MENU

sexta-feira, 3 de novembro de 2017 - 11:26Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10”: MAIS DE INTERLAGOS

Já avisando: o vídeo ficou longo, porque resolvi responder os internautas à altura, no mesmo tom.

49 comentários

  1. Casagrande disse:

    Flávio bom dia!
    O namorado da Barbie pode fazer restaurantes, museus etc e Interlagos e depois através de uma licitação oferecer esses locais para a iniciativa privada explorá-los por um período pré determinado em contrato, onde valores de aluguéis, obrigações etc estivessem claros. Teria assim os tais locais para gerar receita e o autódromo continuaria sendo do povo.
    Poderia inclusive ao invés da prefeitura construir os locais, sugerir aos Fasano,aos Fogo de Chão, etc que fizessem essas instalações. Se na análise deles forem opções rentáveis, eles o farão.
    Mas eu duvido que haja alguém que queira investir lá. E como você disse, no Brasil toda privatização é feita com dinheiro público. Desse jeito até eu que sou mais bobo quero.
    abs,

  2. Luiz de Souza disse:

    Parabéns Flavio ! Minha admiração pelo seu trabalho, comentários e pessoa só aumenta. Não tenho um porcento do seu nível para me expressar. Fico abismado com este tipo de ataques que recebemos quando somos contrários as idéias desses caras chatos que querem ler e escutar apenas o que lhe interessa.
    O cara vem no seu blog e sugere o assunto que você deve escrever! Acha que você e grosso. Pois na minha opinião você é muito educado. Se sou eu. Mando estes bostas não só sumir.
    A leitura de seu blog, para mim é diária. Concordando ou não com a sua opinão , Édiaria.

  3. Fabio M. disse:

    O negócio deste prefeito não é Interlagos. Mas o pacote completo Interlagos-Anhembi-Pacaembu-Mercado Municipal-etc. É jogar para cima, para ver o que pega. O importante para ele é valorizar em $$$$ tudo que puder para fazer negócios usando a coisa pública, mirando a finalidade pessoal dele e de seus amigos. Pode não privatizar, mas faz balão de ensaio. Não vende Interlagos, mas sobre o metro quadrado da região. Não vende o complexo Pacaembu, tombado, mas sobe o metro quadrado dos bairros ao lado. E, se consegue vender, ainda fatura, e faz propaganda nas redes sociais. É a figura de imagem, o slogan “acelera”, hospital-corujão”, a imagem do “gestor”. Nesse “acelerador”, entra tudo: atacar a cracolândia, pra fazer a “Nova Luz”, ir para a Coreia, para inventar o “Little Seul”. Isso tudo não passa de embuste marqueteiro.

    Interlagos, todo ano, precisa se atualizar, E não seria só para a Fórmula-1. Com as reformas que recebe, já teria potencial para outros eventos de nível internacional. Se existir promotores com competência para bancar o evento (WEC, WTCC, MotoGP, Indy), entra no calendário da cidade. O lance é quem vai (ou não) se beneficiar…

  4. Speed Racer da Mooca disse:

    As pessoas talvez se esqueçam que foi justamente na administração da Luiza Erundina que a Formula Um voltou pra São Paulo. Claro que o momento era propício, um piloto paulista se tornara campeão e fenômeno para os brasileiros em 1988 e, se não me engano, e me corrijam caso contrário, o contrato com o Rio estava em final de vigência. Sejam lá quais fatores preponderantes se deram , fato é que houve vontade política e visão de oportunidade, características que hoje dizem ser incongruentes com uma administração de viés social como foi a dela. Embora não seja o enfoque aqui, vale lembrar também, que Erundina é responsável pela construção do Sambódromo e complexo do Anhembi, ou seja, os dois maiores eventos que temos hoje, que trazem retorno turístico maciço pra cidade, ocorrem em locais proporcionados por uma administração totalmente diferente do que a que hoje se beneficia deles. Administração pública é isso, gente. É, com responsabilidade e dentro do que cabe à quem decide, primar pelo que é do interesse comum.

  5. Alessandro Neri disse:

    Nelson Rodrigues disse: ” Invejo a burrice porque ela é eterna.”

  6. Basilio disse:

    Flavio, concordo com quase tudo o que vc escreveu, só acho que a intenção do prefeito botox não é de que iniciativa privada assuma a gestão do autódromo. Creio que ele esteja associado a empresários para entregar a área de interlagos à especulação imobiliária ( condomínios, shopping centers, etc.). Quanto a impossibilidade de venda do autódromo, condição imposta na doação do terreno, meu amigo, sob a justificativa de atender ao interesse publico e de diminuir o peso do estado, qualquer político consegue derrubar qualquer amarra. Portanto, acho que bicho é bem mais feio do que vc imaginou.

  7. Kbça disse:

    Boa Flávio!

    O que impressiona é a capacidade desse povo de falar merda.
    É o “copia e cola” dos tempos modernos.
    Vamos aprofundar minha gente, antes de vomitar informações que julgam certo sem nenhum embasamento.
    Abraço.

  8. petrus disse:

    Flavio. Virei, de vez, o seu maior fã.

  9. Gabriel P. disse:

    Parabéns Flávio mais uma vez.
    Posição mais do que certa de quem tem caráter, moral e reflete antes de dizer qualquer coisa.
    Quando aos burros, chegar a ser besteira responder ou discutir com quem não tem neurônios para se informar, pensar e agir com inteligencia.

    A prova mais cabal e definitiva da incompetência dos governantes é desejar privatizar patrimônio ou empresa pública. Se dá prejuízo, a culpa é de quem administra. Simples assim.
    Basta não eleger ladrões e incompetentes.

    Pior é ter imbecis que pagaram para construir os tais bens, pagam para serem administrados e acham ótimo estes bens serem roubados (roubados sim, porque patrimônio é público e não de nenhum governante) . doados a terceiros para faturarem com grana do povo.

  10. foca cruz disse:

    Caraio FG, é esse mesmo povo que xinga e não lê nada nem vai a museus é que quer acabar com a cultura e com a arte, acabar com as leis de incentivo, essas mesmas que fazem os livros sobre história do Brasil, folclore popular, sobre a vida na Amazônia, sobre fotógrafos e autores brasileiros ilustrados por desenhistas brasileiros que sustentam milhares de gráficas, filmes filmes documentários que não dão bilheteria como essas merdas de comedia rasteira que passam nos cinemas, mas trazem cultura e informação para os estudantes, centenas de estudantes que saem das faculdades de design e de comunicação e que com essa grana vinda de uma micro fração do impostos das empresas que se beneficiam colocando seus logotipos nesses livros e documentários alimenta o comercio num circulo virtuoso pra economia. A visõ de que o Estado tem que ser como uma empresa é curta, como vc disse, o Estado tem que fomentar atividades que não são comercializáveis como um espetáculo de ballet, uma orquestra de musica clássica e esportes. Historicamente corridas são para a elite fazer e o povo assistir, então acho que tem que haver parceria pois sozinhos ambos, o publico e o privado não vão conseguir e o prejuízo é de quem fica sem ver e da cadeia de profissionais envolvidos que deixam o mercado. É essa gente que acha que shopping centers são a solução pra td, Esses haters que tem como idolo gente sem a menor cultura, só truculência como argumento e solução pra tudo. To contigo nego. Aqui entre nos tds, sempre fui critico da esquerda, até pq td mundo erra e a Direita SÓ erra… mas sei bem que os únicos com princípios humanistas no pensamento sempre foram os que estão à esquerda. Desculpe o textão mas ando incomodadissimo com os ataques da extrema direita em cima de nós artistas, honestos operários da Arte, como dizia o grande Antonio Abujamra. Grande abraço.

  11. Luis disse:

    Caro Flavio,
    Concordo com seu argumento. Infelizmente não tenho certeza que o terreno não será vendido, pois o alto valor de mercado do terreno do autódromo não é impedimento para que a “iniciativa” privada avance sobre o bem público, simplesmente porque não pagarão o que vale. As privatizações dos anos 90 encabeçadas por FHC sempre foram realizadas por valores abaixo do mercado. Na privatização, como o bem é público, o “gestor” não tem interesse em vender pelo que vale, afinal o bem não é dele mesmo, então dane-se a opinião pública, pois a comissão da venda estará garantida de qualquer maneira. Quando vc vende o que é seu, vc é criterioso (ao menos será se vc não estiver passando por um “sufoco”), agora imagine vender algo que não é seu, vc não deve satisfação a ninguém (ao menos é o que o prefeito pensa) , e não tem outro interesse que não seja se dar bem.
    Espero que não seja vendido.

