MOGIANAS (2)

SÃO PAULO(sobreviverei) – Foi um fim de semana tenso, em Mogi. Depois de bons treinos na sexta com o Meianov, fomos confraternizar naquela noite no renomado Koxixo, em Mogi Guaçu. Preocupados com meu desempenho, alguns adversários acrescentaram substâncias suspeitas à minha limonada e acabou que fui mantido em cativeiro por algumas horas, com a clara intenção dos elementos de impedirem minha participação no treino classificatório na manhã de sábado.

Consegui escapar dos meliantes graças à ação de comandos secretos e às 9h em ponto, para surpresa dos indigitados, estava ao volante do Meianov para cravar uma volta em 2min11 e alguma coisa (perdi a papeleta da classificação) e largar em 15° em nosso grid de 18 carros.

Na corrida, fiz uma largada estupenda, como se observa no vídeo acima, e travei luta de vida ou morte com o Passat de Dirceu “Borboleta” Depret no início da prova. Depois da ultrapassagem que vocês já conhecem, levei o Meianov até o fim sem maiores sobressaltos, porque não conseguiria chegar no Escort do nosso Henry Shimura, o Japonês Voador. A chance que eu tinha de alcançá-lo era de 5% e de cometer algum erro, 95%. Preferi ficar quietinho em quarto lugar na minha categoria.

O Chambel venceu na geral. Recebemos nossas salvas de prata, chiquérrimas, das mãos de Ingo Hoffmann. Uma honra, nem preciso dizer.

Foi, mais uma vez, um evento delicioso para todos. Voltaremos. Lista de agradecimentos? A todo o pessoal da Mitsubishi, Eduardo Souza Ramos à frente. Ao Rodrigo Ruiz, que organizou a bagaça. E a todos que foram a Mogi.

Do ponto de vista pessoal, agradecimentos efusivos ao Comandante Rossi, que me resgatou do cativeiro depois da tentativa espúria de meus adversários de impedirem minha participação na corrida. E a Guiga Spinelli, que dirigiu o carro na fuga. No pasarán!

Comentários