FÓRMULA MASSA

SÃO PAULO (que funcione) – Hoje de manhã Felipe Massa apresentou, na condição de “padrinho”, as duas categorias novas que a Fiat coloca nas pistas brasileiras no ano que vem. “Padrinho” foi o termo escolhido para definir o papel de Felipe nessa história, que tem como promotores Carlinhos Romagnolli (o cara que faz o Desafio das Estrelas de kart em Florianópolis), Titônio (pai) e Dudu Massa (irmão).

A bagaça vai se chamar Racing Festival e terá uma série de monopostos, a Fórmula Future Fiat, e outra com carros de Turismo, a Trofeo Linea. Começa em abril e serão 12 etapas divididas em seis rodadas duplas, sem calendário definido, ainda. O evento ainda promete uma categoria de motos, com a 600 Super Sport. Não se falou nada sobre a marca das motos. Como acontecia na F-Renault, os Giaffone serão responsáveis pela parte técnica da F-Fiat.

É muito importante a participação de Felipe, seja como for — padrinho, investidor, consultor, conselheiro. Ele é o maior nome do automobilismo brasileiro, e suas ótimas relações com a TV Globo vão dar um gás nesse negócio. Isso é saber usar o poder para o bem. Não basta correr. Tem de participar.

O Brasil está sem categoria de base entre o kart e a F-3 desde que a Renault encerrou seu campeonato aqui, no final de 2006. A CBA nunca fez nada para reverter a situação e, felizmente, a Fiat resolveu colocar seu nome de volta no asfalto. Como Massa está na Ferrari, deu liga. Sua presença é fundamental para que a coisa funcione.

A F-Fiat, segundo Titônio, vai custar para um piloto algo em torno de 250 mil a 300 mil reais por ano, o que dá uma média de 25 mil reais por corrida, considerando 12 provas. Não é nenhum absurdo. Os carros foram importados da França e os motores serão 1.6 de 150 hp feitos pela FPT, a fábrica que a Fiat comprou no Paraná que fazia os motores dos novos Mini. Pneus Pirelli. A organização cuida da preparação, logística, infraestrutra etc. Serão 20 carros no grid.

No Trofeo Linea, que usará os sedãs que a Fiat colocou no mercado no ano passado, os motores serão 1.4 turbo. O custo estimado é de 160 mil reais por carro, e serão formadas 11 equipes de dois pilotos cada, grid previsto de 22 carros.

Sobre TV, fala-se em transmissões pela Sportv e por internet. Na Globo aberta, acho que não. Mas pode ser que a coisa pegue, e aí o futuro à Fiat pertence — se pagar, emplaca um horário no “Esporte Espetacular”, claro.

Portanto, dia para comemorar. O automobilismo brasileiro, mortinho da silva, ganha uma injeção de ânimo.

Sobre F-1, Massa não falou uma palavra sequer. Nesta semana, ele tem agendadas pela Ferrari entrevistas exclusivas a jornalistas italianos de mídia impressa e TV. 

Subscribe
Notify of
guest
57 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Bru
Bru
12 anos atrás

Meu deus, mal da pra acreditar, tomara que venha alguma etapa aqui pra Goiânia, pq se o nacionalmente o automobilismo está fraco, aqui ele já morreu a anos, quer dizer, existe ainda a formula truck destruidora de asfalto!

Roberto David
12 anos atrás

Minha vida , minha paixão é automo/bilismo desdo autorama a té a formula !,quanto ao FORMULA MASSA .me paresse mais uma opsção de velocidada e aprovo , mas pergunto e os menos favorecidos e amntes da velocidade , para os quais o kart é caro! eu sou um dos pioneiros do Kartcross no r g s ,foi criado para ser barato e de facil acesso , pq a imprenssa não apoia ou pelomenos divulga?Poderia ser uma arma amis contra as drogas !e cuantos grandes pilotos poderiam estar nas pistas tendo mostrado seu talento em um karticros . descupem o desabafo e obrigado

J.N.Dias
12 anos atrás

Disse Gomes: “O Brasil está sem categoria de base entre o kart e a F-3 desde que a Renault encerrou seu campeonato aqui, no final de 2006.”

Só se for a nível nacional, pois a nível regional temos a Fórmula SP em São Paulo, a Fórmula 1.6 Gaúcha no Rio Grande do Sul e a Fórmula V 1.8 no Ceará, além das corridas promovidas por Aldo Piedade (Fórmula Alpie) para seus alunos e eventuais convidados (Não conta muito, mas vá lá). Isso, se não houverem outras categorias por aí.

A temporada, seja no trofeo Linea ou na F-Future, é meio salgada, sim. Mas, torçamos para que vingue e fique mais acessível, com o passar dos anos.

E, por favor, comparativos entre Barrichello e Massa são infrutíferos. Cada um fez (E faz) a sua parte pelo automobilismo no Brasil. Essa história de “um é melhor que o outro” me parece aquelas disputas de moleques que ficam comparando o tamanho dos seus… Carrinhos.

Anderson Oliveira
Anderson Oliveira
12 anos atrás

Parabéns ao Felipe e à todos os envolvidos, pena que o Rio está abandonado pelo nossos governantes que só pensam nas olímpiadas e consequentemente acabar com o autódromo de jacarepaguá.
Ah, voltando a boa notícia, como o Felipe vai se explicar com a BRISGETONE, empresa a qual ele é garoto propaganda.

Eduardo Melo
Eduardo Melo
12 anos atrás

No custo divulgado já acrescentaram as taxinhas da CBA? Taxas estas que serão pagas para que a CBA faça… faça o que mesmo? Imprima uma carteirinha?

Jaison
Jaison
12 anos atrás

Parabéns ao bravo Felipe pela iniciativa, e para Fiat e Pirelli.
A nova safra de pilotos tbm agradece!
Felipe já tinha entrado pra historia do nosso automobilismo onde quase nunca teve apoio, teve que migrar pra Europa para evoluir e vencer.
Agora da um lição de como um piloto bem sucedido pode ajudar nosso automobilismo tão capenga!

Valeuuu Felipe!

ALEX B.
ALEX B.
12 anos atrás

Veremos! Mas torcemos muito pelo sucesso dos Massa!