MENU

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013 - 17:37Veloz HP

A LUTA KONTINUA, KAMARADA

velozhpmontagemSÃO PAULO (prolixo, como sempre) – Fazia tempo que não recebia mensagens d’Além. Hoje chegou uma, que me deixou feliz.

Kamarada, como estamos? Perdão pela longa ausência. Mudaram os servidores, essa turma daqui não se acerta com esses novos serviços. Agora inventaram que temos de participar das redes sociais, umas coisas que não existiam quando eu estava por aí. Só piora. Só piora. É um tal de curtir e compartilhar, de bater fotos, tuitar, feicebucar, haja tempo para tudo. Tínhamos poucos sedãs brancos, agora há uma frota. Sou o responsável pela manutenção. Não dá muito trabalho, devo admitir. Nisso você sempre teve razão, kamarada. Não quebram. Não kebram. Por isso mesmo acumulo o cargo de responsável por essa história de curtir e compartilhar. O que acaba me tomando muito tempo. Ainda mais essa do tuíter. 140 caracteres? Logo comigo? E minhas histórias? Tenho procurado ser sucinto. E objetivo. Recebo a programação do dia e escrevo apenas “Sd bco chega às 23:30 GMT. Esteja pronto e boa viagem”. Dependendo do tamanho da arroba, como a gente apelidou aqui, o sujeito (ou a sujeita) ainda pode tirar alguma dúvida ou retuitar. E assim vamos.

É claro, kamarada, que nem tudo são flores por aqui. Às vezes nos dão missões espinhosas, são necessários vários carros da frota para o mesmo lugar, não dá tempo de tuitar para todo mundo, nem de avisar pelo fêice. Questiono, digo que não é necessário, mas não adianta. Ordens são ordens e nisso eles são irredutíveis. Aí o pessoal chega em grande número, sem entender direito o que está acontecendo, e temos de mobilizar um mutirão para explicar que no fundo não é tão ruim assim, é tudo questão de se adaptar. Até eu me adaptei, não é mesmo? E com o tempo todos percebem que estão no lucro, pelo que me contam daí. Eu mesmo não sei direito o que anda acontecendo, não tenho tido muito tempo para acompanhar os noticiários, prefiro passar meu tempo livre conversando (tem muita gente aqui para conversar) e lendo minhas revistas antigas que sei lá como chegaram outro dia com um cartão onde se lia apenas “saudações do #44”. Claro que imagino quem mandou. De que jeito, não sei. Mas ele dá nó em pingo d’água. Me contaram até que anda pilotando. Estava na lista dos adiamentos que a gente recebe no fim do ano. Sim, todo fim de ano a gente recebe a lista daqueles que não receberão a visita do sedã branco por alguma razão que nunca nos é explicada. “Adiado – sem previsão”, aparece no carimbo. Mas não comente nada, é contra o regulamento avisar. Pela lógica daqui, se o cara sabe que tem um “Adiado – sem previsão” ao lado do nome, sai fazendo as maiores barbaridades por aí. Fui voto vencido quando discutiram a possibilidade de mexer nesse item do regulamento. Paciência.

Hoje estava dando uma olhada na minha agenda e vi que faz cinco anos que o sedã branco me apanhou em casa. Parece que foi ontem, porque aqui a gente mal nota o tempo passar. E é tanta gente que se encontra, tanto para falar e ouvir, que no fim das contas se perde um pouquinho essa noção do tempo.

Mande abraços a todos aí embaixo. Soube que você, kamarada, pintou de cinza seu sedã e meteu uma estrela vermelha na lateral. A turma por aqui te acha meio maluco, mas quem não é?, argumento. E eles concordam. Quem não é?

Prometo escrever com mais frequência. Fiquem bem, você e os outros. Diga a eles que o mantra continua valendo: acelerem, acelerem sempre. Eu vou segurando a onda por aqui. Arrumei um carimbo de “Adiado…” no câmbio negro e tenho uma namoradinha que trabalha no setor de programação. Enquanto não mudarem o sistema (andaram falando em informatizar, colocar códigos de barras, criar aplicativos que enviam mensagens por SMS, criptografar as ordens, mas essas coisas levam tempo e a turma aqui é meio lerda), fiquem todos tranquilos.

Abraços, meu kamarada.

Leandrov Alfonsov

Gostei de saber desse carimbo. Espero que o namoro dure bastante. Já se foram cinco anos, kamarada, esperamos mais um pouco.

60 comentários

  1. Romeu disse:

    Cinco anos, já. Tudo é muito rapido. Só saudade e a certeza, que o Veloz faz muita falta por aqui. Alem de trazer de volta para os comentarios de hoje, nomes que há um bom tempo não apareciam. Mas eram figuras obrigatórias nos velhos farnéis do Templo. Acelera Veloz e juizo com esse carimbo.

  2. Gustavo disse:

    É Flávio, já perdi a conta de quantos anos acompanho todo esse trabalho, incluindo seu blog. Me assustei ao ver os 5 anos…. me emocionei com a felicidade de ler o post, de lembrar dos comentários de Veloz HP, e do tempo precioso e alegre que tudo isso me proporciona. Perdi a conta, obrigado, gostando ou odiando de cada post, o que vale é a conduta em busca do que acha correto, valeu!

  3. Cristiano Azevedo disse:

    Acelere, Veloz!

  4. Osvaldo Franklin disse:

    Realmente o tempo voa… Percebi que acompanho o Grandepremio a mais de oito anos… Por acaso, eu que sou tarado tambem por corridas virtuais, me inspirei neste apelido VELOZHP para criar meu Nick no jogo GTR-2 para jogar online. Na epoca, eu estava lendo os comentarios no blogue do Gomes e acabei achando o nome irado. Eu que nao gosto de copiar, me senti meio copião e criei o Nick Veloz0003… Os numerais 0003, representava a placa de um audi turbo que eu tinha na época. Até hoje eu utilizo este Nick para correr… Hoje em dia, corro no formula 1 2012 do Ps3, estou entre os 500 melhores de mais de 80mil jogadores ativos. Tambem eu conto com um cockpit e volante para ajudar… Queria aproveitar que o FG esta em contato com o rel criador do apelido e pedir para ele considerar que isto foi uma homenagem a ele e pedir tambem que se ele esta com este carimbo ninja que ele arrumou e tambem deu a sorte de namorar a gatinha da programação, para me incluir na lista dos amigos que tem a limosine adiada… É isso… Abraço e obrigado

  5. Roberto Martinez disse:

    Não o conheci pessoalmente, pena, pelos relatos era um cara especial !

  6. Marcelo Foresti disse:

    Acho que foi o Cerega que escreveu aí em cima: “chorei de novo”!!!!! Grande Veloz…..

    Concordo com o Petrus, era muito melhor…… um grupo talvez um pouco mais “apaixonado” que frequentava os farnéis…..

    Abs a todos.

  7. Marilis Alfonso disse:

    Faz tempo, 5 anos, mas a saudades é a mesma !!!

    Não pode haver carinho maior do que ler todos os comentários de grandes amigos do Veloz-HP, MEU IRMÃO !!! Alguns que tive a honra de conhecer e não esquecer de cada palavra que cada um falou sobre ele….amados queridos !!!

    E como sempre me emocionar muito e agradecer para sempre ao Flávio, que aptou a essência do meu irmão e lhe deu a mais pura amizade….

    Obrigada, Marilis.

  8. fernando duarte amaral disse:

    Flavio, me desculpe pela ignorancia mas…quem era Veloz ? Algum link que voce possa postar para eu poder ler ? Pelo jeito ele era o cara e, alem do mais, pelo que entendi, andava de moto (ja merece meu respeito)….
    abracos lusitanos

    • Acarloz disse:

      Veloz HP era o apelido do Leandro Alfonso, um frequentador desse espaço que se foi a 5 anos e deixou saudades, pelos seus comentários ácidos, irônicos e divertidos, espelho da sua própria personalidade, como viemos a descobrir quando o encontramos pessoalmente.

