MENU

sexta-feira, 22 de agosto de 2008 - 0:10Pequim 2008

FÁBRICA DE MEDALHAS

PEQUIM (dia lindo aqui, sô!) – Acordei e abri logo o computador para saber quanto foi a Lusa. Perdeu de novo, caminha a passos de Usain Bolt para a Série B de novo (até que era bom, jogos de terça e sexta, só time ruim, quem sabe?), mas pelo menos o clube teve uma idéia simpática hoje. Como a partida com o Vasco foi em Santa Bárbara d’Oeste, porque o time foi punido com a perda de um mando de campo, convidaram o Cesar Cielo para dar o pontapé inicial. E deram a ele a camisa mais linda do mundo.

Como estamos em tempos olímpicos, o mesmo que falei das universidades vale para os clubes brasileiros. Eles têm um monte de isenções fiscais, levam dinheiro da Timemania e o escambau a quatro. Deveriam garantir uma contrapartida esportiva coletiva. Nada de investir só no futebol. Todos têm piscinas, quadras, tatames. O governo deveria obrigar todos os clubes a terem equipes de x esportes, a fazerem convênios com escolas públicas, a ter y professores e técnicos contratados.

O governo deveria obrigar todo mundo a fazer um monte de coisas, os governos dão muita moleza a todo mundo!

Falando em governo, se vocês ainda não entenderam por que a China fabrica bons atletas em massa, leiam esta reportagem especial da Nara Alves no iG. E olhem bem para essa garotinha aí do lado. Daqui a quatro anos ela estará ganhando medalhas em Londres.

Se não for ela, vai ser alguma parecida.

10 comentários

  1. Rogério Magalhães disse:

    Pior, FG, que enquanto você só consultava pelo laptop como tinha sido o jogo, eu tava lá em Santa Bárbara vendo não só o Cielo sendo homenageado e dando o pontapé inicial, como aquele joguinho sem vergonha, tá medonha a coisa prá nossa Lusa! Mais um pouco, a gente punha o Cielo em campo no lugar do Carlos Alberto ou do Edno ou do Vaguinho (esse sim, tá típico representante da terra do Usain, mas pelo lado “mato” da coisa, hehehehe…), porque talvez rendesse mais.

    E pena que eu não tava com minha câmera, senão ia pingar vídeo do cinematográfico racha de perseguição na Bandeirantes, na volta, entre o assustado ônibus da delegação da Lusa e nosso indignado ônibus da torcida, hehehehe…

    E concordo plenamente contigo: universidades e clubes têm o dever de ajudar no desenvolvimento do esporte em geral, sem esse massacre do futebol, que no fim das contas só pisa na bola em Olimpíadas (os caras, bem dito, porque as meninas ainda tem salvo-conduto)… mas o que esperar de um país que chega até a abolir a obrigatoriedade de educação física nas escolas?

    É triste…

  2. Rogério Leonardo disse:

    Flávio,

    Gostaria de informar que o CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO é o clube de futebol com maior tradição olímpica do país, e, que, não importa a fase financeira em que esteja (a de hoje é péssima) sempre investiu e incentivou vários atletas de modalidades pouco reconhecidas pelo brasileiros (Remo, Ginástica, etc.). Aliás, o FLAMENGO apoiava a ginástica bem antes de surgirem os irmãos Hipólito e Dayane dos Santos. Neste aspecto, o FLAMENGO também é o maior clube brasileiro. Abraços!!!

  3. Luiz Inacio Lula da Silva disse:

    Companheiro Flávio,

    O esporte no Brasil é “quase” perfeito. Pode ver que somos “ouro” em ganhar bronze …

  4. JT disse:

    O lema da moda é “deixa o homem trabalhar”.
    Alguém diz: “obriga o homem a trabalhar”?
    Acho que não.

    Isso deveria ser uma via de mão dupla. Em vez de obrigar, o governo deveria “deixar” o pessoal investir. O esporte e a cultura são manifestações espontâneas das sociedades – que podem ser incentivadas, mas na base da obrigação nada funciona a longo prazo nestas áreas.

    O esporte e a cultura vem a reboque da educação. É onde todos deveriam investir para valer: governo e iniciativa privada.

  5. Acarloz disse:

    Pois é meu caro, nem esse governo…

  6. Douglas disse:

    Puta que pariu, olimpíadas só presta para eu ficar com inveja de outrs nações mais organizadas … Não que a F1 seja mil maravilhas para o Brasil mas como sou Lewis Hamilton F.C., não passo tanto nervoso.
    Flavinho, quero ver um post de seu retorno, dizendo que conseguiu jogar um ovo ou uma bomba em algum dirigente do BA-XI, ok?
    Abraço e parabéns pela cobertura honesta e correta.
    E vamos lá amigos da REDE GLAUBER … Brasil – sil – sil – sil!!!!

  7. sérgio barros disse:

    Digo isso a tempos Flávio…

    E o pior: o governo criou mais uma loteria que também ajuda os clubes (fonte de enriquecimento de alguns) e fechou os olhos para o que a CPI do futebol levantou.

    Agora me diga: (não que resolva, mas olha a inversão de valores éticos:) existe alguma loteria ou esforço para salvar os hospitais públicos e Santas-Casas pelo Brasil, enquanto não há saúde pública decente para quem não pode pagar plano de saúde???

    E educação: é justo mendigar favores ou assistencialismo com cotas em universidades sendo o correto ter ensino básico e médio decente para todos???

    Projetos não faltam, mas aí não dá para tirar o por fora, como está sendo levantado nos 38 processos no Tribunal de Contas Federal sobre as obras superfaturadas do Pan.

  8. Henrique Dolabella disse:

    As medidas esportivas tomadas neste País são uma lástima.

    Mas crime mesmo é a política esportiva chinesa. A linha entre incentivar e obrigar não é nada tênue.

    Evidentemente, se a maior parte dos dirigentes esportivos aqui fossem sérios (desculpem-me os que são), seria mais legal para nos divertirmos durante 17 dias a cada quatro anos. Mais importante ainda seriam todos os efeitos positivos que o esporte causa à sociedade.

    Mas prefiro um ourinho e um monte de moleque que quer jogar futebol na rua a 50 barras com um monte de moleque levando chibatada. Sem terem pedido por isso.

  9. Alex Melo disse:

    Bom dia Flávio.

    Suas sugestões envolvendo clubes brasileiros, assim como, universidades e faculdades, para investirem em esporte são ótimas.

    Em 2006, ano de Copa do Mundo, fizemos um pequeno estudo e enviamos gratuitamente para clubes, universidades e faculdades com sugestões similares, contendo dados de universidades e clubes americanos que investem pesado em esporte, sua rentabilidade e retorno dos investimentos. Assim como, a grande frustração e trauma para a grande maioria dos jovens que não passam pelas “peneiras” espalhadas pelos clubes deste país. Jovens que poderiam muito bem, serem aproveitados em outras modalidades esportivas.

    Enviei para aproximadamente 300 instituições. Tente adivinhar quantos retornos recebemos?

    Pois é, depois queremos ser um “gigante esportivo”.

    Para mim, pouco importa se o Brasil ganha uma ou cem medalhas de ouro. Muito mais importante do que isso, é que o esporte pode ser uma ótima alternativa para essa moçada cheia de vida e esperança que acaba, na falta de opções, buscando outros tristes caminhos que muitas vezes levam para as ruas, para a cadeia ou para o cemitério.

    Mas para a maioria de nós, isso pouco importa, o que importa é o Brasiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiil de quatro em quatro anos, seja nas Olimpíadas, seja na Copa do Mundo, ai sim, nos rebelamos por não sermos uma potência esportiva e deixamos de lado o que de mais importante o esporte proporciona aos nossos jovens “mente sã em corpo são”.

    Grande abraço e bom retorno ao Brasil.

  10. Net.Uno disse:

    FG,
    Será que sua valorosa equipe poderia nos ajudar com aqueles links salvadores para podermos assistir aos primeiros treinos livres?
    Aquele utilíssimo stream.ra1kkonen.com foi pro espaço sideral…

    SOS

    Muito obrigado!
    谢谢
    Xie Xie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *