MENU

domingo, 13 de setembro de 2015 - 23:39Automobilismo brasileiro

FILME VISTO

SÃO PAULO (e agora?)Pedro Piquet conquistou com quatro corridas de antecedência o bicampeonato da F-3 Brasil. No ano passado, foi igual: ganhou quase todas as corridas, fez quase todas as poles. Nesta temporada, só não venceu duas — em uma, o motor quebrou; na outra, teve um problema de bateria.

Claro que ninguém é tão melhor que todo mundo em esporte algum. Pedro, pela equipe Cesário, dispõe de equipamento e estrutura impecáveis, cortesia de seu pai Nelson — que fez o mesmo com Nelsinho em 2002. Não há competição quando um piloto ganha todas as corridas numa categoria de base. Há uma opção de quem aposta nele: dar o melhor e cobrar resultados. Nisso, Pedro não decepcionou. Pegou o melhor carro, teve à disposição o melhor equipamento e as melhores condições, na melhor equipe de todas, e venceu tudo.

O próximo passo é a F-3 Europeia. Nelson-pai disse hoje em Campo Grande que, agora, será possível saber se seu filho é especial, ou não.

Saberemos no ano que vem, pois. Por enquanto, é só um menino que tem o melhor brinquedo e que, por isso, se diverte mais que os coleguinhas.

263832_540268_dud_7305

45 comentários

  1. Anselmo Coyote disse:

    O Nelson Piquet realmente sabe das coisas e não viaja na maionese. O vi dizer com tranquilidade que será o desempenho do Pedro na europa que dirá se ele é ou não diferenciado. Bom, é pé no chão. Para quem sabe ler um pingo é letra. Como eu disse, quando ele disse isso estava muito tranquilo.
    Muito boa sorte ao garoto. E parabéns ao Nelsão, o cara que realmente sabe das coisas.
    Abs.

  2. John Player disse:

    Um sobrenome famoso para honrar e ter o “melhor carro” é um peso e uma responsabilidade a mais para serem cobrados na hora do resultado.
    Parabéns Pedro Piquet! Foi competente com méritos.

  3. John Player disse:

    Já vi “muitos caras” (2) na melhor equipe do grid, “teoricamente” a dupla deveria ter os melhores carros do grid da F1 que nem conseguiram ser vice campeões pelo menos 2 vezes mesmo ficando vários na mesma equipe, enquanto um certo alemão, companheiro de equipe, conquistava títulos seguidos…
    Ter o melhor carro e um sobrenome para honrar é uma responsabilidade a mais.
    Por isso dou meus parabéns ao Pedro Piquet.
    E respeito caras como Nico Rosberg.

    • John Player disse:

      *Já vi “muitos caras” (2) na melhor equipe do grid, onde “teoricamente” a dupla deveria ter (E TINHAM) os melhores carros do grid da F1, que nem conseguiram ser vice campeões pelo menos 2 vezes ENQUANTO ESTIVERAM NA EQUIPE MAIS FORTE E RICA mesmo ficando vários na mesma equipe…

  4. luiz disse:

    O nivel de corridas no Brasil é muito baixo em comparacao com a Europa, haja visto por exemplo os corredores de moto que quando chegam aqui na Inglaterra somente andam em ultimo.

  5. Eduardo disse:

    Vai moleque! Bota pra quebrar sô!

  6. Ulisses disse:

    Vi esse garoto pilotar pessoalmente!
    Com equipamento melhor (ou não), ele “pisa”! E muito!
    Está cheio de pilotos por aí com equipamento top, mas, na hora de acelerar. . .
    Aguardemos ele no meio dos ditos “feras”!
    Que vai dar um trabalho doido para “os caras”, não tenho dúvidas!

  7. Juarez disse:

    Bom para ele que pode ter o melhor equipamento. Quem não gostaria? Não há demérito nisso. É mais competitivo e nivelado na série européia mas se ele tiver um desempenho apenas bom dá para ir passando como ocorreu com o Bruno Senna. Acredito que possa até chegar a F1 sem grandes feitos por ser bom piloto. Lá é que são elas, se não for grande coisa não fica. Ser bom não basta na F1.

  8. Rogerio disse:

    Vamos com calma….

    Nas ultimas decadas vimos varios pilotos brasileiros arrebentando em categorias de base e decepcionando quando chegam na F1.
    Em todas as categorias o equipamento e a estrutura da equipe faz uma diferença tremenda.

    Espero que honre o sobrenome. Esse sobrenome abre portas, mas também eleva, e muito, a cobrança.

  9. Brabham-5 disse:

    Mais um troféu/título na prateleira da mansão Piquet.
    Na vida, quem pode mais chora menos.
    Se tem o sobrenome, o apoio, o $$$ e não corresponde, se falha, te engolem vivo nas críticas. Vimos isso com o Nelsinho.
    Parabéns Pedro!
    E os anti-Piquet que continuem se matando de raiva.

  10. Francisley disse:

    Tomara que vingue! Tenho muita vontade de ver o sobrenome Piquet brilhando na F1 novamente.

  11. Celio Ferreira disse:

    Na F3 Inglesa terá que correr com outros do lado e as vêzes na frente
    aí é que será a definição de quanto bom êle é . Mas a primeira vista
    parece ser um piloto diferenciado .. aguardaremos , pois as nossas
    apostas futura na F1 estão muito limitadas. !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  12. Celio Ferreira disse:

    Na F3 Inglesa terá que correr com outros do lado e as vêzes na frente
    aí é que será a definição de quanto bom êle é . Mas a primeira vista
    parece ser um piloto diferenciado .. aguardaremos , pois as nossas
    apostas futura na F1 estão muito limitadas.

  13. Kuka Lienert disse:

    Estava em CG acompanhando a Stock e parei para ver os F-3… reparei bem de perto e pude perceber que estes “carrinhos” estão cada vez mais bem construídos. Uma pena somente é o grid enxuto…

  14. Wagner disse:

    Disse tudo, ano que vem saberemos quem tem mais garrafa vazia para vender.
    Tomara que o aprendizado em regular o brinquedo tenha sido bem feito.
    Boa sorte ao Pedro.

  15. lelli disse:

    mais um piloto brasileiro meia boca na f1 tentando acumular kilometragem e ganhar experiencia e sair pela porta dos fundos daqui alguns anos

  16. Marcos disse:

    Se o cara é moleque, tinha que ralar, aprender na raça.
    Jeito “Piquet” de ser. Sempre querendo levar vantagem e se gabando disso. O pior, tem gente que bate palma pra isso!

  17. disse:

    No Velocittà conversando da F3 com o Dárcio, fico com suas palavras, que o Pedro é determinado, focado e do ramo. Além do Pai estar ao seu lado e calejado..

  18. Emmanuel disse:

    Não creio que foi apenas pela equipe.
    O filme também foi repetido com Nelson Ângelo Piquet, e o próprio Di Grassi vivia repetindo que o Piquet Jr só ganhava por que tinha o melhor carro.
    Acho que depois da temporada da F-E não vai mais ter coragem de dizer isso.
    Vejo que a familia Piquet ainda tem muito a conquistar com seus dois representantes no automobilismo mundial e aposto que o Pedro será piloto de fórmula 1 em breve.

  19. Andre disse:

    Lembra bem o Michael S na Ferrari.

  20. Acarloz disse:

    Mas ele tem o DNA, se vingou o moleque é bota mesmo.

  21. Mustavo Gaia disse:

    Mas não é isso que costuma ocorrer, por exemplo, na F1, quando a Honda adota um brasileiro, ou a Marcedes um inglês?

  22. teles disse:

    Comparo o comentário a uma foto sensacional que você faz e vem alguém e diz “também,a máquina é boa”.Só que é você que aperta o botão no momento certo e preciso.
    Abração!!

  23. Paulo Barros disse:

    Não acompanho muito de perto, apenas dou uma lida por aqui e por isso tenho uma dúvida. Claro que o Nelson pode e deve dar o melhor equipamento para seu filho e é bom que o moleque se habitue com equipamentos top, mas não há um limite? Digo, se ter um equipamento muito superior não pode de certa forma inibir o desenvolvimento de certas características e acabar tendo um certo prejuízo na formação? Não digo que precise “rebaixar” o carro ao nível dos demais, mas ter um pouco mais de trabalho par vencer, não seria bom de certa forma?

  24. Jose Eduardo disse:

    Do resto não sei, mas a pintura do f3 do moleque, me remete aos bons tempos do pai. Em meu quarto tinha uns dois adesivos no armário com este f1 que o pai foi campeão, se não me engano em 81.

  25. Daian Dienstbach disse:

    Quem será era o melhor nesta mesma época de carreira, Nelsinho ou Pedro?

  26. Atenágoras Souza Silva disse:

    Flávio, não é de hoje que a Cesário é a melhor equipe de F3 na América do Sul (bem, agora o certame é nacional, eu sei).
    Entretanto, não era tão comum os pilotos dessa equipe não terem absolutamente nenhuma concorrência.
    O que há de diferente no equipamento, estrutura e preparação desta equipe?
    Por que em outros anos – anteriores a 2014, claro – houve mais disputa (por exemplo, a Hitech era uma equipe forte que oferecia alguma resistência)?

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
    Atenágoras Souza Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>