MENU

Thursday, 29 de September de 2016 - 10:12Dica do dia

DICAS DO DIA

coisasdosennatatui

SÃO PAULO (correndo) – Nesse mar de coisas da internet que a gente acaba não vendo, achei meio por acaso esta ótima matéria de Marcelo Moura, escrita em 2010 para a “Quatro Rodas”. Trata-se de uma visita à casa de Ayrton Senna em Tatuí, interior de São Paulo, onde até hoje vivem, relativamente reclusos, seus pais. Muito interessante a casa anexa onde o piloto guardava seus brinquedos — como aviões, miniaturas, carrinhos de controle remoto, equipamento de aeromodelismo, uma de suas paixões –, quadriciclos, jet-skis etc.

Seis anos atrás, estava tudo intocado e organizado. Uma cápsula do tempo. Impressionante.

Ah, cheguei na matéria depois de ler esta outra aqui que me mandaram, do Senna testando 12 carros brasileiros para a revista, em 1984. É bem legal. E nota-se que ele gostava da Ford. Não por acaso, viria a ter uma revenda da marca anos depois.

10 comentários

  1. Richard Bagg says:

    Senna frequentava o Centro de Práticas Esportivas da USP com frequência e eu me lembro de ficar numa pequena fila para lhe falar entre nos intervalos em que o Pro. Nuno Cobra o deixava molhar a garganta, sempre ao lado pista de atletismo, do lado oposto do velódromo. Me lembro como se fosse hoje. Levámos exemplares da Revista Ação para ele autografar e ele conversava com todos, sem necessariamente ser atencioso ou se demorar muito.
    Um dia lhe roubaram o carro no estacionamento, aqui dentro da Cidade Universitária. Era uma Mercedes Touring, não lembro do modelo. Ao contrário do que se poderia imaginar de um campeão mundial, ele ficou puto. Com razão, pois não se via peruinhas Mercedes rodando por aí e, portanto era fácil recuperá-la. Ele vinha sozinho, dirigindo-a. Muito depois o vi de Audi SW. Não lembro se era RS4.
    Creio que apesar de sua predileção pela Ford, as peruinhas loiras sempre foram as preferidas. hehehehehe.

  2. ARNON says:

    ele também gostava de montar kits olhem la no fundo um kit tamya do honda nsx, são muito raros e dificil de serem montados!! grande SENNA

  3. Vitão says:

    A concessão da revenda FORD para o Senna foi parte do pacote para ele ficar em 93 na McLaren , que correu com o motor Ford-Cosworth .

  4. Luiz (o outro) says:

    Eu me lembro dessa reportagem da 4 Rodas, na época eu comprava sempre a revista. Era um garoto louco pra um dia ter um Passatão. Não tive. Mas tive alguns desses carros e dirigi todos, no geral o Passat ainda tem minha preferência.

  5. Gus says:

    Gostava tanto da Ford, que nunca posou com o Gol GTi que ganhou do Banco Nacional ao final do primeiro campeonato…E o gol era lançamento, o melhor esportivo da época (de longe o melhor), caro e com tiragem bem limitada. Fora a foto na Volks, parece que nunca se viu o Ayrton ao volante desse mimo.

  6. Ricardo Neves says:

    Realmente nota-se que era aeromodelista e sabia das coisas. pratiquei aeromodelismo por alguns anos , construindo e voando vários modelos. Mas por incrível que pareça, sempre achei que um dos mais prazerosos e gostosos de voar até hoje, foi o clássico “Das Ugly Stick”. E, posso ver que Ayrton também devia gostar, pois tem um ali pendurado na parede. (avião azul no canto superior direito da foto). Apesar da sofisticação de rádios, jatos, quantidade de canais e etc, sempre preferi a simplicidade e a qualidade de vôo do Stick. Acho que seria um equivalente do fusca no aeromodelismo.

    • RODRIGO BARRETO says:

      Pois é, Ricardo! Também notei o Stick na parede. Apesar de não ter o leme tradicional o restante do perfil é inconfundível!

      É realmete um excelente avião para quem está começando no hobby e para quem quer apenas um vôo mais relaxado. Tem um envelope de vôo praticamente imbatível efoi, com certeza, a porta de entrada de muitos para aprender o básico sobre acrobacia.

      Tenho até hoje um elétrcio pequenino para voar na praia. É dos que mais gosto!

      Abs!

  7. Julio Lima says:

    Caro Flávio, veja essa pequena notícia aqui, sobre uma oficina na Polônia que ainda faz balanceamento usando um computador de 34 anos de idade.

    http://gizmodo.uol.com.br/commodore-64-ainda-em-uso/

    Abraços.
    Júlio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *