MENU

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 - 7:52F-1, Gomes, Grande Prêmio, Vídeos

S DA SALVELINA (4)

SÃO PAULO (com que carro, hoje?) – Bom dia, macacada. Digo, bom dia, GP. Está no ar o comentário dem vídeo de hoje, com uma pequena reflexão sobre o baixo astral que tomou conta da F-1. Desenvolverei o tema um pouco mais tarde aqui no blog. Enquanto isso, comecem a sexta-feira com meu rostinho lindo, porque estou correndo para Interlagos. Tem treino às 10h.

15 comentários

  1. ba disse:

    E ainda tem o Bianchi… Acho que a única que se salva é a Williams, mesmo.

  2. Tiago disse:

    Os vídeos estão ótimos FG, apesar da sua cara feia. Curtos e cheios de informação. Excelente!
    Espero que continue por muito tempo!
    Parabéns!

  3. Leandro Castro disse:

    Gostei da foto do Meianov ao fundo!

  4. Fernando Kesnault disse:

    Creio que a ganancia de alguns lá dentro da fake f-1 demonstra que nada é eterno no reino da falsidade…a f-1 de hoje nao tem nada a haver com aquela de até 1988….sempre há uma só equipe a dominar uma temporada desde então, pistas chatas e sem graças, carros feios, motores ridiculos, diretrizes de condutas na pista cheias de mi-mi-mi, pilotos jovens e inexperientes…já que antes a f-1 era o top onde só se chegava (tirando as exceções, é claro) demonstrando anos de experiencia e fama….enfim, a f-1 atual é um videogame ridiculo e….viva a WEC, a V8 Supercars e a NASCAR….

  5. Clayton Moura Belo disse:

    Caraca, Véio!!! (Essas gírias) Alguém tem que tirar essa Pá Carregadeira que está na entrada da (antiga) Curva 1!!! Se tivesse pista úmida, coitado do Mad Max Verstappen… Aliås, o piazão é foda! Jå o Jun-cachorro… tsc, tsc, tsc… E esse 4G que oscila mais que o aerofólio das Lotus 49…

  6. Rafael Chinini disse:

    queria agora dos jornalistas e de quem foi ao autódromo, o veredito sobre o som dos motores!!

    • Clayton Moura Belo disse:

      Humilde opinião: comparando com os V8 de 18mil [rpm], não sei porque, a F1 de hoje lembra mais a cadeira do meu antigo dentista (com aquela broca que tinha uma correia de seção circular – só os velhos devem lembrar)… Olha, os carros (exceto Mercedes e Ferrari) são uns “muppets” com nariz de Gonzo e o ruído (já que eles não emitem mais AQUELE ronco)…

  7. RENE FERNANDES disse:

    E cadê o dinheiro?? Essa animosidade vem da pobreza do ser humano. A mesquinharia e a sede pelo poder envenenam o ambiente. O que salva, nestes momentos sombrios é são as reflexões de um rostinho lindo, juvenil e sem o brilho na testa, de ontem.

  8. Bom dia à todos,
    Esse clima de desânimo para mim é fruto da busca insana por mais e mais dinheiro elevando o custo da categoria.Faz-se necessário uma volta a essência da F1, que não é a tecnologia, e sim a velocidade.Sabemos da importância do desenvolvimento de novas tencologias porém jamais poderia sobrepujar a essência da velocidade.Motores V8,V10 ou V12 de volta, câmbio manual, circuitos tradicionais de volta, como o traçado antigo de hochemheim com aquelas retas avançando pela floresta, Zolder, Zeltweg, Imola, paul Ricard..Fora kers,ers asa móvel essas coisas cujo o objetivo é dúbio no sentindo do esporte em si.Redução de custos , principalmente tecnológicos, para enchermos o grid novamente e carros mais dependentes dos pilotos do que da tecnologia, assim teríamos uma nova era, acredito eu.

    • Roberto Fróes disse:

      Fred, você está certíssimo. Quase perfeito!
      Na minha opinião, o início da decadência da F1 já tem muito tempo, quando Bernie optou por desvalorizar a parte esportiva e valorizar o marketing. Eu me lembro das discussões, na época. E achei a conclusão final uma merda!
      Os carros passaram a parecer out-doors ambulantes;
      As pistas passaram a ser curtas, com o objetivo dos carros desfilarem mais vezes em frente às câmeras;
      Aumentou muito o nº de corridas, principalmente em locais horrorosos, sem sal nem tempero, apenas pistas caríssimas em paraísos financeiros.
      A seguir, os carros passaram a incorporar cada vez mais “vantagens tecnológicas” que cada vez mais automatizaram os carros, cada vez mais autônomos e independentes dos pilotos. Isso tudo em nome do desenvolvimento da “segurança” para os carros de rua e seus “pilotos” com uma parafernália eletrônica que não sabem usar. Mas sem ela, morreriam vários, pois sem a eletrônica que dirige os carros para eles, não conseguiriam mantê-los na faixa de asfalto.
      E os regulamentos? Pelo amor de Deus!…
      Os testes acabaram;
      Pneus obrigatórios, sem concorrência;
      Kers;
      Asas móveis (absurdo dos absurdos, do jeito como é regulada);
      Motores que zumbem, não urram (e não me venha dizer que é porquê é um V6 turbo, que já existiram e tinham som de carro brabo).
      Quer solução barata para a F1 voltar ao sucesso anterior?
      Retorne às origens!
      Carros, pistas e regulamentos simples.
      Braço, som e velocidade!

  9. Virgo disse:

    Vou ser sincero, chefia e abrir meu coração: Como pessoa voce pode até ser um chato de galocha, mas é um baita jornalista. Esse olhar procurando sempre o ângulo que não foi abordado, além das plumas e paetês dessa categoria que aprendemos a adorar com Emerson, Piquet e Senna, Digo isso pensando na cobertura – chata, vazia, mais do mesmo – que tem sido dada à Fórmula 1 pelas demais empresas de jornalismo, principalmente a Grande Irmã do Jardim Botânico no Rio. Sem rasgar muita seda, é um alento encontrar quem se disponha a botar o dedo na ferida pradizer com todas as letras “que o astral tá ruim”. Tá mesmo.

  10. Clayton Moura Belo disse:

    Bom diaaa, FGP!!! Acordou cedo, hein? Acho que nem os mecânicos mercêdicos acordaram tão cedo assim. Mas é isso! Concordo com a atmosfera de baixo astral e de crise que a F1 atingiu neste 2014; e olha que sou fã da Mercedes desde 1930…kkk… É o que chamo de “crise de modelo”. Uma crise que começou com o abandano das categorias de base, com uma Europa “unificada” e politicamente correta, banindo os principais patrocinadores, banindo fórmulas de baixo custo e confederações locais agindo como trampolim político para larápios mais interessados em rinha de galos do que no esporte motor. E La Nave Vá!!! (P,S,: não tenho formação acadêmica em jornalismo mas expresso minha opinião: os vídeos do Bom Dia GP estão dando de 10 naqueles do Bom Dia Copa! Eles fazem exatamente o contrário do que as mídias televisivas – dos canais abertos ou a cabo – fazem, isto é: ao invés de invadirem a nossa sala, o Bom Dia GP nos convida para entrar na sala – ou escritório, ou “outlet”, ou Q.G., ou “cafofo” – do apresentador. E isso é impagável! A câmera, grande angular, contribui muito para isso… Esse é o caminho! E deixa eu mandar o comentário rápido porque o 4G daqui de Interlagos está oscilando mais que as suspensões do Tyrrell P34).

  11. emerson57 disse:

    Sr. Flavio,
    por favor, peça para o estagiário corrigir a página “programação” no portal.
    está uma bagunça. obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *