DISCORDO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008 - 11:45F-1

DISCORDO

SÃO PAULO (um é bom) – Já Flavio Briatore defende duas corridas por dia ou por fim de semana, algo nos moldes de categorias como a A1 GP, a Superleague, a GP2. Para o dirigente da Renault, os GPs são “longos e previsíveis” demais. Aí já não faz muito minha cabeça. Acho que o tamanho das provas da F-1 é bem razoável, entre uma hora e meia e duas. Não precisa de mais. Nem de menos.

18 comentários

  1. do amaral disse:

    esse Briatore é simplesmente uma múmia, como elas mesmas teriam dito.

    o q esse id. quer, deselitizar a F1? acha q vai ganhar mais público na TV? será q é isso essa m.de idéia?

    deviam era aumentar a distância das provas pra 400 km.
    os pilotos-atletas de agora são mais jovens, mesmo.
    e também justificaria manter os atuais salários dos pilotos, hehe.
    mas com reabastecimento, claro.
    aliás, com a proibição do reabastecimento para 2010, será q voltará o perigo de fogo com tanques cheios?

  2. MSM disse:

    O tempo de corrida já está bom na casa de 1h e 30m a 2h.
    Não precisa ter 2 etapas.

  3. JBCarneiro disse:

    Essa do Briatore e a das medalhas nem precisariam ir a votação. Duvido que algum fã de F1 vá gostar dessas ideias ridiculas.

    Quando a corrida está emocionante pode durar até uma hora a mais que quem é fã fica grudado na TV assistindo. Quando não se é fã, assim que o piloto do pais quebra, bate ou tem algum problema muda-se de canal ou desliga-se a TV.

    Quanto mais carros “afinados” existirem na F1 e pilotos excelentes para pilotá-los houver, mais emocionantes e disputads serão as corridas. É claro desde que os circuitos não sejam Valencias ou Cingapuras ou outros onde só se anda em fila indiana.

  4. EdisPJ disse:

    E eu achando que tudo iria virar para o lado bom, sendo que chegaram ao ponto de pensar em proibir o reabastecimento, pra mim, o pior vilão disto que a fórmula 1 se tornou…imagina com duas corridas, vai acabar acontecendo o que Arethur Hermont acabou de comentar, disso não tenho dúvida…

  5. Júlio Amorim disse:

    Obrigado companheiro já votei aos montes contra.
    Coloquei o link no meu página inicial e vou votar toda hora é só apagar o histórico e vc pode voter mais de uma vez.
    Abs!

  6. Arthur Hermont disse:

    Do jeito que as coisas são feitas “com tanto amor e carinho” pela TV brasileira imaginem a bomba que seria a transmissão destas duas corridas ! Uma corrida passa em forma de vt de 5 minutos ( 2 de imagens aleatórias da corrida + 3 de propaganda ) e a outra com um pequeno atraso ( completamente irrelevante com certeza ) de uns 30 minutos ( + 4 de propaganda depois do início da transmissão ). Péssima idéia. Pode ter até algum atrativo para o cara lá sentado no autódromo, mas para o resto do mundo ali grudado na TV não existe a menor condição.

  7. everton ventura disse:

    Querido Flavio Gomes há tempos eu acompanho o seu blog e, estou te escrevendo algo que me ocorreu a menos de uma hora atras em forma de comentario e gostaria que, se voce achar interessante publicar em seu blog, publique, pois eh uma questao de principios basicos de uma sociedade e tem alguma ligação com o caso do quase acidente do passat… Caso voce nao veja importância, eu gostaria de contar com a sua gentileza em me indicar um blog de visibilidade que voce achar oportuno… o espaço aqui eh seu, mas eu gostaria de contribuir com algo…

    Eu acompanhei aqui no blog do FG toda a discussão acerca do “menino mirim” que quase causou um acidente grave na Superclassic, e pude perceber o total despreparo do menino em pilotar um carro de corridas e o despreparo de um pai (ou ambos) em serem repreendidos por erros e, implicitamente, em seguir regras. Dentre todas as discussões sobre o assunto, uma coisa que mais se falava era a situação socio-econômica da família.
    Mas enfim, esta introdução toda serve para levantar algumas coisas que me deixaram completamente “emputecido” com algo ocorrido hoje, dia 20/12/2008 por volta das 13:30 (há menos de uma hora atrás). Eis que estava eu almoçando na casa de alguns amigos meus e ouço um freiada e um barulho de um acidente de carro. Logo que eu saio para ver o que havia ocorrido, vejo uma motoca (uma biz) caída no chao e um carro atravessado em uma avenida. Nao foi nada grave, apenas alguns riscos no carro, a placa dianteira amassada, a moto quase intacta e o motoqueiro idem. Quando começa toda a aglomeração de pessoas em volta do acidente, eu ouço o “juvenil” motociclista dizer que nao tem habilitação, mas que tudo bem, ele ja havia começado a fazer auto escola. Cabe lembrar nisso tudo, que o motorista do carro cruzou um trecho em que nao havia sinalização alguma indicando de quem era a preferência no cruzamento. Tão logo as pessoas ficaram sabendo que o “juvenil” nao era habilitado, logo trataram de esconder a moto e dizer para o motorista que nao adiantava chamar as autoridades de trânsito, pois era um acidente de pequena monta.
    Vendo isso, eu, com meu sanguinho italiano, minha boca enorme e minha mania de nao tolerar as coisas erradas, tive a infelicidade de dizer ao motorista: “voce vai chamar o transito sim!!! Você não vai pagar pelo erro da prefeitura de nao sinalizar um cruzamento e por um pirralho que nao pode ainda pilotar uma moto!!” Neste momento, eu vi que eu apanharia de alguém naquele lugar, e resolvi sair.
    Mas a minha mania de tolerancia zero com injustiça falou mais alto, eu fui decidio a chamar o motorista do carro e convencê-lo a chamar o transito visto que ele era o “menos errado” no acidente. Quando fui fazer isso, o pai do “juvenil” estava querendo que o motorista pagasse o prejuízo da motoca, e eu tive a nova infelicidade de repetir que, o juvenil nao era preparado para pilotar, nao era habilitado e que o motorista do carro nao teria que pagar por algo que ele tinha menos culpa. Neste momento eu ouvi do pai do juvenil que “eu nao era o motorista em questão e que eu deveria calar a boca” e eis que eu respondo “eu nao sou o motorista do acidente, mas eu sou cidadão e a nossa sociedade tem leis a serem cumpridas, que eu so comecei a dirigir nas ruas quando eu peguei a minha habilitação e que repreender a impunidade do juvenil era uma questão de cidadania”. Eu nem preciso dizer que eu saí correndo antes de apanhasse do pai do juvenil.
    Ok, eu sei que vocês leram muita coisa e vocês devem estar se perguntando “e eu com isso?”. Isso pode ser realmente uma tremenda de uma idiotice minha, mas me fez pensar sobre algumas coisas.
    O menino do passat na corrida de interlagos nao era preparado para pilotar um carro de corridas, quase causou acidente, quando repreendidos, pai e filho se julgavam no direito de se acharem donos da razão, o mesmo ocorreu com o acidente de hoje e a família do juvenil não chega nem perto de ser de classe média. A tentativa de encobrir o acidente partiu de todos o que assistiram a cena, exceto eu. Isso me fez pensar: em que sociedade nós vivemos? Que papel as leis têm em nossa vida? Eu sou tão errado em querer que a justiça seja feita? E a menos importante de todas: custa esperar mais um pouco pra poder estar, de fato, apto para dirigir (ou no caso do “mirim”, poder pilotar)?
    Finalizando, essa minha verborragia, ano meu ver, eh um dever de cidadão, de tentar fazer a diferença para algumas pessoas que lerem isso. As vezes temos que ver as coisas muito além dos nossos umbigos. Eu nao sou nenhum santo, ja fiz as minhas cagadas, ja descumpri a lei, mas sempre luto contra isso. Já me envolvi em acidentes em que eu estava errado e assumi o meu erro, da mesma maneira que ja briguei muito em correr atras de fazer valer os meus direitos em acidentes em que eu estava certo.
    Vou terminar com um clichê, porém algo verdadeiro: vamos fazer a nossa parte!!!
    O ocorrido foi em Apucarana-PR

    Everton Ventura, 28 anos, psicólogo (não praticante), empresário, amante de carros e automobilismo, nascido e criado na classe média.

    RESPOSTA DO FG:

    Everton, não tenho o hábito de publicar comentários que nada têm a ver com o assunto do post, mas neste caso abro uma exceção. Não creio que uma discussão vá se abrir aqui sobre o tema. Aliás, prefiro que nem se abra porque, como já dito, não é o post apropriado. Mas está dado o recado. Peço aos outros blogueiros que apenas leiam, mas não dêem continuidade ao tema aqui. Se quiserem comentar algo diretamente com o Everton, seu e-mail é e.w.ventur@hotmail.com.

  8. cesapar disse:

    Querem inventar demais! Primeiro diminuem o percurso, diminuem a possibilidade de ultrapassagem gerando retas curtas,chicanes,pistas feitas para facilitar a televisão, e uma série de conceitos errados, que só prejudicam o espetaculo, que é ,e deveria ser sempre, a luta de pilotos ( e não de equipes apenas para faturar mais grana). Enquanto não revisarem os conceitos, vão continuar a atirar sugestões pra tudo quanto é lado,sem chegar a lugar nenhum.

