MENU

domingo, 7 de dezembro de 2008 - 16:40F-1

LEMBRANDO…

SÃO PAULO (quem é esse doido?) – Já coloquei este vídeo aqui, nos primórdios do blog. Nem lembrava. O Humberto Corradi lembrou. É um minidocumentário (com hífen?) sobre a Honda, apresentado em japonês por um alucinado que parece pastor evangélico, com imagens históricas da montadora nas pistas. Vem a calhar, nesta semana em que, tratando-se de Honda, foi tudo para o ralo.

11 comentários

  1. Leo Santos disse:

    Pois é Fabio Mantovani, acho que merecia muito um boicote generalizado aos produtos da montadora. Da forma que foi feita (a saída da F1), parece com o clássico ” Parei de brincar”.

  2. Fabio Mantovani disse:

    Leo Santos, você levantou uma questão interessante.

    Será que a decisão foi tomada numa manhã quando algum executivo acordou e disse: “chega de fómula 1. dá plesuizo!”?

  3. Leo Santos disse:

    Pois é Concordo com o Arlei. Tanto que não vou mais comprar um new civic.
    Bando de japa cagão!
    Pior foi o povo brigando por uma vaga q nem existia…

  4. Arlei Suzukeiro disse:

    é…………….os japoneses da Honda têm uma história muito bonita na F-1 e motivos de sobra para se orgulharem de seus feitos tecnológicos, como a supremacia de seus motores na era Senna / Piquet / Prost……………

    uma pena realmente o monte de m*#$da que fizeram nos últimos anos e principalmente a forma covarde com que abandonam o esporte (seria melhor dizer “negócio” ??) agora…….

  5. Mauricio Camargo disse:

    O uso do hífen está correto. Só se hífen com a palavra “mini” quando a palavra seguinte iniciar com a letra “H” ex: Mini-hotel. Quando a palavra seguinte iniciar com a letra “R” ou “S”, esta deverá ser dobrada ex: Minissaia, Minirrevista.

  6. Roberto Fróes disse:

    Caramba, é bem mais fácil entender as postagens alemãs sobre o Malzoni…

  7. Taffa 2 CV disse:

    Pois é… aí deixaram os ingleses tomarem contas da F1-racing e a m*&¨% foi total…

  8. lidielson disse:

    Godfather

    alguém traduz essa bagaça

  9. Fabio Mantovani disse:

    Só entendi quando esse japonês xarope falou: “one, two, three, four”.

  10. Paulo Coruja disse:

    FG, você reparou, por um acaso, na musiquinha que tocou quando apareceu Jean Marie Balestre?

  11. Pablo Vargas disse:

    Deve ser a versão japonesa do Alborghetti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *