MENU

terça-feira, 8 de outubro de 2013 - 17:39Foto do dia

FOTO DO DIA

Outro dia falamos aqui de placas. Buscávamos a primeira da série com três letras. Está aí. Alguém conhece o carro pessoalmente?

aaa0001

73 comentários

  1. Giovanni disse:

    Esse XR3 conversível da foto eu não sei, porém um exatamente dessa cor e conversível, posso afirmar categoricamente que a primeira placa cinza do Maranhão foi a minha HOL-0001. E ele está no Rio Grande do Sul até hoje, desde que o vendi.
    É só checar no Sinesp Cidadão.

  2. Sempre tive curiosidade se esse carro havia sido preservado ou se tinha sido comprado por alguém que iria usa-lo normalmente. Pois é, está ai!

  3. Cleber disse:

    Olha, por nada não, mas até onde sei o Ford Escort XR3 das placas AAA-0001 é de cor vermelha.

  4. André disse:

    Não confiem cegamente na Wikipedia, não existe nenhuma 2a. sequência SAV em São Paulo. É cascata. Aqui os mais novos começam com FM_ e FN_, sequer começou a inicial G, vai levar uns anos ainda pra acabar a 1a. sequência.
    Alguém deve ter descoberto que Saveiros mostradas em comerciais da Volks tinham legalmente as placas que apareciam com essa combinação aí não pensou 2 vezes e botou na Wikipedia.

  5. sr. X disse:

    Tive um igual esse…

    Vou resumir, foi um desgosto….

  6. Marcelo Melo disse:

    Não li os outros comentários e pode ser que eu esteja escrevendo besteira, mas me parece que a foto é montagem. Os números e letras da placa estão muito mais legíveis do que a sigla do estado e o município.

    Sei lá… mas parece montagem.

  7. Ricardo Sandri disse:

    Pelo que eu lembro não começou tudo ao mesmo tempo não. Em SP carros zeros apartir de 1992 começaram a sair com a placa cinza de tres letras.

    Mas no PR sei que começou antes.

    Em 1998 teve a obrigatoriadade dos placas amarelas trocarem pelas novas placas. Nesse ano minha caravan comodoro 1987 que tenho até hoje passou de SG 0303 para CVH xxxx.

  8. Luiz Fernando disse:

    Flávio,
    Este carro pertence ao Jaime Filho, da Cicles Jaime. Está muito pouco rodado. Ele somente dá uma volta na quadra uma vez por semana com ele. Na loja dele existe uma coleção de bicicletas antigas.

  9. andre margulies disse:

    a historia das placas pelo mundo
    http://www.worldlicenseplates.com/

  10. Vocês que sabem tudo de placa, quem é que tem a placa Santo Graal dos Nerds, a NCC1701?

  11. antonio mariano disse:

    é um Ford Escort 1.8 XR3 1990 – cor cinza, em Curitiba ainda, fala-se que pertence ao Cicles Jaime…

  12. eraldo.a disse:

    Sempre achei conversível carro de chifrudo.

  13. Mauricio disse:

    Já vi esse carro sim. Ainda existe?
    Eu tinha um gêmeo, branco, mesmo modelo e ano. Que saudade. Não andava nada mas era muito gostoso de dirigir.

  14. Carlos Cwb disse:

    AAA 0001 a BEZ 9999 Paraná (PR)
    BFA 0001 a GKI 9999 São Paulo (SP)
    GKJ 0001 a HOK 9999 Minas Gerais (MG)
    HOL 0001 a HQE 9999 Maranhão (MA)
    HQF 0001 a HTW 9999 Mato Grosso do Sul (MS)
    HTX 0001 a HZA 9999 Ceará (CE)
    HZB 0001 a IAP 9999 Sergipe (SE)
    IAQ 0001 a JDO 9999 Rio Grande do Sul (RS)
    JDP 0001 a JKR 9999 Distrito Federal (DF)
    JKS 0001 a JSZ 9999 Bahia (BA)
    JTA 0001 a JWE 9999 Pará (PA)
    JWF 0001 a JXY 9999 Amazonas (AM)
    JXZ 0001 a KAU 9999 Mato Grosso (MT)
    KAV 0001 a KFC 9999 Goiás (GO)
    KFD 0001 a KME 9999 Pernambuco (PE)
    KMF 0001 a LVE 9999 Rio de Janeiro (RJ)
    LVF 0001 a LWQ 9999 Piauí (PI)
    LWR 0001 a MMM 9999 Santa Catarina (SC)
    MMN 0001 a MOW 9999 Paraíba (PB)
    MOX 0001 a MTZ 9999 Espírito Santo (ES)
    MUA 0001 a MVK 9999 Alagoas (AL)
    MVL 0001 a MXG 9999 Tocantins (TO)
    MXH 0001 a MZM 9999 Rio Grande do Norte (RN)
    MZN 0001 a NAG 9999 Acre (AC)
    NAH 0001 a NBA 9999 Roraima (RR)
    NBB 0001 a NEH 9999 Rondônia (RO)
    NEI 0001 a NFB 9999 Amapá (AP)
    NFC 0001 a NGZ 9999 Goiás (GO) 2ª sequência
    NHA 0001 a NHT 9999 Maranhão (MA) 2ª sequência
    NHU 0001 a NIX 9999 Piauí (PI) 2ª sequência
    NIY 0001 a NJW 9999 Mato Grosso (MT) 2ª sequência
    NJX 0001 a NLU 9999 Goiás (GO) 3ª sequência
    NLV 0001 a NMO 9999 Alagoas (AL) 2ª sequência
    NMP 0001 a NNI 9999 Maranhão (MA) 3ª sequência
    NNJ 0001 a NOH 9999 Rio Grande do Norte (RN) 2ª sequência
    NOI 0001 a NPB 9999 Amazonas (AM) 2ª sequência
    NPC 0001 a NPQ 9999 Mato Grosso (MT) 3ª sequência
    NPR 0001 a NQK 9999 Paraíba (PB) 2ª sequência
    NQL 0001 a NRE 9999 Ceará (CE) 2ª sequência
    NRF 0001 a NSD 9999 Mato Grosso do Sul (MS) 2ª sequência
    NSE 0001 a NTC 9999 Pará (PA) 2ª sequência
    NTD 0001 a NTW 9999 Bahia (BA) 2ª sequência
    NTX 0001 a NUG 9999 Mato Grosso (MT) 4ª sequência
    NUH 0001 a NUL 9999 Roraima (RR) 2ª sequência
    NUM 0001 a NVF 9999 Ceará (CE) 3ª sequência
    NVG 0001 a NVN 9999 Sergipe (SE) 2ª sequência
    NVO 0001 a NWR 9999 Goiás (GO) 4ª sequência
    NWS 0001 a NXQ 9999 Maranhão (MA) 4ª sequência
    NXR 0001 a NXT 9999 Acre (AC) 2ª sequência
    NXU 0001 a NXW 9999 Pernambuco (PE) 2ª sequência
    NXX 0001 a NYG 9999 Minas Gerais (MG) 2ª sequência
    NYH 0001 a NZZ 9999 Bahia (BA) 3ª sequência
    OAA 0001 a OAO 9999 Amazonas (AM) 3ª sequência
    OAP 0001 a OBS 9999 Mato Grosso (MT) 5ª sequência
    OBT 0001 a OCA 9999 Pará (PA) 3ª sequência
    OCB 0001 a OCU 9999 Ceará (CE) 4ª sequência
    OCV 0001 a ODT 9999 Espírito Santo (ES) 2ª sequência
    ODU 0001 a OEI 9999 Piauí (PI) 3ª sequência
    OEJ 0001 a OES 9999 Sergipe (SE) 3ª sequência
    OET 0001 a OFH 9999 Paraíba (PB) 3ª sequência
    OFI 0001 a OFW 9999 Pará (PA) 4ª sequência
    OFX 0001 a OGG 9999 Paraíba (PB) 4ª sequência
    OGH 0001 a OHA 9999 Goiás (GO) 5ª sequência
    OHB 0001 a OHK 9999 Alagoas (AL) 3ª sequência
    OHL 0001 a OHW 9999 Rondônia (RO) 2ª sequência
    OHX 0001 a OIQ 9999 Ceará (CE) 5ª sequência
    OIR 0001 a OJK 9999 Maranhão (MA) 5ª sequência
    OJL 0001 a OJQ 9999 Sequências ainda indefinidas
    OJR 0001 a OKC 9999 Rio Grande do Norte (RN) 3ª sequência
    OKD 0001 a OKH 9999 Sequências ainda indefinidas
    OKI 0001 a OLG 9999 Bahia (BA) 4ª sequência
    OLH 0001 a OLN 9999 Tocantins (TO) 2ª sequência
    OLO 0001 a OMH 9999 Minas Gerais (MG) 3ª sequência
    OMI 0001 a OOF 9999 Goiás (GO) 6ª sequência
    OOG 0001 a OOU 9999 Mato Grosso do Sul (MS) 3ª sequência
    OOV 0001 a ORC 9999 Minas Gerais (MG) 4ª sequência
    ORD 0001 a ORM 9999 Alagoas (AL) 4ªsequência
    ORN 0001 a OSV 9999 Ceará (CE) 6ª sequência
    OSW 0001 a OTZ 9999 Pará (PA) 5ª sequência
    OUA 0001 a OUE 9999 Piauí (PI) 4ª sequência
    OUF 0001 a OVD 9999 Bahia (BA) 5ª sequência
    OVE 0001 a OVF 9999 Espírito Santo (ES) 3ª sequência
    OVG 0001 a OVG 9999 Acre (AC) 3ª sequência
    OVH 0001 a OVY 9999 Espírito Santo (ES) 4ª sequência
    OVZ 0001 a OWG 9999 Rio Grande do Norte (RN) 4ª sequência
    OWH 0001 a PED 9999 Sequências ainda indefinidas
    PEE 0001 a PFQ 9999 Pernambuco (PE) 3ª sequência6
    PFR 0001 a PGK 9999 Pernambuco (PE) 4ª sequência
    PGL 0001 a PHE 9999 Pernambuco (PE) 5ª sequência
    PHF 0001 a SAU 9999 Sequências ainda indefinidas
    SAV 0001 a SAV 9999 São Paulo (SP) 2ª sequência
    SAW 0001 a ZZZ 9999 Sequências ainda indefinidas

  15. Fernando Monteiro disse:

    Belo carro, mas conversíveis no Brasil eram um problema devido a falta de rigidez estrutural. Os fabricantes não se esmeravam em reforçar corretamente. Esses carros não suportavam as forças torcionais que eram submetidos e em pouquíssimo tempo tinham graves problemas, sem contar as vedações deficientes. Todos os nacionais conversíveis da época tinham esses problemas.

    • Bosley de La Noya disse:

      Acho que você deveria se informar melhor…
      O Escort tinha diversos reforços no monobloco que inclusive o tornavam bem mais pesado que a versão com capota de aço. Também não entrava água não, bastava manter as borrachas em ordem e limpas com glicerina ou silicone. Se esses carros tinham problemas tão graves como você relata, não veríamos ainda tantos Escort e Kadett em uso e em diversas coleções de carros antigos.

      • Romeno disse:

        O meu conversível, 1991, não entra água.

      • gilberto disse:

        Fernando, falou uma besteira tremenda agora. Procure pesquisar e se informar, ao invés de repetir o que escuta dos outros. Esses carros nunca tiveram os problemas que você mencionou, sem contar que quem faziam as carrocerias eram a Karmann no Escort e a Bertone no Kadett. Inclusive o Kadett era fabricado aqui, enviado para a Itália e voltava conversível.

      • Fernando Monteiro disse:

