PASSA-PASSA

SÃO PAULO (vixemaria) – A temporada de 2011 já é a que tem maior média de ultrapassagens por corrida nos últimos 30 anos. Não há estatísticas confiáveis anteriores a 1982 para saber se antes disso as coisas eram ainda mais agitadas. Em Istambul, foram 113. O aumento de ultrapassagens vem sendo muito acentuado desde a primeira corrida da temporada: 29 na Austrália, 56 na Malásia, 85 na China e agora 113 na Turquia.

Alguém escreveu nos comentários da corrida, já não vou saber quem, que na verdade o que se tem neste ano não é piloto que ultrapassa o outro, mas que passa o outro; não precisa se esforçar, porque quando chega, leva porque o cara da frente está com os pneus esbagaçados, ou porque usa a asa móvel.

No primeiro caso, é apenas uma questão de encontrar alguém mais lento à frente. Isso acontecendo, o piloto sabe que não vai ter de estudar o melhor momento, dividir uma freada, nada disso. Vai, desvia e passa. No caso das asas móveis, é só abrir a bagaça e esperar pela desgraça do que está à frente, indefeso, sem poder lutar pela posição.

Sim, as corridas estão mais divertidas de se ver. Mas continuo com minhas dúvidas. É legal desse jeito? Dia desses escrevi que sim, pelo menos as pessoas que estão assistindo têm mais do que apenas uma procissão de carros velozes e coloridos para ver durante quase duas horas. Mas não está meio artificial demais, não? As ultrapassagens, que eram como o gol do futebol, elaboradas, tecnicamente difíceis, bonitas, marcantes, não ficaram meio bestas, fáceis, banais?

Continuo sem saber direito o que pensar.

Subscribe
Notify of
guest
172 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Felipe
Felipe
11 anos atrás

É esse ano está muito chato. Legal eram as corridas como o GP do Bahrein do ano passado. Esse pessoal que acompanha F1 não sabe o que quer. Tá legal pra caramba. Quer procissão vai ver o Círio de Nazaré.

Marlon Maestri
Marlon Maestri
11 anos atrás

Olá Flávio

No meu ver, o que aumentou foi os elementos de corrida. Asa móvel seria uma ferramenta artificial. Porém, ela é igual e pra todos em todas as condições. O cabra tem uma volta pra escapar do troco ou levar um cambão. Ficou legal. Independente disto, os melhores são os mesmos e fica evidenciado que o talento humano ainda é grande elemento surpresa. A F1 realmente me impressiona.

Abraços

galileu
galileu
11 anos atrás

é frustrante para um piloto que está na frente segurando a posição ver chegar um adversario com a asa aberta e ultrapassá-lo sem briga sem chande de defesa.
pura covardia, hoje qualquer pé ede breque que utilisar esse recurso ira certamente passar o carro da frente mesmo que seja um vettel.
não gostei desse tipo de artificio, e digo mais estão esperando dar uma merda qualquer para proibir.
como na stock um dia isso dá errado e pode matar ou ferir gravementre o piloto. componentes eletronicos são sujeitos a falhas, o dia em que a coisa não fechar no fim da ultrapassagem, não vai prestar, e se for numa segunda ou terceira volta onde estão todos andando juntos ainda, como fica?
o barrica, voce como presidente da associação dos pílotos deveria acordar para esse fato.
acordem antes que seja tarde.

Marcos Aldred Ramacciotti
Marcos Aldred Ramacciotti
11 anos atrás

Vejo que o talento em não deixar o adversario ultrapassar acabou, quem chega passa e acabou, agora a briga pela posição que é bacana vai acabando.
E o mais importante é que o resultado da corrida, que em 2003 teve varios vencedores, não mudou, o Vettel fatura o campeonato no meio da temporada.