  12. Farid Salim Junior disse:

    Bem, de acordo com o post anterior, eu já havia dito isso – sobre o valor do terreno – sobre essa sandice…
    Existem privatizações que calham de dar resultados positivos – caso da telefonia, por exemplo. Mas, geralmente servem (as privatizações) para gerar propinas, limpar dinheiro sujo, pagar dívidas de campanha, entre outras falcatruas. Que o digam as diversas fases da Operação Lava-Jato, onde várias empresas privadas pagaram propinas para políticos corruptos, para se beneficiarem de alguma forma. Como sempre digo, a nossa carta magna nada mais é do que um aglomerado de interesses particulares publicados em um livro, onde, entre outras coisas, permite que se legisle em causa própria! Um horror!
    O sucesso de uma privatização é decorrente do benefício público que será ofertado à população. então, pergunto: qual o benefício à população que será ofertado, essa privatização, concessão, arrendamento, ou sei lá mais o quê, relativa ao autódromo de Interlagos? Na real, não vejo, ouço ou leio nada além de suposições, utopias e falácias…
    Portanto, não se trata aqui de posição político-partidária, ou de ideologia de qualquer ordem política, mas sim, de cuidarmos de proteger um patrimônio que pertence hoje, não apenas a São Paulo, mas a todo o País, seja por tradição, seja por fatores históricos, emocionais, mas antes, sobretudo, pelo direito de continuar desfrutando desse espaço tão importante.
    Falando em importância, lembro que de fato o autódromo é utilizado sim, e muito até pelo governo do Estado de São Paulo. Muito treinamento da policia militar e da polícia civil – no que tange direção de carros de serviço, ou seja, viaturas policiais – são realizados lá. Muitas empresas fornecedoras de peças para a indústria automotiva também o usa, para servir à população rodante, com peças de qualidade e resistência. Os Piquet, Senna ou Fittipaldis do futuro – que sonham em ter seus nomes bradados na Tv pelo Galvão Bueno – precisam dele para chegarem aos pódiuns da vida!
    Aos que ainda têm dúvidas, procurem por Gabriel Marazzi – jornalista, piloto e filho de uma lenda saudosa e querida, Expedito Marazzi – para saber o que já foi realizado de testes dentro da pista, que hoje equipa nossos “Corsa 1.0” ou Fiat Uno ( seguindo o conceito de carro popular, usado por muitos brasileiros…
    Enfim, Flávio, nessas horas, nem cabe dizer se sou a favor ou contra suas convicções políticas, mas fato é que razão é para quem a possui, não para quem a deseja. Terá sempre o meu apoio para defender o Templo Sagrado do nosso sofrido automobilismo contra os interesses e vontades individuais de prefeitos almofadinhas, riquinhos mimados em posição pública por vaidade e, que não têm nada mais interessante para fazer!

  13. Boa noite, minha vontade era de proferir zilhõesss de palavrões mas a boa educação não permite mas, é de ALEGRIA. A quanto tempo não vejo alguém posicionar-se desta forma.
    OBRIGADO, OBRIGADO, OBRIGADO
    Neste deserto de encéfalos em que nos encontramos, este debate nos faz ganhar o dia……
    Parabéns companheiro. Você não está sozinho.

  14. Thiago Muniz disse:

    Flavio Gomes,
    Perdendo o seu nobre tempo argumentando com REAÇAS IMBECIS?
    Quem é reaça vai morrer reaça, ainda mais aqui no Brasil.

  15. THIAGO MUNIZ disse:

    Flávio.

    Perdendo seu nobre tempo respondendo REAÇAS IMBECIS?
    Quem é reaça vai morrer reaça, não adianta argumentar com esse lixo.

  16. pedro araujo disse:

    uma noticia correlata ao assunto:

    https://jornalggn.com.br/noticia/com-a-cyrella-a-mais-atrevida-tacada-de-doria-por-luis-nassif

    o incrivel é que tem quem apoie esse tipo de coisa

  17. Fabio Mota disse:

    Gomes,

    Politicamente creio que podemos discordar de tudo ou quase td mas o teu vídeo foi muito interessante uma vez que vc foi focado, seco e sem mimimi que alguns “entendidos” teimam em ir por convicções facebookianas…

    Sou de direita mas nem por isso digo ideias sujas da turminha do PSDB… anyway vc é um dos melhores que aqui temos. Mais uma vez… discordo muito de vc politicamente mas isso não impede de admira-lo no que faz bem.

  18. AS disse:

    … impressionante como a “midia parcial” conseguiu resgatar os tempos da guerra fria com essa coisa de comunista e nao-comunista na cabeca das pessoas. O mundo ja’ deixou isso pra tras ha’ muito tempo e o brasileiro-medio continua com essa estoria… meu deus !! borinnnng…

    Mudando de assunto… Interlagos merecia a recuperacao do antigo circuito. Com essa nova formula 1 o tempo da volta e’ muito baixo… parece kart.

  19. joel lima disse:

    Em todo negócio que Dória se mete, a regra número 01 é ele se dar bem. O resto que se foda.

    O mais trágico no Brasil atual é que os fdsp que chegaram ao poder estão adotando um esquema econômico que a Argentina adotou dos anos 90 até 2001 – e que resultou num país quebrado. Aos que me dizem que o Brasil está indo pro caminho certo porque está agradando ao mercado, digo que sou duma geração (tenho 43 anos) que cansei de ver nos anos 90, 99, 99 por cento dos analistas econômicos estrelares da época (a principal era a Lilliam Bife Kibe, a Miriam Leitão dos anos 90 rs ) lambendo a política econômica da Argentina, que fazia os argentinos terem uma moeda tão forte quanto o dólar (enquanto, por causa da inflação sem controle, o Brasil quase nem tinha moeda na prática) e assim eles praticamente alugavam Santa Catarina no verão (rs). E o truque era vender todo o patrimônio público sem critério e a preço de banana e tornar o peso igual ao dólar – truque que qualquer economista de primeiro semestre sabe que é o caminho pro desastre, pois na prática o país fica sem moeda própria. Mas aí a mídia falava justamente ao contrário, que era um programa genial. Não deu outra = a farra acabou quando os dólares secaram e o peso virou mico e a Argentina teve uns 5 presidentes em sei lá dois meses.

  20. Camacho disse:

    Apesar de discordar de muita coisa que você fala, concordo com tudo o que disse nesse vídeo. Parabéns!
    Aliás, não entendo o porquê de você responder a esses paspalhos…

  21. RAMISSES ANDRADE disse:

    Boa tarde Flavio , concordo com o que voce diz sobre Interlagos não dar prejuizo e de ser um bem publico , mas será que se houvesse uma privatização organizada (o que é dificil ) ,náo haveria uma melhor estrutura do circuito? as vezes assistindo outras competições parece que interlagos só esta bem maquiado pra F1. abraços

    • Gabriel P. disse:

      Em vez de uma privatização organizada.
      Que tal uma administração pública, honesta e com gente competente que não dê prejuízo.
      Afinal , não é para isso que elegemos os governantes ?????

      Se teima em privatizar ou é incompetente ou está de má fé e vai ganhar algum.

  22. Flavio, um exemplo da ineficiencia da inuciatuva privada vem da Argentina na decada de 90 a estatal argentina de petroleo valia mais que a Petrobras ,tinha participacao em varios paises ,inclusive aqui no brasil.
    Mais importabte produsia gas e petroleo suficiente atender com folga e sobra o mercado argentino.ai o genio privatista presidente Menen doou a estatal para a espanhola Repsol e em menos de 15 anis sem investimentos so mandando lucro para espanha a argentina passou de auto sugiciente e ate exportadora de gas e petroleo para depebdente do gas boliviano e tendo que importar barris de petroleo da Venezuela senao haveria um apagao energetico em terras portenhas.foi tao grave que o geverno argentino deu um buca nos espanhois comprou a ipf ( REPSOL ) de volta.

    So um exemplo.

    • pedro araujo disse:

      outro exemplo: a inglaterra está pra re-estarizar o sistema ferroviario deles.

      e o setor energetico tambem nao deu muito certo em maos privadas

    • pedro araujo disse:

      o menem e a tatcher sao bem odiados nos seus respectivos paises…

      aqui, por outro lado, é essa falta de senso crítico…

    • Basilio disse:

      Aeroportos também. Compraram os aeroportos argentinos com dinheiro emprestado pelo governo sob a justificativa de investir em melhorias na infraestrutura. Sumiram com o dinheiro, não investiram nada e devolveram os aeroportos para governo, Me lembra o que está acontecendo com os aeroportos de outro país da América do Sul., né não?

  23. Augusto disse:

    FG, não se trata de privatização, e sim de concessão pública. Vocês bem destacou que Interlagos não pode ser vendida, pela condição imposta na doação do terreno do autódromo.
    O autódromo gera sim receita, e da boa, mas você esqueceu de mencionar o tamanho da despesa.
    Agora, se é viável essa concessão, se haverão interessados, é outra coisa, e dado os custos para viabilizar um GP de F1, também acho difícil esse negócio rolar.
    Mas é preciso que você altere esta fala de que haverá privatização. Esse é o meu ponto de vista.

    • Flavio Gomes disse:

      Primeiro, não falei nada sobre a condição do uso do terreno. Segundo, dá despesa e gera mais receita que despesa. É uma conta simples de fazer.

    • Gabriel P. disse:

      Concessão é pior ainda porque, por incompetência em administrar o governante entrega um patrimônio público construído com dinheiro público (nosso dinheiro) para a iniciativa privada faturar .
      No caso de um prefeito que se elegeu dizendo ser um bom gestor, prova que é muito incapaz e incompetente para administrar.

  24. pedro araujo disse:

    gomes, achei foi curto o video… umberto eco foi um bom fechamento pra argumentacao, a proposito

    no mais, legal demais o poster do cartaz do filme do roberto, hein?

  25. Fernando disse:

    Excelente explanação Flavinho. Parabéns!!!

  26. Luciano Borges disse:

    Parabéns pelo paciência, Flavio. Impressionante a dificuldade que o brasileiro médio tem em entender a distinção entre público e privado. (Em entender qualquer coisa, na realidade). Explicar o que é função social para essa turma então… Também tinha me lembrado, assistindo o vídeo, da frase do Umberto Eco. E, de fato, é o que acontece: a internet deu voz a milhões de idiotas…

  27. Juan Novak disse:

    Não entendi, se o autódromo não será vendido porque o vídeo? Acho que deveria responder as perguntas mas pertinentes e não aos ataques.
    Apesar de não concordar com algumas coisas do vídeo, respeito as opiniões.

  28. Tássilo disse:

    Vamos voltar para o automobilismo.

    • Flavio Gomes disse:

      Eu falo do que quiser.

      • Marcelo disse:

        Flavio, você fala das pessoas que são grosseiras nos comentários, mas veja o seu para o rapaz acima…
        Entendo que esteja “puto” com essa gente…
        Sou de Direita, mas concordo em tudo que falou. As pessoas têm de entender que privatizar nem sempre é o melhor. Tem de saber o que privatizar e se financeiramente é viável. A Vale é um ótimo exemplo para os adoradores do prefeito-gestor.

      • Flavio Gomes disse:

        Meu filho, qual você acha que deve ser minha reação a alguém que vem aqui me dizer sobre o quê eu devo escrever?

  29. Fritz Jordan disse:

    Bem falado, Flavio.

    Também não vejo qualquer possibilidade de viabilidade econômica que possa atrair investidores privados com o compromisso de utilizar a área para sua finalidade precipua. Resta avaliar se há hoje um custo aceitável da manutenção do parque em relação ao proveito social que o mesmo proporciona, acredito que sim.
    No entanto, temos que deixar de lado a ideia utópica que há, no Brasil, governantes que se abstenham de procurar alcançar benefícios pessoais e/ou políticos com a administração da coisa pública. Claro que os agentes privados nacionais também não têm demonstrado serem a cura para a corrupção que faz parte da definição do que é o Brasil.
    A verdade é que tanto os admiradores da iniciativa privada (como eu) quanto aqueles fãs de um maior intervencionismo estatal (como você parece ser) estão meio órfãos de ideias realistas que sugiram haver uma luz no fim do longo túnel que engoliu o país.
    Que Interlagos sobreviva, nem que seja por sua importância histórica.
    Abraço,
    Fritz

  30. Bruno disse:

    Acredito que lhe falta coerência. Eu já trabalhei neste mundo e, por questão de caráter (como você diz), saí porque não tinha nada a ver comigo. E, buscando aqui no seu blog, olha o que você escreveu sobre a Barra da Tijuca: “Hoje a Barra, cafona que só ela, tem réplica da Estátua da Liberdade…”. Se não me engano, em São Paulo, você morava em Moema, outro bairro bem peculiar. Nada contra morar na Barra, em Moema, ou trabalhar num dos negócios mais capitalistas do mundo, mas é preciso ter coerência.

  31. Simão disse:

    FG…desencana dessa função de responder comentários dos burros endêmicos. As redes sociais estão repletas deles… Não vale o tempo de uma volta lançada em interlagos. Abraço

  32. Julio Lima disse:

    Em relação a não ter interessado em comprar o autódromo por causa do valor dele, isso aí o prefeito resolve fácil: vai vender por 1/100 do que vale. Igual a turma dele tá fazendo com o pré-sal, por exemplo.

  33. Vinicius Franco disse:

    O grande perigo é que a Prefeitura comece a depreciar o próprio patrimônio, abandonando-o à própria sorte, para, adiante, justificar sua privatização. Interlagos precisa ser tratado com carinho, como coisa pública.

  34. Giuliano Reis disse:

    fala flavinho! bom , eu sou fã de Ayrton Senna mas nao sou bitolado.
    Assim como voce, acho que o “per”feito tem coisas mais importantes pra fazer, e concordo que o autodromo tem evento o ano todo. Acho que nossa populacao ta miope, e nao entendo quem nao consegue separar o lado partidario das necessidades da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *