MENU

quinta-feira, 9 de julho de 2009 - 13:36Arquitetura & urbanismo

MURO, 20

SÃO PAULO (com sol) - Este link me foi enviado por vários blogueiros. Trata-se da restauração de pate do Muro de Berlim, cuja queda fará 20 anos em novembro. A cidade vai comemorar em grande estilo. A moça aí é uma artista que está reproduzindo uma pintura que ficou famosa do lado ocidental, o Trabi passando por dentro do concreto para conhecer o “mundo livre”.

Semana de GP da Alemanha. Este blog será meio tedesco nos próximos dias.

6 comentários

  1. kim prisu disse:

    EAST SIDE GALLERY “Metamorfose das existências ligadas num móbil indefinido”
    E não é que em 1990, no serão de 23 de Junho o meu amigo e artista plástico Hervé Morlay dito VR, me bateu a porta do meu pequeno apartamento do “35\37 rue de Torcy em Paris 75018”, e me perguntou se queria ir a Berlim, que avia um projecto de pintar no muro na parte de Berlim Oriental (RDA), o( Hervé Morlay) VR ia alugar uma carinha de caixa fechada para 15 dias, 12 horas depois na manha seguinte estávamos a caminho de Berlim. Passamos uma primeira vez a fronteira França Alemanha, eu até tinha o meu passaporte caducado mas só me apercebi depois, nesse tempo ainda nuca tinha tido um bilhete de identidade, só passaporte (e no 1º onde tive com a minha mãe, aos nove messes para ir para a França era falso) e uma “Carte de Sejour” (identificação para os estrangeiros em França), depois atravessamos a Alemanha ocidental, e tivemos de novo de passar outra fronteira, ai no silencio, mas tudo correu bem, é dizer que a situação já estava no caminho da abertura, e entramos numa auto-estrada toda cercada por uma grande rede com arame farpado, miradouros com guardas armado, dizíamos um para o outro e se a um deles lhe passasse pela cabeça de nos dar um tiro… e antes de entrar em Berlim mais uma fronteira, era para mim muito estranho passar duas fronteiras no mesmo país, fomos a ter a casa de um artista Alemão “A. Paulun” num Bairro perto do muro no nº 2 da rua “Wrangel” em frente a igreja “St. Thomas” …
    Fui também ai perto de “St. Thomas” que pela 1º vez atravessei o Muro no sitio ao que me contaram tinham morrido o maior numero de pessoas os atiradores estavam colocados as janelas dos prédios do lado oriental, hoje encontra se lá um jardim. Na 1ª semana existia nessa grande brecha nas duas paredes casotas de madeira com guardas que faziam ofício de fronteira, precisava se ainda de mostrar o Passaporte, mas já com muita a descontracção, na segunda semana estavam no chão, isso era nos primeiros dias de Julho 1990. Sentia-se a liberdade, não sei como explicar, em França um dia um Português que teve presente em Lisboa (e que tinha na sua pequena oficina de tipografia lá em Paris uma foto com ele e os soldados da revolução em cima de um caro de combate) no 25 de Abril 1974, disse me que naqueles meses em Lisboa sentia-se a liberdade era como se a pudesse mos tocar com os dedos da mão, senti o mesmo, por isso lembre-me dessas palavras e chamei o 1º painel “O povo unido nunca será vencido” em recordação.
    Eu, o meu amigo Hervé Morlay (VR) e o A. Paulum obtemos um encontro com a pessoa que se ocupava do projecto “East Side Gallery”, já na segunda semana, entre tanto andamos por lá a pintar entre os does muros e nos miradouros, o fim só nos ficava 4 dias antes de voltar para paris para entregar a carinha, foi assim que tive de fazer a 1ª pintura (de 1990) em 3 dias, com muita energia. A 1ª vez que tivemos em frente de esse muro do lado oriental na avenida “Muhlenstrasse” , fomos ver se havia qualquer graffiti, nem um. Aquela parede chamava a cor para esquecer que nesse tronco tinham tirado a vida a 9 pessoas… Ainda a muito para contar sobre essa 1ª vez que fui a Berlim mas isso dava provavelmente um filme.

  2. Rafael S disse:

    E esse poderia vir logo atrás para limpar os restos do muro:

    http://www.boingboing.net/2009/06/30/homebuilt-fiat-bulld.html

  3. ALEX B. disse:

    Criatividade 10! Veracidade 0! Parece aquela historia da pedra, papel e tesoura…agua mole em pedra dura,,,

  4. EduardoRS disse:

    Dia desses li no jornal uma pesquisa que mostrava que 52% dos alemães orientais acham que a vida deles era mais feliz antes da queda do muro… curioso, não?

  5. HM disse:

    bateu no muro de concreto e nem sofreu danos! isso sim é qualidade!

  6. Incrível o carisma do Trabant, muito superior ao de qualquer outro comunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>