MENU

segunda-feira, 7 de setembro de 2009 - 9:08F-1

ÀS COMPRAS

SÃO PAULO (que sol lindo…) – Na contramão das outras montadoras, que ou já se pirulitaram ou estão prestes a fazê-lo, a Mercedes vê na F-1 um bom negócio para ganhar dinheiro e prestígio. Sócia da McLaren, fatura algum com a existência do time graças a bons contratos de publicidade, como com a Mobil, o Santander e a Vodafone. Vende seus motores à Force India. E os cede à Brawn meio na camaradagem, olhando lá na frente. E lá na frente significa comprar parte do time marca-texto, como informa hoje a imprensa inglesa.

A F-1 se tornou um bom negócio para quem vende motores, mesmo que a custo não muito alto, porque a limitação de seu uso acabou com aquela farra de fazer 200 unidades por ano. A necessidade levava os custos às alturas para quem era parceiro/fornecedor, e não vendedor. Agora, são oito por carro, e ponto final. O gasto maior fica resumido às revisões e à manutenção.

A Brawn pode ser um negócio de ocasião. Não custa muito e é promissora. O repasse de motores à Red Bull, outro. Entre outras coisas, para fisgar o alemãozinho Sebastian Vettel. Sem a BMW pela frente como concorrente local, a Mercedes pretende estender seus braços pela categoria.

É uma outra visão da crise. O outro lado. Aquele de quem aproveita para crescer.

30 comentários

  1. Mirax disse:

    Sem falar que tem a Williams que não vai usar motores Toyota em 2010 e está negociando usar os Mercedes em 2010 tb.

    Os motores Mercedes, enfgrenaram numa fase de inquebráveis a partir de 2007, que fez todas as equipes ficarem de olho neles.

    Além disso, parece que são os mais fortes da F-1 hj. Pena que o carro da McLaren não ajuda, pq senão teríamos um campeonato mais disputado esse ano.

    A Mercedes apesar de ser dona da McLaren com 40% de suas ações, não anda muito satisfeita, por contas do acontecimentos dos últimos anos, além de ter um desempenho fraco nas pistas e não tem um piloto alemão pra representá-la.

    Aí vende os motores para uma equipe pequena e competente, que está disputando o título.

    Na pior das hipóteses, ela vende os 40% na McLaren. Compra a Brawn e coloca um piloto alemão na equipe e vai ser feliz.

  2. Pedro Jungbluth disse:

    o que eu queria ver na F1 é o nome Willians Mercedes! Ia ser muito legal, como foi ver o nome McLaren Peugeot uns tempos.

  3. Thales Toledo disse:

    Isso aí. No dia em que a Mercedes se cansar de brincar de F-1, ela desmonta duas equipes ao invés de uma.
    Parece que já esqueceram que no inicio do ano a montadora alemã-MERCEDES- já ameaçava pular fora do barco.

  4. Joaquim de Souza disse:

    …e também é daquele que entende de automobilismo, diga-se!

  5. Carlos Sampaio disse:

    Flavio, nao entendi a tese

    quem é fornecedor nao saia ganhando tendo que fornecer mais motores?

    Ou nao se cobrava por motor?

  6. ronaldo disse:

    Nao esqueçam da Ford

  7. Eugenio Saverio Trazzi Bellini disse:

    Será que as as “outras” terão os mesmos motores que a “oficial”?
    Sou contra monomarca, é uma chatice só não poder torcer além do piloto por uma marca!
    Aliás é muito frustrante ver na mídia o resultado de corridas onde somente se cita o nome do piloto.
    Flávio, dá uma saudade das provas de turismo, com Jk´s, Sinca´s, DKW´s, Renault´s, VW´s, Puma´s, Opalas, Maverik´s……. E os protótipos hein…
    Enfim, acabou a era dos pilotos que ganhavam no braço, hoje é no box, virou corrida de box. Parece que querem mudar, ótimo diminui custos e aumenta a disputa na pista, quem economizar pneu (melhor piloto) ganha. Lembra do Peterson dando show atravessando na pista e o Emerson virando redondo com menor tempo… Será que este tempo vai voltar, torço por isso, para voltar a ver corridas novamente.
    Abraços.

  8. Abreu disse:

    Tá certo. Ignorar o Chrysler do comentário anterior.

  9. Abreu disse:

    Tá certo. Ignorar o Daimler Chrysler do comentário anterior.

  10. plow king disse:

    Nao foi a gloriosa crise que tirou a BMW da F-1 e sim os pessimos resultados. E eles nao teriam como reverter isso a curto prazo. A Mercedes como ja tem massa critica de pessoas preparadas nao tem o que temer. Voltaram a vencer ano in ano out… Duro he aguentar um quase monopolio acontecendo. Se a Mercedes puxar o carro (nossa que trocadilho inteligente) vai ser duro que a Ferrari e a Cosworth segurem o rojao (com Renault e Toyota fora so sobrara Ferrari e Mercedes da turma de 2009). Tenho dito.

  11. Rogério Magalhães disse:

    Será que a Mercedes tá querendo entrar na seara da Red Bull? Transformar de vez a Brawn em uma satélite da McLaren, como a Toro Rosso em relação à Red Bull? Ou será que os planos, de repente, é inverter a coisa e se bandear mais para a trupe do Ross e ir deixando a McLaren mais em 2º plano? E como ficaria o Ross nessa história? Continuaria à frente da equipe?

    Sei lá… tô mais nas perguntas do que nas certezas…

  12. Muito interesante a notícia… e ótimo ter essa visão em relação ao automobilismo…

    Mas a coisa aqui no Brasil não anda da mesma forma não… Em setembro, mes que acontece o dicídio dos metalúrgicos, esta uma confusão danada… Empresas de caminhoes principalmente como a Mercedes e a Scania estão “quebradas” e estão com propostas ridículas de aumeto para a categoria… O prazo é até sexta feira para negociações, se não houver acordo, todas as montadoras vão ter paralizações lideradas pelo sindicato…

    Por aqui não está tão legal assim a história…

  13. Marcelo Martinez disse:

    Eu nãoacho muito bom para o AUTOMOBILISMO se prevalecer tal negócio.

    Como já é sabido e nem precisarei me esforçar para explicar, as montadoras não estão nem aí com a F1.

    Será mais um cara que sabe de automobilismo que abdicará de sua equipe por conta de alguns milhões de euros.

    Uma pena…

  14. Vaaalney disse:

    Abri o post crente que o Flávio tinha comprado um representante da Bavária =D

  15. Seven disse:

    A Chrysler já é da Fiat.

  16. Abreu disse:

    A Tyrrell, que virou BAR, que virou Honda, que virou Brawn, que poderá virar… Mercedes Benz ( sem Manssour Ojeh, Ron Dennis e CIA ). Loucura não? De Honda para Daimler Chrysler Benz, num piscar de olhos.

  17. geraldo nunes disse:

    AS “Flechas de Prata” dos anos 30 e 50 (fora as participações nos ano 80 e 90) ainda estão no DNA da Mercedes-Benz. Quem sabe os “marca-texto” da Brawn mudam de cor, ano que vem…

  18. disse:

    A Honda vai pedir quanto?
    Seria o Ross testa de ferro, laranjão?

  19. Marcelo D disse:

    Só faltou dizer: “em chinês o ideograma que representa crise é o mesmo que oportunidade”… clichezão nas palestras de vendas…

  20. Seven disse:

    A FIA está com uma proposta – “World Racing Engine”, que seria um motor 1,8 ou 2,0 l, 4 cilindros em linha, injeção direta e turbo-alimentado, com versões de 200 cv (F3) a mais de 600 cv (F1).

    A FIA diz que esse motor, em suas variadas formas, poderia ser usado nas fórmulas, incluindo F1, IndyCar, GP2, A1GP, e F3, como em carros esporte – LMP1, LMP2, 24 Horas de Le Mans, Grand-Am, WTCC e DTM e Rally.

    Isso vai na contramão do fornecedor único, ao contrário, temos um spec único e fornece quem quiser. Essa configuração é a mais comum na indústria, todo fabricante tem seu motor nesta faixa, até a Avtovaz poderia fornecer motores para a F1.

  21. Mandruwá disse:

    Adorei sua última frase. É exatamente isso que fazem os inteligentes, os empreendedores, os vencedores. São tantos os exemplos de pessoas e empresas que obtiveram êxito onde tantos outros fracassaram. Crise é omportunidade, para os espertos, para os vivos.
    E a Honda que se dane.

  22. Aliandro Miranda disse:

    Em que pese o fato da Mercedes não estar muito satisfeita com o recente comportamento da McLaren, como o escândalo de espionagem e a mentira de Hamilton no caso do GP da Austrália, que inevitavelmente mancharam a imagem da montadora.

    Memória e vingança de elefante.

  23. Gustavo Oliveira disse:

    O retorno da parceria com a McLaren vai muito além do retorno com publicidade. A marca Mercedes ganhou um valor muito maior, e relacionado a altíssima tecnologia, com isso. Acho que a holding Mercedes/McLaren quer ir além do fornecimento de motores e oferecer também eletronica, caixa da cambio e consultoria em engenharia de competição. Com Brawn, Red Bull e Force India como clientes-parceiras, o negocio é muito promissor. Só gostaria que isso se estendesse para outras categorias, de preferência, o endurance.

  24. Marinho disse:

    Não é meio perigoso isso? Fica com cara da F-Indy, ou esta indo no caminho que o Mosley quer de uma fornecedora unica de motores.

  25. É o que dizia-se por aí há algum tempo atrás. F1 (quase) monomarca no que diz respeito a motores.

    http://vintagef1.blogspot.com/2009/05/iniciativa-mercedes.html

    Alles Gute!

  26. Maurício MV. disse:

    Já houve a era Cosworth e a era turbo. Talvez esteja começando a era Mercedes.

  27. Carlos disse:

    como dizia o desconhecido e já falecido filósofo mineiro Jojó Tigrão, nas crises uns choram e outros vendem lenços…

  28. Lucius disse:

    Conflito de interesse sério.
    Se comprar, Rosberg vai pra lá e Rubens sai

  29. Roberto Zuquim disse:

    Quem for competente que se estabeleça.
    A Ferrari também faz isso, a muito tempo; tem motor em mais de uma equipe na F1 e em outras categorias.
    Ma a vez é dos alemães.

  30. Roberto Zuquim disse:

    Que for competente que se estabeleça.
    A Ferrari também faz isso, a muito tempo; tem motor em mais de uma equipe na F1 e em outras categorias.
    Ma a vez é dos alemães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *