MENU

domingo, 9 de agosto de 2009 - 14:35Stock Car

MUITO RUIM

SÃO PAULO (que melhorem) – Como corrida, prova de uma modalidade esportiva, a Estoque foi um fiasco hoje em Salvador. Como evento, para algumas pessoas verem carros coloridos em alta velocidade onde normalmente só se anda a 60 km/h, e para outras nos camarotes que encontraram amigos, almoçaram de graça e ganharam camisetas e bonés, deve ter sido um sucesso.

Mas isso não basta. Fazer uma corrida de rua é algo louvável e difícil. Mas fazer o que fizeram em Salvador não tem dificuldade alguma. Ainda mais com o dinheiro dos outros. É só cercar uma área, levantar umas arquibancadas tubulares e tendas como as do carnaval, vender ingressos e esperar acabar, torcendo para não acontecer nada de grave. Difícil é fazer um evento que seja legal em tudo e, principalmente, que tenha alguma relevância esportiva.

Como competição, a corrida de Salvador não existiu. A pista não tinha pontos de ultrapassagem, foi uma verdadeira procissão, como os pilotos mesmos previam, e numa das retas só faltou colocar o sinal de proibido ultrapassar — porque era proibido, mesmo.

Na TV oficial, foi tudo lindo. Incrível como ninguém critica o que tem de ser criticado. Pista ruim, corrida ruim, espetáculo ruim. Mas foi tudo bom. Cada vez mais, jornalismo zero, tudo pela promoção. É isso que a Globo faz, promove eventos pseudoesportivos, vende-os ao mercado e ao público como se fossem o máximo, o mercado finge que são e compra, o público não entende nada e segue o bonde.

Na pista, vitória de Cacá Bueno, graças às quebras de Thiago Camilo e Ricardo Maurício. Ele era o seguinte na fila. Foi sua primeira vitória no ano, o que o levou a disparar na classificação. E mais nada. Os pilotos da categoria, normalmente muito agressivos em autódromos, se comportaram. Talvez orientados pela direção de prova, talvez até voluntariamente, percebendo os riscos iminentes de batidas em qualquer tentativa de algo diferente.

Que fique para a Estoque a lição. Fazer corrida de rua não é só cercar um trecho de asfalto com muros e grades e distribuir empadinhas. É preciso pensar um circuito tecnicamente, prever pontos de ultrapassagem, simular velocidades e freadas, fazer obras, até, se for necessário. Gastar dinheiro e fosfato. Desse jeito, qualquer um faz, em qualquer lugar. E cobrar ingresso para ver um espetáculo tão ruim é quase sacanagem.

245 comentários

  1. Daniel Mendes Capella disse:

    E o que mais irritou nessa corrida, tirando o fato de ser proibido ultrapassar no melhor ponto de ultrapassagem, foi o fato de todos da transmissão dizerem que foi lindo… e depois Salvador se tornar a primeira opção pra INDY no Brasil…

    Que fazer nas ruas, faça em Brasilia que tem 6 faixas que viram três que voltas a ser 6 que viram 2 e por aí vai…

    Agora como eu disse no Orkut, esse circuito de Salvador é um daqueles que que servem certinho para aquelas corridas de mini Triathlon que a Globo gosta de transmitir vez ou outra no esporte espetacular….

  2. Silvio Rodrigues disse:

    Flávio,

    A corrida foi realmente sem graça, tecnicamente um fracasso (que pode melhorar), mas acho meio lugar comum ficar batendo nesta questão da Globo e suas transmissões, ou será que as pessoas pensam que a Globo não vai vender os seus peixes? Já imaginaram o Luis Roberto ou o Reginaldo falando:

    – A corrida está um saco. Não dá pra ultrapassar! Troquem de canal, vão ver desenho animado no sbt!!

    O defeito da Globo não é nem vender “pseudoeventos” como vc disse, mas é enganar os próprios patrocinadores, como bem levantou o Paulo de Tarso na entrevista para a Evelyn Guimarães.

    Gde abraço.

  3. rf disse:

    caros, ter largada com safety car foi a questao mais negativa de todas… anti-competição.
    se assim o fizessem , teriam que ter exigido velocidade controlada e largada em fila indiana…
    muitas novas regras para um evento pouco maduro… assim a possibilidade de dar em quase nada era grande…
    uma pena…

  4. Silvestre disse:

    Hei Flavio, faltou apenas você comentar sobre a “cereja do bolo”. Aqueles dois “quebra-molas” ridículos, para diminuir ainda mais a velocidade (se é que houve velocidade). Fiquei enojado com aquilo.

  5. Hugo disse:

    Sinceramente, fico impressionado com a subserviência do Reginaldo Leme. Séculos de experiência, conhecendo os meandros, respeitado pelos colegas…envelhecer na telinha sem se dignar a ter personalidade pra falar o que realmente pensa? Deprimente.

    O Burti está chegando agora e, apesar de não servir como justificativa, no meu ponto de vista, está tentando não arriscar seu novo e interessantíssimo emprego.

    Apesar de toda essa postura profissional da qual discordo diametralmente, Reginaldo me parece ser um cara gente boa pra cacete, assim como o Burti.

    Um abraço, cara.

  6. Moacy Neves disse:

    Esse negócio de público nós entendemos. O EC Bahia cansa de ser primeiro ou segundo colocado nesse quesito mesmo estando na 2ª Divisão do Brasileirão.
    Porém, voltando à corrida, eu insisto que há um pouco de má vontade geral quando se fala do Nordeste. Tudo que acontece de “ruim” aqui tem uma repercussão bem maior.
    Alguém comentou no canal Speed que a corrida foi invenção de político. Minha pergunta é: os autódromos Brasil afora foram construídos com dinheiro privado?
    Alguém tinha que tomar iniciativa disso aqui. O terceiro maior estado em população e o quinto em economia não podia continuar de fora dos circuitos nacionais de corridas. Ainda bem que a Prefeitura é dirigida por um partido e o governo por outro, aliás, não aliados no plano local, porque se fosse um partido só iam dizer que era coisa eleitoral.
    Que venha a indy. Vamos aumentar o circuito, fazer as modificações para garantir pontos de ultrapassagem e mais segurança, e colocar 70, 80 mil pessoas pra assistir.
    Um abraço.

  7. Cezar Tourinho disse:

    Concordo em parte com o Flávio Gomes. Não iria tão longe quanto ele ao afirmar que a prova foi um fiasco, mas faltaram sim ultrapassagens. A dificuldade de ultrapassar é lei em qualquer circuito de rua. Isso já era previsto no CAB. Mas é fácil colocar a culpa no circuito, né?! Será que não foi por causa da falta de audácia dos pilotos? Por exemplo, na prova da Stock Jr, categoria de acesso, a garotada pilotou com a faca nos dentes. Rolaram vários pegas e ultrapassagens. Td bem que os carros são menores, o que denota mais facilidade nas ultrapassagens, mas o “espaço” que o carro ocupa no traçado, seja ele um Stock Car ou um Stock Jr, é o mesmo. Independente da categoria, os carros passam pelos mesmos lugares na pista, ou seja, a dificuldade de ultrapassagem é a mesma.

    Prefiro ficar no meio termo: acho que os pilotos da categoria principal foram bem conservadores (Cacá Bueno foi o maior exemplo, vencendo a prova sem passar ninguém) e a pista realmente poderia ter o seu traçado um pouco diferente do que foi. Senti falta de curvas em 90 graus, o que proporcionaria mais possibilidades de ultrapassagem. Nas curvas com essa angulação, os carros são obrigados a reduzir bastante a velocidade e abrirem para contornar. É nesse momento que as chances de quem está atrás aumentam. Em Mônaco, a maioria das ultrapassagens ocorre na “Nouvelle Chicane”, na “Mirabeau Bas”, na “Portier” etc., curvas com essa característica. O circuito de Monte Carlo é essencialmente um circuito de rua, bem travado, diferente do CAB. No GP Bahia, apesar das ruas estreitas, as curvas eram longas e ovaladas, onde os carros podiam contornar em alta velocidade.

    Bom, eu não me senti um otário indo para o GP Bahia, como o Flávio deu a entender. Gosto muito de velocidade! Temos carência de eventos do tipo aqui em Salvador. Fiquei muito empolgado em assistir ao vivo. Já fui ao GP Brasil de F1, mas esses fatos, sinceramente, podem ter me cegado um pouco em relação aos defeitos do evento. Mas fui para assistir à uma corrida de automóveis e curtir tudo está relacionado ao evento e, de fato, consegui. Coloquei meu boné, vesti minha bermuda, não cheguei tão cedo assim, estacionei meu carro confortavelmente, passei meu protetor solar, tomei minhas cervejas, comi meu churrasquinho, coloquei meu protetor auricular, tirei minhas fotos, encontrei amigos, paquerei a mulher dos outros, passei mais protetor (Solzão danado!), comprei souvenirs… enfim, curti pra caramba!! E não acho que os R$ 60,00 (meia-entrada) que paguei foi um exagero. Muita coisa precisa melhorar, obviamente: lixeiras nas áreas comuns, telões para as arquibancadas, cobertura nas mesmas, melhor sinalização, praça de alimentação etc. Mas para o primeiro evento, foi bom! Tenho certeza que o próximo será melhor. Ainda acredito que o CAB é a melhor opção. O acesso é ótimo, o paisagismo e a mata ao redor dão um charme ao circuito (por vezes tive a sensação de estar em um autódromo), o asfalto é bom… basta capricharem mais no desenho da pista! E, definitivamente, assistir uma corrida pela televisão é completamente diferente do que assistir ao vivo!!

    Vale lembrar que o recorde de público da história da Stock Car foi batido no GP Bahia. 47 mil expectadores! Tá comprovado, sem ufanismo, que a realização de um evento automobilístico em Salvador é sinônimo de sucesso de público. Isso me deixa feliz! Que venha a Fórmula Indy!!

  8. Humberto disse:

    Na boa Flávio, sempre “lia” seu blog, mas depois dessa eu fiquei muito chateado, não por ser baiano e sim pelo seu barrismo. Ora será q uma primeira vez tem q ser perfeita? Corrida em Monaco é o q? Salvador, os baianos merecema mais respeito e uma crítica mais construtiva e menos destrutiva como o Sr fez. Leia por favor outros comentaristas e perceba que as críticas são no mínimo mais elegantes. E será q a Stock, F1, Indy e etc viveria sem um público maravilhoso como foi essa prova? E até seu blog sobreviviria sem público. Se queres criticar q critique, porém, como dizemos aqui no Nordeste. ME FAÇA UMA GARAPA.

  9. miguel disse:

    correr em cascavel não pode, a pista é estreita, nao tem boxes, realmente a stock precisa de pistas como Salvador.

  10. José Luiz Heleodoro disse:

    Concordo com você em partes. Mas em um país como o Brasil em que o automobilismo é somente um espetáculo para o público, que pouco se conhece tecnicamente o esporte, a idéia agrada bastante. E uma dose de status nunca fez mal a ninguém e acho que a turma da vicar está de parabéns. Concordo que quase não se viu automobilismo, mas, é bom um passo de cada vez.

  11. julinho disse:

    Não é fácil ter que aguentar a Globo e agora esta ridícula corrida em Salvador(Bahia).Agora pior ainda é ter que aguentar o Caca Bueno. Se não me falha a memória numa corrida da Stock em Santa Cruz (RS) todos os outro pilotos ficaram hospedados nos hotéis da cidade menos o Cacá ele ficou em um hotel de Porto Alegre distante 130 km do circuito e na corrida no ano passado em Tarumã ele chegou em 2º e foi muito vaiado no autódromo.
    Filho de peixe peixinho é(arrogante).Quanto a corrida não deu para aturrar muito feia.

  12. Roberto Brandão disse:

    Não gosto nem de ter notícias da stock car. Mataram uma idéia por dinheiro. Silvio Santos foi profeta com seu “Tudo por dinheiro”.
    E tem comentarista respeitado que se sujeita a receber grana da stock para falar bem dessa corrida. Ridículo!

  13. Um leitor disse:

    Porque uma pessoal altamente capacitada e com o calibre se sua pessoa não está envolvido na construção de um circuito de rua? Da maneira que a vossa sapiência redigiu o texto com louvor de um especialista do mais alto gabarito, com críticas medíocres, composta por uma argumentação média para uma pessoa do seu calibre.
    A corrida não teve emoção, isto é fato, mas transpor um preconceito pessoal a um texto, com a falsa argumentação de crítica esportiva. É lamentável.
    Assim como a corrida foi horrível, o seu texto, caro Flávio é.

  14. Salvador do Brasil disse:

    Salvador é igual Monaco e muitas pistas da Indy. Pista de rua é Cingapura, o resto é bobagem.

  15. Larry disse:

    Nem vi….a stock BR é muito chata. Ainda bem que não perdi meu tempo.
    abraços

  16. Henrique disse:

    Também achei péssima a corrida. Sem pontos de ultrapassagem, aquela chicane ridícula que mais parecia uma plataforma de lançamento(e lançou mesmo, um carro voou ali), enfim, é melhor fazer nos mesmos autodromos de sempre do que inventar besteira.

  17. veber disse:

    eu acho que foi uma corrida muito fraca sim,, mas os dirigentes certamente irão tirar bons aprendizados e vão melhorar as coisas em 2010 …. boa sorte

  18. Jorge disse:

    Pessoal, para a prova da indy o circuito será aumentado (terá mais duas grandes retas bem maiores do que as que já existem)além da criação de dois pontos de ultrapassagem para trazer emoção à corrida e as defensas serão colocadas em cima do meio-fio para que a pista fique mais larga, ou seja, teremos uma corrida bem diferente que vimos no último final de semana e essas modificações também serão utilizadas pela stock car. A primeira corrida serviu de experiência, agora melhorias estão sendo descutidas e com certeza serão aplicadas, o que acontece é que as pessoas que estão criticando tem é medo de que a prova saia do velho circuito Rio – São paulo e venha parar no nordeste (o velho egoísmo do sul). Os baianos provaram que estão sendentos por corridas de carro e estão dispostos a pagar a quantia que for para assistirem as corridas (R$120, R$150, R$200) enquanto que no Sul a galera só paga R$30 (isso mostra como os sulistas são “apaixonados” pelo automobilismo). Fazer corrida na Bahia é lucro certo e também emoção porque o circuito será modificado, daí o medo dos sulistas e as críticas. Pessoal, o circuito foi montado em um mês, para as corridas do ano que vem (indy e stock) haverá muitos mêses e tempo de sobra para aplicar as mudanças que surpreenderão a todos. É esperar e ver!

  19. Rodrigo disse:

    A corrida foi péssima! Alguém em sã consciência tem elogios pra aquilo???

    Quanto à Globo, ela fez o que tinha que fazer mesmo… Tenho certeza que eles odiaram a corrida, mas vocês acham que o Luiz Roberto e o R.L. iam falar mal da pista no meio da transmissão? Comentários negativos iam prejudicar a audiência, é óbvio!
    O FG vai cruzar com RL por esses corredores e vai confirmar o que estou escrevendo…
    Abraço,

  20. ASR disse:

    Boa tarde! Sou Baiano com alguma experiência em assistir corrida de automóveis! Só F1 foram seis e stock car duas, sendo uma esse ano em Curitiba por R$ 26,00 apenas. O Flavio Gomes não faz referencia a Bahia e sim a falta do bom uso dos critérios técnicos para uma corrida de automóvel, Flavio sabe que temos de cobrar!Eu fiz minha parte quando não comprei os ingressos por entender que não havia condição mínima de pista para uma boa corrida. Infelizmente meus conterrâneos por pura carência de eventos do tipo não entenderam assim! Mas, valeu! O publico baiano fez sua parte prestigiando, agora precisamos cobrar dos organizadores uma melhor estrutura de pista, pois no restante estamos de parabéns.

  21. Nécio disse:

    Acho que tudo se resume a isso: A IDÉIA INICIAL FOI BOA. No entanto, o projeto não foi legal. Como consequencia, a corrida, idem.

  22. joel pinheiro disse:

    Finalmente, só espero que alguns jovens ou adultos incautos não façam daquela pista melhorada para a realização da stock car, local para “pegas” ou rachas. Transalvador, fique de olho.

  23. kenio disse:

    porque não correm em Cascavel – Pr, aqui tem a curva do baciao a mais veloz do Brasil…..mas dizem que o autodromo nao tem estrutura…….acho que a stock é só politicagem…e interesse de dinheiro

  24. Paulo Arnaldo P.A. disse:

    Olá FG e amigos!

    Corrida de rua sempre requer um estudo e muito, muito planejamento. Concordo com você (Flavio Gomes), principalmente nisso. O circuito foi aprontado às pressas e por causa disso, ficou um pouco distante das condições ideais. E pela minha experiência de acompanhar corridas, fiquei com a impressão que até as condições de segurança da pista não eram as ideais.

    E muitos já comentaram aqui, os problemas com a chicane e a pista ser excessivamente estreita.

    Mas o evento saiu! Mesmo da forma de como alguns alegaram, mais um desfile do que corrida de Stock. Vou muito à Salvador, mas não conheço esse local, o CAB. Mas me parece que se fizerem um trabalho sério nesse local, é possível abrigar no ano que vem, uma corrida da Stock Car e até outras categorias (como a Indy). Ali tem muito espaço. Porém, precisa de estudo, planejamento e principalmente, investimento.

    Não é trabalho para 2 meses. É trabalho para mais de um ano. Se remodelar essa pista para se tornar um circuito de rua, seguro e esportivamente atrativo, e isso for mais viável do que construir um autódromo. Seria muito legal para Salvador e mais uma praça esportiva para o Brasil. Torço para que cada vez mais cidades, tenham condições de abrigar esses tipos de evento. Mas no nosso país, isso é muito complicado. E o automobilismo, vem sofrendo com o descaso de autoridades e falta de incentivo para iniciativas privadas. Espero um dia ver esse cenário mudando no nosso país.

    E deixo aqui uma sugestão. Sem dúvida, o negócio da rede Globo é ganhar dinheiro com televisão. Mas a Globo poderia ajudar a tornar o evento da Stock melhor à cada dia. E poderia observar esses detalhes aqui colocados. Ela é tão fluente nas decisões e definições das coisas nesse país. A conseqüência da colaboração da Globo poderia fazer crescer a receita dela, aumentar o interesse do público com a categoria e com isso ela lucrar mais com as cotas de patrocínio. Desde que participação seja de forma séria, não fazendo do evento uma mera exposição. E sim, de um EVENTO ESPORTIVO.

    Um abraço!

    Paulo Arnaldo – P.A.

  25. mario freitas disse:

    o flavio gomes foi arrogante , precipitado e preconceituoso sim em relação a corrida em salvador sou de manaus e sei o que os baianos estão passando. se vc não sabe fg corrida de rua é assim mesmo seja em salvador ou em detroit . que feio flavio pensei que isso fosse coisa do passado mas não a arrogancia e preconceito da midia do rj e sp continua que pena eu pensei que vc fosse diferente mas não

    RESPOSTA DO FG:

    Ainda bem que nem todos os baianos são retardados como você. Onde tem uma palavra contra a Bahia no texto, energúmeno?

  26. anônimo disse:

    primeira pergunta:
    quantas ultrapassagens voces veem em monaco?
    segunda pergunta:
    por um acaso a corrida de monaco e dinâmica?
    nao estou querendo comparar monaco com salvador, mas todo mundo gosta de monaco porque la rola muito mas muito dinheiro e porque e uma corrida lendaria, agora ficam ai esses bandos de paulistas de merda criticando a estrutura de salvador. verdade que a corrida foi um saco, um tedio, mas e corrida de rua, voces querem oque, que as pistas daqui sejam igual as dos estados unidos(em termos de largura), se nen em sao paulo temos pistas assim quanto mais em salvador.
    em termo de estrutura eu estive la e vi que foi tudo muito organizado, e a pista paresentou algumas falhas mas no geral foi boa, o problema e que VOCES so olham para os pontos negativos esquecendo os positivos. para mim sao tudo um BANDO de invejosos e otarios, tenho certeza que se a corrida fosse na (merda) da avenida paulista ou em qualquer outro lugar de sampa, tava tudo ai PAGANDO O MAIOR PAU para a organizaçao da stock car
    OTARIOS IDIOTAS( gostava muito de seus post gomes mas depois desse e dos comentarios aqui, sinceramente voce me desepcionou, mesmo assm no geral voce e um bom jornalista, e continuo gostando de algumas postagens suas)

    RESPOSTA DO FG:

    Sua educação é espantosa. E como você gosta só de algumas postagens, não creio que sentirá falta de comentar aqui, agora que seu IP foi para a implacável caixa de spams. Toleância zero. Chega de falta de educação aqui.

  27. Antonio disse:

    A pista baiana era lenta, isso é pleonasmo vicioso.

    Acho que a Bahia merecia mais. nem deu pra vero o Farol da Barra, o pelourinho, o camarote do Gil.

  28. CorredorX disse:

    De fato a corrida foi um lixo, o que já era esperado por que a organização da corrida lembrou-se de tudo, exceto de que deveria ser uma corrida de carro.

    Mas é normal que os caras da Globo encham o saco elogiando isso. Ou alguém ai espera que os caras que são pagos para apresentar “O EVENTO” critiquem-no?? Inclusive, eu duvido que tenha alguma TV no mundo em que isso exista. Mas isso só acontece porque o telespectador tem miolo flex.

  29. Marlon disse:

    Pessíma!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Aquilo é carreata!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  30. Eduardo disse:

    Flavio, concordo muitas vezes com você, provavelmente o mesmo número de vezes que descordo… Vamos analisar essa corrida de modo mais frio. A corrida foi acertada quantos dias antes de realmente acontecer ? Sua crítica poderia ter sido feita de um modo mais brando. Organizar qualquer corrida nao é uma coisa que se faça do dia pra noite. Concordo sim que esse projeto poderia ter sido mais bem explorado e aproveitado, 2010 ou até mesmo 2011 quem sabe?.
    A curva onde era proibido ultrapassar era extremamente rápida e cega, imagine se qualquer carro batesse e ficasse atravessado no meio, aí sim voce poderia criticar a stock com propriedade. Qualquer tentativa de ultrapassagem naquele ponto poderia colocar em risco a vida dos pilotos. Repito, 2010 evitaria isso. Gostei da maneira como os pilotos foram tratados, melhor que fique chato para a TV do que perigoso a pilotada.
    Vamos ao outro lado… As regras!!
    Essas sim problemáticas. Quando ficou acertado de que era obrigatório o pitstop? Isso consta no livreto do senhor Walduga? Rolou sim uma mega pressão de integrantes da CBA sobre carros que nao haviam parado para reabastecimento até entao para que o fizessem (isso sim é questionavel Flávio!).
    Porque alguns pararam no box enquanto havia o safety car e nao foram punidos e ainda assim subiram ao PÓDIO?? (Alias tenho lido muitos “PÓDIUMS” por aí, isso é gasolina).
    Vamos tentar arrumar o que temos e nao destruir!! Algumas pessoas tem esse vício de nao gosto e pronto! Sinceramente… Sao eles de um lado tentando fazer o espetáculo melhor e nao conseguindo… e você no mesmo caminho deles, tentando desconstruir o que levou anos para ser colocado em pé e tambem nao conseguindo. Flavio Atire uma vez no meio do alvo mas acerte!! 200 fora dele fazem qualquer um perder a credibilidade. Por favor entenda como uma critica construtiva, gosto de te ver no Limite e leio o GP todos os dias!
    Abraços a todos!

  31. Moacy Neves disse:

    Discordo de sua opinião.

    Primeiro, corrida de rua é corrida de rua. Se fosse para ser uma Indianapolis, era uma Indianapolis e não uma corrida de rua. Alguém que entende de automobilismo já ouviu falar em corrida de rua com claros pontos de ultrapassagens, retas longas ou curvas de alta?
    Bem, segundo, o circuito que foi idealizado pela própria Stock Car. Não foi invenção de um baiano maluco. Foi idéia da Stock, junto com a organização local, inclusive os pilotos enviaram representantes um mês e meio antes e já na semana da corrida mudaram o sentido do circuito (de horário para anti horário) e solicitaram a chincane que você criticou.
    Terceiro, trata-se da primeira corrida e muitas correções podem ser feitas para as próximas, inclusive aumentar o tamanho da reta para permitir um ponto de ultrapassagem claro. Se os circuitos fossem motivo de não ter corrida, alguns circuitos do Brasil, que não recebem críticas, seriam fechados. No México, a Nascar Corona Series não existiria.
    Quarto, quem foi que disse que a Stock Car é um show de ultrapassagens? Assisto quase todas as provas e acho que o euqilíbrio é tão grande que as ultrapassagens são pouquíssimas, tornando as vezes a corrida chata. É raro um piloto sair do meio do pelotão para o final e ganhar. Quase sempre ganha quem sai nas primeiras posições. Por outro lado, nessa prova, os pilotos não estavam arriscando, talvez com medo de acidente e se resguardando, já que o chase está aí e um acidente era o fim.
    Quinto, gastei R$ 240,00 em 3 ingressos para mim, meu filho e minha esposa, não ganhei boné e nem almoço de graça, tomei sol a corrida toda e saí feliz, não pelo sucesso da corrida, mas porque pela primeira vez um evento desse porte chegou a Bahia.
    Sexto, não estarei contigo na campanha pelo fim das corridas em Long Beach, Mônaco, Dallas e a famosa prova de Makau.
    Por fim, chega de preconceito com o Nordeste. Se fosse em São Paulo, duvido que haveria o festival de críticas que a prova daqui recebeu.

    Moacy Neves, amante de automobilismo, que assite Stock, Indy, F1, Nascar, DTM, Nascar Corona, Grand Am, ALMS, não aprendiz de piloto, jornalista de diploma, não de araque.

  32. Adoniran disse:

    O pior de tudo é uma meia dúzia de bahianos bairristas tentando defender seu evento. Meia dúzia que não sabe nada de automobilismo, e iria no evento Stock Car assim como iria se fosse um carnaval fora de época, só pelo evento e nunca pela corrida em si. E ainda são ignorantes em não entender a crítica que é à organização, e não ao estado. Ignorantes!

    E corrida de Stock em Mônaco teria ultrapassagem sim na Stock. Ou não né, porque ficou claro que a direção mandou ninguem nem tentar ultrapassar, no briefing, pra nao causar nenhuma morte haha.. se bem que ali, nem se quisessem não iriam ultrapassar.. circuito pra jogar no lixo urgente.

    Sem contar que circuito de rua não contribui em nada pro automobilismo.. é um ato egoísta da stock, ignora a necessidade de praças esportivas para a prática geral.

  33. ECidade. disse:

    Um engodo, ou seja, corrida à altura da categoria que abrigou, também um engodo, com seus falsos “Chevrolets” e “Peugeots”. Para mim caso de Procon: Propaganda enganosa. E, para propaganda enganosa, corrida enganosa, emissora de televisão enganosa, locutor enganoso, comentarista enganoso. Um lixo!

    Abraço a todos.

  34. andré frej disse:

    Assistia aos duelos da estoque na época de Ingo e Paulão Gomes, na Bndeirantes.
    O campeonato atual é apenas uma fachada para as vitórias armadas do filhinho mimado do locutor oficial.
    O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo !

  35. Peixe Virtual disse:

    “O pessoal da Bahia tem que entender que a crítica NÃO É DIRECIONADA A BAHIA nem aos BAIANOS…

    É uma crítica à pista ridicula que foi montada!!! ”

    Caro colega vc e mais alguns pode até pensar assim, mas é só ler todos os coments q vc verá uma agrassividade desmedida contra a prova aqui em SSA, já disse acima, esportivamente foi ruim sim, mas dá p melhorar,
    aí vem nego dizendo q é absurdo e tal, q tem ir p curitiba,bsb,bh, q era melhor fazer no mato de jacarepaguá, me responda, quem fala esss coisas nao está agindo com preconceito?
    muita coisa nao deveria ter ocorrido no planejamento da prova, alguns coments aqui vao nesse sentido mas certos coments sao de um recalque e preconceito ímpar.

    axé á todos!

  36. Davi Ribeiro disse:

    Foi um piloto baiano – Patrick Gonçalves, participantes da Stock Jr -, que criou o primeiro traçado. Não sei quem fez as modificações até chegar a este traçado final.
    O caso é que era necessário contemplar algumas necessidades:
    1) Área para pitlane e area de paddock, onde ficriam os caminhões e todo o staff da categoria;
    2) Uma das avenidas do CAB não poderia ser utilizada, pois é o acesso ao bairro de Sussuarana.
    Por isso o traçado ficou aquele. Mas poderiam ter feito algo mais caprichado.
    Mas, o problema, não foi porque era um circuito de rua. Poderia ser um autódromo com 5km de extensão, mas que fosse tipo Hungaroging. A corrida seria um tédio do mesmo jeito.
    Outro: Salvador é uma cidade de centro histórico e na qual as áreas residenciais e comerciais se misturam. Assim, seria impossível promover uma competição de rua em áreas residências – haveria interdição de acesso, barulho e tudo mais, um transtorno muito grande.
    Restam as áreas exclusivamente comerciais ou industriais. Teria o comércio, onde foi realizada a Fórmula Renault em 2005, mas algumas ruas são até mais estreitas e seria igualmente complicado ter um trecho longo de reta para ultrapassagem.
    Chegamos então à conclusão que é NECESSÁRIO a construção de uma área – autódromo – preparada para este tipo de evento, que com certeza dá retorno. Não sei para o Estado, mas muita gente ganhou dinheiro com essa corridinha, e em consequência, o governo do estado deve ter tido um aumento substancial no recolhimento de tributos. Então…

  37. Samuel disse:

    O pessoal da Bahia tem que entender que a crítica NÃO É DIRECIONADA A BAHIA nem aos BAIANOS…

    É uma crítica à pista ridicula que foi montada!!!

    Se fosse em SP, Rio ou Acre, deste jeito, com este relaxo, seria ridícula também….

  38. JORGE disse:

    COMPARAR AQUELE ARREMEDO DE PISTA COM MONACO …..PODE PARAR …. E O LOCAL E PROPRIO SIM MAIS PARA CORRIDA DE BICICLETAS… E OLHA LÁ COM NUMERO LIMITADO

  39. Samuel disse:

    Olha… corrida de rua é se ela for… na rua!!!!!

    Sei la, tem que ter um visual diferente, um contraste, e ser realmente integrada a cidade… Se fosse no pelourinho, ou perto do farol da barra, aí sim, seria legal… mesmo que tecnicamente a pista não fosse tão legal, isto compensaria… Esta é a diferença pra Mônaco… Em Valencia fizeram uma ponte, justamente pra realçar o visual, em Cingapura a corrida é noturna, tb pelo apelo visual…

    Agora, no tal centro administrativo!!! Ridiculo!!! é a mesma coisa que fazer uma corrida no Centro Empresarial em SP, vulgo CENESP, ou no estacionamento de um shopping qualquer, sei la… muito sem graça…

    Isto pra nao falar da pista…

    Será que chamaram algum piloto pra opinar sobre a pista antes da corrida????

    e outra:

    Será que algum piloto se interessou por saber como seria a pista para intervir, se fosse necessário???

    Reclamar agora é facil, mas parece que eles foram tão surpreendidos quanto nós!!!

  40. ALEX B. disse:

    Subscrevo, Gomov, subscrevo!

  41. Marluws Costa disse:

    Defendem a corrida de Salvador citando as procissões da F1. Será que não perceberam que se houvesse uma corrida de Stock Car em Mônaco teríamos ultrapassagens? Bem como em Adelaide, Long Beach, Valência, Cingapura, Detroit, Phoenix, Norisring (a DTM corre lá em um traçado muito simples porém com ótimas corridas) e tantas outras.
    A F1 tem um problema crônico com utrapassagens. E isso não é desculpa para que categorias menores promovam eventos similares. O traçado escolhido para Salvador é muito ruim! Mesmo se fosse em São Paulo, Rio ou em Marte! Não há bairrismo, há apenas a constatação do óbvio. Meu único problema com a prova em Salvador é que se não existe lugar melhor que aquele na cidade, não deveria ter corrida lá.

  42. Nunes disse:

    Concordo com o Ribeiro. A prova tinha tudo para ser uma porcaria e foi, só que lotou mesmo com o preço dos ingressos estando absurdamente caros. Prova que o brasileiro gosta do esporte. As provas de Formula Truck por exemplo costumam ter bom publico, já fui a algumas, e a F1 mesmo carrissima tem casa cheia. Quando vão realmente investir em bons autodromos no Brasil para que nos que gostamos de automobilismo possamos assistir bons espetaculos com preços justos. Nem Kart temos mais. Chega de palhaçada.

  43. Bigo disse:

    Disse bem o carinha aí de cima: LUGAR DE CORRIDA É EM AUTÓDROMOS! Existe pista pra que? Se a Indy for em circuito de rua, será outro fiasco. Nada contra os baianos como pessoa.

  44. Baldan disse:

    Olhem como está a “enquete” no site da Stock, às 15:30h da segunda:

    Qual a sua opinião sobre o GP Bahia?

    Emocionante (37%)
    Sensacional (29%)
    Surpreendente (14%)
    Monótono (14%)
    Regular (5%)

    Será que está sendo manipulada??? hhahahaha

  45. Davi Ribeiro disse:

    Concordo com todos. A corrida foi um saquinho. Como espetáculo, para quem nunca tinha visto um carro passando em alta a centímetros do muro, provocando um barulho ensurdecedor, foi simplesmente fantástico. Mas como competição, desde que oficializaram o traçado, foi muito, muito decepcionante. Parecia uma corrida de carros numa pista de kart indoor.
    A questão é: dava para fazer melhor? Talvez sim, talvez não.
    Naquele espaço ali do centro administrativo, daria para fazer um circuito de mais de 5000 m de extensão. Mas, tem que se observar questões de segurança. O local é uma área que foi criada no final dos anos 70 para abrigar secretarias e orgãos do governo do estado. As ruas – largas para a época -, são mal feitas, existem diferenças de níveis muito acentuadas – talvez por estes motivos tenham optado por aquele circuitinho de 2700m.
    Na verdade, esta é a segunda tentativa de se introduzir a Bahia – a primeira foi em 2005 no comércio em ruas igualmente estreitas – no cenário do automobilismo nacional. Mas, sem um investimento maior, sem a construção de um autódromo, fica difícil.
    É necessário que se pense de forma planejada para atingir este objetivo. A criação de um autódromo em Salvador ou redondezas é uma necessidade. A cidade respira automobilismo. Qualquer evento desse nível aqui lotaria. E olhe que as arquibancadas estavam custando a bagatela de R$ 80 a R$ 120,00 no oficial hein!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *