MENU

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 - 15:44Motoland

MOTOLAND

SÃO PAULO (sou mais a minha) – Falando na dita cuja, no post abaixo, por coincidência pingou uma foto, enviada pelo Marcelo Rodrigues, na minha caixa postal. Bem, ninguém comprou. Detalhes sobre essa magrela aí, deixo com a blogaiada.

9 comentários

  1. Mario H. Sanctos disse:

    Este troço é claramente inspirado na MV Agusta….com uma
    carburação Weber horizontal ( 2 carburadores ). Tem poeta
    para tudo…..

  2. Pedro Jungbluth disse:

    o pepino mesmo foi tentar copiar o estilo das Ferrari anos 90… A lateral quadrada, por exemplo, esses respiros.

  3. disse:

    Fizeram o Recall para a troca das bielas?
    Por ser 90, a suspensão dianteira invertida até que ficou boa.

  4. Joel Gaieski disse:

    Feia demais pra uma moto de 1990.

    Será que pega fogo?

  5. Glauber disse:

    A moto foi concebida com os conceitos de design do fabricante de carros. A motocicleta Ferrari de 1995 tem motor de 900 cilindradas e 105 cavalos e é uma rara experiência da montadora em colocar sua marca em um veículo de duas rodas. A Ferrari 900, como é conhecida, é capaz de correr a 265 km/h, e estará sendo leiloada por US$ 300 mil no próximo dia 20 em Gstaad, na Suíça. A Ferrari não constrói motos, mas abriu esta exceção a pedido de um amigo do filho de Enzo Ferrari, Piero, que queria presentear o pai com uma motocicleta esportiva com a marca do cavalinho. Fonte:globo.com

    A Ferrari 900 é a única moto da Ferrari feita no mundo todo. Ela foi criada em 1990, pela David Kay Engineering, e tem um motor de 900 cilindradas e 105 cavalos de potência. Ela é mais uma arte da engenheria do que uma máquina de performance. Ela nunca foi pilotada ao extremo. Sempre ficou sendo exposta aqui e ali.
    Essa semana a moto foi a leilão, na Suíça, e o preço pedido era de 180.000 libras, ou 265.000 dólares. Só que ninguém se interessou em pagar tudo isso numa moto de 1990. Mesmo ela carregando a marca da Ferrari, oficialmente.
    David Kay, o criador da máquina, sempre trabalhou para a MV Agusta, e depois que fez a super moto, pediu permissão para Piero Ferrari, para usar a marca na moto, pois tinha feito ela como um tributo para Enzo Ferrari. A carta da Ferrari dando a permissão para o uso da logomarca do cavalinho rampante vai junto com os documentos da moto, para quem comprar ela.
    Mesmo que a moto não tivesse a marca da Ferrari, ela seria algo interessante. Tem rodas Astralite de 17 polegadas, freios Brembo na frente e atrás e amortecedores WPS.
    Fonte: http://www.noticiasautomotivas.com.br

  6. nuclearforce disse:

    Prefiro a nossa sete galo antiga… década de 70, o ronco mais bonito da galaxia.

  7. Na verdade, é uma MV Agusta, feita em homenagem ao “comendatore”.
    Apesar de ser uma moto e uma Ferrari, não me empolgou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *