MENU

terça-feira, 25 de setembro de 2012 - 18:50Kombi & cia., Legião urbana

LEGIÃO URBANA

SÃO PAULO (simpaticíssima) – Até parei para tirar a foto, e acabei conhecendo o dono. Uma figura encantadora, que me contou algo que eu não sabia — e os kombólogos daqui vão ajudar a esclarecer. Ela é 1968 e segundo meu novo amigo, não tinha cruzetas, mas um sistema semelhante a tração reduzida em cada roda, algo que a VW abandonou depois de um ou dois anos. Confere?

28 comentários

  1. Jorge Henrique de Paula disse:

    Eu tenho uma Kombi 73 e ela tem as reduções nas duas rodas trazeirasmais não são ligados por cardam e cruzeta , mais tenho um jogo completo com câmbio cardam e reduções para as duas rodas que comprei de uma kombi que estava sendo desmanchada .

  2. Mauricio disse:

    Fazia tempo que não via uma destas tão inteira. apenas dois apliques de fita isolante segurando o farol esquerdo…
    Legal demais!
    Tá realmente muito inteira e bonita.

  3. Teobaldo disse:

    Confere sim, Flávio. E prepare o lombo que o Galo vem aí. Um abraço!

  4. edkaefer disse:

    as Kombi antigas tinham que ter este sistema para manter a altura do carro sem que as rodas ficassem com a cambagem negativa ” \ – / ” e tambem para desmultiplicar a relacao coroa-pinhao (que era a mesma do fusca, na epoca) somente para isso.

    Se voce olhar o eixo traseiro da Kombi pelo lado interno da roda, fica facil de entender: o semi-eixo fica descentralizado (para cima) em relacao ao centro da roda, com isso pode se aumentar a altura do carro sem prejuizo da cambagem nestes sistemas de semi-eixos oscilantes….

    Quando se mudou o sistema para o chamado “IRS”, com homocineticas, as caixas independentes de reducao se tornaram desnecessarias, pois a desmultiplicacao do movimento do motor para as rodas ja se fazia diretamente atraves da reducao da relacao coroa – pinhao e a cambagem das rodas se mantinha inalterada com o movimento da suspensao.

  5. Fernando Monteiro disse:

    As Kombis pick ups tambem tinha isso, mesmo as clipers para porque carregavam muito peso. Os semi-eixos giravam no sentido inverso como se tivesse dando ré por causa da inversão da coroa e pinhão e o sentido de rotação era novamente invertida na caixa de redução das rodas. Aumentava bastante o torque em detrimento da velocidade.

  6. morpetx disse:

    FG, aqui em Atibaia tem uma “saia e blusa” vermelha e branca, com porta traseira do lado esquerdo também Ano 1975. Está encostada numa funilaria aqui do lado de casa. Aparenta bom estado e não ter muita coisa pra fazer. O cara quer R$ 15 mil. Se você ou algum amigo seu tiver interesse eu mando fotos e passo o telefone do cara.

  7. gera disse:

    Nos anos 60, tinha um amigo gordão que ia no último banco compensando o lastro nas curvas,
    e fazia curvas demais, só jogando a traseira, na época da cabeludagem, rock and roll, disbunde
    e piração!

  8. CARLOS disse:

    Isso mesmo éra uma caixa de redução com o objetivo de aumentar o torque em cada roda, visto que nas primeiras kombis o motor tinha pouco torque,Na kombi cliper este sistema deixou de ser usado. Mas uma carateristca que este sistema tinha é que o conjunto coroa/pinhão e semi exios era montado envertido em relação ao do fusca e se caso o mecanico não observa isso esta kombi teria 4 marchas para tras e somente uma para frente.
    Tenho uma histora, que um primo meu tinha uma kombi 1962 resolveu colocar um motor 1600 e ainda trocou estas caixas de redução por uma de releção mais curtas que encontrou em um ferro velho de uma Kombi dos anos 50 achando que melhoraia o torque da mesma, pois bem a kombi dele subia paredes como motor 1600 cc e com este sistema mais reduzido, mas não passava dos 80 km/h e gastva gasolina feito um carro com motor V8 e a solução foi reduzir a cilindrada para 1300 cc. Esta Kombi foi apelidada de “JABIRACA” e esta historia rolou em 1975/1976 e um tempo depois meu primo encostou a mesma em uma garage e em 1980 ele pos a venda e minha tia mãe dele fez ate promessa para que ela fosse vendida e foi……….

  9. claude bes disse:

    Sem calotas. freios a tambor ,vai encher de areia a gastar as lonas rapidinho…entra pelo furo de regulagen…

  10. claude bes disse:

    a coroa era montada invertida ,quem nao sabia quando trocava o conjunto acabava com quatro re e uma marcha p/ frente…..

  11. Luiz disse:

    A minha é 71, tem caixa de redução e motor 1500, Quando uma roda patina, ela bloqueia e traciona a outra. Mas tem velocidade, vai na boa a100Km/h.Sem duvida o melhor conjunto.

  12. Acho que eram só as 1200 que tinham caixa de redução mesmo. A minha Kombi tem diferencial autoblocante e nunca vi outra com essa acessório!

  13. Flavio Bragatto disse:

    Meu pai me falou muito sobre estas caixas de redução.

    Só assim, uma Kombi 1200 subia ladeiras com meia carga.

  14. Igor disse:

    Era uma caixa de reducao permanente em cada roda, nao tinha como mudar de reduzida para normal e vice-versa. A velocidade final de quarta era uns 75 por hora, rsrsrs…

  15. sérgio castro disse:

    Pode falar, quanto vc ofereceu por ela ao novo amigo?

  16. Batista Lara disse:

    Tive a impressão que essas rodas tem a tala um pouco mais larga. Confere?

  17. Fernando disse:

    De fato , às Kombis “mileduke” usavam uma caixa de redução em cada roda traseira. Abraços.

  18. Alexandre - BH disse:

    Gostei do Band-Aid no supercílio!

    • Roberto Fróes disse:

      Faziam, anteriormente, o que hoje fazem as juntas homocinéticas. Existem até hoje em veículos de motor dianteiro e tração traseira, na ligação com o eixo cardã.
      Quando usadas em veículos de tração dianteira DKW, os primeiros Ford Corcel, eram peças que mereciam especial atenção. Se o jogo de direção fosse todo virado e, nessa situação, elas fossem muito exigidas (por exemplo, sair numa curva fechada em subida) ela podia se partir. Mas quem as tinha sabia das manhas…

  19. JC Kloske disse:

    Verdade Flávio… Eram caixas de redução posicionadas no cubo das rodas, visto seus semi-eixos serem semelhantes aos dos Fuscas. Aliás, os primeiros Fuscas usaram também… As cruzetas das Kombis só apareceram em 75 com o modelo Cliper.
    Um abraço!

    • Marcao disse:

      Na verdade ate as 76, modelo Cliper, ainda sairam com esse tipo de caixa de reduçao nas rodas e somente em 78 que surgiram as com homocineticas. abs

      • Daniel Stegun disse:

        As Kombis utilizaram caixa de redução e cardãzinho (cruzeta) entre 76 e 77. Eu tive uma que foi do meu pai, 77/77 que utilizava este sistema, o câmbio tinha 4 marchas para trás e uma para frente, a caixa de redução fazia a inversão. O câmbio era semelhante a da Kombi diesel, que pelo fato do motor diesel semelhante ao AP girar ao contrário o câmbio ficava com 4 marchas a frente normalmente, sem precisar das caixas de redução. A partir de 78 já foram adotadas as homocinéticas. Sei disso exatamente, pois uma vez quebrou o eixo da caixa de redução, e não se encontrava em lugar algum, devido a VW ter fabricado somente nestes anos. Ainda tenho em casa o câmbio e as caixas de reduções com os cardãzinhos em casa, pois pouco tempo antes de vendê-la, havia colocado um câmbio mais moderno com homocinéticas. Como curiosidade, podemos observar que as Kombis mais antigas (c/ cx. redução), ao arrancar empinam a traseira, devido o cambio girar ao contrário, e as mais novas (homocinética) empinam a frente como qualquer outro carro, senti isso na prática com a mudança!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *