ANTES, A INDY

SÃO PAULO(só piora)Revela Victor Martins que a Indy mandou representantes a Goiânia para dar uma olhada na pista e tentar salvar a etapa brasileira da categoria, marcada para 8 de março. A corrida deveria acontecer em Brasília. Mas por recomendação do Ministério Público da União, o governo do DF suspendeu as obras no autódromo e avisou que não vai pagar a conta da prova, que pertence à TV Bandeirantes. Isso porque todos os papeis assinados entre a emissora e o ex-governador, Agnelo Queiroz (PT), eram de uma fragilidade jurídica de dar pena.

Carlo Gancia, que é um dos representantes da IndyCar no Brasil, disse ao Grande Prêmio que o MP não tem poder de cancelar a prova. Não o fez. Apenas determinou que as empresas do governo do DF, Terracap e Novacap, não enterrem dinheiro no autódromo com base em contratos fajutos. Se a Band, que é dona do evento, quiser fazer a corrida em Brasília, pode assumir as reformas, por exemplo. Pedindo autorização ao governo, claro, que é dono do autódromo.

Isso, no entanto, não vai acontecer. E meu maior medo, agora, não tem nada a ver com a realização ou não da corrida — é um problema da emissora e da IndyCar, são brancos e que se entendam, como dizia minha avó. Medo, mesmo, é do destino do autódromo Nelson Piquet. Quebraram tudo. Quem vai arrumar?

Comentários