ÀS COMPRAS

SÃO PAULO (que sol lindo…) – Na contramão das outras montadoras, que ou já se pirulitaram ou estão prestes a fazê-lo, a Mercedes vê na F-1 um bom negócio para ganhar dinheiro e prestígio. Sócia da McLaren, fatura algum com a existência do time graças a bons contratos de publicidade, como com a Mobil, o Santander e a Vodafone. Vende seus motores à Force India. E os cede à Brawn meio na camaradagem, olhando lá na frente. E lá na frente significa comprar parte do time marca-texto, como informa hoje a imprensa inglesa.

A F-1 se tornou um bom negócio para quem vende motores, mesmo que a custo não muito alto, porque a limitação de seu uso acabou com aquela farra de fazer 200 unidades por ano. A necessidade levava os custos às alturas para quem era parceiro/fornecedor, e não vendedor. Agora, são oito por carro, e ponto final. O gasto maior fica resumido às revisões e à manutenção.

A Brawn pode ser um negócio de ocasião. Não custa muito e é promissora. O repasse de motores à Red Bull, outro. Entre outras coisas, para fisgar o alemãozinho Sebastian Vettel. Sem a BMW pela frente como concorrente local, a Mercedes pretende estender seus braços pela categoria.

É uma outra visão da crise. O outro lado. Aquele de quem aproveita para crescer.

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Mirax
Mirax
12 anos atrás

Sem falar que tem a Williams que não vai usar motores Toyota em 2010 e está negociando usar os Mercedes em 2010 tb.

Os motores Mercedes, enfgrenaram numa fase de inquebráveis a partir de 2007, que fez todas as equipes ficarem de olho neles.

Além disso, parece que são os mais fortes da F-1 hj. Pena que o carro da McLaren não ajuda, pq senão teríamos um campeonato mais disputado esse ano.

A Mercedes apesar de ser dona da McLaren com 40% de suas ações, não anda muito satisfeita, por contas do acontecimentos dos últimos anos, além de ter um desempenho fraco nas pistas e não tem um piloto alemão pra representá-la.

Aí vende os motores para uma equipe pequena e competente, que está disputando o título.

Na pior das hipóteses, ela vende os 40% na McLaren. Compra a Brawn e coloca um piloto alemão na equipe e vai ser feliz.

Pedro Jungbluth
Pedro Jungbluth
12 anos atrás

o que eu queria ver na F1 é o nome Willians Mercedes! Ia ser muito legal, como foi ver o nome McLaren Peugeot uns tempos.

Thales Toledo
Thales Toledo
12 anos atrás

Isso aí. No dia em que a Mercedes se cansar de brincar de F-1, ela desmonta duas equipes ao invés de uma.
Parece que já esqueceram que no inicio do ano a montadora alemã-MERCEDES- já ameaçava pular fora do barco.

Joaquim de Souza
Joaquim de Souza
12 anos atrás

…e também é daquele que entende de automobilismo, diga-se!

Carlos Sampaio
Carlos Sampaio
12 anos atrás

Flavio, nao entendi a tese

quem é fornecedor nao saia ganhando tendo que fornecer mais motores?

Ou nao se cobrava por motor?

ronaldo
ronaldo
12 anos atrás

Nao esqueçam da Ford

Eugenio Saverio Trazzi Bellini
Eugenio Saverio Trazzi Bellini
12 anos atrás

Será que as as “outras” terão os mesmos motores que a “oficial”?
Sou contra monomarca, é uma chatice só não poder torcer além do piloto por uma marca!
Aliás é muito frustrante ver na mídia o resultado de corridas onde somente se cita o nome do piloto.
Flávio, dá uma saudade das provas de turismo, com Jk´s, Sinca´s, DKW´s, Renault´s, VW´s, Puma´s, Opalas, Maverik´s……. E os protótipos hein…
Enfim, acabou a era dos pilotos que ganhavam no braço, hoje é no box, virou corrida de box. Parece que querem mudar, ótimo diminui custos e aumenta a disputa na pista, quem economizar pneu (melhor piloto) ganha. Lembra do Peterson dando show atravessando na pista e o Emerson virando redondo com menor tempo… Será que este tempo vai voltar, torço por isso, para voltar a ver corridas novamente.
Abraços.

Abreu
Abreu
12 anos atrás

Tá certo. Ignorar o Chrysler do comentário anterior.

Abreu
Abreu
12 anos atrás

Tá certo. Ignorar o Daimler Chrysler do comentário anterior.

plow king
plow king
12 anos atrás

Nao foi a gloriosa crise que tirou a BMW da F-1 e sim os pessimos resultados. E eles nao teriam como reverter isso a curto prazo. A Mercedes como ja tem massa critica de pessoas preparadas nao tem o que temer. Voltaram a vencer ano in ano out… Duro he aguentar um quase monopolio acontecendo. Se a Mercedes puxar o carro (nossa que trocadilho inteligente) vai ser duro que a Ferrari e a Cosworth segurem o rojao (com Renault e Toyota fora so sobrara Ferrari e Mercedes da turma de 2009). Tenho dito.

Rogério Magalhães
Rogério Magalhães
12 anos atrás

Será que a Mercedes tá querendo entrar na seara da Red Bull? Transformar de vez a Brawn em uma satélite da McLaren, como a Toro Rosso em relação à Red Bull? Ou será que os planos, de repente, é inverter a coisa e se bandear mais para a trupe do Ross e ir deixando a McLaren mais em 2º plano? E como ficaria o Ross nessa história? Continuaria à frente da equipe?

Sei lá… tô mais nas perguntas do que nas certezas…

Carlos Eduardo Szépkúthy
12 anos atrás

Muito interesante a notícia… e ótimo ter essa visão em relação ao automobilismo…

Mas a coisa aqui no Brasil não anda da mesma forma não… Em setembro, mes que acontece o dicídio dos metalúrgicos, esta uma confusão danada… Empresas de caminhoes principalmente como a Mercedes e a Scania estão “quebradas” e estão com propostas ridículas de aumeto para a categoria… O prazo é até sexta feira para negociações, se não houver acordo, todas as montadoras vão ter paralizações lideradas pelo sindicato…

Por aqui não está tão legal assim a história…

Marcelo Martinez
Marcelo Martinez
12 anos atrás

Eu nãoacho muito bom para o AUTOMOBILISMO se prevalecer tal negócio.

Como já é sabido e nem precisarei me esforçar para explicar, as montadoras não estão nem aí com a F1.

Será mais um cara que sabe de automobilismo que abdicará de sua equipe por conta de alguns milhões de euros.

Uma pena…

Vaaalney
Vaaalney
12 anos atrás

Abri o post crente que o Flávio tinha comprado um representante da Bavária =D

Seven
Seven
12 anos atrás

A Chrysler já é da Fiat.

Abreu
Abreu
12 anos atrás

A Tyrrell, que virou BAR, que virou Honda, que virou Brawn, que poderá virar… Mercedes Benz ( sem Manssour Ojeh, Ron Dennis e CIA ). Loucura não? De Honda para Daimler Chrysler Benz, num piscar de olhos.

geraldo nunes
geraldo nunes
12 anos atrás

AS “Flechas de Prata” dos anos 30 e 50 (fora as participações nos ano 80 e 90) ainda estão no DNA da Mercedes-Benz. Quem sabe os “marca-texto” da Brawn mudam de cor, ano que vem…

dú
12 anos atrás

A Honda vai pedir quanto?
Seria o Ross testa de ferro, laranjão?

Marcelo D
Marcelo D
12 anos atrás

Só faltou dizer: “em chinês o ideograma que representa crise é o mesmo que oportunidade”… clichezão nas palestras de vendas…

Seven
Seven
12 anos atrás

A FIA está com uma proposta – “World Racing Engine”, que seria um motor 1,8 ou 2,0 l, 4 cilindros em linha, injeção direta e turbo-alimentado, com versões de 200 cv (F3) a mais de 600 cv (F1).

A FIA diz que esse motor, em suas variadas formas, poderia ser usado nas fórmulas, incluindo F1, IndyCar, GP2, A1GP, e F3, como em carros esporte – LMP1, LMP2, 24 Horas de Le Mans, Grand-Am, WTCC e DTM e Rally.

Isso vai na contramão do fornecedor único, ao contrário, temos um spec único e fornece quem quiser. Essa configuração é a mais comum na indústria, todo fabricante tem seu motor nesta faixa, até a Avtovaz poderia fornecer motores para a F1.

Mandruwá
Mandruwá
12 anos atrás

Adorei sua última frase. É exatamente isso que fazem os inteligentes, os empreendedores, os vencedores. São tantos os exemplos de pessoas e empresas que obtiveram êxito onde tantos outros fracassaram. Crise é omportunidade, para os espertos, para os vivos.
E a Honda que se dane.

Aliandro Miranda
Aliandro Miranda
12 anos atrás

Em que pese o fato da Mercedes não estar muito satisfeita com o recente comportamento da McLaren, como o escândalo de espionagem e a mentira de Hamilton no caso do GP da Austrália, que inevitavelmente mancharam a imagem da montadora.

Memória e vingança de elefante.

Gustavo Oliveira
Gustavo Oliveira
12 anos atrás

O retorno da parceria com a McLaren vai muito além do retorno com publicidade. A marca Mercedes ganhou um valor muito maior, e relacionado a altíssima tecnologia, com isso. Acho que a holding Mercedes/McLaren quer ir além do fornecimento de motores e oferecer também eletronica, caixa da cambio e consultoria em engenharia de competição. Com Brawn, Red Bull e Force India como clientes-parceiras, o negocio é muito promissor. Só gostaria que isso se estendesse para outras categorias, de preferência, o endurance.

Marinho
Marinho
12 anos atrás

Não é meio perigoso isso? Fica com cara da F-Indy, ou esta indo no caminho que o Mosley quer de uma fornecedora unica de motores.

Ernesto Longhi
Ernesto Longhi
12 anos atrás

É o que dizia-se por aí há algum tempo atrás. F1 (quase) monomarca no que diz respeito a motores.

http://vintagef1.blogspot.com/2009/05/iniciativa-mercedes.html

Alles Gute!

Maurício MV.
Maurício MV.
12 anos atrás

Já houve a era Cosworth e a era turbo. Talvez esteja começando a era Mercedes.

Carlos
Carlos
12 anos atrás

como dizia o desconhecido e já falecido filósofo mineiro Jojó Tigrão, nas crises uns choram e outros vendem lenços…

Lucius
Lucius
12 anos atrás

Conflito de interesse sério.
Se comprar, Rosberg vai pra lá e Rubens sai

Roberto Zuquim
Roberto Zuquim
12 anos atrás

Quem for competente que se estabeleça.
A Ferrari também faz isso, a muito tempo; tem motor em mais de uma equipe na F1 e em outras categorias.
Ma a vez é dos alemães.

Roberto Zuquim
Roberto Zuquim
12 anos atrás

Que for competente que se estabeleça.
A Ferrari também faz isso, a muito tempo; tem motor em mais de uma equipe na F1 e em outras categorias.
Ma a vez é dos alemães.