SOBRE DOMINGO À TARDE

RIO (quanta coisa!) – As imagens de Pérez depois da corrida de domingo no Bahrein são quase todas lindas demais. Irei até escolher umas para colocar aí embaixo hoje, mas a gente não pode ser injusto com um sujeito que tem sido esquecido ultimamente quando falamos de F-1: o carro.

Sim, o carro, o automóvel, que chamo de sujeito porque carro é gente, sim. Atende pelo simpático nome de RP20, algo que à primeira vista pode parecer uma simples sigla, um código besta, mas que na real é nome e sobrenome, mesmo: Arpí Tuênti.

Arpí fez um corridaço. Levou Pérez no colo. Deu a ele um trofeuzão. Seu irmão gêmeo, pilotado por Stroll, deu outro. E um terceiro ainda veio de lambuja para ficar na prateleira da sede da equipe.

Todas nossas homenagens aos irmãos Arpí! E a Pérez, também, um batalhador.

Pérez caiu para último na primeira volta, e um cabra fez um levantamento no Twitter, que confesso não ter checado em sua plena exatidão, listando os pilotos que venceram corridas na F-1 tendo ocupado a última posição de um GP em algum momento. Pode até não ser completa — desculpem, faltou anotar o nome do autor dessa estatística –, mas ela contempla, certamente, os que o fizeram nos últimos anos. Ei-la, a lista:

  • Coulthard, Austrália/2003 (nas voltas 2 e 3)
  • Fisichella, Brasil/2003 (nas voltas 18 e 19)
  • Alonso, Singapura/2008 (nas voltas 13 e 14)
  • Button, Austrália/2010 (nas voltas 6 e 7)
  • Button, Canadá/2011 (das voltas 37 a 40)
  • Pérez, Sakhir/2020 (das voltas 1 a 6)

Quem também se divertiu com fortunas e revezes de domingo passado foi nosso cartunista oficial Marcelo Masili. Ele não resistiu e mandou quatro charges! Como achei todas ótimas, aí vão:

Checo foi a 125 pontos no Mundial e é o quarto colocado no campeonato, mesmo tendo perdido duas corridas por conta do Covid-19. Faz uma excelente temporada, tendo pontuado em todas as provas que disputou, com a exceção do GP do Bahrein, dois domingos atrás, quando quebrou a poucas voltas do final ocupando a terceira colocação. Merece estar no grid em 2021? Merece. Estará? Oxe, não sei. Gostaria de vê-lo, sim. É duro engolir um campeonato em que Latifi e Mazepin têm lugar e Pérez, não. Piloto que ganha corrida tem de correr!

O NÚMERO DE SAKHIR

…GPs levou Pérez para vencer seu primeiro GP. Entre os pilotos que já ganharam corridas, é o que mais demorou para levantar um troféu de primeiro colocado. A lista dos que tiveram de disputar mais de 100 GPs para vencer tem mais seis nomes: Webber (venceu na Alemanha/2009 em seu 130º GP), Barrichello (Alemanha/2000, 123º), Trulli (Mônaco/2004, 119º), Button (Hungria/2006, 113º), Rosberg (China/2012, 111º) e Fisichella (Brasil/2003, 110º).

Teve punição pós-GP domingo bem de noitão, para Leclerc. O monegasco foi considerado culpado pelo toque em Pérez na primeira volta, que por muito pouco não acabou com a noite do mexicano. Ele se recuperou lindamente, porém, e nem reclamou nada. Mas os comissários não esqueceram, não, e meteram três posições no grid para o piloto da Ferrari na última etapa do Mundial, neste domingo em Abu Dhabi.

Charlinho foi pedir desculpas a Pérez no fim da prova. Mas na hora da confusão, levou foi uma chamada de Verstappen, que acabou batendo no muro ao tentar desviar do carro do mexicano, perdendo uma ótima chance de pódio. “Charles é um grande piloto, mas dessa vez foi muito agressivo”, falou o holandês da Red Bull. Como são amiguinhos, porém, ficou por isso mesmo.

E Russell? E Bottas? E Hamilton?

Este rescaldão está sendo escrito com um dia de atraso, porque ontem perdi meu emprego na Fox e passei o dia falando com amigos, respondendo mensagens e planejando o futuro — é bastante coisa para um dia só, e ainda tive de fazer mercado, macarrão com atum e ajudar Laêne, minha namorada, com uma sopa detox que não deve fazer muito sucesso nesta semana.

De ontem para hoje, aconteceram algumas coisas esquisitas. Bottas apagou, nos perfis de suas redes sociais, um detalhe que me parece relevante sobre sua atual ocupação: o nome da equipe que defende. Está lá, apenas: “piloto”. Aí, claro, todos correram nas redes sociais de Russell. Sumiu a Williams. Está lá, apenas: “piloto de Fórmula 1”.

Hum… Aí tem. Ou “significa”, como se dizia até outro dia.

A Mercedes, também nas redes sociais, tirou uma onda com os conspiradores — entre os quais me incluo. “É só uma bio de Instagram…”, escreveu o estagiário, junto de uma daquelas carinhas amarelas dando uma piscada. “Não esquentem tanto a cachola.” Claro que fiz uma tradução livre da última frase.

Ainda não se sabe, pelo menos até a hora em que escrevo estas mal-traçadas, se Hamilton vai correr. Não passou muito bem no final de semana, disse que só hoje voltou a treinar, e agora, pelo que entendi, depende de novos testes e autorização do governo dos Emirados Árabes para entrar em Abu Dhabi. Há uma chance de Russell continuar na Mercedes. A pergunta é: será que podem dar um pé em Bottas assim, sem mais nem menos, já nessa corrida? Ele tem contrato até o fim de 2021. Acho que não vai acontecer nada disso. Mas que essa história das bios de Instagram está esquisita, está.

Olha, é claro que a frase do dia teria de ser de Pérez, afinal o cara nunca havia vencido um GP, mas acho que todas elas ficaram registradas no textão de domingo — aquela “espero que não seja um sonho” foi legal — e vou fazer uma manobra editorial para colocar aí em cima mais fotos da festa da Racing Point (já disse, respeito, ganharam o GP!), já que a gente não sabe quando algo parecido vai se repetir. Esses caras todos merecem ter seus rostos e sorrisos eternizados. Nem que seja aqui!

Merecem muito, todos, porque se nos lembrarmos bem os dois carros, domingo retrasado, tiveram problemas e precisaram ser reconstruídos. O de Stroll capotou. O de Pérez pegou fogo no motor. Imaginem o trabalho para refazer tudo. Tiveram até de mandar buscar peças sobressalentes na Inglaterra no avião particular de Lawrence Stroll, o papis. Não foi brincadeira, não. Palmas para os mecânicos! E pronto, e chega de Mercedes rosa por hoje!

A FRASE DO BAHREIN

Vettel, sincerão: não fez nada

Minha corrida foi irrelevante. Vamos falar da vitória de ‘Checo’

Vettel, realmente, não fez nada na corrida. Espero que se despeça da Ferrari com resultado e apresentação mais dignos, e que a equipe ajude, porque olha… Devia colocá-lo no “não gostamos”. Mas ainda estou pensando no que fazer sobre isso. Há outros candidatos. Antes do nosso fechamento, porém, quero deixar aqui três imagens de personagens importantes da corrida. Um é Ocon, segundo colocado. Seu primeiro pódio, terceiro da Renault no ano. O outro é Aitken, substituto de Russell na Williams que bateu a asa e estragou a corrida de… Russell!

Pois é, não fosse aquele safety-car e a Mercedes não chamaria Jorginho para um novo pit stop, e não errariam seus pneus, e ele não teria de entrar de novo, e não haveria furo algum no último pneu porque ele simplesmente não seria usado. Por isso mesmo a terceira foto é de… Russell, claro! Deu dó. Mas a vida é assim. Outras chances virão. E ainda acho que a história das bios de Instagram estão muito esquisitas!

GOSTAMOS

Sainz: regular e combativo

…de ver mais uma boa corrida de <<< Carlos Sainz Jr., quarto colocado, marcando pontos pela sexta prova consecutiva e encostando em Leclerc na briga pelo sexto lugar no Mundial de Pilotos — o monegasco tem 98 pontos, contra 97 do espanhol. Serão companheiros no ano que vem na Ferrari, não nos esqueçamos.

NÃO GOSTAMOS

Mercedes: erros incríveis

…da Mercedes >>>, evidentemente, que tinha tudo para fazer mais uma dobradinha, mas cometeu erros inacreditáveis na hora da segunda e desnecessária parada, errando os pneus de Russell, deixando Bottas com os velhos, uma zona dos diabos. Ou, como disse Toto Wolff, “uma merda monumental”.

Comentários

  • Sergio Pérez já é basicamente o melhor piloto mexicano da história da F-1, para isso se tornar de forma absoluta ele terá que vencer pelo menos mais dois GPs ficando com três vitórias superando totalmente o seu compatriota Pedro Rodriguez que tem duas das três vitórias do México na F-1 até aqui.
    Leclerc não soube aproveitar o seu mágico quarto lugar no grid numa Ferrari nanica fazendo aquela Lambança no início da corrida, enquanto o Vettel se mostra num tempo esgotado na Ferrari fazendo mais uma corrida apagada.
    Gostamos: do Sergio Pérez que foi escolhido pelo destino na sua primeira vitória numa corrida completamente adversa onde chegou estar em último escapando até da Lambança do Leclerc no início da corrida, um mexicano não vence um GP em mais de 70 anos.
    Não Gostamos: da Mercedes que realmente errou feio num Pit Stop colocando pneus errados no Russell por falha na sua comunicação, o pior foi ver o Russell fazendo uma boa recuperação sendo derrubado por um pneu furado próximo do fim.

  • Olá, Flávio! Que pena pela saída da Fox… Boa sorte na nova caminhada!
    À corrida: muita trapalhada justo na condição que podia gerar teorias da conspiração, sei não hein!
    Torci muito pelo Pérez, o cara é quarto num campeonato perdendo 2 participações e com uma quebra no finzinho que lhe tira o pódio.
    Ícone no lugar certo e hora certa, apenas, não ameaça.
    Albon só sai se os Tailandeses deixarem, tudo que a imprensa e espectadores falam, não passa de desejo.
    Leclerc erra mais que Stroll ultimamente, quem diria?Aliás, Stroll nem parece o mesmo.
    Verstapen tentou perder o menor tempo possível desviando, mas tinha um muro por ali. Pagou caro por evitar uma desaceleração quase total que o levaria ao final do grid, mas não acabaria com a corrida (Pérez que o diga).
    Nota: no começo do ano só se falava do DAS, que acabou passando a temporada praticamente sem ser notado. Desde o início achei que o Bahrein seria o local em que teria mais efeito, 3 retas longas, 2 trechos travados: permitiria um acerto com mais downforce para as curvas e ganharia com o DAS nas retas. Mas chegaram lá com os 2 campeonatos decididos.
    E você, o que achou do DAS na temporada?

  • Para mim, a frase mais impactante deste post é “Este rescaldão está sendo escrito com um dia de atraso, porque ontem perdi meu emprego na Fox e passei o dia falando com amigos, respondendo mensagens e planejando o futuro”.

    Poxa Flavio, que droga cara…, que droga largarem mão de um profissional como você.

    Mas cara, li seu livro 2 cigarros, e penso que você poderá ter mais tempo para escrever outras histórias como aquela, e fico feliz!

    Penso que você poderá usar seu tempo para se dedicar cozinhar com sua namorada, a passear com os cachorros, a cuidar dos seus carros antigos, e, quem sabe, competir mais vezes com o Meianov, viajar de Kombi por aí, e outras coisas!

    Parabéns pelo seu trabalho, seja onde for, e seja ele qual for.

  • Não acredito no Toto. A “merda” foi pensada e executada. Russel vencendo, pegando um Mercedes às vésperas da corrida, mostraria ao mundo da F-1 que o carro representa 90% da vitória. E o “mito” Hamilton cairia do pedestal.

    • Não pastelão, mostraria apenas que o mesmo carro com três pilotos diferentes tem desempenho diferente, porque o piloto importa sim. Mostraria que Bottas com o mesmo carro quase sempre perde de Hamilton, assim como todos os outros companheiros de equipe que ele teve. E qualquer criança – mesmo pastelona como você – sabe que ninguém vence com o pior carro, e que apenas os melhores pilotos conseguem os melhores carros. Ou você acha que a Mercedes escolhe os piores pilotos? Pastelão.

    • E aí, sumido! Confessa, vai: voltou só porque o carro que Vettel vai guiar em 2021 ganhou uma corrida. Está ansioso, não? E ainda sproveitou para referendar a última dos haters de Hamilton, né? Serviço completo!

    • Não tem lógica o que você está supondo. No final da corrida todos já tinham visto que Russel é melhor piloto que o Bottas. O carro ajuda muito, mas o piloto tem que ser bom também, senão Bottas teria colocado muitos segundos de frente para o Russel e não o contrário. Faltando 10 voltas para o fim a Mercedes não tinha mais o que esconder.

      • Vocês, hamiltetes babonas (muitas de última hora), continuam gastando o mesmo blá, blá, blá: o cara é isso, o cara é aquilo, o cara é o fodão das galáxias…

        E o que se viu? Que o carro da Mercedes representa 90% da vitória e isso ficou provado na pista, com um garoto que nunca tinha colocado a mão no mesmo.

  • Flavinho!!!

    Sempre um prazer lê-lo (soa estranho) e agora bola pra frente, bora curtir mais os carros velhos e curtir a vida!

    Li na íntegra sua carta. Tambem me apaixono por lugares alem de pessoas e coisas. Temos muito em comum.

    Recentemente fiz algo novo, talvez pra vc nao seja novidade, que me fez apaixonar por outro tipo de máquina, alem das que voam e anda sobre rodas ou trilhos.

    Barcos, mais especificamente lanchas. E nem to falando de ostentação não…uma 29 pés ja é divertido e funcional.

    Um contato com a natureza de maneira impar !

    Enfim, mas tomando suas decisões pessoais que certamente serao as melhores, só faço um apelo. O blog é imexivel, como diria aquele ministro da epoca que existiam ministros… diria meia boca, mas tinham ministros.
    É isso.
    Grande abraço e continue disseminando um pouco de sobriedade nesse marzão da internet.

  • Se quebrarem o contrato do Bottas pra trazerem Russell já em 2021, será uma surpresa pra mim.
    Alemães são muito pragmáticos para se deixarem levar por empolgação dessa forma. Mas tem o fato de que o Russell é mascotinho do Toto. A aposta dele para um futuro sem Hamilton. E admito que essa história das Bios de Instagram ficou, no mínimo, esquisita. Geralmente quando isso acontece tem gato na tuba.
    Mas eu riria muito se no final se descobrisse que foi uma combinação entre os dois, Russell e Bottas, pra colocar todo mundo doido. Tipo as zoeiras que Norris e Sainz fazem. Não é porque o garoto colocou o quase vice-campeão no bolso que não podem ser amiguinhos, tomar uma água de rosas, ver um show de dança do ventre, fumar um narguilé, sei lá.
    O problema do Russell será a empolgação em cima dele. Tipo Hugo Neneca no Flamengo. Goleiro grande, ágil, jovem, entrou numa fogueira danada, e chegou “chegando”, fez ótimas partidas, pegou pênalti, houve uma superexposição do garoto na mídia, uma super empolgação da torcida, já queriam o garoto na Seleção, mas a empolgação, como o torcedor geralmente é passional ao extremo, só durou até a primeira falha que cometeu. Como se nenhum goleiro falhasse, só ele. Agora todos rezam pro Diego Alves renovar.
    Basta acontecer a primeira corrida ruim do Russell, o primeiro erro, a primeira rodada, o primeiro chassi destruído no muro, e o mundo inteiro vai questionar porque a melhor equipe do grid trocou um piloto experiente e vice-campeão do mundo por um moleque imberbe de cabeça quadrada que mal cabe no carro.
    Opinião pessoal baseada no meu mais puro achismo e sem relevância nenhuma pro destino do mundo.
    Pra terminar de tremer as estruturas da F-1 de vez, a Red Bull poderia fazer um acordão com a Mercedes, em troca de duas cegonhas carregadas de mercedões zero e cinco caminhões de latões premium de Red Bull, e sentavam o Didi das Latinhas, o Véio caolho e o Totó Chefão com o Barão bigodón da Nota de mil cruzeiros, e no final sairia a bomba pra acabar 2020 em grande estilo.
    Red Bull correria com Bottas e Russell, e a Mercedes traria o Verstappen pra ser companheiro do Hamilton. Admito que tais mudanças são extremamente improváveis, mas… Deixariam o ano de 2021 muito mais divertido. Albon voltaria pra filial junto com o Gasly. E tava plantada a treta.

  • Eu particularmente gostria que HAMILTON tivesse ido para a RACING POINT, no lugar de VEttel. PAra a F1 seria melhor. Teríamos uma equipe inglesa, com um excelente piloto inglÊs para bater de frente com os alemães da MErcedes. Ok o motor é da Mercedes é alemão tb. MAs seria mais interessante. E VEttel poderia voltar para o lugar de ALBON, como segundo pilot do Marx. E PEREZ logicamente iria para a MERCEDES hahahahaha………….olha que fantástico ficaria a F1.

  • Flavinho, permita-me tratá-lo desta forma, pois tenho um carinho pelo profissional que você é, meu amigo. Posso também chamá-lo assim? Eu posso não ser seu amigo, mas eu o considero como amigo, uma vez que você, em todos os dias, entrava em minha casa a partir das 13h. Eu, minhas filhas e minha esposa o recebíamos com muita alegria. E agora? Sabendo que você não vai mais invadir o meu lar com seus comentários certeiros e inteligentes, o que vamos fazer? Não iremos mais comentar aquele comentário do Flavinho que o Benja quis replicar, mas não conseguiu?! Meu querido, somos seus admiradores, desejamos a você o melhor possível. Que você esteja sempre iluminado! Um forte abraço destes que muito o admiram.
    Ps.: Não esqueci de lhe enviar um breve comentário sobre o seu livro Dois Cigarros, só preciso de um meio em que possamos tratar só de literatura. Você poderia me enviar um e-mail para tratarmos desta área ? Caso se interesse o meu email é aglailsonlopespinto@gmail.com

  • Flavio, da uma olhada no Twitter da Red Bull, parece que tao tirando onda com essa historia do instagram do Bottas/Russel. Eles postaram: “Sera que estamos na Bio dos nossos pilotos?? Somente checando…”
    E postaram um print de Verstappen e do Albon… PS: Sim, eles estao na Bio de seus pilotos….

  • “Vettel não fez nada” tem sido o resumo da carreira dele desde que foi campeão pela última vez em 2013… porque já no ano seguinte tomou uma surra homérica do Ricciardo recém-chegado e nunca mais se recuperou. Vive aquele final de carreira deprimente que vimos com o Alonso, as glórias do passado já se apagando da memória e só sobram reclamações e choramingar no rádio e qualquer vestígio de respeito ou admiração em qualquer um menos nos fãs mais cegos e teimosos que ainda esperam o brilho voltar.

    • Nunca mais se recuperou? Que F-1 você assistiu? Vettel é o ÚNICO piloto não mercêdico a chegar ao vice (2017 e 2018) no reinado da Mercedes.

      Verstappen está fazendo de tudo para chegar a um vice e ainda não conseguiu!

      Ricciardo? É aquele piloto que está há DEZ ANOS na f-1 e com QUASE 200 GPs e que nunca passou de terceiro nos mundiais?

      Se for viúva ou alonsete, está explicada a implicância.

  • Seria demais para o superego do campeão do Instagram (e da estratégia da Benz de esquecer seu passado) ver um novato na equipe vencer a corrida com seu carro. Está explicada a pataquada dos pneus e o “furinho” no final. Afinal, se um cara pega um carro pela primeira vez e vence, então qualquer um pode fazer o mesmo. Até a avó do Piupiu…

  • Sobre Bottas, já diz aquele velho ditado: contatos foram feitos para serem quebrados na F1.

    Mas duvido que teremos novidades em relação a dupla para 2021. Russel é para o futuro da Mercedes, e a derrota no GP apenas o deixou com mais vontade de vencer.

    • A Mercedes não irá colocar Russel ao lado de Hamilton em 2021, com medo de dar m…. e o Russel andar igual ao Hamilton e desafia-lo, como ele mesmo fez com Alonso na Mclaren 2007. Hamilton está confortável com Bottas e vai querer continuar assim.
      Vai querer correr de qq jeito neste fds, para impedir q o Russel se destaque novamente!! Tomara que a alta chefia da Mercedes queira colocar Russel em 2021!!

  • Depois que Perez salvou a Force India e nem três anos depois foi chutado pelo mesmíssimo time, não duvido de nada, Bottas pode estar de saída, sim. Hamilton é o maior, mas não vai durar eternamente e Russell se não for aproveitado imediatamente, corre o risco de se bandear para alguma outra grande, notadamente a Renault/Alpine que tem muito dinheiro e só Ocon como piloto viável para os próximos anos.

  • Nada na F1 é definitivo. Tem contrato assinado? E daí? Se Russel correr a próxima na Mercedes e der outro baile em Bottas, a Mercedes vai deixa-lo voltar para Willians? Eu não deixaria, até para motivar Hamilton, se é que ele precisa. Mas seria muito interessante. Eu acreditava em Bottas. Desacreditei. Não merece uma Mercedes. Assim como Albon não merece uma RB. O cara se destaca em uma equipe menor, tem uma oportunidade em uma grande, não mostra serviço, tchau. A fila anda. Não é maldade, é realidade profissional. Se você não está à altura do seu cargo e de sua empresa, fazer o que?

  • Fala Flávio.
    Que pena a não renovação do seu contrato com o grupo Disney, espero que não tenha sido por posições políticas suas, com certeza perderam um grande jornalista, vida que segue como diz o Ricardo Kotscho. Quanto ao Instagram do Bottas realmente é muito esquisito, aguardemos…

  • Pode ser que tenha acontecido um recorde no GP do Sakhir.

    TODOS os 17 pilotos que receberam a bandeirada, terminaram a corrida em 1 hora e 31 minutos. Só mudou, claro, os segundos Vejam:

    1º – Sergio Pérez – 1:31:15
    17º- Pietro Fittipaldi – 1:31:51

    A explicação é óbvia: pista muito curta. Mas Dijon-Prenois, em 1974, também era uma pista muito curta, mas veja isso:

    1º – Ronnie Peterson – 1:21:55
    16º – John Watson – + quatro voltas!

    Se comparamos Sakhir com o GP de Portugal de 2020, há quase 2 minutos de diferença somente entre o 1º e o 4º colocado.

    1º Hamilton 1:29:56
    2º Bottas 1:30:22
    3º Verstappen 1:30:31
    4º Leclerc 1:31:02

    Todos sabem que Mônaco também é um percurso muito curto.Pesquisei algumas corridas, e há muita diferença entre o 1º e o último colocado. Veja como foi Mônaco em 2009:

    1º – Jenson Button – 1:40:44
    14º – Adrian sutil – + 1 volta (os outros 6 carros não terminaram a corrida).

    Se algum leitor souber de outro GP em que todos os pilotos chegaram na mesma hora e minuto, favor informar.

      • Agradeço ao Edison, Antonio, Vitor Viegas e Marcio K por terem me lembrado do safety car.A corrida foi tão maluca que esqueci desse óbvio ululante no final da prova.

    • A explicação para isso não é a pista ser curta, já que a distância percorrida na corrida é basicamente a mesma sempre. A explicação para uma diferença pequena entre primeiro e último ao final da corrida é simples: um safety car próximo ao final. Não fosse isso, esse diferença teria sido próxima a 3 minutos.

    • Com SC no início, mais um VSC na metade e depois mais SC para os lucky dogs tirarem o atraso, essa análise já é inválida contra Dijon-Prenois. Pietro não levaria 4 voltas, mas imagino que pelo menos duas teriam sido.

  • Bottas pode ter contrato assinado, mas todo contrato possui uma clausula de saída.

    Segue o jogo, seria interessante ver o Russel na Mercedes no ano que vem.

    O Hamilton poderia sentir o que o Alonso sentiu em 2007. Uma certa pressão de um piloto novato a incomodar um multi-campeão da F-1. Que aconteça, se o Russel for tão competente quanto foi o Rosberg pelo menos teremos muito mais disputa.