MENU

Wednesday, 3 de December de 2008 - 14:12Bus Stop

BUS STOP

SÃO PAULO (cada coisa…) – Lembram do acervo de fotos da revista “Life” que o Google colocou no ar? Pois é, o Kleber Pratagy Filho, blogueiro de Belém, encontrou estas duas imagens. Não sei a data, nem onde é. Mas vejam que maluquice! Um busão-zeppelin! Quem tiver mais detalhes, que conte…

28 comentários

  1. JOSÉ MARIA SIQUEIRA DA SILVA says:

    Galera a foto da esquerda ao fundo , é o Mercado Municipal de São Brás, em Belém. A foto da direita é o cruzamento das ruas Alcindo Cacela e São Jerônimo ( na época, hoje é Gov. José Malcher).
    Conhecidos como Zepelins, esses ônibus circularam na década de 60 em Belém do Pará construídos em madeira sobre o chassis de um caminhão , e , claro, tendo como modelo os célebres Zepelins da Segunda Guerra mundial. meu avô Sr.° Expedito Conceição Silva, carpinteiro e marceneiro de 1ª qualidade, construiu para esta empresa que os faziam em Belém, o 1° ônibus Zepelins chegou a ter quase duas dezenas deles em operação.
    É muito gratificante para mim, ver que meu avô contribuiu para o desenvolvimento desta cidade a quando da construção desses ônibus, que foram novidades naquela época, comento isso a vocês, porque, ia para oficina do meu saudoso avô, e ele nos contava essa história, inclusive tinha uma foto no momento de sua construção em madeira, mas que infelizmente se perdeu com o tempo.
    A oficina de meu avô, ficava na travessa Teófilo Conduru, hoje tem um Edifício chamado Godoy, bem em frente a antiga loja Imperador, onde hoje é o supermercado Líder no Bairro de Canudos. Saudades daquela época!

  2. Francisco de Assis P Oliveira says:

    Infelizmente não dá para anexar fotos ao comentário, há anos vi esssas fotografias em um site. Tempos depois vi, em uma revista, a exposição de carros conceito em um salão europeu, uma fotografia de um BMW que se assemelha muito com a referida “trapizonga”. Abraços.

  3. Aléssio Marinho says:

    Essas fotos foram publicadas a poucos dias num jornal de Belém. Ao vê-las, mostrei ao meu sogro, e imediatamente um soriso veio no seu rosto acompanhado da afirmação: “Andei muito nesses zeppelins antes de comprar meu fusca”

  4. Fernando Tuma says:

    Fernando Tuma

    Maravilhosa a imagem. Andei muito neste dirigivel quando
    criança. Pena que as coisas boas de nossa cidade tenham
    se acabado. Quem sabe algum empreendedor da linha de
    turismo ou transporte faça renascer essa maravilhosa idéia.
    Muito obrigado pelas fotos saudosas!

  5. Trecho do livro CIDADE TRANSITIVA do Armando Mendes:
    “Os nossos dirigíveis foram, na verdade, criação da Viação Sul Americana, de propriedade do contador do Banco Ultramarino Clóvis Ferreira Jorge & sócios. E eram construídos na São Jorge de Ribamar Ltda., igualmente de sua propriedade. Tinham carroceria de madeira, ferro e flandres, pintados externamente na cor alumínio. O interior era em couro, alcochoado. Em vez de cobradores, eram tripulados por ‘aeromoças’. No início dos anos 60 foram vendidos para Manaus e São Luiz. Antes disso, porém, inspiraram ainda uma marchinha carnavalesca assinada pelo Prof. Clodomir Colino: ‘Mamãe eu quero, quero / andar de zepelim, / com tanta mulher boa / dando sopa, está pra mim’.”

    • Jane Nunes Cerasi Afonso says:

      Meu avó, Abelard da Silva Nunes, falecido em 1972, foi sócio do Sr Clóvis Ferreira Jorge. Tenho uma fotografia que pertencia a minha mãe de uma pequena foto desses ônibus.
      Minha mãe sempre falou-me dessas reliquias.

  6. Adilson says:

    As fotos foram tiradas em Belém-PA. Uma bem em frente ao Mercado de São Brás (prédio azul e braco) e na outra tem uma carrocinha de distribuição de leite. Isso foi na década de 50. Esse tipo de ônibus era conhecido como Dirigível e teve origem em São Luís do Maranhão.

  7. manoel jorge says:

    O primeiro onibus -zepellin em Belém,era da Viação Pérola.A cobradora do onibus vestia-se como aero-moça da extinta Panair do Brasil.Eram confortáveis e os assentos tinham capas de linho engomado.Depois é que apareceu o da Viação Triumfo.Viajei neles e era uma delícia.Saudades.Consta que foram vendidos para outro estado.Foram copiados dos antigos “Blimps”,dirigiveis com tripulação de 14 homens,baseados em Igarapé-Açu,onde ainda tem a torre de amarração.Eram usados para patrulha e busca e salvamento.Inicio da década de 50,fazia poucos anos que os “americanos” tinham deixado o Valde Cans Field.

  8. Juvenal Barbosa says:

    Conseguiram criar uma coisa mais feia que o LADA. Desculpe Flávio, mas essa não deu para escapar!!!!!!

  9. Sergio Luis dos Santos says:

    Francisco, os Zeppelins que você se refere são da Primeira Guerra Mundial.

  10. Zé Rodrigo says:

    É verdade, depois de São Luiz alguém levou os ônibus para Belém.
    Eu acho eles um barato!!!
    :-))))

    Francisco,
    Uma pequena correção:
    Os “Zepellins”, apelido dado aos dirigiveis, não eram movidos a hidrogênio.
    O hidrogênio era o gas utilizado para mante-lo mais leve do que o ar, e os dirigiveis foram muito usados desde antes da segunda guerra.
    Eles eram movidos por motores comuns, alimentados por diesel, gasolina ou GLP – O uso do GLP como combustivel foi o mais adequado pois a variação de peso sofrida, entre estar com os tanques cheios ou vazios, era muito grande quando eram usadas a gasolina ou o diesel, devido a densidade destes dois liquidos.

    Os mais famosos foram o Hindemburg e o próprio Zepellin, que vieram varias vezes ao Brasil transportando passageiros em viagens regulares. Aqui no Rio existe o único hangar de dirigiveis que sobrou deste lado do Equador, na Base Aérea de Santa Cruz.
    Em recife ainda existe a torre de atracação do bicho, que fazia uma escala naquela cidade logo após atravessar o Atlântico.

    Após a guerra, quando os dirigiveis se tornaram anti-econômicos, seu estoque de GLP aqui no Rio foi comprado por um empresario de visão que usou este GLP (engarrafado) para venda domiciliar, criando assim a conhecida distribuidora Ultragáz, mas isto já é outra história.
    :-))

  11. Francisco Cézar Nunes da Silva says:

    Gente, a foto da esquerda tem , ao fundo , o Mercado Municipal de São Brás, em Belém. A foto da direita mostra o cruzamento das ruas Alcindo Cacela e São Jerônimo ( na época, hoje é Gov. José Malcher).
    Conhecidos como Zepelins, esses ônibus circularam na década de 60 em Belém do Pará construidos em madeira sobre o chassis de um caminhão , e , claro, tendo como modelo os célebres Zepelins da Segunda Guerra mundial. A empresa que os fazia em Belém chegou a ter quase duas dezenas deles em operação.
    Os Zepelins eram dirigíveis , movidos a hidrogênio, usados no período da Segunda Guerra, mas que devido a sua instabilidade operacional ( houve muitos desastres , com explosões), foram abandonados.

  12. Pablo Habibe says:

    Ou será o novo carro da Honda, tentando burlar as novas regras aerodinamicas?

  13. Pablo Habibe says:

    Aqui em São Luís também tinha, o esquema é o mesmo a séculos. Maranhão e Grão Pará!

  14. Rogério Magalhães says:

    É… mas tá aí uma coisa que, assim como nos carros, também está se perdendo nos ônibus: a originalidade no design…

    Por mais horrendo que possa parecer essa “adaptação” de um zepellin, certamente ficou tão original que marcou… hoje em dia, é um tal das encarroçadoras fazerem tudo praticamente igual… é um tal de um modelo de uma ter muita coisa parecida com o modelo de outra…

    Parece que, antigamente, não se tinha medo de arriscar algo “inusitado”…

  15. Oswaldo says:

    bom.
    sou paraense, mas moro em curitiba há 2 anos.

    na primeira foto, ao que parece, é em Belém, em frente ao Mercado de São Braz:
    http://bp2.blogger.com/_H7KVfWhAJ6I/R6YhdDHqBEI/AAAAAAAAAA0/x8RwfM6atps/s1600-h/Mercado+de+S%C3%A3o+Bras.jpg

    na segunda eu tenho quase certeza que é em Belém também, por causa do “túnel de mangueiras” que faz na cidade e também por conta da arquitetura que é bem peculiar na cidade.

  16. G. B. says:

    Ao que consta, “apenas” 20% do acervo da Life foi liberado para consulta no Google…

  17. Humberto Corradi says:

    Foi um belo resgate histórico!
    Valeu

  18. Corcel Bino says:

    E eu que achei que já tinha visto tudo…

  19. rubem rodriguez gonzalez says:

    PQP!!!! Já vi coisa feia sobre rodas, mas até o FG postar outra tranqueira sobre rodas essa aí fica com a medalha de ouro ( bem estilo tio Bernie….) realmente é a prova que não existe limite para a criatividade ou para a loucura, e quando as duas se fundem dá nisso aí em cima….

  20. Wolf says:

    Matou a pau!

    é no Maranhão mesmo!olha outra foto aí:

    http://www.museudantu.org.br/Maranhao/mar05.jpg

    Será que existe alguma coisa dele ainda ??

  21. Ivan Drumond says:

    Muito doido esse busão!

    Sobre este acervo da Life, parece que não está completo pois a artista brasileira Eros Volúsia foi capa de edição de 22 de setembro de 1941 mas não aparece nas buscas.

    É um excelente acervo mesmo assim.

  22. Lucas C. Costa says:

    E eu acreditando que essas carrocerias viriam de algum porto de zepellins que fora abandonado e adaptado para rodarem

  23. Sípoli says:

    É do Brasil essa foto? Viação Triunfo… ?? Seria a Viação Triunfo Ltda ( já extinta ) Sede Barbacena – MG

  24. Lucius says:

    Essa carroça do lado vale um post também hehehehehe

  25. Zé Rodrigo says:

    FOI NO MARANHÃO:

    Ônibus Zepellin – São Luís – Anos 40
    No final dos anos 40, o empresário Joaquim Lourenço (Joaquim Português), fascinado pelos zepelins, mandou construir esta carroceria em formato único sobre um chassis Dodge. Esses veículos conheceram sucesso durante alguns anos, por conta de sua aparência bizarra.

    Peguei esta informação no site http://www.museudantu.org.br/

  26. Eric says:

    É um supositório gigante!!!!!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *