FOTO DO DIA

SÃO PAULO (lindo de morrer) – Clique do Vinícius Nunes., me enviou esta semana. “Olha o que você estava fazendo em 12 de outubro de 2003”, diz ele. Dia das Crianças, né? Estava me divertindo. Tempos em que o #96 ainda era #17. Essa foi a primeira temporada da que hoje é a Classic Cup. Nasceu com outro nome, Historic Racing Cars. Estou com saudades do #96. Será que o Trevisan está cuidando bem dele?

Comentários

  • O #96 está na sombra e água fresca,aguardando o novo espaço. O prédio de 5 andares do novo MUSEU ficará pronto em 2013 e onde teremos um espaço temático dedicado aos DKW. É isso o FG, pode retirar na hora que bem entender e isso consta no Termo de Comodato assinado. Visita ao Museu só no futuro e, dentro da programação a ser estabelecida.Contestando uma afirmação diria que o Museu do Automobilismo Brasileiro “não vive”do passado;e sim que trabalha para o futuro e gastando(e muito) no presente com o passado.

    • Olá Paulo, sempre admirei a sua iniciativa, se tivesse condições com certeza faria o mesmo. Fiquei triste por não poder ver os carros, pois não sei quando voltarei ao RS. Será que não tem como ver …alguns carrinhos pelo menos?

    • Estive no Museu em julho (para pesquisa de meu trabalho de conclusão do curso de Museologia) e posso confirmar estar o querido -e aguerrido- #96 descansando em excelente companhia; o novo Museu já está bem adiantado e certamente servirá de bela moldura para o poderoso #96. Pena o Museu atual estar sobrecarregado devido as obras do novo, impossibilitando visitas.

  • Bom dia Flávio.

    Ontem não entrei no blog, por isso não ví o post, mas passei o final da tarde pesquisando na internet informações sobre o museu do trevisan, mas o site está em manutenção.

    Preciso da sua ajuda, em novembro estarei de férias na serra gaúcha e claro que já fiz um roteiro de visitas automobilisticas e o meu sonho é conhecer o museu. Gostaria de saber informações ou um telefone para que eu possa entrar em contato. Não quero ir de orelhada, pois de gramado até lá bate uns 250km. Na verdade eu queria te fazer uma surpresa…ia te mandar uma foto minha com o 96 vestindo a camiseta que comprei. Falando em camiseta, bem que você poderia fazer do 69 e reeditar a do 96, fica a dica!

  • Flavio,

    Estou revendo meu início na fotografia de automobilismo. Esta, como já foi na fase de transição do filme para o digital, foi uma das primeiras que vi… Naquela época, eu levava 10 rolos de filme para o final de semana, fazia 360 fotos, mandava revelar só o negativo, escanear e gravar o CD… Antes disso, em 2002, era fotografar e olhar com o conta fios na caixa de luz, só mandava passar para o papel aquelas que sabia que seriam vendidas…

    Depois vou escanear os negativos de 2002, se tiver mais eu envio para você. Obrigado por publicar.

    Abraço,
    Vinícius Nunes

  • Se tudo der certo, ano que vem vou em Passo fundo RS conhecer o museu, e no outro ano em Caçapava SP.

    No programa curva do S teve uma matéria incrível sobre nosso automobilismo, algumas pessoas do nosso país deveriam ver essa matéria para administrar melhor.

    Quem vive de passado é museu? Mas quem coloca em prática coisas boas, saudáveis e legais do passado é fenômeno!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Se tudo der certo ano que vem vou em Passo Fundo RS conhecer o museu do automobilismo Brasileiro e no outro ano em Caçapava SP.

    No programa curva do S teve uma matéria incrível sobre nosso automobilismo, que muitas pessoas de nosso país deveriam assistir para administrar melhor.

    Quem vive de passado é museu? mas quem coloca em prática coisas boas, saudáveis e legais do passado é fenômeno!!!!!!!!!!!!!!

    • O (pre)conceito de museu viver do passado, não só deve ser abolido, como não se aplica ao Museu do Automobilismo Brasileiro, visto que preserva sem “mumificar” os acervos ali mantidos; muitos (e futuramente todos, creio) são colocados periodicamente para se “exercitar”, realizando aquilo para o qual foram construídos: Correr o melhor possível, estimulando e excitando seus eventuais pilotos, permitindo o resgate pelos mesmo de emoções e lembranças que, vindas do passado, contribuem para a formação do presente e, principalmente, preparam o futuro.

  • Que saudades daquela época… FG bem na foto, mais ao fundo o DKW verde que estou em dúvida mas acredito que era o Ricardinho Serata, depois o Luiz Evandro Águia e atrás de todos vinha eu… no Medical-Car.
    Naquela época tinha até o Menon para nos “divertir”.

    Abraços
    Luiz

  • Olá Flavinho, boa tarde. Gostaria de saber pq vc usa o termo “global” ao citar o Sr. Reginaldo Leme no seu perfil? Era para ser um adjetivo ? Não me diga que aderiu ao linguajar das classes menos favorecidas?! “Fulano é grobal….nossa, que máximo. É da Grobo” . Me parece, no mínimo, contraditório ao seu posicionamento tão crítico àquela emissora. Sim, pois no português escorreito que, aliás, vc tanto defende, “global”, naquele caso, nada significa! Buscavas status? Um abraço. obs. Gostei muito da sua coluna- OBRIGADO PATETA – na Revista da ESPN, parabéns pelo texto !

    • Estive no Museu em julho (para pesquisa de meu trabalho de conclusão do curso de Museologia) e posso confirmar estar o querido -e aguerrido- #96 descansando em excelente companhia; o novo Museu já está bem adiantado e certamente servirá de bela moldura para o poderoso #96.

      • Epa! Misturou a resposta complementar ao comentario do Paulo Trevisan ainda estava na memória) com esta:
        Acho que é um Bianco, ao menos o parabrisas é igual.