MENU

Friday, 14 de September de 2012 - 21:47Colunas Warm Up

FANTASMAS DA ÓPERA

SÃO PAULO (ah, as baterias…) – Em provas de endurance, não ligo para os pilotos. Os carros é que são as estrelas. Em Interlagos, temos os fantasmagóricos Audi e o Godzilla da Toyota. Esse é o tema da coluna Warm Up de hoje. Um trecho:

É assim que vejo esses carros, como seres autônomos, violentos e agressivos. Essa é uma das marcas das corridas de longa duração e dos campeonatos de protótipos: carros são mais importantes que pilotos. Há 77 seres humanos que pilotam por aqui, e 11 deles já correram de F-1. Mas não me importo com seus nomes. Para mim, são os carros que correm, não os pilotos. Estes são apenas inconveniências necessárias, é preciso alguém para levantar o troféu, algo que os carros não podem fazer.

Para ler na íntegra, clique aqui.

15 comentários

  1. Paulo Faria says:

    Flávio, seu melhor texto dos últimos tempos.
    Num passado nem tão remoto as corridas eram dos automóveis, valiam as marcas, no brasil tivemos as disputas entre, DKW, Simca, Willys. Mas nessa época a maioria dos pilotos botava a mão na graxa e ajudava a preparar “sua máquina”, essa sim a grande estrela, hoje … acho que tem muito é estrelismo …

  2. Roberto Hackmann says:

    Boa tarde Flavio, faz tempo que não comento nada, mais por absoluta falta de tempo do que por achar que não houvesse o que comentar.
    Passei por aqui para dizer que concordo com você apenas parcialmente, bem parcialmente…
    Quando você diz que o gosto por isto ou aquilo das pessoas muda com o passar do tempo eu concordo parcialmente. Pela minha experência pessoal existe o chamado criar o hábito. Como não temos um herói brazuca correndo nesta categoria, será necessário se criar o hábito, ensinar as pessoas, criar artífices que façam com que as pessoas voltem a se interessar por este ou aquele produto, que o diga a Lego, quase faliu há alguns anos e hoje está muito bem obrigado, pelo menos até onde vai meu conhecimento.
    Quando a sua experiência na disputa intermodal, me desculpe, mas isto é o tipo da coisa criada para resultar no que resoltou e você foi o escolhido para fazer o papel de bobo. É um saco, mas acontece, alguém têm que fazer este papel. Se você tivésse ido com uma scooter elétrica teria chegado antes e posado de bacana ecológico, que é o que quem participa deste tipo de competição quer. Lamento, mas você foi o escolhido para perder neste caso.
    Fato é que o automobilismo têm que se reinventar, assim como muitas coisas nesta terra brasilis, inclusive o carro, ou melhor o transporte de maneira geral.
    Como explicar que a Fórmula Truck vive lotada ? Os argentinos, segundo voces jornalistas, adoram corridas de turismo, ralis etc. ?
    O problema é que não existe ninguém capaz de reverter a situação, não existe competência de muitas partes, pois o produto têm que ser adaptado ao público consumidor e não o contrário e com raras excessões não vejo até o presente momento pessoa capaz de realizar isto ou com interesse de fazer isto. Existem esforços individuais e isolados e casos de sucesso, mas falta conjunto para a obra como em tudo para o Brasil, são sempre ações isoladas.
    Outro detalhe que você não abordou, as gerações de hoje vão protestar contra o que !? Nós protestávamos contra os militares e o governo de então e quantos anos a época nós tinhamos e quantos tinham os nossos alvos de protesto. Faça as contas e você chegará a brilhante conclusão que nós temos hoje a idade daqueles contra quem protestávamos, pois é chegamos lá… Que tal nós nos transplantarmos para a idade deles e vermos o mundo em que vivem hoje ?
    Penso que se a corrida de hoje for repetida no próximo ano, o campeonato de Endurance for divulgado corretamente, dentro de alguns anos teremos um público bom como o de uma competição de Stock-car ou F-Truck.
    E na próxima competição intermodal vá de scooter elétrica ou de skate. Abs

  3. Andre Scudeller says:

    O silêncio dos audi realmente é impressionante.A infra é das melhores, a organização está de parabéns.

  4. Alexandre - BH says:

    Hoje o Kubica se estrepou no rali. De novo. É melhor matutar se vale a pena prosseguir com esse negócio. Antes parar do que arrastar correntes no box 20…

  5. ALEX B. says:

    Without the mighty MEDIANUEV, o corridão não tem o mesmo “charm”…o templo fica quase vazio…

  6. Luiz Oliveira says:

    Quando se fica lendo game of thrones, o estilo muda ???……rs….Boa crônica….Pena que eles desapareçam…..Lembra os “produtos” da Hammer Films

  7. Fiquei feliz em ler teu texto quando cheguei em casa, pois quando estava na pista e assistia aos treinos classificatórios, jurava por Deus que estava com algum problema de audição quando passavam os Audi e eu não ouvia praticamente nada. Tinha um cara do meu lado que assim que chegou, ligou pra não sei quem e fez aquela história de “ouve isso” e apontar o telefone pra pista. Passaram os Corvettes, passaram as Ferraris e quando chegou o primeiro Audi ele fez a mesma coisa. Eu olhei pra cara dele assim que o carro passou, e ele fez uma expressão de “eita porra, cadê o barulho?”

    É de arrepiar esse troço mesmo. Um abraço e boa cobertura por aí hoje!

  8. Adriano Reis says:

    Flavio, a explicação é simples: os Audi não existem, vc foi iludido, como todos nós… são espectros – daí despertarem nossos temores medievais – ou, para os materialistas de plantão, são projeções holográficas sofisticadas. De qualquer maneira, chamem o Padre Quevedo! Ou chamem os Ghostbusters! Ou chamem o Scooby-Doo e sua turma…

  9. luiz alberto says:

    concordo plenamente,e esta acredito que sempre foi a idéia dos organizadores de corridas;os fabricantes e criadores de carros mostrarem a capacidade e qualidade de seus carros independente de quem os conduza, e para lembrar os Pachecos de plantão que esta seria a categoria certa para aqueles dois Super Hiper Nadegões, o futuro e o ex segundo piloto da equipe rossa di Maranello.Quem sabe em reconhecimento pela extrema sub serviencia destes dois (até bons pilotos,más sangue de baratas) ela poderia criar um carro tipo a Ferrari 333 SP,que a algum tempo dominou as corridas de protótipos na América dos gringos soberbos.Para os dois em que a equipe sempre sera a entidade a ser servida a qualquer preço(até mesmo da honra e dignidade)esta é a categoria,agora só restaria ter um bom carro com os acentos bem moldados a seu grandes nadegões.Tenho certeza de que teria muito sucesso nesta forma de competição.

  10. Claudio W. says:

    Concordo. Desde os lendários Porsche 917, passando pelos Jaguar xjr “Silk Cut” até os dias atuais, os pilotos são coadjuvantes. Com o cockpit fechado, então, mal dá pra saber quem está pilotando

  11. Fabio Taccari says:

    Caro Flavio.
    Sem puxar seu saco, pois você claro não precisa e acho que nem gosta, mas não posso deixar passar. Dos que eu conheço na minha opinião este ,teu melhor texto . Acertou na veia. O sibilar do vento passando pela complexa aerodinamica destes carros principalmente do AUDI … Fantasmas levando um desconhecido de carona.

  12. Enzo Brocker says:

    ótimo texto!
    Concordo plenamete, embora tenha grande admiração por muitos dos pilotos ali…

  13. says:

    E se a provar acabar com a neblina que resolveu aparecer hoje, relembrando os velhos tempos vai ser show.

  14. Lucas says:

    Hey Flavio, voce não vai falar nada sobre o desafio intermodal, queria saber que carro voce usou e como foi e tal… podia contar como foi participar e o que acha do desafio e tal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *