ONE COMMENT | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 - 23:09One comment

ONE COMMENT

As explicações estão aqui. Gordon e Keselowski se pegaram no Texas depois da prova da Nascar. É engraçadinho. Mas, no fundo, vergonhoso. Só que americano adora essas demonstrações de valentia.

47 comentários

  1. Sam disse:

    A corrida foi boa – melhora que a F1.

    Jeff Gordon é muito mala, não sabe perder, quem jogou o carro pra cima foi ele, depois que viu que deixou espaço, sem contar que relargou mal, sem velocidade.

    Fora da pista, Keselowski ficou na dele. Tem aquele velho ditado que diz: Quando um não quer dois não brigam. Aí apareceu um monte de retardado tumultuando.

    Flávio, avisa a galera pra arrumar o texto no Warmup ( Depois da pancadaria, Keselowski estava cuspindo sangue e Gordon apareceu com um corte na boca.

    Keselowski não cuspiu sangue – o isotônico que ele bebeu era vermelho – o frasco era transparente e dava para ver. Inclusive o narrador da FOX comentou isso.

    Abs.

  2. Luiz g disse:

    Dois Bobalhões…
    Mas…americanos gostam dessas bobalheiras…fazer o que?

  3. Norson Botrel disse:

    Sinceramente, prefiro isso a 18 carros no grid, dos quais apenas 2 estão interessados no campeonato.
    Prefiro isso a um zumbido no áudio, com piloto que não treinar porque não tem motor.
    Prefiro isso a kers, ers, mgu e drs: lá não tem nem tipo diferente de pneu: quer passar, se vira.
    Na semana anterior, Gordon perdeu a corrida pro Dale Jr, que é companheiro de equipe e já foi eliminado da disputa, mas nem assim aliviou e deixou Gordon ganhar. Em outra fase, o Stewart ultrapassou Kurt Busch, que é da equipe dele, o isso ajudou na eliminação do mesmo. Mas isso vocês não falam, né ?

  4. Alex disse:

    Putz, como americano é tosco!.Essas briguinhas que acontecem na nascar são tão espontâneas quanto cenas de reality-show….Ou seja, os marqueteiros devem ter descoberto que os retardados gostam, porque, não faz nem um mês, teve uma palhaçada dessas.

  5. Sergio disse:

    Não entendo essa implicância com a Nascar e o automobilismo norte americano. Não dá pra simplesmente entender as diferenças culturais e curtir? Ou ignorar? Vocês gostam de automobilismo ou apenas de F1? Aposto que achavam lindo quando o Piquet despirocava e sentava a porrada nos adversários.

  6. Alberto disse:

    O cara é coxinha mesmo…

    Ele tirou a balaclava e colocou o capacete depois. Valentão.
    Ficou com medinho…
    Viu que o segurança iria evitar qualquer atrito e tirou o capacete. Rei da testosterona.

    Palhaço!!!

    • Alaistair disse:

      não seu ignóbil, na nascar raros os pilotos que usam balaclava, tanto que o jeff gordon usa aquela “balaclava externa”, aquele saiote em volta do capacete estilo o que o James Hunt usava e o Emmo usou nos tempos de Mclaren.

  7. Will disse:

    Jeff Gordon é um piloto bem cavalheiro. Acredito que tenha ficado exaltado mais pela consequência do toque, do que pelo toque em si. Keselowski fez uma manobra ousada. De certa forma, dá pra dizer até que o toque foi “bonito”. Afinal, esses esfregões são naturais na NASCAR e sempre fizeram parte do show.

    Todavia, muita gente anda entalada com o Keselowski e o desenrolar da briga nada mais foi do que um reflexo do sentimento geral por ele. Deve ser quase o mesmo que o pessoal da F1 sentiu em relação ao Grosjean uns tempos atrás.

    Em relação à briga, tá ok, violência gratuita, uma merda, desnecessário. Ainda mais quando vira rotina. Mas quando acontece de forma beeeem exporádica, acaba sendo legal, afinal, acho que me acostumei tanto com o “ambiente” da F1, aquele negócio certinho de sempre, que acho até isso o máximo.

  8. Artur disse:

    Não acho tão ruim, é cultural. Vai dar uma de gay no Alabama…

  9. Daniel disse:

    É, americano adora essas coisas, deveriam aprender conosco, um povo cordial e ordeiro. Nossa sociedade deveria ser exemplo para eles, especialmente nosso trânsito, nosso futebol e nossa taxa de homicídios. Por favor né! Se eles adorassem essas “demonstrações de valentia”, não dava pra ver um jogo da NFL (no estádio) usando o uniforme do time visitante. Dê uma ligada pro seu aprendiz Everaldo Marques e pergunte se é assim (ou veja por você mesmo, quinta a noite tem jogo).

  10. Issac Nemach disse:

    Pelo visto não aprenderam ou viram que a morte daquele jovem foi numa sub-sub-categoria na Nascar. Vai precisar alguém morrer na categoria principal para que vejam que atitude idiota é essa e que exemplo se dá.

    Qdo falo que Nascar não é automobilismo, sou criticado ….

  11. Paulo disse:

    Não vi nada de errado com a manobra do badbrad.

  12. Lucas S.A. disse:

    Que bando de bichas…

  13. Rama disse:

    UFNascar. É só um teaser.

  14. Valentão disse:

    Eu corrigiria o texto para dizer que “americano adora essas demonstrações de ignorância”.

  15. GUSTAVO RANGEL disse:

    Não a toa o Hoquei e o futebol americano são 2 dos esportes com mais audiência (coincidência ou não, tem violência o tempo todo (briga ou não)). E Pablo, se entendi bem, vc acha bom ter briga, agressões e violência desse tipo em atividades esportivas? É isso mesmo?

    • mario disse:

      Hoquei surgiu e continua sendo canadense. O futebol americano veio do rugby, que é basicamente, a mesma coisa (eu acho). E vem da França, Grã-Bretanha, Nova Zelandia, Australia…

    • Pablo disse:

      Não necessariamente amigo, só um ambiente não tão coxinha e mimizento como é hoje na F1. Se houver brigas, que se puna na medida do possível

    • Lucas S.A. disse:

      Dos grandes esportes ditos “americanos”, Só hockey e futebol americano podem ser considerados de fato violentos. E no caso do futebol americano, é mais pela natureza do jogo (muito contato) do que por ações individuais durante as partidas. O que acontece no automobilismo americano em geral é um fenômeno bastante isolado (vai ver porque “dirigir”, no fim das contas, nem seja esporte…).

  16. Murilo disse:

    Americano somos todos, afinal moramos na América do Sul, temos que parar de chamar Estadunidense de americano.

    Americano somos todos, do norte ao sul do continente. sou chato!

    Quanto a briga, lamentável, mas concordo com o comentário acima do Pablo, a Fórmula 1 infelizmente é engessada e carece de fazer estágio com MOTOGP, que o piloto quando ganha pula no lago, entra no banheiro químico, recebe a espada do samurai e parece que não ligam muito para horário do pódio.

    • Luiz disse:

      Seguindo o seu raciocínio, nós deveríamos ser chamados de Republicanos Federativos, já que nascemos na República Federativa do Brasil, que no passado já se chamou Estados Unidos do Brasil, então também já fomos estadunidenses… O país deles se chama AMÉRICA, queira você ou não. Querer proibir os nascidos nos EUA de se chamarem somente de americanos é uma bobagem. Um Paulistano, nascido na cidade de São Paulo então, não pode dizer simplesmente: “eu sou paulista” ou “eu nasci em São Paulo”? Por favor, não se ofenda, quando eu era mais jovem já pensei como você, mas percebi que além de ser uma terrível perda de tempo, não é tão correto quanto eu poderia imaginar.

    • Thiago Leal disse:

      Mas “estadunidense” não seria, também, quem nasce nos Estados Unidos Mexicanos, vulgo México?

      Somos todos americanos, sim, mas “americano” pode se referir a quem nasce em qualquer parte do continente… ou quem nasce nos Estados Unidos da América.

      Mas relaxa ae, pode ser chato… toda resistência tem valor, hehehehehe.

  17. Chupez Alonso disse:

    Acho que isso funciona na Nascar como aquelas brigas no Hóquei.

    Idiotice total.

  18. Felipe disse:

    Assisti as últimas 100 voltas, estava uma corrida muito boa, pra mim o toque dos dois foi de corrida, adoro a nascar!!! Mas acho esses americanos muito chorões, parecem crianças no jardim de infância. Pra mim todos os pilotos que brigaram deveriam ser punidos até o final da temporada, ou se não a nascar poderia fazer uma parceria com UFC, no final de cada corrida teremos a luta com os brigões.

  19. Denis disse:

    Quem acompanha a Nascar sabe que Jeff Gordon nunca foi muito de revidar coisas de pista e tal, nunca foi muito de dar troco, mas nesse episódio do Texas, não foi só ele, teve outros pilotos e vários mecânicos de outras equipes envolvidos da briga. E quem acompanha sabe que tem muita gente que tava com o Brad engasgado, por ser extremamente agressivo. Sou contra esses papelões, mas as vezes o cara bem que merece.

  20. Julio Menegatti disse:

    Segundo caso em sequência. Faz parte do show da Nascar mas não deixa de ser ridículo.

  21. Ângelo disse:

    Pra mim, dois homens se pegando é demonstração de homoafetividade.

  22. valter disse:

    Faz parte do show!!

  23. John Player disse:

    Pois é.
    E ‘limaram’ a carreira do Nelsinho Piquet na Nascar porque não abaixou a cabeça para um desses palhaços.
    Não parecem equipes, são gangues, panelinhas, grupinhos de valentões.
    “Automobilismo Americano”.
    Vai te catar.

  24. Jacob Lindener disse:

    Aos 0:32 segundos vem um cara por trás do Keselowski e o empurra em direção a equipe do Gordon.
    – Vai lá machão! Hahahaha

  25. Carlos Pereira disse:

    Na verdade, coisas como essas, vão banalizando e estendendo a violência.
    Faz tudo e todos, acharem que é algo normal. Brigas diárias no trânsito mostram isso.
    Pode até ser censura, mas coisas como essas, deveriam ser impedidas de serem mostradas ao público.

  26. Thiago Leal disse:

    Mais um evento que demonstra a “competitividade exagerada” que o americano tanto valoriza. Uma pena, porque, pra mim, pararam os carros, não há mais competitividade. Jogo é no campo — ou na pista. E é esse tipo de atitude, assim como sair do carro para reclamar com o rival, que acaba dando em merda, uma hora ou outra. Uma pena mesmo, porque acho a Nascar bem legal. Não precisava dessas coisas.

    Por outro lado… curto a briga do Piquet com o Salazar, então a minha opinião é hipócrita pa caraio. =/

    E o Keselowski é chegado em se envolver nesse tipo de presepada, seja ele o provocador ou não.

  27. FL disse:

    É americano gosta disto, mas tem mais de 40 carros largando na Sprint Cup, mais de 40 na Nationwide e mais de 40 na Camping World. Igualzinho os 18 que largaram em Houston

  28. Pablo disse:

    Americano gosta dessas demonstrações de valentia mas, porém, o ambiente por lá sempre foi aberto a isso. Não ficou como a F1 que ao longo dos tempos foi ficando mais pasteurizada, mais coxinha. As vezes situações como essa fazem falta nessa Fórmula 1 tão engessada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>