ASSIM FALOU JP

SÃO PAULO (e por hoje chega) – A colúnica Warm Up de hoje concorda 100% com o manifesto feito por João Paulo de Oliveira, um dos melhores pilotos que o país já produziu. Quando alguém do naipe dele diz que o automobilismo brasileiro está em extinção, seria de bom tom que aqueles que vivem dele parassem um pouco para pensar.

Comentários

  • Mas nós teremos sempre o Diego Nunes, pilotaço que anda a 300km/h nas estradas e não acontece nada, só produziremos babacas desse porte agora. O automobilismo está morto no Brasil, só serve pros playboys se divertirem…..

  • Pura bobagem!

    Que diferença faz para nós brasileiros que gostamos de corrida (não ufanistas idiotas seguidores do Galvão Bueno) se tem piloto brasileiro ou não na F1 ou Indy?

    Respondo: Nenhuma! Só a audiência da Globo que vai cair.

    Pergunto de novo: E nós com isso?

    O automobilismo brasileiro nunca foi melhor nem pior, pelo menos nunca teve tanto retorno de mídia para as todas as categorias, inclusive as mono-merdas (Línea / Mini / Maserati / Audi / Mercedes).

    Pergunto: Os pilotos que correm nas diversas categorias são sempre os mesmos?
    Respondo: Sempre foram! A velha guarda da Stock (Opalas e Ômegas) eram os mesmos que corriam na F Uno / Pálio / Brasileiro de Marcas etc.

    Que a CBA nunca fez nem faz nada pelos pilotos e equipes, qual a novidade?

    O automobilismo regional (onde me interessa diretamente) é fraco e sem apoio?
    Sempre foi, é dominado (dirigido) por pessoas sem preparo administrativo (com raríssimas excessões) que pensam somente em baixar custos, nivelando por baixo o espetáculo e não dando condições para que eventuais patrocinadores tenham retorno de seus investimentos. Ainda tem muita gente que ‘pede’ patrocínio como se fosse um favor do amigo rico e fica bravo quando não recebe…

    Resumo: para a grande maioria interessada em corridas ‘no’ país, piloto brasileiro na F1, Indy não faz a menor diferença ou seja, só faz diferença para o bolso deles!

  • Se não me engano, essa semana passou no Sportv um Arena especial sobre a F1. Estavam lá Burti, Di Grassi, entre outros. Comentaram que quase não há campeonatos de kart, que preparam o piloto melhor para carros fórmula; e que os pilotos atuais estão mais preparados para GT. Ok, concordo. Mas por quê nenhum deles menciona nada contra a CBA? Esses pilotos tem os egos inflados, e não fazem uma junta pra pegar no pé da CBA para que haja mudanças tanto estruturais, quanto pessoais nesse órgão que hoje é uma merda total. Vejam o caso do rapaz que faleceu no Arrancadão em Ctba. O muro lateral vai até o final da pista? Não! Há linha de concreto entre as duas pistas e a pista em si é bem nivelada? Também não! E estou falando de algo que faz parte do gerenciamento da CBA e que tem grande público. E o restante? Não se tem fiscalização, uma implantação de um modelo de gestão e moldes de pistas e segurança a serem seguidos e por ai vai.
    Ai tem os aspirantes a pilotos (não todos), que participam desses campeonatos com excelentes carros, estrutura de apoio técnico etc; mas não tem público. Campeonatos GT em que há mais cachorros no autódromo do que público pagante. O cara gasta uma grana num carro de turismo, tem patrocínio que é invisível (uma vez que poucos assistem); para que?
    Então tanto boa parte dos pilotos quanto dos patrocinadores são sim colaboradores para a atual situação da CBA e do automobilismo brasileiro. Felizmente há jornalistas como o Flávio e o Téo José que mostram essa lamentável situação; mas como o resto não se mobiliza, nos resta continuar a reclamar apenas.

  • Meu caro Anderson Ramos,não se iluda cartolas e politicos não tem vergonha na cara,pois se o tivessem não ficariam mais de um mandato na presidencia de qualquer tipo de entidade.Pois nada fazem alem de PREVARICAR,e ainda tiram do caminho aquele que ouse fazer algo em beneficio publico,sem segundas intenções.Vide o exemplo no senado ,em que para ser presidente da casa o “elemento´´vende sua própia alma e a da familia tambem, e o pior ehm!Anos e anos na politica e a unica parcelala da sociedade que foi beneficiada por seus mandatos, foi a FAMILIAR.

  • o piquet, o emerson, deveriam utilizar o prestigio conquistado em longos anos de pista para intervir nesta bagunça que é o nosso automobilismo, porque eles não sew candidatam a presidente desta bagunça que é a CBA ?
    Flavio: Colunica?

    • Boa noite Galileu Galilei, eu disse uma vez em uns dos post do Gomes 69, que se esses pilotos do passado, os mesmo que você fala, não intervir nessa CBA ( Confederação do $$ ) a coisa vai pro saco não demora.

  • “seria de bom tom que aqueles que vivem dele parassem um pouco para pensar”

    Quem parar pra pensar? O pessoal das TVs? A CBA?

    Moço, me dá um igual ao que o Flávio está bebendo. Eu vim de táxi!

  • Olá Flávio, legal o JPdeOliveira levantar a bandeira contra a inércia da CBA parabéns a ele pela iniciativa.

    Agora é incrível como essas pessoas que comandam nosso automobilismo realmente estão pouco preocupados com o futuro deste esporte.

    Lembro que no meio dos anos 90 o Nelson Piquet (Tri-campeão) tentou mexer na caixa de abelha….mas fez o que podia na época.

    Espero que essas pessoas da CBA…tenha vergonha na cara…e não pensem somente em F1 e F-Indy.

    Realmente o valor da carterinha da CBA para pilotos no exterior é muito Karo mesmo, imagina no Brasil…você que é piloto deve saber quanto custa….né Flávio.

    Vejamos: Hoje na Indy somente o Helinho está em uma equipe de ponta, até quando ?

    Na F1, o Massa e o quase aposentado Barrichello na F1, o Bruno Senna e o Nelsinho Piquet poderiam ser alternativas para o futuro na categoria…Mas….até agora NADA…!!!!

    Vamos rezar por algo acontecer de diferente….

  • É isso aí. Quando o pessoal mais sério, realmente ligado ao Automobilismo começa a manifestar-se sobre o assunto é porque a coisa já esta preta faz tempo. Quando vemos um monte de bostas enfiados no automobilismo atrás apenas de um “status” de piloto internacional que faz “press realeses” na revista “CARAS” e passa o dia todo tuitando, aí a casa já caiu faz tempo.

  • Flávio,

    Nosso automobilismo vai morrer mesmo porquê, o exemplo veio de cima. Um moleque pediu ajuda ao ex-presidente Lula para jogar Tênis, que custa muito mais barato que andar de Kart e ele disse que isto é esporte de rico, de bacana. Que ele tinha era jogar bola.

    Eu ando de Kart no Guará, terra do Piquet e Moreno e vejo pouquíssimas crianças lá correndo. Aliás a única criança que vejo lá é o próprio Piquet, o menor de todos que vai de vez em quando correr. O kartódromo é sensacional, mas falta estrutura, apoio, incentivo e tudo mais. Ninguém pega para cuidar, então a teoria do JP está certa em Brasília, daqui não sairá um próximo Piquet, nem da família Piquet, temo.

  • FG segue abaixo o que comentei no Blog do JP. Acho que se concordamos com tudo isso, devemos divulgar ao no maior número possível de pessoas as nossas idéias.

    Achei muito bom e infelizmente real a afirmação do JP, assim como a do Massa. Acho que a crise que estamos passando não é a falta de dinheiro, pois nunca na história recente deste país se investiu tanto em esporte, não estou falando só em automobilismo. Mas o que falta para o Automobilismo captar uma fatia maior deste bolo são PROJETOS realmente bem feitos e que possam dar um real retorno ao investidor. Não podemos viver somente de Stock Car, Truck e GT. Para se ter um bom piloto de F1 no futuro é preciso bons projetos em Kart e Monopostos. A F-Future é um bom projeto do ponto de vista de equipamento e premiação, mas falta retorno de imagem. Não adianta ter só 8 pilotos correndo em carros praticamente BRANCOS e passando em uma TV onde não se pode ao menos citar o nome correto de uma equipe por ela ter um nome de uma empresa. Isto não é PROJETO VIÁVEL COMERCIALMENTE em nenhum lugar do mundo. Infelizmente o melhor equipamento monoposto que apareceu no Brasil nos últimos anos já nasceu praticamente inviabilizado e acho que não passa do segundo ano. Faltam também público nos autódomos. A Stock só lota devido aos ingressos distribuidos pelos patrocinadores, e isso é bom. Ligar patrocinadores fortes que trazem público só faz aumentar o interesse pela categoria Aumentando o Retorno ao Patrocinador..
    No KART é preciso uma atenção URGENTE. Não adianta construir pistas fantásticas como as de Florianópolis, Velopark e outras mais, se não criarmos um campeonato realmente bom usando as novas estruturas com PATROCINADORES realmente fortes. Quem sabe fazer um Campeonato de Kart com equipes ligadas a Stock Car, GT e Truck. Onde estas equipes fossem convidadas a investir um uma parte de seus orçamentos na formação de novos pilotos e mão de obra para o futuro das próprias categorias, assim como as empresas e indústrias já fazem. Não seria Incrível ver Matheis, Fogaça, Red Bull, Itaipava, Fábricas de carros e caminhões envolvidas em um Grande Campeonato Brasileiro de Kart nas novas pistas brasileirase passando ao vivo em TV aberta e a Cabo. Fica ai uma sugestão bem pretenciosa e sonhadora, mas quem sabe algum Grandão lê e goste.

  • Visão muito realista do JP sobre nosso esporte.
    Esperar algo da CBA é esperar pelo que não virá.
    Alguns pilotos já deram como morto nosso automobilismo e estão acelerando nas ruas e estradas do nosso pais
    meus pêsames

  • senhor flavio desculpa + vou ter q esculachar
    vejo com alegria essa “rebelião dos mauricios” contudo toda via q…
    pra mim é um bando de cuzões, precisou o massa morrer num caminhão de “dinheiros” com um fracasso comercial da formula future pra “eles” verem o q acontece com o automobilismo brasileiro administrado pela CBA, essa ôrra leio no seu e outros blogs a + de 10 anos.
    não fode (normalmente eu pediria desculpa pelos palavrões + não dá nesse caso)
    a CBA só quer saber de beber uísque paraguaio nos “eventos” da estoque e gozar com o pau dos outros pela mídia da rede bobo
    CHEGA DE HIPOCRISIA
    cadê esses FDP quando destruíram o autódromo do RIO? KD? ninguém falou nada!
    to puto.
    não existe + automobilismo no Rio, existe um suspiro pela F1/indy em sampa e uns corajosos honrados no sul do país, com 48% de imposto em cada carro e 51% nos combustíveis é sinistro.

    ps: desculpa a vc flavio, e aos leitores pelos palavrões, + ñ tem outra forma de demonstrar minha ira.

  • Para ver o quanto está sendo mal administrado, basta comparar a dinâmica do automobilismo nacional com a nossa economia. Botar lado-a-lado os últimos dez anos.
    Como pode ser tão difícil manter uma boa categoria de monopostos? Como não se consegue um calendário forte e nacional de kart? Esta versão nossa da TC-2000 já poderia existir há anos.
    Enquanto isso, o país cresce de maneira forte e consistente há anos. Falta de dinheiro não é. Enfim, parabéns à CBA.

  • É Flávio, uma tristeza. O texto do JP espelha bem a situação. Corajoso ele !!! Parece-me que os cartolas da CBA pegaram uma carona com os políticos. Bando de picaretas, todos eles. Até parece que no futebol teremos problemas com um tal de clube dos 13, que nem sei o que é, mas leio jornais. Enquanto o povo votar mal assim, nada irá acontecer. Abr, Luiz

  • JP é assim mesmo: simples, boa gente, educado e um batalhador. Não tem um pingo de deslumbre e é avesso às badalações e todas aquelas coisas que a fama traz.
    Acho que ele é um dos poucos pilotos que aindam no fazem lembrar dos pilotos dos bons tempos, aqueles que corriam pelo puro prazer da velocidade e o desafio da máquina, não se importando nada com o resto.
    Conheço ele desde os tempos do kart e até hoje ele continua o mesmo cara bacana, além de ser um baita piloto.
    A prova de que ele gosta do que faz é estar morando tanto tempo no Japão longe das raízes, da família e dos amigos. Isso prova o profissional que ele é e o quanto ele se dedica a isso.

    • fernando, concordo contigo, mas desde que estes pilotos não sejam do nivel de um diego nunes e nem de galid osman, que nada acrescentam para o nosso automobilismo a não ser polemicas,somente os acefalos seguidores desses dois xaropes leriam os post.

  • Boa noite Flávio, tudo bom?

    eu sou um leitor assíduo do seu blog e da sua coluna, e já tinha na cabeça a idéia de comentar aqui sobre a situação dos brasileiros na F1 e tudo que tem sido dito nas ultimas semanas. Li o que o Felipe Massa disse, li o post do JP de Oliveira e concordo com eles.
    Mas, numa época de pilotos pagantes e afins, você não acha que falta apoio das grandes empresas brasileiras pra ajudar os que chegam quase lá? Digo, todo mundo só fala da falta da base (que é verdade, não estou dizendo que não é) e da zona da CBA (outra verdade), mas acho que ainda tem um ponto a mais: a falta de apoio na hora H. Não acho que o piloto que entra com dinheiro seja pior que outro que já esteja lá, mas já que isso acontece, alguém podia “pagar” ne?

    Não precisa ser os 18 milhoes do Maldonado, mas duvido que com menos da metade disso não se consiga uma vaga numa equipe de F1, numa Lotus “verde”, que é uma equipe promissora, pra não citar a Hispania e a Virgin. E acho que, como já foi citado por ai, a nossa moeda está forte e as empresas no Brasil tem crescido. Uma Petrobras da vida, ou até a Itaipava, que tanto investe no automobilismo atualmente, poderiam dar esse incentivo. A Petrobrás esbarra em toda a questão de fornecimento de combustivel e afins, mas é um exemplo de empresa grande que poderia investir mais. Voce deve lembrar da antiga equipe Petrobras jr de F 3000, que era na verdade quase uma “filial” da Williams e era recheada de brasileiros. Gostaria de saber o que você acha disso, e se um dia poderia levar essa discussão ao seu blog.

    Desculpa o tamanho do comentário (na verdade eu poderia ter falado até bem mais), gostaria de ter enviado isso por email, mas não achei nenhuma área de “Contato” no site ou no blog, então foi por aqui mesmo. E também não precisa “aprovar” o comentário aqui no blog não. Se quiser me responder, pode mandar para o meu email (que está ai em cima). Estou començando um blog sobre F1 (que anda meio parado essa semana por causa dos meus estudos) e estou vendo como é dificil isso. O site é pegandoovacuo.wordpress.com

    Grande abraço,

    Pedro Horta

  • O JP matou na veia. E o barato FG, quando da etapa no Japão do WTCC e nos treinos ele teve problemas e “levou pau do Lada” brinquei e ele ficou bravo.
    Mas o JP é um profissional, e como sempre digo, tirando o Rubinho e Massa que já estão na F1, o João Paulo é o Brasileiro mais capacitado para acelerar lá.
    Flavio, a Nippon está mais para F1 do que GP2.
    E mais, o cara que foi com o Émerson para a Europa, que levou Piquet é mesmo que adora o JP. O Grande Chiquinho Rosa.

  • Quando leio algum jornalista ou pessoa falando isso: “um dos melhores pilotos que o país já produziu” , imagina-se que o Brasil é um celeiro de bons pilotos por dar condições a eles. Parece que aqui sobra patrocínios… e que o Brasil foi quem forjou com inúmeras oportunidades, grana, boas pistas e excelentes campeonatos que projetaram os pilotos para o mundo. A Alemanha… Inglaterra… Austrália e outros desse nipe sim produzem bons pilotos.