  9. Monis disse:

    Há pessoas que nunca se vão. Apenas mudam de dimensão!

  10. Mario Gasparotto disse:

    Sem palavras. Uma coisa é certa, todos nós entraremos neste sedan branco um dia. Espero que o tempo por lá seja suficiente para falarmos com todos que gostaríamos de um dia pelo menos falar um “oi” ou de ver coisas que não pudemos ver aqui.

  11. Paulo Pinto disse:

    Kamarada Kardecista, em qual Centro você recebe essas mensagens?

    • Claudio Ceregatti disse:

      Esquece Kardec, Paulo.
      O FG é ateu à toa, agnóstico por opção.
      Pelo que conheço (pouco) tão convicto no aspecto espiritual como político…
      Esses textos não são escritos, eles “vem”.
      Certo, FG?

      • Flavio Gomes disse:

        Certo, Comendador.

      • regi nat rock disse:

        e, pra variar, um soco no estomago. Especialmente os que, como eu, puderam compartilhar (não pelo Facebook) a amizade desse maluco beleza) 5 anos já. Parece que foi outro dia. Aproveitando esse carimbo escamoteado, favor olhar com carinho um amigo nosso, tão doido quanto e dê sua carimbada que ainda não é momento pro sedan. Sabado no Templo.

      • Paulo Pinto disse:

        Claudio, conheci o FG pela TV (programa Limite) e também aqui no blog.

        Sei que ele é ateu (graças a Deus), socialista (só não gosta da Sibéria e dos bosques de Katyn) e fã (disfarçado) de Schumacher.

        Ele está entre os três jornalistas brasileiros (além de Reginaldo e Lito), que mais conhecem e comentam sobre esse esporte apaixonadamente louco, que é o automobilismo.

  12. Alan Bandeira Preta! disse:

    Emocionante lembrar… Um cara que conheci lendo ele, e depois em uns poucos farnéis, deixou uma lembrança incrívelmente boa. Ando de motão todos os dias, venho trabalhar, namorar, viajar, tudo em cima da companheira; e muito é por causa do exemplo do veloz! Porque não!

    Um grande abraço pro Veloz e pra quem segue de alguma maneira o exemplo de vida q ele deixou pra gente!

  13. LucPeq disse:

    Grande Veloz, grande turma aquela dos farneis…. Tenho saudades de todos!

  14. Rogério Magalhães disse:

    Cinco anos, já? O tempo passa rápido mesmo, bem mais rápido que os carros soviéticos tão “idolatrados” por ele, hehehehe…

    Certamente o Veloz-HP tá bem melhor do que a gente nesse mundão doido aqui, no qual só ficam as saudades de alguém que não deveria ter virado passageiro do sedan branco, que não deveria ter tido suprimido o carimbo de “Adiado – sem previsão” de seu prontuário…

    A luta kontinua, kamarada…

  15. Cassius Clay Regazzoni disse:

    Não o conheci, mas lembro muito bem dos comentários ácidos e irônicos. Eu ainda acredito que os bons sempre vão primeiro.

  16. Marcos André - Rj disse:

    Estava com saudades dessses textos…

    Esse sedan branco rodou muito por aqui em 2007…em fevereiro levou minha irmã e em novembro voltou pra pegar meu pai… ainda bem que ele deu um tempo aqui em casa…espero que não aumentem mais a frota!

  17. Roberto disse:

    Kompanheiro Alfonsov,
    Eu pouco me manifesto no blog do Flavio Gomes.
    Mas já passaram mais de 9 anos que leio o que esse dublê de piloto e jornalista escreve.
    Gostava demais do Ladaland.
    Quando fui a Moscou fiquei alguns momentos procurando por ladas para tirar uma foto, mesmo sem máquina.
    Veloz – HP ou Leandrov Alfonsov, você partiu sem ao menos dizer adeus. Mas entrou no sedan branco dormindo. Como sempre, com muito estilo.
    Saudades de quem eu nunca conheci. Apenas, li.
    FG, parabéns pela lembrança daqueles que de alguma forma tornaram a nossa jornada especial.
    Roberto.

  18. Roberto disse:

    Falar o que do Kompanheiro.
    Eu pouco me manifesto no blog do Flavio Gomes.
    Mas já passaram mais de 9 anos que leio o que esse duble de piloto e jornalista escreve.
    Gostava demais do Ladaland.
    Quando fui a Moscou fiquei alguns momentos procurando por ladas para tirar uma foto, mesmo sem máquina.
    Veloz – HP ou Leandrov Alfonsov, você partiu sem ao menos dizer adeus. Mas entrou no sedan branco dormindo. Como sempre com muito estilo.
    Saudades de quem eu nunca conheci. Apenas, li.
    FG, parabéns pela lembrança daqueles que de alguma forma tornaram a nossa jornada especial.
    Roberto.

  19. Gus disse:

    Grande homenagem ao irretocável VELOZ; a verve mais afiada nos comentários, de uma paixão e talento similar ao Ceregatti (que só conheço da entusiasmante redação!)

    • Claudio Ceregatti disse:

      Então porque não aparece para um “entusiasmante contato imediato do 3o grau”? Tem corrida do paulista no Templo, eu tô lá… Agora a bordo da Mclaren 44, matando minhas taras. Venha!!!

      • Gus disse:

        Sou de outros rincões amigo Ceregatti; mas saiba que admiro muito os teus depoimentos, desde os tempos do Celta arrepiando em Interlagos…tu tens o dom!

        É o tipo de entusiasmo disseminado que sempre fica cutucando nosso eterno vírus da velocidade (que nunca fenece…dio cristo!).

  20. Acarloz disse:

    Choramos Cerega…. Saudades do Veloz e das suas histórias, da ironia, do seu mau humor contagiante, eu o conheci pessoalmente no dia em que essa foto foi tirada em Interlagos, na verdade adivinhei que era ele ao vê-lo estacionar sua moto, com uma mochila preta nas costas onde se lia uma frase bordada: ” motoqueiro é a puta que o pariu”.
    Grande cara, uma perda pra nossa confraria aqui, uma merda…
    Cinco anos, esse tempo passa rápido demais.

  21. Marcelo Lavanini disse:

    Não o conheci, mas o texto, e os comentários, me deram vontade de tê-lo conhecido.

  22. Zé Dirceu disse:

    Como frequentador deste espaço desde 5 de dezembro de 2005 lembro me de alguns comentários, como o que ele fez em um post do ônibus Cometa ( o post falava sobre uma dessas réplicas de papel), em que Veloz afirmou que uma vez em 1972, de moto e sem capacete, como era comum á época, “pegou o vácuo” do busão, e quesó freava quando via as luzes de freio do bruto acenderem-se, e que um tio dele o viu fazendo isso.

    Outros comentário que me lembro é que disse que em 74 andava em um jipe com preparação da Divisão 3, salvo engano.

    O outro comentário que me lembro é de quando ele disse que, em Interlagos, nos anos 70 tinha um venddor de refrigerantes que dizia “Quem não pediu, pida”.

    Saudades, e consciência de que um dia também embarcarei no sedan branco.

    Abraços à blogaiada.

  23. Thiago Azevedo disse:

    Valeu por ter lembrado, Gomov! Como passa rápido! É muita coisa, basta imaginar que são 5 anos que deixamos de receber as lições dele, que era tarado por esporte a motor e tinha uma generosidade imensa em compartilhar! E muito bom humor, ele provocava o pessoal aqui no boteco e devia dar boas risadas das reações! Saudades danada!

  24. Rick Lucas disse:

    5 anos… o legal é que nesses posts o pessoal da antiga aparece. Os farneleiros. Saudades de todos.
    E Veloz não mais precisa perguntar pelos sais…

    • Claudio Ceregatti disse:

      Não aparece porque não quer, Rick.
      VOCE foi o primeiro de nós a penetrar nas catacumbas do Parque Continental, o primeiro a estar com ele pessoalmente.
      Cronista que é, bem que poderia vir para transformar em palavras as emoções que ando sentindo… Como voce fez naquela nossa “travessura na madrugada”. Pensa que esqueci? Mané!!!!

      • Rick Lucas disse:

        Pois é, Maestro, tens toda a razão! Preciso aparecer no templo pra botarmos o papo em dia. Vou me organizar. Faço um curso nos sábados pela manhã, estou me recuperando de uma torção no joelho, mas vou dar um jeito. Quem sabe eu até retome a atividade cronística da qual ando meio distante também.
        E aquela “travessura” vou contar pros meus bisnetos se eu chegar a conhecê-los, rs.

  25. Tiago S. disse:

    Cara que estranho, eu frequento esse blog já não tão frequentemente quanto antes, outras responsabilidades, mas a uns bons anos, não sei quantos. Nunca conheci ninguém daqui, parece má vontade, mas todas as corridas do #96 ou #69 que eram anunciadas aqui e que eu me programava pra ir, surgia algo que não podia ser adiado, como trabalhar, prova na faculdade, ou qualquer merda que fodia meu sábado.

    Mas nesse tempo lí vários comentários engraçados do Veloz-HP, ainda me lembro claramente de um lada laika sei la qual, imundo congelado mas marrom e ele dizendo que parecia um “cocozão emergindo do esgoto”. Enfim, nunca conheci ele nem ninguém aqui e não teria motivo pra ter qualquer tipo de conexão.

    Ontem, entrei rápido no blog (como hoje) e vi lá uma foto de um Trabant tietando um Audi e fiquei pensando no que o Veloz-HP diria daquela foto, mas não escrevi nada, porque evidentemente não tenho a inspiração que ele tinha pra fazer piada com os carros dessas bandas. Mas foi estranho porque quando pensei nisso fiquei lembrando de alguns comentários dele e lembrando como se fosse um cara que conheci.

    E hoje, vejo esse post, o que é uma mera conhecidência, mas que não deixa de ser esquisito pra mim.

    Mas é isso, abraço, esses textos dele do além continuam bons

  26. Joca disse:

    Não o conhecia até ler o texto.
    Sensacional, parabens.

  27. Edison Guerra disse:

    Emocionante o texto, de quem tem verve literária. Saudades do amigo, a quem aprendi a admirar pelos comentários causticos e cobertos de razão.Aguardei ansiosamente a sua primeira aparição em um farnel, o que aconteceu no gélido dia 30 de Julho de 2006, quando se apresentou trazendo um estoque de whisky de qualidade (para quem conhece,o que não é o meu caso, mas os presentes se admiraram).Foi um dia fantástico, onde todos se surpreenderam com a sua simpatia, tendo sido cercado e dando atenção a todos o tempo todo,com muitos ali nem lembrando que lá fora os carros estavam na pista.Deixou saudades a todos os matuzas.
    Kompanheiro, continue com as suas atividades por aí, e faça bom uso do “carimbo”.

  28. Apache disse:

    Nossa, 5 anos, custei a acreditar. Como o tempo voa. Saudações aos amigos.

  29. Estevão disse:

    Puxa vida, já faz cinco anos que Veloz partiu. Volta e meia lembros dos seus posts homenageando o rapaz.
    O tempo está passando depressa demais…
    Abs.

  30. Claudio Ceregatti disse:

    Pronto, chorei.
    Semana passada lembrei dele, pensando em homenagear nosso amigo de alguma forma, na próxima etapa do paulista.
    Voltei aqui no FG e li um monte, figura! As coisas que ele colocava, da forma como encaixava, eram só dele, do Cavaleiro Solitário. Era a referencia pra todos nós, a enciclopédia, o apaixonado. O único na arquibancada. A iminencia parda que, quando se apresentou, botou um sorriso na cara de todo mundo.
    Como faz falta, como marcou a todos nós o Ilustre Veloz HP.
    Ando ocupado com o Formula Vee, a Mclaren 44 homenageando o Mestre Ciro Cayres, meu professor de pistas & vidas.
    De brinde, pintei meu capacete emulando o “Meu Herói”, José Carlos Pace.
    Todos mortos, todos vivos, todos presentes, e ausentes.
    Deve estar bem animado, lá no céu dos pilotos. Cheio de feras, monstros sagrados que lembramos e veneramos. Certeza que o Veloz está lá com eles, totalmente integrado, sentindo-se em casa.
    Certamente emputecido com as braçadas que damos, obviamente irritado com as barbaridades que continuamos a perpetrar aqui.
    Saudades sinceras nós sentimos, aguardando o sedã branco que, mais dia menos dia, virá.
    Quando finalmente chegar, no caminho esperarei ansioso pelo abraço do amigo. Esperarei pela recepção de todos aqueles caras que sempre quis ser, e nunca fui.

    • Virgo silva disse:

      Lembro um comentário que voce fez da última vez, sobre o tempo em que “todos nós amávamos o Flávio…” se o amor ao Flávio foi o que nos juntou, o amor do Veloz às coisas do automobilismo era uma referência. Quem diria que já tivemos o Sidney Cardoso (do Ford F40 GT) conversando conosco como se iguais fossemos e partilhando conosco seu conhecimento e sua vida nas pistas. Quem diria que nosso grupo já foi ponto de encontro daqueles pilotos que fizeram a história do nosso automobilismo (Jan Balder, o Águia… e tantos outros).
      Nunca esqueci a cara de parvo do Chefia quando o Bird Clemente em pessoa apareceu em um dos farnéis. E depois voltou. e nos contou varias causos.
      Farnéis que já foram animados pelo Beatles 4 Ever (a caráter), pelo Zé Rodrix (grande cara, Deus o tenha…) cantando “casa no campo” ao vivo, com seu tecladinho. E em tudo isso, a figura do Veloz, sua simpatia, desprendimento, bom humor e grandes histórias pairava, meio que uma referencia para todos . Sinto uma saudade imensa daquilo que já fomos e uma maior ainda do que poderíamos ter sido. Abraço a todos.

      • Claudio Ceregatti disse:

        Penso assim meio que como voce, Virgo.
        Poderiamos ter sido, e no fim não fomos.
        A coisa toda foi se esvaziando naturalmente. Figurinhas carimbadas sumiram, evaporaram do mapa, como o Brandão, pioneiro batalhador. Aos poucos foi murchando, murchando e morreu naquela forma original. Mudou a administração de Interlagos, pra pior. Tinhamos espaço e energia, que se esvaiu. Uns poucos, dentre os quais me incluo, ao contrário de muitos que “acabavam de chegar”, “chegaram pra ficar”. Fiquei afastado por muitos e muitos anos, fruto da forma que (ainda permanece) o público é tratado. Mas quando voltei… Me enfiei de vez. Da nossa “velha origem”, o Joaquim virou gestor e dirigente. Eu, voltei a acelerar – mas logo acaba!
        Separei uma verba destinada, nem mais nem menos um centavinho. Corro essa primeira etapa e a outra, não mais.
        Gastei dinheiro demais na minha vida, sonhando.
        Agora gasto bem menos, usufruindo.
        Mas não deixo mais de frequentar Interlagos. Continuo sendo o primeiro a chegar e o último a sair. Independente do que me fez voltar, dos dias fantásticos que vivemos juntos, das experiencias variadas que tivemos, dos caminhos que cada uma das nossas vidas nos levou, amo demais aquele lugar. Desde 2006 e graças a Internet, ao Blog do FG e ao empenho de muitos, voltei pra ficar.
        Agora não saio mais, vão ter que me aguentar até o sedã branco chegar.

  31. Everaldo disse:

    Cara. bem escrito e lembrado que todas estas “tecnologias modernas” nos acabam afastando.
    Eu posto muito pouco, talvez por timidez ou pelo meu português, mas, o Petrus lembrou bem quando eram poucos. Mas os muitos de hoje é consequencia dos poucos de antes e nesta (ou nessa) está o incomparável ( ia dizer saudoso, ou sei lá) me desculpem, mas a saudade chegou do grande Veloz.
    Abraços a todos

  32. Marcelo Melo disse:

    Caamba !!! Cinco anos, já ???? Parece que foi ontem. Lembro do post … jurava que não tinha esse tempo todo. Enfim…

    Bela lembrança, Gomov. Parabéns !

  33. disse:

    “Adiado – sem previsão”
    Olhe por nós aqui.

  34. Saloma disse:

    Papai pegou o sedan branco em janeiro de 2011, fez um tour e no caminho passou e deu uma carona a mama em abril de 2012, só que não me avisou, foi muito rápido, mas estão curtindo a beça a luz do seus caminhos!!! Amigos de luz, nós temos um puta sorte de tê-los ao nosso lado!!!

  35. Eric disse:

    Perfeito. Até hoje guardo coisas que a irmã dele me deu com carinho. Grande Veloz.

  36. Tohmé disse:

    Grande Veloz. E suas histórias. E sua simpatia

  37. Ricardo Sarmento disse:

    Parabéns pela lembrança, Flávio!

    Me lembro bem dos comentários do Veloz – HP, sempre com muitas histórias e algo a ensinar. Já se passaram 5 anos que ele foi pro outro plano da vida? Caramba, como o tempo passa depressa. Como cada um tem a sua fé, vou lhe enviar meus desejos de muita luz e paz hoje a noite.

  38. Petrus Portilho disse:

    Ele não se lembrou do papo que tivemos no Hospitality Center não? Realmente uma figura Sr. Veloz HP… sabe Flavio… lembrando do passado, gostava realmente de escrever mais quando era pouca gente… hoje esse negocio aqui ficou tão grande que nós que estávamos no inicio, Veloz, Ruiz, Cerega, Joca, Brandão, Jonny O, Caio Louco de Santos e tantos outros sumiram nos milhares de resposta que você recebe… mas ainda continua o vicio de abrir o Blog de 2 a 3 vezes por dia… coisa boa agente não larga!
    Abs.

  39. jovino disse:

    Karamba…. Faz cinco anos que o nosso amigo Veloz HP nos deixou!!! Lembro-me que quando você postou uma foto do meu dodjão de corridas aí e o Leandro comentou ” que bom que você também é um dos nossos e acelerou esta máquina aí no autodromo de Brasília. Imagina o kabra hoje co face book, msn, twuiter, etc, como ele estaria agindo!!! E a proliferação dos breganejos, axes da vida que dominam tudo hoje. Como ele reagiria com sua ironia bem humorada!! Que Deus continue cuidando muito bem dele e ele esteja acelerando as tuas tão amadas motocicletas. Jovino

  40. Conde disse:

    Com o tempero de sempre . Perfeito .

  41. Márcio Haddad disse:

    Belíssima sua atitude de lembrar de um companheiro tão querido por você.
    Difícil achar amigos verdadeiros, difícil é achar quem se dedicou a homenageá-los.
    Parabéns kompanheiro Gomov.

  42. askjao disse:

    Engraçado como o tempo passa e nem percebemos. Minha mãe entrou no sedan branco em 1993, ou seja, 20 anos de saudades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *