RIO, 1963

SÃO PAULO(aí sim, de novo) – Barra da Tijuca, avenida Sernambetiba, 1963. Mais uma do acervo do Alessandro Neri. Notem como o Malzoni #10 do Marinho fazia curva! Esse carro foi restaurado, está lindo. E quem estava no Porsche que saiu da pista? E no Karmann-Ghia #2?

Um monte de gente vai acertar. Lindo, o vídeo.

Comentários

  • 100 Milhas da Guanabara. Prova disputada no dia 26 de julho de 1964 em 38 voltas no “Circuito da Barra”, de 4300 metros, para carros Turismo e Gran Turismo do Grupo III do “Anexo J” da FIA. 4ª lugar na geral.

    • Nelson,

      Você tem razão.
      O KG do Landi fazia MUITO mais curva que o belo Porsche 356 de Marivaldo. Nunca dirigi um 356 original, mas dizem que a réplica da Envemo, que também não é nenhuma maravilha em termos de dinâmica, faz muito mais curva que os Porsches 356. Na tal curva próximo ao local onde estava, entrada da reta da praia, Marinho arremesava o Malzoni de chapa como um míssil.

  • Eu assisti às corridas nesse dia. Pedi muito ao meu pai para ele me levar ao Circuito da Barra e ele me atendeu. Ficamos entre o “S” e a entrada da reta da praia (Av. Senambetiba).

    Foi inesquecível. Realmente o Malzoni #10 nas mãos de Marinho e o KG-Porsche vermelho #2 pilotado por Chico Landi davam show, Marivaldo no Porsche 356 #45 ia bem até perder o controle do carro na curva que ficava ao final da reta da praia, entrada da reta de paralelepípedos (Av. Erico Veríssimo).

    A prova dos antigos foi vencida pelo falecido Mauricio Memoria, conhecido antigomobilista e colecionador carioca, também jogador de polo, com um lindo Buick Sports Roadster 1928 verde garrafa e creme, carro este que aparece no início do video aos 0:07 min, número 8 feito com fita isolante nas portas. Diziam que o Buick fez tempo melhor que muitos carrinhos de pequena cilindrada, e mauricio tocava forte o clássico Roiadster, que tinha lindas rodas de madeira.

    Notas:

    -> Mauricio faleceu em 2002. Foi Presidente da Sociedade Hípica Brasileira e do Itanhangá Golf Club, e regularmente realizava eventos de antigomobilismo no Itanhangá, tendo ele próprio sido um dos primeiros sócios do Veteran Car Club do Brasil – RJ ; foi sucedido na presidência do Itanhangá por seu filho, Mauricio Evandro, que também realizou inesquecíveis almoços para os sócios do Veteran.

    -> Se não me engano o Ford T era da coleção de Maurício Memória e foi pilotado por um de seus filhos, Mauricio Evandro ou Carlos Eduardo.

    2) Na prova principal, os destaques foram:

    # 10 -> Malzoni (de chapa) – Marinho
    # 2 -> KG-Porsche (Ramson) – Chico Landi
    # 45 -> Porsche 356 (carroceria Karmann Hardtop) – Marivaldo Fernandes

    • Vicente , me lembro muito desse dia e disso tudo como se fosse hoje , muito bom saber q. alguem mais q. viveu isso ainda lembra tb. Me emocionei com seu relato sobre meu Pai , um ser humano extraordinario a quem sempre admirei e tudo q. ele fez e tb. o q. vivi com ele. Tudo isso me traz uma imensa saudade dele. Obrigado pela referencia. Grande abraco p/ vc.

    • Sim, o KG-Porsche (Rampson) foi o vencedor da prova.
      Eu, que naqueles meus tempos de pré-adolescente considerava Landi um “coroa”, fiquei impressionado como ele arremessava o KG na curva de entrada da reta da praia. Marinho com o Malzoni de chapa vinha na mesma balada. Como eu só tinha visão daquela curva, não imaginava como Marinho, com um carro bem menos potente, descontava o que o KG levava de vantagem onde seu potente motor Porsche (Rampson) falava alto, ou seja, saídas de curvas e retas. O motorzão do Porsche de Marivaldo também roncava muito grosso, pena ele ter perdido o controle do carro, como o video mostra, na entrada da reta de paralelepípedos.
      E Mauricio Memória, no Buick Roadster 1928, também fazia bonito naquela curva, guardadas as devidas proporções.
      Ótimo post.

  • Imaginar um lance desses hoje em dia chega a ser sobrenatural…só acontece em outra dimensão. Puta saudade de viver num mundo que eu ainda não era nascido.
    A Porscheta passou como um rastelo na platéia.

  • Muito bacana as imagens. O que também chama a atenção é a proximidade que o público fica da pista, algo extremamente arriscado, mas na época, pelo que vi de imagens desse período, era comum, até na Fórmula 1.

      • Não tenho certeza, mas não me parece ser o Nevada.

        Pelo que lembro a piscina era mais larga e havia duas “ilhas” nela uma na parte mais rasa e outra na funda.

        A não ser que isso seja bem o inicio do Nevada e a piscina tenha sofrido reforma. O clube é de 1962.

        Mas como falei acima, não tenho certeza.