MENU

sexta-feira, 31 de outubro de 2014 - 19:58Dica do dia

DICA DO DIA

SÃO PAULO (monstros) – A história, em fotos, das Flechas de Prata da Mercedes entre 1934 e 1939 está nesta página indicada pelo Ricardo Divila. É legal, especialmente para a petizada que acha que o mundo começou quarta-feira passada, entender a trajetória de uma marca nas pistas. Ela vem de longe, muito longe. A Mercedes voltaria a brilhar depois da Segunda Guerra na F-1, até se retirar das corridas depois do acidente de Le Mans em 1955, o maior de todos os tempos. Por décadas a estrela de três pontas se afastou das pistas, voltando apenas no final dos anos 80.

Manfred von Brauchitsch mit dem 5,6-Liter 750 kg-Formel-Rennwagen W 125 vermutlich beim Training zum Großen Bergpreis von Deutschland auf der Großglocknerstraße (2 Läufe), 06.08.1939. Der Rennwagen von Brauchitsch (Startnummer 127) war zur Traktionsve

9 comentários

  1. Ilmar disse:

    Ainda não entendo muito bem a Mercedes-Benz ter se retirado do automobilismo no final de 1955, mesmo remorsada com a tragédia de Le Mans. Sendo assim, a Ferrari teria que ter se retirado da Fórmula 1 depois do GP da Itália de 1961… Se a Mercedes-Benz tivesse continuado a competir normalmente, imagino que carros bonitos seriam os dela de 1985 a 1989, talvez fosse uma Ferrari prateada, só não sei se os aerofólios também seriam prateados, ou pretos como os da Ferrari, e ela desafiaria a McLaren e a Ferrari, com certeza.

  2. Alexandre Abril disse:

    Não consigo ter simpatia por essas marcas Alemãs (Mercedes, Auto Union, BMW), nada me tira da cabeça que as pessoas que comandavam essas marcas nesse período, surfaram com gosto na onda do nazismo e deram voluntariamente suporte tecnológico para a matança provocada por Hitler e seus comparsas; fizeram de quase tudo (blindados, motores para aviões e navios de guerra, veículos, etc) usando e abusando de mão de obra escrava ( principalmente de judeus ); Foi um período negro para Mercedes e cia, inclusive esse que antecedeu a segunda guerra; Acho que o mundo não sentiria falta alguma se essas marcas tivessem se desintegrado junto com seu “Führer” logo após o exercito vermelho ter passado pelo Portão de Brandemburgo.

    • luiz alberto disse:

      Pelo jeito você deve morrer de amores por americanos e sua Hollywood,não se pode julgar todo um povo pela atitude de alguns,se for assim nós brasileiros seremos culpados também pelos anos de chumbo em que militares brasileiros assassinaram brasileiros com desculpa de serem comunistas ,más na verdade só estavam interessados em defender capital de empresas estrangeiras a maioria de controle acionário americano,
      Eu também não tenho a menor simpatia pelos defasados e gastões,sem estabilidade carrões americanos ,para mim estes fabricantes de bugigangas poderiam acabar ,você deveria conhecer a história de Preston Tucker para saber até onde vai a ignorância automotiva americana,que para não terem que atualizar seus carros (as quatro grandes) fizeram campanhas difamatória contra o Tucker 48 que era tecnicamente ANOS LUZ a frente de tudo o que existia de melhor no mercado automobilístico americano,sê os seus amados Boss são capazes de “MATAR” uma empresa criada por um cidadão de seu país, oque acha então quando esta concorrência é estrangeira e de um país que não seja tão belicoso quanto eles,você ainda acha que são melhores que os alemães e tem mais :Até hoje,na história da humanidade só houve uma nação que usou de forma traiçoeira e covarde uma arma de destruição em massa contra uma(uma não,duas) população civil,onde assassinou centenas de milhares crianças,gestantes,idosos e pacíficos cidadão que também eram reféns de seu imperador.

      • Alexandre Abril disse:

        Voçe está coberto de razão em relação aos americanos, nunca levei meus filhos num Mac Donald´s, reconheço que foram e ainda são tão ou mais belicosos quanto os alemães de 1933 a 1945 e que são prepotentes e egocêntricos, mas o fato retratado nesse post, se relaciona a um período que empresas alemãs como a Mercedes se beneficiaram e até “apoiaram” as decisões de seu Tirano; Particularmente acho que a “supremacia” tecnológica atual das montadoras tedescas seja em competições (ganham quase tudo ) ou no comércio, (Audi, Porsche, BMW, AMG, VW) que são marcas idolatradas e campeãs de vendas, se da um pouco ao “impulso” dado naquela época pelo nazismo e a custa de muitas vidas… por isso que não consigo ver romantismo algum nesses “Flechas de Prata” ; e para a historia, esse período entre 1934 e 1939 foi “ontem” e as “feridas” ainda tinham que estar ‘abertas’.

  3. ALEX B. disse:

    Cada vez que vejo essas imagens, me impressiono com o tamanho dos tambores de freio…e esse modelo com rodado traseiro duplo, ainda não tinha notado!

  4. Marcos disse:

    Ao menos para o MEU petiz, o mundo começou na quarta-feira passada, quando ele nasceu.

    Santiago, futuro campeão de F-1. Para os íntimos, STIG… =)

    • luiz alberto disse:

      Eu acho que você já deve ficar de olho em outra categoria porque esta,pelo andar da carruagem até la (+.- de 15 a 18 anos se apostarmos no que ocorre com as novas promessas ?????).pode ser que não exista mais.
      Mas de qualquer forma Marcos, toda felicidade ,saúde e bom desenvolvimento para seu filho,e que você além de o bom pai, seja o melhor amigo que ele possa ter encontrado neste planeta
      Parabéns e felicidades para toda família.

    • ALEX B. disse:

      Parabéns aos pais! Welcome!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>