MENU

Tuesday, 8 de October de 2013 - 15:39Indy, IRL, ChampCar...

PRA DESCONTRAIR

SÃO PAULO (dia fraco) – O Renan do Couto achou este vídeo divertido com o Hé Liocas Troneves chegando a Indianápolis em 2003, já como bicampeão da prova. O guardinha para o piloto e vai lhe tacar uma multa por excesso de velocidade. Gil de Ferran está com ele. Pegadinha do malandro. Mas o mais engraçado é quando Helinho oferece um capacete para o policial relaxar e deixá-lo passar. “Você está tentando me subornar?”, pergunta o homem da lei. Dá para dar umas risadas, nesta terça-feira mais do que morna.

13 comentários

  1. Marcel says:

    É incrível o % de falsos moralistas… papinho piegas de preto, pobre, carteirada, suborno… ponha-se no lugar do cara que foi preso injustamente no EUA e o trauma que isso lhe causou. Na hora do nervosismo, surge o que for para se livrar de outra merda grande. É instintivo. O resto é blá blá blá pseudo-moralista de quem faz o mesmo.

    • Nilson Carvalho says:

      E assim vamos…

      …se achamos errado o suborno, se achamos que o “sabe quem eu sou” é errado, se consideramos o jeitinho brasileiro a merda que fode o Brasil, somos hipócritas.

      Pseudo-moralistas. Que nojo em ler isto.

    • A.Vandelay says:

      O que uma coisa tem a ver com outra?

      Além do mais, não fique aí pensando que o resto do mundo tem esse mesmo referencial cretino de reação como você e outros babacas têm.

  2. Luis says:

    Ha ha ha, como é divertido ver o piloto brasileiro usando de sua esperteza e malandragem… é por isso que ele é o campeão que é! Agora, se ele fosse pobre e negro… teria que apodrecer na cadeia!

    O Brasil jamais será um país decente porque o branco rico jamais aceitará o negro pobre como um igual.

  3. Fabiano de Andrade says:

    “Helinho oferece um capacete para o policial relaxar e deixá-lo passar.”

    Brasileiro não nega a raça… Não importa se é um Zé das Couves ou um tricampeão de Indianápolis.

    Ele só se esqueceu que não estava no Brasil.

  4. guilherme says:

    Pode ser meio ranzinza da minha parte, mas é pra lá de feio a atitude do Hélio de fazer o jogo do “você sabe com quem está falando?” e tentar usar da fama e conquistas para escapar da multa. Claro, todo mundo que vai levar uma multa pergunta se o policial não pode quebrar o galho e deixar passar, mas argumentar que é bicampeão da Indy 500 para tentar escapar — oferecendo um agradinho em forma de boné ou capacete, o que seria, de fato, um suborno — é tão probo e moral quanto um político desfrutando da frota da FAB pra levar a família pra passear ou descolando notas frias para justificar o uso de verbas de gabinete. No fundo, estão ambos usando da posição para subverter o sistema e obter vantagem pessoal.

    Vá lá que a pegadinha é engraçada, mas perde muito da graça quando mostra que o Helinho julgava merecer tratamento especial da lei por ser um bom piloto.

  5. guilherme says:

    Se o guardinha não abrisse a boca, eu juraria que era o Mansell.

  6. A.Vandelay says:

    Troneves tentou dar uma carteirada no começo… tsc-tsc-tsc…

  7. Allez Alonso! says:

    Hahaha, ri muito alto aqui! Passei mal… a hora que o guarda reconhece o Gil foi demais, lol!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *