MENU

segunda-feira, 11 de novembro de 2019 - 17:04Gomes, Grande Prêmio

GP ÀS 10: FUI ATROPELADO

17 comentários

  1. Luiz Caco disse:

    Olá Flávio e amigos do blog.
    Essa semana faz 48 anos do torneio internacional de formula 2. Estive presente na segunda prova achou eu que foi em 14/11/1971. Meu saldoso pai e irmão me levaram. Onde pude ver alguns pilotos que lembro:
    Emerson Fittipaldi
    Wilsinho Fittipaldi
    Graham Hill
    Tim Schenken
    Bob Wolok
    José Carlos Pace
    Carlos Reutemann
    Carlos Reush
    Giovane Salvatti
    Henri Pescarolo
    Reine Waizell
    Ronnie Peterson
    Brett Lingerie
    E muitos outros que não lembro agora de cabeça. ( Vou pesquisar )
    As provas foram em duas baterias intercaladas com as provas de formula Ford.
    Não foi a primeira visita a Interlagos. Mas foi uma visita oficial acompanhada de pai e irmão.. Pois nesse mesmo ano qdo tinha apenas 11 anos convenci este mesmo e único irmão a darmos uma pequena fuga lá da Jardim da Saúde pegando dois ônibus até a Av N.S.do Sabará para depois subirmos a pé até ao autódromo para vermos um treino de uma corrida que se chamou prova dos Campeões.
    Onde estavam vários Pumas, DKV. Fuscas ,JK e principalmente as Lolas t 70 se não me engano, pilotada por Marinho Amaral e a Lola T210 pilotada por José Renato Tite Cattapani.

  2. Kiko Costa disse:

    Eu assisti as duas vitórias do Senna (91, 93) e mais uma dezena de corridas…
    Mas o que mais me marcou foi 1990, aos 13 anos, eu não tinha ingresso e meu tio me levou para ouvir os carros da avenida Interlagos. O barulho ficou gravado na minha memória. Me arrepio só de lembrar.

  3. Edison disse:

    Sei que memória afetiva é um perigo mas assistir a corrida sentado no muro do final do retão é inesquecível! Também, o dia que vi o Lauda de pertinho (ainda com as queimaduras aparentes) chegando no autódromo para um treino livre de quinta-feira!

  4. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G : Boas lembranças, a primeira vez , ainda em reforma 1967, acompanhei meu pai , a convite de Chico Landi,para fazer um teste drive de um veículo Opel, duas portas que seria mais tarde produzido no Brasil, com a versão Opala 4(quatro) portas, várias corridas de Divisão 3, campeonato de marcas e pilotos, sobre a F-1 , acompanhei a vitória de Emerson ,( J.C Pace) Moco, e Felipe Massa. Na F-1, mais marcante foi a primeira dobradinha brasileira José Carlos Pace e Emerson Fittipaldi, e a corrida mais marcante mil milhas vencida por Wilson Fittipaldi e seu filho Cristian em 1994.

  5. Laviem Prandi Jr disse:

    Bom dia Flavio, minha lembrança de Interlagos 1975 em primeiro Jose Carlos Pace e em segundo Emerson Fittipaldi, minha primeira vez vendo uma corrida de F1, e concordo com voce essa pista precisa de mais uns kms.

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    Tivemos (minha Família) a felicidade de conhecer o verdadeiro Interlagos. Que pista. Acompanhamos a F-1 desde 1973 na Pista. Fui de perna quebrada em 1977 (tibia e peronio). Acompanhamos Formula V, Divisão 3, Vimos e ouvimos o Maverick da Hollywood, da Caltabiano, dezenas de Fuscas Fuçados, Vimos o Ingo nascer, Vimos o Piquet ganhar na Vimos Stock Car (desde o inicio). Fomos a inumeros treinos do Copersucar (como esquecer o primeiro treino do FD06, ouvimos o barulho do Emerson entrando na pista… corremos para a Arquiba e o bicho nem deu a primeira volta, a memória me trai se quebrou na Ferradura ou no Sargento… fez um clanck e parou). Vimos treinos da Ferrari em jan/fev com Reutman (parados la na “1” vendo entrar desembestado volta a volta),,, vimos Passats fazendo a “1” apoiados em tres rodas (a interna traseira levantava)… vimos um monte de coisas em Interlagos… até um monte de incompetentes matarem a pista amputando-a.

    Grandes memórias, tudo isso graças ao Seu Angelo e o meu Tio Mario, que contagiaram todos nós com o virus do automobilismo.

    Tudo isso regado a o mais puro rock n roll ouvindo a radio Difusora

    • Edward Botelho Fernandes disse:

      Acreditem que é verdade, os Mavericks, Quadrijet, se não me engano eram da Mercantil Finasa (verde e amarelo ), rodando pela Avenida Anhanguera, no centro de Goiânia em direção ao Autódromo.

  7. Ney Dias disse:

    Minha mais remota lembrança (estou com 71 anos), foi uma corrida de turismo, (que eu devia ter uns 9/10 anos!) e fui levado ao autódromo por um irmão mais velho, e que tinha um amigo correndo com um Gordini (chamava-se Fausto Dabur). Ficamos num grande barranco na subida dos boxes. A parte muito hilá ria daqueles romanticos tempos, foi que, lá pelas tantas, nós em cima do barranco, e vem o Fausto pilotando seu intrépido Gordini, e nós aos berros e acenando pra êle. Pra minha surpresa, Fausto nos viu, e em plena corrida buzinou e acenou pra nós, como se estivesse passeando numa pracinha de interior num pacato domingo.
    Passagem inesquecível e hilária. Imagine isso nos dias de hoje. LOL!!!!!!

  8. Gus disse:

    Infelizmente nunca pude visitar o templo; mas adoraria participar de um rallie de regularidade ali, adicionando um pouco de borracha onde artistas muito mais talentosos deixaram suas marcas. Quem sabe um dia…

  9. Nick B disse:

    Bom dia, Fla.
    Lógico que pode, queridón.
    Zé Ramalho é bom de qualquer jeito.
    A versão com o Sérgio Baptista é a original, do disco de 1978, produzido pelo Carlos Alberto Sion, álbum de estreia do paraibano que, além de Sérgio Baptista, contou com a participação de Patrick Moraz, ex-tecladista do Yes, nos sitentizadores de Avohai e Amelinha e Elba Ramalho no coro de Chão de Giz.

    Para o Nickinho do Fla, esse é um dos maiores discos da história da música brasileira.

    Zé Ramalho é o nosso Bob Dylan.

    Bitocas.

    Nick B

  10. Robertom disse:

    A 1ª corrida que fui assistir ao vivo em Interlagos me infectou irremediavelmente com o vírus da velocidade, os 500 Km de 1972, só no Anel Externo, os Porsches 908 do Joest e do Luizinho, a Ferrari 512M do Müller, Alfas T33, Bertas , Avallones , Lolas, Porsches 907 e 910, Chevrons e os últimos do pelotão, as Alfas GTAs e os Lotus Europa,

  11. Adolfo disse:

    Podiam aproveitar e anunciar a renovação do contrato para mais uns 4-5 anos.
    Pelo menos o GP Brasil seria em um autódromo de verdade, não uma maquete.

  12. Saima disse:

    FG teve seu dia de Taki Inoue hahahaha. Eu fui uma vez só, no GP de 1997, fiquei no setor A, foi muito legal.

  13. Nick B disse:

    Oi, Fla.
    Livre, leve e solto?

    Está explicada agora, para o Fábio Seixas, a sua “birra” com os gordinis.

    Nick B
    (ao som de Zé Ramalho, A dança das borboletas. Se for virar “rádio”, tem versões incríveis, inclusive uma com o Sepultura. Mas a melhor mesmo, para mim, é a original, com Sérgio Dias Baptista destruindo na guitarra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *