participado dos testes da Force India hoje foi bom para o baiano. Foram 65 voltas e 0s4 de diferença para Bianchi, que tem feito quase todos os treinos livres pela Force India nesta temporada, mas é vinculado à Ferrari — para quem andou hoje. Ele já tem currículo, pode ficar com o título (é difícil, mas tem chances) e possui alguma experiência com carros de F-1. Fato é que a aposta Felipe Nasr, da Globo e de fortes patrocinadores, não virou neste ano. É apenas o décimo colocado, embora tenha sempre o fator “rookie” como atenuante.

Vejamos o que vai dar essa dupla brasileira (o terceiro da GP2, Victor Guerin, entrou no meio da temporada e está zerado). O futuro não é lá muito promissor.

45 comentários

  1. Gustavo Oliveira disse:

    Só torço para o Razia cair na real e ir fazer carreira profissional em outras categorias top, (WEC, Indy, DTM, SuperGt) e não ficar fazendo papel de bobo ao aceitar um cargo de “terceiro piloto” em qualquer time da F1, e depois de 2, 3 anos voltar para o brasil para largar em 23° na Stock Car.

    Sou contra essa profissionalização da Gp2, caras como Luca Filipi, Giedo Van der Garde, Davide Valsechi e o próprio Razia já deveriam estar ganhando dinheiro de verdade em outras categorias a muito tempo. Quanto mais veteranos como esses na pista, pior para os novos talentos e, consequentemente, pior para a F1.

  2. Luciano disse:

    Sair da GP2 e andar de HRT ou Marrusia nao é teste, é castigo!!!

  3. Antonio disse:

    Incrível como o pessoal torce contra os pilotos brasileiros.
    Se o Razia já era porque o chamaram para testar ? E está andando bem nos testes.
    O futuro não é promissor ? Temos dois pilotos na Formula 1 e dois sendo preparados.
    E se Nelsinho não tivesse feito merda, talvez estaria hoje aí na Formula 1
    Estamos melhor que França e Italia até então.

  4. Chico Luz disse:

    o Will Buxton, que há um tempo atrás editava aquela GPWeek e agora – pelo que eu entendi – é comentarista da GP2, defendeu esses dias no blog dele que o caminho para a GP2 é deixar de ser uma “feeder series” e se tornar algo profissional, na mesma linha das 250cc/Moto2 com relação à MotoGP.

    é uma boa análise e seria uma boa ideia, se a Moto2 hoje não fosse quase que formada apenas por postulantes à MotoGP. Mas acredito que valha uma leitura e uma reflexão: tem muito piloto que poderia fazer da GP2 uma carreira, e tentar potencializar isso.

    aqui o link: http://willthef1journo.wordpress.com/2012/09/05/poisoning-the-well-f1s-underlying-problem/

    • Gustavo Oliveira disse:

      Sou contra, isso pode acabar decretando o fim da Gp2, exatamente como aconteceu com a antiga F2 e com a F3000. Os veteranos é que deviam fazer carreira em outras series, no fundo, eles só tão travando todo o processo de renovação das categorias.

  5. Igor de Freitas Rosa disse:

    Existem muitos rumores mas a verdade é a seguinte:
    1. Massa fica na Ferrari por mais um ano esquentando o assento para o Vettel em 2014. Por causa disso o Perez não fechou contrato com a Ferrari por apenas 1 ano…para abafar a situação o presidente da Ferrari soltou na imprensa que o Perez ainda não esta pronto.
    2. Schumacher se aposenta ao fim de 2012.
    3. Hamilton na Merecedes em 2013, não há mais clima para a permanência dele na Mclaren.
    4. Perez pode pintar na Mclaren no lugar do Hamilton. O problema é o vínculo com a Ferrari. Massa negocia e Kovalainen pode retornar. Di Resta é o favorito caso Perez fique na Sauber, o problema é o seu vinculo com a Mercedes que a partir de 2014 pode não fornecer motores para a Mclaren.
    5. Force India fica com a dupla atual e uma vaga só será aberta se di Resta sair para a Mclaren (Razia negocia para ser titular, mas é provável que feche como piloto de testes e participar dos treinos de sexta). Bianchi é o favorito.
    6. Bottas e Maldonado na Williams.
    7. Sauber com uma vaga em aberto e duas se o Perez sair. Koba não é mais unanimidade no time (Senna, Kovalainen, Koba, Glock, Gutierrez (GP2), Sutil, Bianchi (World Series) estão na briga pela vaga). Nasr negocia para ser piloto de testes.
    8. Na Toro Rosso o Vergne não é unanimidade (Senna negocia e Razia através do Christian Horner pode aparecer). Uma coisa é certa, a Red Bull não vai subir nenhum nome das categorias de base, a “safra” esta com desempenho abaixo do esperado pela cúpula da Red Bull.
    9. Nanicas vão fazer leilão. Glock e Kovalainen ficam onde estão caso não arrumem coisa melhor.
    10. Renault fica com a mesma dupla.
    11. Red Bull fica com a mesma dupla, mas existe uma preocupação para 2014 pois Vettel irá para a Ferrari e Webber se aposenta.

    • David Félix disse:

      Só corrijo uma coisa, creio que a primeira opção da McLaren para a saída de Hamilton é Raikkonen, depois Di Resta e por último Perez.

    • Eduardo disse:

      Alonso (Que igualmente ao Senna, gosta de parceiros “mortos”) e Vettel na Ferrari (Que trabalha claramente para um piloto, pois assim tem maiores chances de ser campeã de pilotos, principalmente depois da seca dos anos 80/90, que só acabou quando apostaram tudo no alemão)? Não acho que nem a equipe nem o piloto tenham esse perfil… Alonso e um Zé Ninguém até o fim….
      Abraços

  6. Cleber disse:

    Sobre de onde vem o dinheiro, procure no BNDES sobre algumas empresas abertas que recebem incentivo da lei do esporte, empresas estas, destinadas a financiar carreiras de pilotos. Resumindo, o dinheiro vem do pobre povo brasileiro.

  7. ANA ELIZABETE disse:

    Julgamentos ao proximo compete somente a
    Deus. Muitos sao pobres de espirito!!!! Oremos por eles!!!!!!

  8. Murillo Sperandio disse:

    Fato é que a aposta Felipe Nasr, da Globo e de fortes patrocinadores, não virou neste ano.

    Pô Flavio, essa merecia uma materia especial na WARM UP, seria interessante saber mais sobre.

  9. Dionisio disse:

    O dinheiro deles vem da soja e do agro-negócio.

  10. Luiz Oliveira disse:

    Razia já era…..Deixou cair no chão a possibilidade de ser campeão……..Se conseguir na última prova será uma façanha incrível

    Qto a grana são “versáteis”……No ramo de “lavagens” então !!!!!!!!!

  11. Henri Chinaski disse:

    Na GP2 ninguém te lá grande experiência… Se o cara for bom dá pra andar na frente desde o começo e ganhar alguma corrida no primeiro ano. Acho que o Nasr poderia ter feito um “bonito” melhor.
    E esse papo de experiência tá meio distorcido. O Bruno Senna já tem quase 3 temporadas de F1 e até agora ainda rola desculpa de pouco tempo, Hispânia não contava… Se o cara é bom anda logo de cara. Vettel ganhou antes da 20ª corrida, e de Toro Rosso. Hamilton fez pódio em todas as primeiras 9 corridas de F1, se não me engano.

  12. Geraldo Soares disse:

    Bom Dia FG

    velho ontem não pude teminar meu cometário, pois estava no aeroporto e Milão e meu voo chamou
    Mas, como havia dito estive no GP de monza e dei uma passada no Paddock
    lá rolava algumas conversas entre pessaoas uniformizada e jornalista
    o que ouvi

    1 – Perez deve ser mesmo o substituto do Massa
    2 – Hamilton fechou com a Mercedes (mas uns falaram que ele fica se a Maclaren cobrir a proposta
    3 – Senna esta fora da Willians e negocia com Toro Rosso e Force India e pequena chance na Sauber
    3 – Massa negocia com Mclaren e Mercedes, mas um falou que a chance de Weeber se aposentar é grande e neste caso abri uma vaga que o Massa poderia estar
    4 – Nasr vai ser piloto de teste da Rede ou da Willlians

    agora paddock vc ja sabe!! rola de tudo e nem sempre eles acertam, mas se há fumaça pode haver fogo

    Abraços
    Geraldo

  13. Ricardo Arcuri disse:

    Dizer que Nasr nao é promessa é fechar os olhos para um menino promissor. Ele tem aquele tino que consagraram alguns genios do passado nas categorias de base, em especial a um brasileiro tambem. Ao mesmo tempo, sempre me lembro do Jan Magnussen, que ganhou tudo no começo e foi um nada no final.