        Vc encontra por “tantos Escort’s e Kadett’s CONVERSÍVEIS em uso por aí !!?? Sobre vc dizer que eu deveria me informar melhor, acredito então que vc deva ser da área de engenharia automotiva ou então tem problemas de leitura e interpretação de textos, caso corriqueiro aqui no blog. Eu disse que os fabricantes nacionais reforçavam seus modelos conversíveis, mas não da maneira adequada, como deveria ser, e esses carros sofriam sim de problemas torcionais com o tempo de uso. Tive um e não só eu como muitas pessoas que possuíam tal modelo reclamavam muito com a Ford devido a abertura das portas no primeiro estágio do trinco quando passávamos em pisos irregulares. Bastava colocar quatro passageiros e o carro virava um sinfonia de ruídos. Sofria com o meu na Região dos Lagos. Quanto a vedação, até concordo com vc, realmente não entraria água no meu se eu tivesse perdido grande parte dos meus dias vivendo para o carro na divertida tarefa de passar glicerina e silicone naquelas borrachas todas. Obs1: Os modelos europeus tinham um reforço estrutural muito mais elaborado e não padeciam desse martírio. Obs2: A revista 4 Rodas estampou em letras gigantescas ” Este carro não vale a pena” ao final do teste de 60.000 Km. E não valia mesmo. Volto a dizer: falo do modelo CONVERSÍVEL. Descrevo aqui parte da matéria:

        Matéria publicada originalmente na Revista Quatro Rodas.
        Foram 26 meses de motor fervendo, barulhos na suspensão, sucessivas panes elétricas, infiltração de água e motoristas deixados a pé. O desmonte só veio confirmar o que já era uma certeza: nem mesmo todo o prazer de dirigir um conversível seria capaz de superar tantos aborrecimentos

        O Escort passou a ser pra mim, um prazer imenso. Um orgulho. Evoluiu de um ódio sem fundamento para um amor inexplicável. Um motivo pra acordar cedo no sábado e me misturar a mecânicos, entrar e sair de lojas, enfrentar a fila do lava a jato. Um motivo pra estar lá, naquele mundo machista, recebendo olhares de desprezo e chacota e mesmo assim não me abalar, pois eu estava cuidando da minha jóia. E como isso é prazeroso! A sensação de sentir que ele te retribui cada minuto que você gastou no eletricista tentando descobrir porque a luz da bateria insistia em acender. Ele vale o esforço. Ele vale muito mais que isso.

        Uma visita a oficina autorizada a cada 6000 km rodados – media que cai para 3750 km, se incluídas seis revisões e cinco reparos de funilaria pós-acidentes.
        Exatos 138,5 dias parado para reparos, em 775 dias de uso (17,9% do tempo decorrido desde a data da compra, como se observa pelo gráfico que margeia a reportagem).
        Complicações elétricas que, por 22 vezes em 26 meses (quase uma a cada quatro semanas), deixaram os motoristas a pé. Como você se sentiria se fosse o proprietário de um carro que causasse tantos aborrecimentos? Pois todas as situações descritas aconteceram com o Escort 2.0i XR3 Conversivel de Quatro Rodas.

        “É preciso muito amor para ter um carro como esse” concluiu o consultor técnico Valter Nishimoto, que acompanhou o Ford e realizou o desmonte. ”
        Abraços Sr. Bosley.

      • Bosley de La Noya disse:

        Falou o especialista em carrocerias…

        Por acaso, trabalhei na Karmann Ghia de 1987 a 1996. Acho que vi um pouquinho como esses carros eram fabricados. Mão de obra, materiais e controle de qualidade. Tudo de primeira linha.

        Agora se basear na Quatro Rodas para malhar o carro, prefiro nem comentar. Continue lendo sua bíblia automotiva.

      • O Fernando não baseou apenas no teste de longa duração da 4 Rodas, mas também em sua experiência pessoal com um veículo do modelo.

  16. Mauricio disse:

    Meu querido vizinho pexeiro, tinha uma variant laranja com a placa BR0001.
    Ele vendeu peixe no porta-malas em cima do motor da variant por uns 30 anos, e sustentou a sua família de 7 filhos assim.
    Saudades do seu Antonio Pexeiro de São Caetano do Sul.

  17. Leandro Castro disse:

    E quem será o ZZZ-9999?

  18. Julio disse:

    Flavio, dá uma olhada nos comentários desse post do seu blog mesmo: http://flaviogomes.warmup.com.br/2007/08/placas-do-mundo-todo/
    A filha do dono desse carro comentou nele…

  19. Ernesto Longhi disse:

    Não me faça rir… Um carrão desses com uma placa dessas? “Arrumou” no Detran, justamente por ser a primeira. Tem gente que quer ser o primeiro até em comentar postagem em blogs e vídeos do Youtube. Têm de tudo…

  20. lincoln falcao disse:

    sorte deu esse cara, agora imagina o azar do sujeito que pegou a placa GAY 2424… nesses dias de hoje vale uma baba no “mundinho”

  21. Thiago Sabino disse:

    Sei que não tem muito a ver..

    Mas que saudades da placa GD-9970 do Dodginho do meu pai. Amarela, com o carro marrom-iguaçu…

    Sorte que ele conseguiu ficar com a placa dianteira, que está em casa.

    Essa placa ficou muito bem combinada com o carro. Ícone total.

  22. Muito bonito, carro dos meus sonhos de época pré-importação. Meu pai teve a placa OO-0002, em um Ford Itamaraty. Alguém sabe se existiram muitos Ford Itamaraty? Todos os que vejo são Willys.

  23. Luc Monteiro disse:

    Só eu achei essa placa uma montagem de computador grotesca?

  24. Banana Joe disse:

    Não teve uma AAA0000 que era de um Ford Verona?
    Lembro que as primeiras placas foram leiloadas, com verba revertida para uma instituição de caridade estatal ( se não me engano PROVOPAR ).

  25. Giovanni Grazinoli disse:

    Fui dono do primeiro carro placa cinza do Maranhão HOL-0001.Por acaso era um XR3 1.8 1990 conversivel exatamente como esse da foto. Caramba que coincidência. Me parece que ele está na ativa até hoje no Rio Grande do Sul. Alguém saberia??

  26. Matteoni disse:

    Eu compraria este carro.

  27. Mavex disse:

    Me lembro da placa AAA0007 era de um opala 73/74 branco da cidade de cascavel, um amigo comprou por lá no ano de 1991 e transferiu aqui pra são paulo. Virou a atração por onde passava, todo mundo perguntava sobre a placa

  28. Zé Bigorna disse:

    Achei que a primeira fosse AAA 0000.

  29. Rodrigo Abreu disse:

    Tive um exatamente igual, só que fechado. Ano 91, AP, cor Cinza Jaguar.

    Carro maravilhoso, vendi para um cara extremamente caprichoso, de São Leopoldo-RS e o auto continua zerado e original.

  30. Mario Mesquita disse:

    Sensacional o XR.

  31. FERNANDO LACERDA disse:

    photoshop..

  32. Daniel disse:

    Este lindíssimo conversivel 90 é do Jaime, dono da Cicles Jaime, em Curitiba. Aliás o XR3 conversivel deveria estar na lista “must drive” de qualquer entusiasta, para entender e apreciar o resultado da ousadia de uma grande fabricante oferecer um conversivel em série fabricado no Brasil, coisa que não temos desde 1995.

  33. Eric disse:

    O que sei é que foram leiloadas essas primeiras combinações. E essa acima é até hoje do mesmo cara, da loja de bicicletas.

  34. O famoso XR3 Conversível de Curitiba.

  35. petrafan disse:

    placa?

    que placa?

  36. Rodrigo Sampaio disse:

    As primeiras mesmo eram brancas, essa me parece feita por encomenda; ainda assim, o sistema começou em Curitiba.

    • Roberto Fróes disse:

      Errado. O sistema começou no Brasil todo ao mesmo tempo. Apenas o Paraná deu a “sorte” de pegar as letras “AAA”.
      Não quer dizer que o 1º carro emplacado com esse tipo de placas tenha sido esse Escort.

      • Cristiano disse:

        Pelo que me lembro alguns estados demoraram um pouco mais pra implantar o sistema, meu pai na época comprou um Monza placas AAH, alguns meses depois fizemos uma viagem para o interior de SC e RS para visitar familiares e lembro que só vimos um carro não paranaense com de 3 letras, creio que era de SC, mas que tinha sido transferido do PR. Alguns familiares confundiram com as antigas placas brancas, acharam que meu pai estava com carro oficial, e, no jargão da época, tinha virado “marajá”.

      • Cristiano disse:

        Achei a tabela de implantação: alguns estados só começaram em 1998: http://www.queroonibus.com.br/placa.html

      • Romeno disse:

        Oi, Roberto. Pelo que sei as placas AAA foram dadas para o PR porque era o estado com a melhor qualidade de vida do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>