  9. Rodrigo Tossato disse:

    uma só corrida e pronto, que mudem as regras para tornarem os carros mais competitivos, não mudarem o grid, isso apenas ilude pois a desproporção de tecnologia seria a mesma…

  10. Mark Kweirotz disse:

    E lá no site da Formula 1 já está rolando a enquete sobre as medalhas do Bernie Ecclestone.
    Entrem lá e mostrem pro velhinho onde ele deve enfiar as medalhas dele: http://www.formula1.com/news/interviews/2008/12/8775.html

    Tem uma entrevista longa e, no final, a enquete.

  11. Mark Kweirotz disse:

    Concordo totalmente com você Gomes.
    Imagine um “Portuguesa x Corinthians”, no Pacaembu, com dois tempos de 15 minutos?!?!
    Não perco meu tempo em ir para frente da televisão para ver algo que não dá tempo nem de esquentar a cadeira ou de comer um saco de pipoca ou pacote de biscoito…

    Não existem grandes espetáculos que durem 50 minutos.
    Isso é coisa de curta metragem, de apresentações mambembes, arraia-miúda, sem expressão e mediocreira, ou, se preferir, é coisa de Estoque Car.

  12. Seria interessante… mas não faz o tipo da F-1!!!

  13. Adriano Oliveira disse:

    Boa tarde Flavio !

    Acesso diariamente seu blog e nunca deixei um comentário ( falha imperdoável ! ), mas deixo este como agradecimento. Eu que ganhei o livro no sorteio da Alessandra Alves !!!
    Valeu por ” tirar ” meu nome. Estou ansioso pra ler seu livro.

    Obrigado !!

    Adriano Oliveira

  14. Júlio Amorim disse:

    Essas coisas de inverter o grid pra min é engessar a mão pra tratar de pé torcido. Estamos dizendo vamos colocar o carros mais rápido pra largar atrás porque ele vai passar os mais fracos mesmo. Ou seja os caras que ganhan hoje continuarão ganhando e nada muda. Eu quero ver a Force India chegar em segundo, terceiro incomodar uma ferrari. Enfim um campeonato justo.

  15. Júlio Amorim disse:

    Grande Flávio!!

    Concordo com você acho que a F1 deve tomar uma decisão muito importante na sua vida. Ser uma categoria de competição entre pilotos e equipes ou ser uma competição entre marcas de carros. Lembro que Sir Frank Williams disse uma vez que não via com bons olhos o interesse das montadoras na F1. Também concordo com ele. Meu raciocínio: 1) Ser uma competição entre montadoras quer dizer ser uma disputa tecnológica que ganha quem tem mais dinheiro para se desenvolver. 2) Ser uma competição entre pilotos e equipes segnifica que o campeonato da oportunidade a todos grandes ou pequenos de conseguir uma resultado expressivo, ainda sim no segundo caso vai se limitar por dinheiro ( patrocínio ) , mas será mais honesto veja as competições nos eua por exemplo. Reclamen o que quiserem, mas lá a cada corrida são 150 000 pessoas em um autódromo para ver a corrida. Enfim criar motor padrão é muito saudável na minha opnião. Se isso acontecer vai ser uma revolução para nós espectadores de F1, passaremos a assistir uma disputa entre pilotos ( dentro da pista ) e tática das equipes ( fora da pista ).
    Abs!

  16. Tiago S. disse:

    Se colocar maquiagem demais vai estragar, mudar horário não sei, eu acho que quem gosta de corrida assite no atual horário, se colocar a noite quem não gosta não vai assistir do mesmo jeito. Na verdade acho até pior porque a noite normalmente tem mais opções na tv. Já faz um tempo que o Briatore enche o saco nessa tecla. O Montezemolo foi bem mais sensato, onde é ponto turistico a F1 fica de figurante, ela em si ja é um espetáculo atrativo, e foi feita pra correr em circuitos e não em ruas adaptadas. Colocar valencia, cingapura, ja é maquiagem demais.

  17. Fabio Mantovani disse:

    Discordo do italiano.

  18. Ronaldo Nazar disse:

    Eu discordo completamente. Seria ir contra à tradição das corridas de F1 que sempre foram em um único dia em uma única bateria. A não ser as corridas não válidas pelo campeonato Mundial ,sendo algumas delas disputadas em 2 baterias.
    O Flavio Briatore diz que as corridas são previsíveis demais. Pô muda os freios de carbono pra aço, muda a cambio eletronico para mecanico com alavanca e tudo, tira a comunicação do piloto via radio com o box, deixando só na placa . Só essas mudanças ai já dariam outro efeito nas corridas. Agora como a F1 está refém das montadoras , fica essa procissão que se vê na maioria das corridas.

Deixe uma resposta para Rodrigo Vilela da Silva Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>