    De qqer forma, vejo o Nasr como o melhor das promessas brasileiras. Vai ter de ter mais sorte ano que vem e mostrar resultados, mas nao consigo ver ninguem melhor do que ele para 2013.

  14. Maurício disse:

    Esqueçam. Desse mato não sai coelho.

  15. eduardo disse:

    esta temporada lembra a de 2000 na epoca dois veteranos brigavam pelo titulo os dois foram para a cart o brasileiro virou eterno vice campeão o frances brigou com todo mundo e ficou a pé o que salvou a temporada foram os dois novatos o frances terceiro foi tetra na cart e o espanhol quarto que fazia milagre com um carro muinto ruim é o melhor da F1

  16. Fabio Matos disse:

    Se essa geração é ruim, bom pro Rubinho!

  17. Antonio Contreras disse:

    O Felipe Nasr pode até ter essa atenuante de novato, mas o James Calado também é novato e chegou até Spa com chances do titulo da GP2 com 160 pontos com 3 vitórias, quase o dobro do Nasr 85 sem nenhuma vitória.

  18. Guilherme Zahn disse:

    Só como comentário: o Pantano chegou a correr de F1 sim, pela Jordan (acho que meia temporada), mas antes de ir pra GP2 (ou seja, já foi pra lá “veterano” e “queimado”)…

  19. Ricardo disse:

    Infelizmente o Felipe Nasr mostrou no ano de estréia da GP2 que está mais para Nelsinho Piquet do que para Hamilton.

  20. Roberto Mota disse:

    Bom garoto esse rapaz…a família Razia era grande incentivadora do automobilismo amador aqui no interior da Bahia..lembro-me bem nos “terródromos” de Vitória da Conquista as empolgantes disputas entre Razia pai e Franciosi,dentre outros.
    Creio que se esse menino tivesse a metade dos patrocínios e da “babação global”,já estaria fechando com uma equipe de F1.
    Razia é bom de volante!!!

  21. Rallyman disse:

    O grande problema da GP 2 é que a fila da Fórmula 1 não anda! Ali tem pelo menos uma meia dúzia que precisava sair. No entanto, é preciso entrar no mínimo numa Toro Rosso, pois Marússia, Caterham e HRT só servem mesmo para queimar um nome. Essas nanicas de hoje são terríveis, nelas nem Vettel, nem Hamilton e nem Alonso conseguiriam sequer ir ao Q2. Já não se fazem mais Minardis como antigamente, com as quais Alonso e Webber conseguiam deminstrar suas qualidades.

  22. Rodrigo Freitas disse:

    Sobre a família Razia também não sei de onde vem tanto dinheiro, mas vejam:
    http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5500037-EI5030,00-Alem+de+Valerio+operacao+prende+mae+de+piloto+de+testes+da+F.html

  23. PAULO PROFESSOR disse:

    NÃO TENHO CERTEZA MAS SE VC PASSAR EM BARREIRAS NA BAHIA VC VAI SABER DE ONDE VEM O DINHEIRO…UMA DAS REGIÕES (NOVA) MAIS PRODUTIVAS DO PAÍS. É LINDO VER A AGRICUTURA BOMBANDO NO INTERIOR BAIANO…DEVE SER DAÍ, DE BARREIRAS A LUÍS EDUARDO MAGALHÃES SÃO UNS 150 KM DE SOJA, ALGODÃO E SEI LÁ MAIS O QUE!!! AGRODINHEIRO

  24. Marcelo disse:

    Boa sorte a todos pilotos(sofredores) brasileiros nas categorias de base, quem dera nascer na Alemanha nessa hora, lá alemão investe forte em alemão!

    Tá complicado Gomes, nenhum piloto brazuka de base parece ser fora-de-série, pra piorar, ainda tem o fator grana. Mas vamos ser coerentes, o que o Brasil fez nos últimos 15 anos para formar um grande piloto pra chegar a Formula 1? As categorias de base no país estão as moscas…merecemos ter outro campeão mundial? Observe o que fizeram os alemães na era de “ouro” Schumacher, em vez de ficar no oba-oba passando vídeos endeusando o passado, investiram forte na nova geração de pilotos, o resultado esta na pista.

    Onde foi parar a RENOVAÇÃO na Formula 1? Bons pilotos brasileiros chegaram a categoria máxima nos últimos 15 anos, mas faltou apoio do seu lindo país, um bom exemplo é Di Grassi. Maldonado tem culpa de ter apoio de seu país? É gente investindo em sua gente, coisa mais natural do mundo, e se não fosse esse forte patrocinador do venezuelano a Williams estaria se arrastando na pista, com ela Bruno Senna.

    Bruno tem um pacotão de bons patrocínios(não dá para comparar com Maldonado, e também não sei porque pegam tanto no pé de Pastor por isso), uma delas a OGX é propriedade do bilionário Eike Batista. OGX é uma companhia de exploração e produção de óleo e gás natural. Bruno também tem apoio de duas marcas do grupo Procter & Gamble: a Gillette e a Head & Shoulders. Já a parceria de Bruno Senna com a Embratel começou em 2006, quando o brasileiro disputava a Fórmula 3 inglesa. Desde então, a empresa investe no piloto e apoia sua carreira. A MRV Engenharia e Participações S/A, também é patrocinadora do piloto na temporada 2012. O apoio do Santander Brasil a Bruno Senna, na verdade, é um reencontro. Os dois já foram parceiros em 2007 e 2008, quando o piloto atuava na GP2. Só não sei se algum patrocinador saiu e outro entrou, isso muda toda hora…

    Ninguém sabe o valor total desse pacote de patrocínios, mas estimam que seja em torno de 12,5 milhões. Eu nunca me preocupei com essa coisa de piloto pagante, pelo contrário, pilotos tem que ralar muito pra conseguir grana pra chegar a F1, se ele conseguiu é porque alguém deu valor. Fangio começou na F1 graças ao apoio do governo da Argentina, com Maldonado não é diferente ele tem apoio de Hugo Chavez, no final o que prevalece é o talento.

    A maioria dos pagantes só ficam na F1 até o dinheiro acabar. É bom lembrar que, essa imbecilidade de chamar de pagante começou justamente na boca dos pachecos daqui, fizeram isso com raivinha de alguns pilotos brazukas perderem vaga para pilotos de outros países que vieram mais $ preparados $. Na F1 metade do grid para trás na maioria a vaga sempre foi arrumada através de grana ou influência política, isso sempre existiu na F1.

    Alguns pagantes ainda conseguem se destacar e arrumam uma vaguinha em time de ponta, geralmente como segundo piloto declarado(raríssimos são os casos em que dois pilotos do mesmo nível dividem o time, maioria acaba em brigas). Pelo menos, se livram do título de piloto pagante, passam a receber melhor salário e disputar posições a frente, mas isso não quer dizer que lidera o time até os títulos.

    Um bom exemplo é Barrichello, ele também entrou como pagante na F1 e ficou nessa situação por 7 anos até 1999. O vídeo abaixo comprova que Rubens também levava um generoso patrocinador para a Jordan.

    Assista à íntegra da entrevista de Rubens Barrichello (1995)
    http://www.youtube.com/watch?v=2V0vVKYn7HQ

    Esse valor de 3,5 milhões que Rubens conseguiu com a Pepsi em 1995, não tem diferença do caso de Bruno que leva cerca de 12,5 milhões na Williams. Rubinho na Jordan teve forte apoio da Arisco e Pespi, na Stewart o patrocinador principal era a Davene. Curioso foi Rubinho criticar duramente os pagantes(Bruno) ao final de 2011.

    Barrichello critica pilotos que pagam por uma vaga no grid
    http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2011/noticias/0,,OI5491408-EI17068,00-Barrichello+critica+pilotos+que+pagam+por+uma+vaga+no+grid.html

    “A F-1 já foi formada por talentos natos, mas hoje tem gente pagante que não chegaria em tempos anteriores”, disparou.

    Pois é Rubinho, mas Maldonado venceu uma corrida na Williams, isso vc nunca conseguiu na Jordan e Stewart. E Rubinho pra conseguir a vaga na KV, teve que levar um bom patrocionador, portando esta pagando para correr na Indy.

    Diretor da Williams afirma que dinheiro não é suficiente para manter piloto na F1 por muito tempo:
    http://grandepremio.cloudapp.net/f1/noticias/diretor-da-williams-afirma-que-dinheiro-nao-e-suficiente-para-manter-piloto-na-f1-por-muito-tempo

    “Eu acredito que um piloto com dinheiro e moderadamente talentoso pode entrar agora na F1. Mas ele nunca vai pilotar o carro no limite como alguém talentoso desde o nascimento”, explicou. “Percepção e inteligência de um piloto são coisas que você pode ver ao longo de uma corrida”

    Muito curioso, no momento a Williams tem um piloto lento e outro trapalhão, mas o trapalhão ainda pode mudar de atitude, já o lento não tem solução.

    Maldonado é muito veloz, mas se não mostrar inteligência e consistência não vai longe! Dos pilotos em equipe do meio do pelotão, Pastor e Bruno sequer são mencionados pra possível vaga em time de ponta(como segundo piloto, com o tempo se mostrar talento e puxar o time pra seu lado, Massa vez isso na Ferrari em 08).

    Por outro lado, se Perez, Hülkenberg, Di Resta e porque não Kobayashi forem para equipes de ponta. Pilotos com menor expressão podem pegar suas vagas. Maldonado leva uma boa vantagem em cima de Senna porque leva um patrocícino três vezes maior, com a saída de Rubens em 2011 Pastor exigiu a condição de primeiro piloto. Melhor coisa para Bruno seria ficar de olho em uma vaga na Sauber ou F.India, com bom patrocinador ele poderia disputar em condição mais igual ao companheiro. Problema é Bruno pegar um companheiro como Perez ou Hülkenberg…o sobrinho vai sofrer na disputa, ele nem consegue bater Maldonado na tabela.

    Após o GP da Espanha, o placar estava Maldonado 29 x 14 Bruno, desde então após 8 provas o venezuelano não marcou nenhum ponto. Daquela diferença de 15 pontos, Bruno só tirou 11…é muito pouco. O sobrinho vai ter que arrumar mais grana se quiser desbancar Bottas no time, o problema é que F.Williams esta implorando por um fora-de-série ao volante. Bottas pelo que fez nas categoria de base, pode ser uma boa alternativa:

    2008-Campeão da Formula Renault 2.0 Eurocup
    2008-Campeão da Formula Renault 2.0 NEC
    2009-Vencedor do Masters of Formula 3
    2010-Vencedor do Masters of Formula 3
    2011-Campeão da GP3 Series
    http://en.wikipedia.org/wiki/Valtteri_Bottas

    Putz, não é a toa tanto oba-oba em cima o muleque, ele fez o “diabo” nas categoria de base, lembrou o Nico Hülkenberg.

    2005-Campeão na Formula BMW ADAC
    2006-Campeão na A1 Grand Prix
    2007-Campeão na A1 Grand Prix
    2007-Vencedor do Masters of Formula 3
    2008-Campeão na Formula 3 Euro Series
    2009-Campeão na GP2 Series
    http://en.wikipedia.org/wiki/Nico_H%C3%BClkenberg

    Não é só grana não Gomes, o cara tem mostrar que é muito bom…complicou ainda mais! Tava vendo Bruno nas categorias de base(e ele disputou vários campeonatos), o link abaixo explica muita coisa.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Bruno_Senna

    Estou com vc Gomes, o futuro não é lá muito promissor, mas nem tudo esta perdido, o Galvão sempre vai exigir aqueles vídeos mata-saudade-pachecos antes da provas…rs

    Hilário foi a Globo esquecer o Rubinho em um dos vídeos, Galvão guspiu fogo de raiva…ri muito!!!

    • David Félix disse:

      Realmente o futuro não é promissor e pachequismos a parte acho a imprensa e a torcida um pouco injusta com o Bruno…

      O Maldonado pode não ser espetacular, tirando o seu passado duvidoso como piloto com diversos fatos condenáveis – atropelart fiscal em bandeira amarela / bater em outros pilotos com bandeira vermelha – ele pisa fundo… porém, foi publicada recentemente uma análise em que nos 31 GPs disputado pelo venezuelano, em 17 ele se envolveu em acidentes e confusões de algum tipo…

      A verdade é que aquela vitoria na Espanha, tem se mostrado a cada prova mais irreal…

      A diferença de equipamento existe entre os dois, isso justificaria o fato do Bruno tomar tempo dele nos treinos, porém, se voce analisa a temporada os dois pilotos da Williams completaram 7 corridas juntos, delas, Bruno terminou 5 a frente de Maldonado, ou seja, nas posições de chegada o Bruno na pista ficou a frente e tem sido mais consistente que o Maldonado…

      http://en.wikipedia.org/wiki/2012_Formula_One_season

      No ano passado, mesmo tendo disputado menos provas que Maldonado, Bruno terminou a frente do venezuelano nos pontos…

      Bottas é muito bom, olhando o curriculum dele dá pra se perceber que o menino tem talento, mas a verdade é que categorias de base são uma coisa, a F1 é outra completamente diferente, dos pilotos de ponta, quais tem um curriculum de base impecável e não é pagante ?

      Até o Dick Vigarista teve ajuda da Mercedes pra estrear na Jordan em 1991

      Vettel – foi campeão da F-BMW e mais nada
      Button – campeão da F-Ford
      Raikkonen – campeão da F-Renault 2000
      Alonso – venceu a F-Nissan
      Webber – nunca venceu um campeonato de base
      Rosberg – venceu a F-BMW e a GP2

      Ou seja, nem sempre um curriculum polpudo e cheio de títulos nas categorias de base serve de algo na F1

      O sábio e penta Fangio já dizia…

      “Pra ganhar campeonatos, voce tem primeiro que terminar corridas…”

  25. pois é FG, tá difícil as categorias tops para os brasileiros. sei que você não acompanha de perto a motogp, mas lá teve outra aposta que acho não virou este ano. O Eric Granados que chegou fazendo muito barulho, não sei se foi dele ou da imprensa, depois de algumas corridas à Moto2 e até agora sempre esteve entre os 5 do fundão.

    acho que o pessoal pensa que se é bom nas categorias nacionais, vai arrebentar lá fora. não sempre acontece…

  26. Paulo Z disse:

    No site da Autoesporte ( acho ) tem uma reportagem falando da geração Y, que não é muito chegada em automóvel…talvez esteja aí também a resposta pro desinteresse brasileiro na F1…eu mesmo sou motivo de chacota entre meus amigos por acompanhar a F1 com tanto interesse e já estou de saco cheio pra falar a verdade..rs

    • Ivandro Corrêa disse:

      Antigamente já se aprendia a dirigir com o pai desde cedo (meu caso), e acho que isso gera maior interesse por carros do que começar a fazer auto-escola (que na minha opinião não ensina muita coisa não) com 18 anos.

  27. MTP disse:

    Para um rookie em uma categoria que não se testa no meio da temporada, o Felipe Nasr tá fazendo muito. Acho o comentário meio exagerado…
    No ano que vêm, para onde ele traçou a sua meta de título, é que vai ser decisivo mesmo…
    E o Luiz Razia talvez faça o mesmo (ou um pouco mais) do que o Bruno Senna. Detalhe: A Force India tem patrocinador brasileiro e, como a equipe parece não estar tão nadando em dinheiro, isso pode ser um randicap para ele. Mas, isso depende de vários fatores: a saída de Hulkemberg ou di Resta para a Mercedes e o Jules Bianchi indo para o lugar do Perez na Sauber…

  28. Marcos disse:

    Talvez seja daqui os dinheiros
    http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5500037-EI5030,00-Alem+de+Valerio+operacao+prende+mae+de+piloto+de+testes+da+F.html

  29. Deusdethe disse:

    Vejo a Globo e o Sportv (inclusive o próprio Lito Cavalcati que gosto muito de sua analise) forçando a barra para o lado do Felipe Nasr e esquecendo o Razia que estava lá na frente, nunca entendi o por quê, já que até agora não vi ele fazer nada demais.

  30. Ronald Wolff disse:

    Só como estatística…senão me engano, o Luca Fillipi, foi o primeiro vencedor de GP2 desde seu início, lá nos idos de 2005, e venceu domingo passado de novo, e nunca foi cogitado para a F1. Ele voltou agora, para tentar uma carreira nos EUA, mas não vingou…

  31. Fabio Pansieri disse:

    Comentário modo “pá de cal”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>