MENU

quarta-feira, 9 de setembro de 2009 - 16:17Antigos em geral

AMIGO DO ONÇA

SÃO PAULO (não está só) – Que bárbara a história enviada pelo blogueiro Maurício Costa. O restaurador Ricardo Oppi já estava de olho nele, e acabou de pegá-lo para restaurar, a pedido de seu único dono. Falo desse Onça raríssimo da foto, carro fora-de-série feito pela FNM cuja produção conhecida, se não me equivoco (o Nasser vem aqui já, já…), não passou de uma dezena de unidades. Menos, talvez.

O único que vi pertence ao Roberto Nasser, que o perseguiu durante séculos até encontrá-lo e restaurá-lo. Se o Oppi estiver nos lendo, que entre em contato. Vamos mostrar essa coisa linda na TV.

40 comentários

  1. vanderlei disse:

    belo carro!pena que eu nunca vi um…sou fã dos alfas(carros e caminhões)

  2. Brotto disse:

    O Alfa Romeo branco que está hj em dia com Roberto Nasser, era do meu pai. Nós ficamos com esse alfa romeo por mais de 20 anos. O carro realmente é muito bonito.

  3. Claudio disse:

    Caríssimos

    Foi um dos piores carros que eu tive.Havia tantos erros de projeto que se transformou em um pesadelo.Seu motor de quatro cilindros era acompanhado de dois carburadores duplos se não me engano eram dois Solex.A carroceria mal projetada chovia dentro pelo suporte do espelho.As portas abriam nas curvas pois torcia a carroceria de maneira que a trava da fechadura se soltava.Quase matou minha então namorada e atual esposa.O câmbio fazia um barulho dentro da carroceria e o Sr Piero Massari (Um grande sujeito bem como o pai Sr. José) dono da Auto Brasil , onde comprei, me trocou o câmbio e de nada adiantou,depois na mecânica Milan o então Sr. Piero Vicineli e o Sr. Fidencio (dois grandes mecânicos e amigos), também trocaram o câmbio e de nada adiantou.O volante, precisava ser forte de braço para girá-lo.O banco de trás era horrível e esquentava as nádegas do passageiro pois embaixo passava o escapamento.De quebra se chovesse entrava bastante água pelo pára-brisa traseiro.
    Um dia logo que comprei a tinta do carro começou a sair e manchar.O carro foi totalmente pintado e nada adiantou, talvez porque não se tinha uma tinta especial para um carro de fibra (Fiber Glass como era da moda falar).Freio nem pensar duas freadas bruscas eles entravam em “Fading” era também moda chamar fadiga ou erro de construção de freio, ou seja os freios não prestavam em bom português.Uma vez estava desfilando meu possante em Poços de Caldas, quando com aquela cara de bobo dos anos 68 cabelo comprido e pose de magnata fui mostrar o motor do “carango” para uma mina e para um marmanjo.Olha como era bom,ao levantar o capo do foguete o Capo caiu no chão.Imaginem a cara do bobo que eu fiquei e a mina , impressionada com a droga de carro que eu estava desfilandoa. As laterais eram tão mal feitas que sobrava pedaços de Corvim (material plástico que imita couro).
    O carro, digamos de passagem levava pau de Aero Willys o famoso Jipe de casaca.
    Um carro muito interessante minha definição pessoal a maior porcaria que se construiu, uma verdadeira imbecilidade de quem o fez.
    Diferentemente do Uirapuru Brasinca, do Pulma da Volks, tinham defeitos mas pelo menos andavam muito e eram bonitos este carro é uma cópia mal feita do Mustang.
    Vocês devem estar pensando,mas para aquela época ele devia ser bom, não era não, pois colocava a sua vida em risco,uma mecânica mal dimensionada, um acabamento porco.Eu tenho ódio deste carro perdi tanto dinheiro e o que é pior fiz papel de idiota por várias vezes.Esta foi a verdadeira razão de se parar de fabricar este lixo.Outra coisa se você deixasse alguma coisa no console era só entrar embaixo do carro quando dava para achá-la é claro e o mau cheiro em dias de verão.
    Gosto muito da industria nacional de automóveis mas o que a FNM fez com este carro foi piada e de mau gosto e quem pagou pela gracinha fui eu.

  4. Edivaldo disse:

    Preciso do telefone do Ricardo Oppi ou mesmo e-mail, sobre algumas calotas que tenho de Alfa JK…

  5. David ''FNMFan" Porto disse:

    Tá explicado por que não me lembro de ver desses ONÇA pelas ruas quando era menino. Não sabia que tinham saído tão poucas unidades!

  6. David ''FNMFan" Porto disse:

    A FNM na verdade era uma estatal que fabricava seus veículos baseados em Alfa Romeu, (começou com a fabricação de motores de geladeira e avião!) depois a própria Alfa Romeu comprou-a mas permaneceu o nome FNM. Como a FIAT comprou mais tarde a Alfa Romeu, a marca FNM durou algum tempo mais (com os caminhões até onmde sei) e depois foi extinta, já que a fiat já tinha a IVECO.

  7. Tá parecendo o FNM/Alfa JK 2000 (lançado aqui em 68).
    E não podemos nos esquecer que a FNM é hoje a Fiat brasileira.
    Aliás, o logo que a FNM tinha, era parecido com o da Alfa Romeo.

  8. Ricardo Oppi disse:

    Olá Gomes, como vê conseguimos resgatar mais um FNM Onça. O segundo que faço aqui na minha oficina.
    O que você quiser saber a mais sobre detalhes do carro, estou a sua disposição. Obrigado.
    Abraço.

  9. JV disse:

    a metade da frente é de um alfa GTV, a metade de trás é de um Mustang 66.

  10. jose carlos disse:

    SR BEVILACQUA
    quem construiu este carro foi o carlos bravo e o adilson lordeiro com pitacos do ren peixoto
    este carro capotou no rio e abelardo aguiar sacou fora a plataforma e colocou no alfazone e a cabine foi pra algum lugar e depois foi picada
    quem tirou a plataforma e meu parceiro do dia a dia e foi um dos construtores deste carro
    inclusive em recente ida ao rio ele me mostrou detalhes de reforco do encurtamento da plataforma
    estas info estou convicto do que falo pois um dos mentores e executores do projeto esta aqui na cidade
    parasua info ja saimos de sete lagoas fomos ao rio e voltamos a petropolis somente sobre o assunto espingarda
    tenho uma jk 2150 aqui no galpao pensando em reeditar o carro mas o sistema que a cabine foi modelada efoi bem diferente do normal mas nao impossivel de ser refeito
    meeu email esta na cabeca e a dispor
    jc

  11. João Carlos S. Bevilacqua disse:

    Lamento Sr. José Carlos, mas tive o prazer de dirigír o Espingarda inúmeras vezes, em uma delas inclusive, andando na frente de um Jaguar 67 da familia Fogli de Santo
    Desculpe.

  12. ALEX B. disse:

    Porra, nunca tinha visto um vermelhão! Lindão ate no estado em que estava na foto! Valeu Oppi!!!!!!!!!

  13. anonimo identificado disse:

    parece um BMW com um Mustang, ficou lindão esse carro.

  14. Roberto Fróes disse:

    FG, sonde o Oppi sobre o DKW Moldex que está com ele. E apresente o conversível à turma daqui, que provavelmente nunca ouviu falar nisso.

  15. Fabio Farias disse:

    Já que está se falando sobre os 5 carros construídos, eu me lembro muito bem de um deles. Um amigo do meu pai chamado
    Francisco Conzo, encomendou um Puma VW da primeira série,1968.
    Branco, motor 1500, roda de ferro com calota imitando cubo rápido…
    Como a entrega do veículo atrasou, o próprio Malzone emprestou-lhe um Onça para ele ir usando.
    Era verde água, bem claro, e eu dei uns rolês nele, de passageiro, é claro….afinal tinha 9 anos de idade.

  16. Já que o Nasser falou, li no Best Cars que dos 5 seriam dois brancos, dois azuis e um verde. Um branco é o do Nasser, o dos Murad era verde mas tinha sido pintado de vermelho. Na 4 Rodas falaram que o Nasser achou um azul que não tinha nem condição de ser colocado na plataforma, e que o outro branco teria sido destruído num incêndio ainda seminovo.
    E esse vermelho? Na conta só sobrava um branco…

  17. Pedro Jungbluth disse:

    tudo bem, pode ser imitação de mustang… mas que é mais bonito que mustang, isso é!

  18. roberto nasser disse:

    fg, citado, manifesto-me.
    foram oito carrocerias e cinco veículos prontos. destes, conhecem-se três. o da foto, primeiro que localizei por generosa indicação do junior abonante. o proprietário, em seu triplex morumbiano, não estava a fim de vender, exceto por oferta sensibilizadora. eu não era comprador para os us$ 50 mil pedidos. ofereceu-me, então, o carro do primo dele. ambos haviam sido ganhos de presente por sucesso no vestibular. o carro era branco, bem completo, estava numa fazenda, um galpão próximo a um lago. era o carro que o stricagnolo viu na rua do corpo de bombeiros aí perto de congonhas. fechou o lava rápido e um restaurante, mas o negócio inicial continua. é o polimentos roberto, à direita, ao lado dos correios.
    o roberto recebe e cuida das tralhas que eu compro. é a minha base de logística e confiança, o sujeito mais detalhista que allah já mandou para cá.
    o terceiro carro foi exumado de um quintal paulista, foi comprado pelos brimos murad e o oppi começou a restaurá-lo, quando os azambuja – que com o paulo trevisan transformaram passo fundo em capital sulina do antigomobilismo – o compraram.
    o carro das fotos é fácil de fazer. mecânica íntegra de único dono. peca pelo parabrisas em acrílico e bancos que foram modificados para receber um apoio de cabeça, coisas fáceis de fazer e reverter. as grades laterais estão onduladas, mas faze-las, ou aproveitar de jk, é fácil.
    é um belo carro. o proprietário é um homem elegante e de meios. não o fosse te-lo-ia vendido. apenas não gostou do jeito e da oferta que um intermediário cultural lhe fez, achando que faria a independencia econômica com um negócio. nunca entendi porque o verdadeiro interessado – cujo nome não vem ao caso – nunca assumiu negociar olho no olho.
    o oppi tem qualidade para traze-lo de volta aos brilhos, e o proprietário, meios para a conta e finura para o usufruto.
    ganhamos todos.
    de toda esta história, de ficar 12 anos em ingente trabalho de buscar informações, de localizar, negociar, fechar o negócio, transportar, sanear, localizar os componentes originais, recuperar a fibra mantendo as imperfeições originais, desenvolver componentes – oppi tenho os letreiros onça que consegui reproduzir, às ordens para o dr joão – levantar a história entrevistando até o hamilcar barone, cavalheiro que era o eng chefe da fnm, um aspecto frustra a parte ecológica da minha alma: não ganhei uma medalhinha do ibama por ter salvo da extinção um bicho que se pensava desaparecido !

  19. jose carlos disse:

    espingarda forneceu base do alfazone ,eu aposto
    jc sete lagoas

  20. márcio vaza óleo disse:

    Eu colocaria motor e cambio de opala 6 cilindros e iria participar de provas de burnout.

  21. mauro disse:

    Eu era apaixonado por um desses, quando criança; Que bom revê-lo. Espero qiue consigam coloca-lo no estado que merece.

  22. João Carlos S. Bevilacqua disse:

    Maravilhsoso o Onça. Porem há uma informação equivocada na informação do José Carlos, inclusive já li a respeito no Blog do Saloma.
    O espingarda não foi a base do Alfazone. O Espingarda foi adquirido por um piloto português que o comprou do pessoal de Petrópolis e o utilizou em uma das Mil Milhas nos anos 60.
    Depois o mesmo foi negociado com um Sr. de Nome Renê Vera de Santo André, que o repassou para seu primo, João Carlos Vera que o vendeu a um pessoal de São Paulo, por orientação do saudoso Camilo Cristófaro.
    Consta que foi desmontado.

  23. Leo disse:

    Karamba!!!!!
    Chique no urtimo!!!!
    Parabéns ao novo proprietário!!!

  24. Rodrigo disse:

    Bonito. Mustang + Alfa Giulia.

  25. Helmut disse:

    Tirando a frente em formato de xoxota típica das Alfa-FNM como nos Edsel Americanos, esta onça tem o resto da carroça-ria copiada dos Mustang Hard-Top

  26. Anderson Oliveira disse:

    Amigos de fato é muito bonito, mas me impressiona com a semelhança com um modelo da BMW que está na oficna do meu amigo fazendo parte elétrica, até a cor é igual.

  27. ANTONIO MARIA disse:

    Este carro foi tão importante que foi até tema de musica, cantada pela Maysa……Onça, vá viver a sua vida com outro beeem….kkkkk

  28. FRITZ JORDAN disse:

    Depois desse “nosso Mustang”, so fica faltando mesmo o Puma 4Rodas.

  29. antonio stricagnolo filho disse:

    Seria o quarto Onça dos restantes um branco que ficou durante muito tempo exposto num lava rapido no bairro do Campo Belo aqui em S.Paulo-SP a 500 metros de Congonhas? Ou esse é o que esta com o Nasser? Na epoca perguntei se estava a venda e escutei aquele velho jargão”Não vendo,ainda vou restaurar”.O carro sumiu e o lava rapido tambem.

  30. Irapuã disse:

    Sensacional notícia!
    E pensar que até a poucos anos o Onça era considerado extinto e nenhum havia sobrevivido ao tempo. Hoje temos dois belos exemplares para resgatar a memória de nossa industria. ,
    Vida longa aos felinos…e parabéns aos proprietários, que saberão como ninguém mante-los preservados. Têm valor histórico imensurável.

  31. Creio que faz um anos já, acharam um outro vermelho, bem estragado. E o Oppi mesmo estava restaurando, para um advogado. Vou caçar uma 4 Rodas Clássicos que conta isso.

  32. JULIO DIAZ disse:

    lindão, quero ver ele reformado.

  33. A linha lateral é cópia do mustang…até o vinco….Lindo demais esse carro

  34. jose carlos disse:

    a fnm fez o onca e dizia que seria o mais veloz nacional fabricado naquela epoca,eis que nosso amigo carlos bravo de petropolis fez o ESPINGARDA pra cacar a ONCA
    acho que a onca perdeu a parada porque o espingarda sobressaiu um bom tempo e depois serviu de base pro ALFAZONE
    bons tempos
    jc sete lagoas

  35. Luiz TTaquara disse:

    Lindo, esse vermelho quando pronto, deve ficar bem mais bonito que o branco do Nasser…

  36. GERALDO CASSELLI JÚNIOR disse:

    Que preciosidade . Já pensaram o que não deve ter de “Tesouros´´ escondidos por aí ? E pensar que a até algum tempo atrás , se torcia o nariz quando levava um Automóvel “Made in Brazil´´ a alguma exposição ! Pessoalmente o Onça me lembra o Mustang Hard Top .

  37. Luca Bastos disse:

    Cacildis!!!

    Vocês conseguem cada coisa. Até eu que sou do tempo do onça não me lembrava mais disto.

    Mas a foto me transportou no tempo. Ao tempo pré-JKs. E eu adorava os JKs (justo por não ter grana para comprar um)

  38. Sérgio Barros disse:

    Sobra estilo e personalidade, coisa linda mesmo e merece todos os cuidados. Que postem depois fotos dele renovado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>