MENU

quarta-feira, 3 de junho de 2015 - 20:32F-1

NÃO FAZ SENTIDO

SÃO PAULO (repensem, senhores) – O José Everson de Abreu me mandou um negócio interessante. Vamos lá. Primeiro, vejam isso aqui.


Lembraram? O impagável Alex Yoong. Dos piores pilotos que já passaram pela F-1. Malaio, arrumou uma grana para a Minardi. As imagens são do início da classificação para o GP da Malásia de 2001. Como contam os meninos do “Pitlane”, o blog de automobilismo do “Correio do Povo”, de Porto Alegre, o tempo de 1min40s158 colocou o pobre Yoong na 22ª e última posição do grid para aquela corrida de Sepang. O pole-position, Schumacher, cravou 1min35s266. A Minardi, que pouco tempo depois seria comprada pela Red Bull, usava poderosos motores Asiatech.

Aceleremos a ampulheta. Sepang, 2015. O Q1 foi o único pedaço da classificação realizado com pista seca. Hamilton foi o mais rápido. Seu tempo: 1min39s269. Yoong, com a volta de 13 anos atrás numa Minardi-Asiatech sem asa-móvel, com pneus raiados e orçamento de 30 milhões de dinheiros, que a Mercedes deve gastar em dois GPs, teria feito o quarto tempo no Q1 da Malásia de dois meses e meio atrás. Yoong. Minardi. Asiatech. Pneus com ranhuras. Sem asa-móvel. 2002.

Hamilton, com sua excepcional volta de um-trinta-e-nove-e-uns-quebrados, largaria naquele grid de Sepang em 21º. Na frente de Webber e Yoong. A dupla da Minardi. Isso com uma Mercedes 2015. Com slicks. Asa-móvel. Time de fábrica. Hamilton, bicampeão mundial.

Gastaram zilhões para desenvolver as novas unidades de potência. Elas têm turbo e dois motores elétricos auxiliares. Para tirar uma e colocar outra, leva mais ou menos um mês. E se alguém esquecer de conectar algum plugue, só será possível descobrir qual é se chamarem um exorcista.

Não faz o menor sentido. Na verdade, é ridículo demais.

134 comentários

  1. Mario Gasparotto disse:

    Pra ver a diferença de 15 anos atrás com os carros de hoje é só observar as voltas nas câmeras onboard! Comparar com 2003 então é covardia!!

  2. luiz carlos barbosa disse:

    Para quem gosta de barulho de aspirador de pó a formula 1 atual é uma beleza…eu prefiro o velho som dos V-12 V-10 e V-8 que fora o barulho tinham potencia também.

  3. TJ disse:

    Sem contar no ronco do motor. Peloamor….

  4. DANILO disse:

    Ainda bem que existem NASCAR,Moto GP,DTM,V8 Supercars,Blancpain GT Series,WEC,SuperBike,entre outras,para suprir a Fórmula 1.Nos últimos cinco anos,tá cada vez mais difícil acompanhar a categoria que já foi a maior do planeta.

    • DANILO disse:

      Não é que eu não gosto,o problema é que a Formula 1 não é a mesma de dez anos atrás,quando ainda tinha tesão e ainda dava gosto de se assistir.Basta ver os índices de audiência nos últimos três,cinco anos.Até os fãs mais fiéis da categoria,como é(ou era)meu caso,estão abandonando a categoria e migrando para outras.O crescimento da Formula E,Moto GP e outras categorias não deixam-me mentir.Fora o crescimento da NASCAR fora dos Estados Unidos.O fato é que muitas outras categorias cresceram e a Formula 1 ficou para trás.

  5. Carlos disse:

    A Formula 1, hoje, é uma competição de Engenheiros. Não é de Pilotos desde o inicio dos anos 90. A Formula 1 é um imenso laboratório. As unidades de potência podem ser ridículas no conjunto resultante que são hoje, mas embarcam, dentro delas, tecnologias (de materiais, de software, algoritmos, de termodinâmica, de interação de sistemas) que serão aproveitadas individualmente, principalmente pelas fabricas que os patrocinam. Não por isso limitaram a a evolução da aerodinamica. Motor a combustão ? Existe desde 1905. Precisamos de coisas novas . A introdução de novas tecnologias está procurando criatividade e alguém vê aproveitamento tecnológico nisso. Pr que a Honda voltou ? A Formula 1 é campeonato de Engenheiros, amigos. Agora mais que nunca. E nada errado nisso. Por isso gosto dela.

  6. Marcelo Araujo disse:

    Ainda bem que existe a Moto GP para nos salvar desse marasmo.

  7. Giuliano SPFC disse:

    O pior é que gastaram milhões pra desenvolver essas bagaças, super complexas e cheias de frescuras, pra andar 5 segundos mais lentos…é só ver o que os competentíssimos japas da Honda estão sofrendo com essas “unidades de potência”, ou alguém aí acha que eles não sabem fazer um motor?? e eu sou muito macho…kkkkk, mas em Interlagos o ano passado, no 1º dia de treinos, ao som do primeiro carro, eu admito…broxei…foi o fim de semana mais decepcionante nesses 14 anos que frequento Interlagos, o meu velho aspirador de pó está mais barulhento e rápido que os carros de F1, espero que ano que vem seja o último dessas porcarias.

  8. Franco disse:

    Ta na hora de espremer o Berne, gostei do chega pra la do Vettel que afirmou que quem tem poder de tornar F1 mais popular e quem tem o poder de reduzir o preco dos ingressos.

  9. Luiz disse:

    Corrida de carro serve para ver quem é o mais rápido. A cada ano que passa o esporte tem que evoluir, ficar mais radical. Não se pode admitir uma corrida onde o ponto principal seja a economia de combustível. Isso serve para taxi, carro de rua, caminhão, não para corrida de automóvel. Antigamente existiam ultrapassagens no braço, hoje só existem por causa da asa móvel ou do motor elétrico. A dirigibilidade perdeu a graça, as corridas são muito chatas. E para terminar de vez com a categoria, limitaram o giro dos motores e colocaram um abafador, acabou com o barulho mais lindo do mundo. Será que no ano que vem vai ter limitador de velocidade ou quem sabe uma blitz no final da reta…

  10. marcos disse:

    Liberem tudo! Limitem apenas os freios, pq os de hj, todo mundo so pode parar no mesmo lugar sempre. 1cm pra lá ou pra cá, o cara já bate. Bom é se fossem menos precisos, ter que começar a frear bem antes, dosar o pé etc etc…
    Enfim, acho q todos os esportes de ponte estão passando por isso. Já estamos muito próximo dos limites tecnológicos que para ter graça, temos q andar pra trás.

  11. Jhonatta disse:

    Galera vamos ser justos.

    A julgar que o Q1 é a volta mais lenta em relação ao Q2 e Q3, Hamilton fez 1min39s269 , será que ele não abaixaria ainda mais no Q2 ou Q3? Mas para mostrar melhor o que falo voltamos um pouco em 2012 onde o motor não eram esses mesmo de 2015 o mesmo Hamilton e nesse mesmo circuito ficou em primeiro no Q1 fazendo 1min37s813. Viu só outro motores e a diferença não está tão grande, certo? vamos continuar? nessa mesma classificação Hamilton conseguiu a pole com o tempo de 1min36s219, olha só para vocês verem que interessante, o Hamilton conseguiu baixar incríveis 1seg594. Muito interessante vocês não acham? então vamos voltar para 2015 e vamos supor que tivesse ocorrido tudo com pista seca e que o próprio Hamilton conseguisse baixar os mesmo 1seg594 de 2012 ele faria pole com o tempo de 1min37s675 ou seja os números parecem menos impressionantes agora né? Caro Flavio Gomes adoro seu blog e continuarei vindo aqui diariamente mas acho que deve parar um pouco com o preconceito sobre os carros e motores desse ano. Vamos seguir a sua linha de raciocínio e vamos comparar os tempos no ano de 2012 que não são os “Odiados” v6 atuais e que se fosse em 2012 o mesmo Alex Yoog ficaria em 20° e perdendo para a caterham de Vitaly Petrov e ficando a frente apenas de Marussia e Hispania. Só acho que a F1 tem alguns erros sim mas não é o motor e a aerodinâmica que está atrapalhando. Acho que algumas das ideias que estão sendo mostradas vão sim surtir efeito, vamos aguardar para ver. Acho que o post deveria ser reeditado caso eu esteja correto…

  12. Rafael Apache disse:

    Acho que é óbvio que essa diferença de tempo é unicamente devido à aerodinâmica. Aqueles carros do início do milênio tinham no mínimo 200% do downforce dos atuais, o que faz muita diferença nas curvas(principalmente nas de alta) e na retomada de velocidade.

  13. carlos jose pimenta disse:

    Caramba o negócio é o seguinte: Disto tudo ai, só não tiraria a velocidade no pit lane, pois o Nelson uma vez no México entrou a 250 kmh, e se hoje a molecada for copiar dá merda. O resto troca tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *