ACABOU (2)

A

SÃO PAULO (sem luz no fim do túnel) – Recebo com certa melancolia os releases do pessoal que faz assessoria de imprensa para pilotos e equipes da GT3 brasileira. Vocês se lembram que no ano passado (ou teria sido no retrasado?) saudamos aqui com alegria a criação do campeonato, a presença do Emerson, a possibilidade de Piquet correr, os carrões como Ferrari, Ford GT, Porsche, Lamborghini, Viper…

Pois hoje, em Interlagos, aconteceu a nona etapa do campeonato. Havia 13 carros no grid. Sete chegaram ao final. Não tinha ninguém vendo a corrida nas arquibancadas, como de costume.

Sem meias-palavras, a categoria acabou.

No fim das contas, revelou-se apenas mais um brinquedinho particular de milionários, recém-adotada por uma marca de cerveja (Itaipava) cujos donos parecem gostar de corridas e não se importam em torrar dinheiro num negócio que não existe, lavando, digamos assim, a égua de alguns pilotos.

O automobilismo brasileiro “oficial” vive seu período mais pobre em todos os tempos. Resta vida inteligente na terra, no Sul, e em algumas iniciativas nos ralis — isso em termos de participação e vigor local, não necessariamente em competição, desenvolvimento, tecnologia, formação de pilotos.

A nova CBA, até agora, nada fez.

Sobre o Autor

45 Comentários

  • FG, arquibancadas vazias e camarotes lotados. Vendo essa categoria e o troféu Masserati, que também é bancado pelo mesmo patrocinador, parece coisa de “novo rico” que vai jogar golfe, tenis no fim de semana em clubes particulares e que se incomodam com a plebe olhando. Fui numa etapa desse “circo”, as pessoas que lá frequentam acham-se mais imponentes do que as que ficam nas sacadas dos apertamentos em Monâco.

  • Por que o Brasil tem cem vitórias em GPs, seis vencedores de GPs três campeões de F1 com oito títulos mundiais e não existe automobilismo dentro do país. Já viram os vizinhos? Carros mais feios que o TC Argentino só na Estoque Americana (são os carros de corrida mais feios do mundo!!!), e no entanto os grids são imensos e a platéia (pagando ingresso) enorme! Uns caras dos quais nunca ouvimos falar são ídolos no país e em suas províncias. E como é vigoroso o TC 2000 (sucessor do antigo Turismo Mejorado)! Marcas diferentes, regulamento técnico meticuloso e carros belíssimos. Não vou falar do V6 porque apesar de respeitar a imensa competência do Oreste Berta (que constroi os chassis e monta os motores), não tolero corridas monomarca e carrinhos de bolha, como nossa Estoque, onde os carros são falsos Chevrolets e falsos Peugeots enquanto o povo vai sendo bovina e alegremente enganado. Enquanto isso, correm sozinhos, Porsches contra Porsches, Maseratis contra Maseratis e GT3 contra GT3 onde os carros são equalizados. Ao diabo com a equalização! Um regulamento técnico claro e boas oficinas e mecânicos é que devem garantir a competitividade. O que adianta um Ford ser mais rápido do que uma Ferrari, se logo se cria uma “equalização” para reduzir a velocidade de um ou aumentar a velocidade do outro? Como se diz no futebol. Deixem de covardia e misturem essas baratas… Ah, que saudade daqueles grids esquisitos com Alfas, Binos, Fitti-Porsches, BMWs e centenas e centenas de Patinhos-Feios. É verdade que a grana era curta, mas a diversão era longa. Não há nada mais patético do que um grid vazio e arquibancadas às moscas. O Flávio tem razão: o automobilismo brasileiro chegou ao fundo do poço. Se o Massa e o Rubens “estão lá”, é puro milagre…

    Um abraço a todos.

    ECIdade.

  • Infelizmente trazer esses carros pro Brasil foi jogar “perolas aos porcos” Pais de indio que prefere a estoque ao ver Ferraris, Porsches, Gts, Lambos, Vipers etc……

    Pais tupiniquim.

    Acaba GT3
    Acaba F3
    Acaba F Renault

    So nos resta ver Lada, passat, Escort, etc e os autoramas gigantes da estoque.

  • Acredito que existam 2 problemas principais na GT3:

    1- não há divulgação em veículos de grande circulação na mídia, ou seja, quem sabe que a corrida vai acontecer é quem realmente gosta da coisa.

    2- O valor para assistir a corrida é de R$ 10,00 por pessoa + R$ 20,00 para guardar o carro no estacionamento interno do autódromo. O valor não é caro, mas por esse preço, vc fica obrigado a assitir a corrida de uma daquelas arquibancadas novas do autódromo onde só se vê a reta dos boxes e, dependendo de qual arquibancada, a freada do S do Senna. Se eu quiser realmente assisitir a corrida inteira, que é possível da arquibancada descoberta, teria que pagar, ao invés de R$ 10,00, R$ 50,00. Ou seja, ao meu ver, os organizadores realmente não querem que a corrida tenha público.

    Apesar de achar um absurdo pagar por uma categoria que realmente não tem público, se eu pudesse assistir da descoberta pelos R$ 10,00, eu iria, mas não vou pagar R$ 50,00 de jeito nenhum. (não sou só eu. Tem minha esposa que tb vai e meu filho).
    Por isso que sempre vamos no Paulista de Velocidade no Asfalto. Corridas muito legais, em algumas categorias, grids um pouco maiores e o valor de R$ 10,00 para guardar o carro no domingo. Pessoas é grátis. E mesmo assim não vai ninguém pq não tem divulgação.

  • O Kart pelo menos tá melhorando em relação a custos e a grid. Sou aqui de Londrina e ontem houve uma prova do regional. A 01 ano atrás tínhamos q pagar inscrição, pneus, aluguel de motor, etc. e tal. A CBA finalmente trouxe o motor Parilla refrigerado a água, que até no nosso kartódromo não se viu nenhuma quebra (a não ser por um ou outro espertinho q secou demais a carburação), além de sua potência ser melhor. Hoje podemos andar com nossos próprios motores nessas corridas (com motor a ar, quem não alugava motor tomava em média 1 seg. por volta se andasse com o próprio motor). A despeza ficou por conta da inscrição (100,00), + pneus (450,00) esse ainda muito caro e para quem quer mecanico e combustivel (em média 200,00). Assusta né? Mas a um ano atrás o valor era dobrado, pelo menos.

  • Aqui fala um mero espectador e entusiasta do automobilismo em geral.
    Sim, é lamentável o quadro do nosso querido esporte no Brasil e eu quase não tenho dúvidas de que isso tem grande parcela de culpa por falta de publicidade e promoção, nos 2 sentidos, o de promover e de fazer + barato para o povão!
    Afinal de contas, quem não gostaria de ver de perto, Porsches, Ferraris, Viper, Fords GT… MEU DEUS, é um sonho!
    Opa, infelizmente parece que sim, é mesmo um sonho, que inclusive está acabando…
    Gostaria que quando o despertador tocasse, os que tem o poder de mudar esse quadro lavassem bem a cara e enxergassem a realidade do público brasileiro, que ama corridas mas nem sempre tem $$ para comparecer…
    Olha o exemplo da arrancada! Eu participo e em contrapartida faço propaganda! Porque? Porque eu pude ir, levei minha família (incluíndo filho que amaram!) me diverti CORRENDO e foi barato…
    ABraços a todos
    Fabio Lima

  • Infelizmente a categoria acabou, é uma pena, uma categoria dessas com muitos carrões deveria chamar bem a atenção. Mas devido à falta de divulgação de forma errada deixando pequenos veículos de comunicação de fora como blogs, sites, pequenos jornais e o acesso dos fãs ao evento, acabou por afundar a categoria. Isso porque é apenas o 1º ano.

  • Foi com tristeza que eu vi a etapa de hoje pelo Sportv, somente Ferrari e Porsche, até o Lamborghini ficou de fora na volta de aquecimento. O Ford Gt já tinha saído e ultimamente nem os Vipers estavam correndo. Enquanto isso vi a etapa da GT3 Europa pelo Speed e com grid de quase 40 carros de vários fabricantes. Ano passado fui em Jacarépaguá e vibrei com os carros e principalmente com o 2º lugar do Emerson com o Porsche e aguardava com ansiedade a etapa deste ano, imaginando um grid maior e com mais modelos. MAs a realidade foi decepcionante, muitos pilotos saíram, o grid em vez de aumentar diminuiu e essa constatação que vc postou está muito próximo de acontecer. Iria no sábado e no domingo mÊs que vem, mas do jeito que está vou só no domingo, mas sabendo que não terei a mesma alegria do ano passado.
    Até a Poderosa que fazia reportagens sobre a categoria no ano passado, este ano não toca no assunto, além da falta de competência da CBA, a mídia não dá a devida importância para o automobilismo nacional.

  • Olá FG,

    Estive hoje em Interlagos e deu dó, na Clio 13 carros e o pessoal lutando para manter a categoria, enquanto a CBA e FASP só cobram taxas, na tal da Maseratí arrumaram um carro especial (um foguete), para o cozinheiro da Record pois o cara precisa ficar contente e achar que é um baita piloto, assim ele da ibope, já na GT3 é o seguinte os velhinhos endinheirados pagam pra os moleques pobrinhos da estoque se divertirem. Aliás a CBA estava representada pelo ex piloto Paulo Gomes. uma lastima.

  • Não há divulgação, portanto não há público. Aí ficamos na dependência da paixão daqueles que participam da categoria e como a brincadeira é muito cara nem sempre dá para bancar a loucura. É complicado fazer com que 20 pilotos cheguem a conclusão que precisam de assessoria de imprensa e agência de publicidade para poder vender o produto. Se ninguém compra a idéia a tendência é essa: Vai pro buraco.

    Algumas categorias sobrevivem pela paixão (como a nossa Classic Cup, a Spyder, Stock Paulista), outras vão para o arquivo morto do automobilismo brasileiro.

    Não vale a pena falar de FASP e CBA, pois estas só servem para contratar os serviços básicos (bandeiras, ambulância e etc) e arrecadar inscrições. Pura perda de tempo.

  • Quando acompanhava ainda criança automobilismo vi as ultimas provas da divisão 3 em Interlagos, depois acabou a Hot Car que mistura opalão , fusca e passat que tb via no autodromo de iNTERLAGOS POIS NÃO TINHA TRANSMISSSÃO DE TV NA ÉPOCA. A F-Ford ficou mais tempo , mas se extinguiu , assim como a F-Fiat e as suas sucessoras F- Chevrolet e F-Renault. Marcas e pilotos viveu seus dias de glória com a estréia de pilotos do nível de Emerson, Wilsinho e Serra, e depois Ingo.
    Quem continua das categorias dessa época são duas: F-3 Sulamericana que derivou da F-2 Codasur e Brasil que derivou da F-Vê e que está capenga hoje e a Stock Car ( poderiamos até dizer que derivou da Divisõa 3)que apesar das criticas é uma categoria forte. Outras tentativas nasceram e morreram no caminho e dessas a que parece que terá vida longa é a F-Truck.
    Gostei muito da GT3 mas desde a primeira prova que assisti o grid nunca passou dos 15 carros e assisti as provas aqui em Interlagos in loco em 2007 e 2008 nessa época do ano mesmo com frio.
    Este domingo estava até animado pra ir ao autodromo, mas o frio vai me deixar em casa mesmo , talvez até ligue a tv no record news ao meio dia , mas não garanto nada…

  • Infelizmente você está certo, Flavio!
    Acredito que a belíssima GT3 não vá passar deste ano.
    Tem muita coisa no Automobilismo se acabando, dentro e fora das pistas, e parece que ninguém vê (ou não querem ver, né?!).
    O kart praticamente acabou, e…. NINGUÉM FAZ NADA!!!
    Ary Barroso avisou: “Isto aqui, ô ô… É um pouquinho de Brasil iá iá…”
    Ninguém deu ouvidos, agora vamos ter que aguentar!!!

  • Alem da falta de competencia do pessoal da CBA, temos a falta de divulgação da midia em todos os eventos que ocorrem. Pelo menos aqui em Interlagos, isso é raro.

    Por que a Stock Car e a Formula Truck ficam com as arquibancadas “cheias”? Existe uma grande divulgação das emissoras patrocinadoras que, em outros eventos, nem sequer citam a existencia deles. Campeonato Paulisa, Maserati, GT3… quando foi a ultima vez que ouvimos algo sobre um desses assuntos na Rede Globo ou na Bandeirantes? Atá porque não é lá muito comum os programas esportivos falarem sobre automobilismo. Se somos apaixonados por automóvel, continuamos sendo o país do futebol (e olhe lá!).

    É uma pena que a maior emissora do país, mesmo com grandes jornalistas da área (Reginaldo Leme e Lito Cavalcante) se reserve apenas à divulgação de eventos que lhes dizem respeito e não ao esporte em sí.

    Mesmo programas mais específicos, como o Linha de Chegada e o Limite, pecam por vezes pela não divulgação de alguns eventos (talvez por algum contrato, ou pela falta de um), diminuindo drasticamente o interesse, mesmo que de leigos, ao contato direto e apoio ao esporte.

  • Acho a CBA uma M**** mesmo, mas eu acho que a crise no automobilismo é bem maior, e envolve o mundo todo.

    Essa questão ambiental tão em voga hoje em dia é uma das culpadas do automobilismo estar virando um esporte politicamente incorreto, como a caça e o fumo, por exemplo.

    Acho que a tendência é só piorar, pelo menos nos próximos anos. O negócio é torcer para que no futuro o automobilismo se reinvente e renasça com força. Ou então será lembrado como uma coisa que um dia foi apreciada, e não terá mais nenhum valor no futuro…

  • Lamentável a situação da GT3. Fui a 02 provas em Interlagos, e o publico resumia-se aos funcionários de empresas e uns poucos apaixonados. Impossível manter automobilismo em alto nível num país que não tem essa cultura (só vai na stock e na F1 pq a globo transmite). Na prova que o Emerson e o Wilsinho correram juntos, tinham uns garotos ao meu lado que me perguntaram qual era o carro do Otávio Mesquita (com todo respeito ao Otávio …). Aí vc junta isso aos dirigentes incompetentes e pouco criativos cujas pataquadas aterrorizam os patrocinadores e temos o fim!!! Temos muito talento, mas só dentro da pista … uma pena!!! abraço.

  • E pensar que até competição de aviãozinho de papel é levado a
    sério nos países de 1º mundo…Ah! Por acaso já viram o público
    nas competições de carrinhos de rolimãs na Espanha?

  • É complicado FG. Não vou dar certeza, mas ao que me lembro vocÊ duvidou, falou que não ia sair do papel. Depois criticou dizendo que as arquibancadas estavam vazias. Fez pouca festa com a categocia. O mesmo posso dizer da Maserati e de todas as outras. Seus meios de comunicação (Grande Prêmio, WarmUp, No limite, ESPN e o que mais for) não dão cobertura adequada também. Acho que esta na hora de começar a entender que sem mídia não tem público nem dinheiro.
    Cada um deve fazer sua parte. Tem um bom tempo que vocÊ mete o pau na CBA (COM TODA RAZÃO). Mas vejo você fazer pouco (através dos seus meios e de sua influência). Classic Cup é sua diversão, em nada tem a ver com se empenhar e fazer algo pelo automobilismo brasileiro.
    Lamentavelmente eu moro em BH aqui não tem nem autódromo. Temos um lugar que se chama Mega Space que é uma reta de arrancada. Ano passado ligaram a reta com um circuito Mickey Mouse. Quem me dera ter automobilismo em Minas. Quem me dera ter 10% da sua força no automobilismo. Você tem mas tem vivido só de criticar. Vamos lá FG ajudar é preciso estão todos orfãos…CBA é pior que o Senado.

  • Tem um grande profissional dentro da CBA, que trabalha a anos em categorias de base, fazendo campeonatos , seletivas, entre outras coisas para a base do automobilismo, porem pelo que senti ele encontra-se ilosado, e poque não dizer desolado com o que esta vivenciando, chamar de lobos seria desmerecer os animais.

  • Mais um capitulo da grande falta de vergonha que os diregentes da CBA tem por mais esta categoria, simplesmente falta vergonha na cara, lá só tem uma cambada de incopetentes, na mais que isso. Para nós resta mesmo ver o fim, de uma categoria cujo os carros são simplesmente lindos.

    Poderiamos aqui começar um protesto…salve o automobilismo brasileiro.

  • Vejo com grande tristeza o fim da GT3, fui aqui em Londrina e de cara senti falta do Ford GT e do Viper Competition… se de burgueses ou não…(claro que é), é lastimavel ver a CBA só arrancando verba das categorias e NADA fazendo, é muita incompetência para uma pessoa só…

    E PARABÉNS FLAVIO GOMES, gosto de vc (no bom sentido é claro…aqui é macho rapaz), por que com vc não tem meias palavras e fala com palavriado simples e escrachado como um bom amante do automobilismo gosta.

    e manda um abraço pra min lá no limite valeu! t+

  • Daí o Massa com o Carlinhos, apoio da Fiat anunciam as novas categorias e … Tudo continua como antes.
    Enquanto forem cargos políticos e a máfia dos clubes, continuaremos nas mãos daqueles que acabaram com o automobilismo no Brasil.
    Aqui em Sampa quem acabou com o kart e o automobilismo?

  • Complementando, quem sabe um estágio de uns 10 anos com o pessoal da Nascar, da HNRA e dos inúmeros Shows das categorias norte-americanas que sáo capazes de colocar mais de meio milhão de pessoas num autodromo como Indianápolis ou então de esgotar os ingressos de Bristol para uma corrida noturna ?
    ou a criação de categorias de acesso como uma F-BMW(que tem um brasileiro brigando pelo título, querem acabar até com o kart….
    bah! Porca miséria!

  • …!!! Tudo resultado das ações combinadas entre esse cartolas nojentos e a política cada dia mais nojenta das montadoras de “automóveis” brasileiras que colocam em primeiro plano os LUCROS a todo custo!
    Adotavam, assumiam os louros e depois deixavam orfãos, não somente os pilotos e público das diversas categorias existentes no Brasil. Assim, acabaram com a F-Ford, F-Fiat, F-Renault, Div. 1,2,3,4, monomarcas, e todas essas escolas que existiam aqui…
    Hipócritas que se apoderaram da boa fé de quem praticava e assistia AUTOMOBILISMO no nosso país!
    Vergonha nacional a gerência(ou ingerência…!!!) do nosso esporte a motor que, se ainda sobrevive, é Única e exclusivamente por EMPENHO de antigos pilotos ou daqueles grandes AMANTES e MECENAS endinheirados.

  • Na decáda de 80 eu e a turma íamos aos domingos para o Joana Bezerra, aqui no Recife, tomar cerveja e ver as corridas que eram frequentes. O local foi desativado e só após muitos anos construiram um autodromo, detalhe a 100Km de distância da capital. Fica inutil praticamente o ano todo. O descaso com o automobilismo no Brasil é generalizado e parece que não vai mudar tão cedo, infelizmente. Nem nacional de Kart pra valer temos mais.

  • Na minha ignóbil opinião, a CBA deveria parar de se preocupar
    em só receber as luvas da Fota e parar de paparicar as bestas
    que presidem a Fia, para olhar o potencial que ainda temos
    em automobilismo nacional; principalmente nas bases de
    formação de pilotos. Criar categorias de facil acesso, com regulamentos claros e imparciais, investir na formação de fiscais e auxiliares de pista, fazer um grande negocio onde poderia se
    dar oportunidades a vários tipos de serviços ligados ao automobilismo, como acontece nos eventos de corridas americanas. Com isso poderia gerar muitos empregos formais e
    até facilitar a entrada de jovens sonhadores que tem carros com
    algum preparo a se interessar em correr nas pistas ao invés de
    se arriscarem a nos causar acidentes em rachas pelas ruas.Bons os tempos que se podia contruir os “Patinhos Feios” da vida e botar nas pistas para desafiarem marcas famosas.
    Que saudade quando meu amigo que já se foi adorava os Opalões e diziam que os Mavecos eram melhores…

  • A visão de que é um brinquedo de milionarios, não esta longe da realidade, e arquibancadas vazias fazem parte da grande maioria das categorias ,algumas se curvam aos encantos da globo na esperança de levantar a presença de publico.
    Uma pergunta será que se a categoria fosse Pro-Am um profissional e um amador, não teriamos melhores resultados de publico?

  • Flavio sou de Blumenau SC e está acontecendo o rali brasileiro em Pomerode, aqui ao lado, e acabei de ver no noticiário local que houve um grave acidente (não informaram nome de piloto e carro) onde o carro capotou e bateu em uma árvore.
    Gostaria de saber se você possui mais informação, nao tenho twitter para ser uma mensagem mais direta!!
    Segundo a notícia os dois (piloto e navegador) foram trazido aqui para Blumenau e um está em estado grave!
    No youtube nao possui o video, que foi feio por um cinegrafista amador!

    espero que saiba de algo, uma noticia meio chocante para o automobilismo brasileiro…

    abraço

  • Numa das etapas da Classic eu e o Luizinho falamos da lamentável ausência de público na arquibanda naquele dia. Êle lembrou de uma foto do calendário da Mahle de uma corrida de Corcel que êle venceu. Arquibancadas lotadas até o tampo. O automobilismo atual não vive um momento pobre. Êle está morto, não vive mais. Não tem mais nada a ver com o que foi, seja na arquibancada ou no box. Só apaixonados mesmo é que ainda frequentam.

  • Adoro os carros da Gt3 ,são os verdadeiros sports do momento ,mas está completamente fora da realidade nossa ,talvez a GT4 teria sido uma boa opção .

    No inicio do ano fui quatro vezes seguidas em Interlagos para ver a Classic , e para minha surpreesa fiquei impressionado com a força livre ,pois além dos habituais carros nacionais da categoria havia a participação dos carros da copa Maserati como também de alguns GT3 ,Ferrari e Porsche .

    E a verdade é que as corridas foram boas e o duelo Ferrari X Porsche foi muito bom chamou atenção de quem estava nos boxes (claro porque a arquibancada como sempre é vazia).

    Agora estes GT3 ,se a categoria acabar é claro, devem participar de algumas corridas do endurance ,alguns deles , e vão acabar com os prototipos nacionais e vai ficar ainda pior a coisa.

    Não acredito nessas categorias relampago , é puro oba oba , se tivessem realmente boa vontade teriam juntado tudo ,GT3 ,Porsche e Maserati .

    Mas ainda acho que a GT4 seria a melhor escolha , mais barata e uma luta contra prot .nacioanis em provas de longa duração seria mais equilibrada .

    Mas ninguém pensa nos custos ,no fim ganha quem pode gastar mais e quem não pode sai fora e no fim tudo acaba de forma melancolica.

Por

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil, onde ficou até dezembro de 2020. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

agosto 2009
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031