MENU

domingo, 31 de outubro de 2010 - 11:15DKW & cia., Encontros

FUMAÇAZUL (6)

POÇOS DE CALDAS (musical) - Bem, macacada, acabou mais um Blue Cloud. Foi o oitavo. Em 2003, eu e o Paulo Renato Arantes começamos com essa maluquice em Caxambu, e o encontro cresceu, as pessoas foram se conhecendo, o rastilho dos dois tempos foi-se espalhando, nesses oito anos seguramente mais de 200 DKWs diferentes estiveram no Parque das Águas, ou no Serraverde em Pouso Alto, ou aqui em Poços de Caldas.

Reavivou-se a paixão coletiva por uma marca de automóveis que andava adormecida, restrita a pequenos grupos em encontros de carros antigos aqui e ali. Hoje, somos mais de 300 fumacentos num grupo na internet, nossa única organização “formal”, que trocam informações, novidades, histórias, e uma vez por ano se encontram. Ou mais, porque o Blue Cloud tem lá seus filhotes, como o Blauer Rauch do Três Cilindros Clube de SP, o Vemag Clube do Rio, e assim vamos cuidando para que a memória da Vemag seja preservada e passada adiante.

A foto abaixo é do encontro de 2003. Lembro como se fosse hoje a doideira que foi organizar aquilo, contratar coquetel, banda de rock, fotógrafo, fazer camisetas, bonés, impressos, crachás, cuidar da segurança, da recepção, enchi uma cegonha com dez dos meus carros para garantir o quórum, e no primeiro dia, quando cheguei ao Parque das Águas para levar meu primeiro carro e começar a povoar o espaço, dei-me com um solitário Fissore dourado na entrada, ali paradinho, esperando por alguém.

Era o Kurt, hoje um grande amigo, que abriu um largo sorriso e perguntou se era ali o encontro dos DKWs, e eu disse que sim, e ele sorriu ainda mais, e eu perguntei de onde ele era, e ele respondeu que estava chegando de Curitiba, e veio rodando, e foi então que me dei conta de que estava nascendo alguma coisa que teria vida longa, muito longa.

Foram 67 carros neste ano, pelas últimas contas. Um sucesso absoluto, graças ao trabalho incansável dos organizadores desta edição, o Ayrton Amaral, pai da Miss Botucatu, o Eliseu Daniel, o Flávio Coral e o impagável Raimundo Orrú. A esta altura, a maioria dos blueclouders já está na estrada espalhando sua fumacinha azul perfumada com um certo ar de nostalgia, de volta para casa. Não aprendemos nada de importante na vida, apenas recordamos — é uma citação, sou incapaz de grandes frases como essa —, e é com essas recordações que vamos em frente.

Ano que vem tem mais.

23 comentários

  1. Aléssio Marinho disse:

    Grande Flávio,

    Acabei de ler o ultimo post sobre o Blue Cloud deste ano e imediatamente me lembrei da minha infância.
    Tenho 32 anos, e nasci em Goiânia-GO. Aos 5 anos minha família se mudou para Cidade Ocidental-GO, no entorno de Brasília-DF (onde existe uma oficina que presta bons serviços de restauração ao pessoal do Automovel Clube de Brasília). Cidade pequena, mas planejada e habitada por pessoas simples e honestas.
    Como vizinhos tive pessoas que influenciaram a minha formação, como o “Seu” Albertino, antigo motorista de ônibus e que me mostrou com mais intimidade essas máquinas maravilhosas e encantadoras. E o Romano, técnico em refrigeração e que volta e meia aparecia com carros que acabaram marcando a minha infância, como o Opala 4p Preto 74, a F100 verde, o Fusca Laranja ou a Brasília Bege, entre outras máquinas incríveis da década de 60 e 70.
    Mas nenhuma delas me interessou tanto quanto o DKW Fissore.
    Quando o Romano apareceu com o Fissore Vermelho, fiquei curioso em conhecer aquele carro estranho e barulhento. Ele havia adquirido o carro em Goiânia, de onde sempre trazia suas raridades (naquela época, não passavam de carros velhos e baratos) e estava em excelente estado de conservação. Alguns dias após a sua chegada, vui “curiar” o carrinho, muito simpático.
    Fiquei espantado ao ver o motor do DKW. 3 cilindros, 3 boninas e o radiador montado atrás do motor. Detalhe curioso que até hoje não consegui compreender como funcionava bem o sistema de arrefecimento montado em local tão diferente. – Um dia alguem há de me explicar…hehhee
    Ouvia o funcionamento do motor com muita curiosidade, pois pipocava muito, e não estava acostumado a ver isso nos carros que conhecia. Logo fiquei sabendo que aquele carrinho vermelho era muito especial, pois precisava de gasolina misturada com óleo para funcionar. Um espanto para um menino de 8 anos de idade, acostumado com a Variant II Bege do meu pai, vendida a pouco tempo após um acidente no Balão do Aeroporto de Brasília.
    Quem me explicou como funcionava aquele carro foi o “Seu” Albertino. Como motorista de ônibus, conhecia motores com muita intimidade, e me contou a história do Fissore. Ouvi atentamente o que ele contava, como aquele carro funcionava, o motor 2 tempos, o 3=6…. “Este carro em sua época era um carro médio, de luxo, para quem queria mostrar que havia subido na vida”, dizia.
    Assim, fiquei mais encantado pelo carrinho. Quando escutava o Romano sair com o DKW, corria pra ver o vermelhinho passar. Olhava com muita curiosidade aquela fumacinha saindo do escapamento, e o ronco sofrido do motor subindo de giro, que ainda me vem a lembrança, e o motorista guiando aquele carro com os pneus finos e grandes vidros.
    Quando ele chegava com o Fissore, ficava encantando quando ele abria o porta malas, com aquela tampa curva e longa. Achava aquilo o máximo, e me perguntava como um carro pequeno tinha uma mala tão grande? Ele tirava de dentro todo o material de refrigeração e ainda sobrava espaço…
    Logo o Romano vendeu o carro e ele ficou sumido por um tempo. Mas depois ele voltava nas mãos de um conhecido dele, que havia cometido a heresia de cortar o teto do carro e transformá-lo em conversível. Lógico que não deu certo, o Fissore não gostou e começou a entortar a carroceria e a rachar.
    Depois disso, o DKW Fissore Vermelho do Romano sumiu. Anos depois perguntei a ele qual o destino que aquela pequena maravilha teve. O coitado foi parar num desmanche.
    Assim, terminou a minha relação direta com o DKW. Com os anos, fui conhecendo a história do Fissore e ficando mais encantado com a sua trajetória. Por conta disso, quando vejo um 2 tempos fico nostálgico e feliz em lembrar que aquele curioso emblema 3=6 fez parte de minha vida.
    Ta vendo o que uma foto faz com um vivente?

  2. Excelente evento…
    Belos carros..

    E que em 2011 Poços seja agraciada por mais um Blue Cloud

    Abs

    Juliano D. Rosa
    Vice Presidente
    Clube do Fusca de Poços de Caldas – MG
    http://www.fuscapocos.com.br

  3. luiz alberto disse:

    Parece que vi um SP 1000 escondido atraz do Fissore,que belezinha!!!!!!!!!!

  4. Fernando Carvalho disse:

    Flavio , hombre de Dios, ¿cuáles son esos dos copias funcionando? Te diré más …
    São da onde? devem ter histórias ” 1000 cc ” para contar …..

  5. Flavio, realmente nao dava pra imaginar que aquela nossa loucura de 2003 fosse virar esse evento tao maravilhoso que é hj em dia.
    E esta so aumentando ha cada ano.
    Com o gas novo da turma é só alegria!
    Parabens aos organizadores desse ano, Ayrton, Eliseu, Raimundo e Flavio Coral. Fiquei triste de nao poder participar todos os dias, ano que vem eu apareço todos os dia, podem contar.
    Veja se vc consegue vim a São Lourenço no encontro do AGMH no fim de novembro, se quiser fica em Caxambu, eu vejo as bagaças pra vc aqui.
    Renata, infelizmente nao te conheci pessoalmente, mas fala do nosso querido amigo Jorge Amador nao podia ser diferente. Ele era um grande amigo de todos.
    Abs.

  6. Renata Amador disse:

    Oi Flávio!!! Sou a filha do Jorge Amador. O encontro foi maravilhoso!!! Todas as minhas roupas estão perfumadas com cheiro de óleo 2t!!!
    Um abraço grande e obrigada por falar do meu pai de forma tão carinhosa na abertura do evento.

  7. Flávio,

    Primeiramente parabéns por mais um Blue Cloud. Segundo: estava hoje dando uma volta em um shopping aqui da zona sul de São Paulo, e resolvi entrar em um hipermercado. Andando pelo mercado, chegando ao fundo do mesmo dou de frente com um WILLIAMS FW31, modelo do ano passado, usado por Rosberg e Nakajima. Achei algo surreal um carro de Fórmula 1 ao lado de geladeiras, pães, ração para cachorro entre outras coisas. Claro que aproveitei e tirei fotos e filmei o modelo. Achei algo inacreditável e muito legal um carro de fórmula 1 sendo exposto ao alcance de todos. Pra vc ter uma idéia consegui pegar no volante e mexer no câmbio borboleta. Sei que não é correto mas foi a minha chance. Se vc quiser posso mandar as fotos e maiores informações se alguém quiser visitar o carro.

    Um abraço

  8. ABT disse:

    O que vosso carro fazia estacionado na contramão da Rua Correia Dias?

  9. Júlio Previero disse:

    Vendo os comentários, decidí relatar minha ida ao Blue cloud. ….Saí cedinho de São João da Boa Vista….pertinho de Poços, fomos de moto, eu e minha esposa….passamos por Águas da Prata ….seguimos pela serra da Mantiqueira rumo a Poços. Chegamos cedo, quase não tinha ninguém….ví o Waltinho, tirei umas fotos, ví carros lindos, uma banda( banda? ) tocando chorinho, musiquinha ao vivo…..encontrei um amigo meu ..o Raimundo. Ele levou 3 carros dele, inclusive um candango verde agua lindão…Mas o Flávio devia estar dormindo, nem sinal dele, era 10 :00 hrs da madrugada !!!!!!!kkk….

  10. enio disse:

    FG so poso parabeniza-lo juntamentes com teus amigos que juntos fazem de nos todos uns apaixonados pela marca ¨3X6, mais ainda temos que continuar a prezrva-los pois outros encontros deverao ocorrer, pois nao estamos sozinhos nessa paixao………Mas confesso estar triste de nao poder estar presente pois olho para minha garagem e vendo meus brinquedos todos aptos a fazer a viagem , provavelmente sem problemas pois muitas viagens fiz com eles aqui no RS SC PR etc……..poderia escolher entre o Belcar 66 Vemaguet 67 e o Fissore 66 Abraços a todos os amigos da familia Vemag

  11. helio frança disse:

    tudo novinho que maravilha, relembrar é muito bom

  12. walter conquistando a todos por onde passa, esse muleque nao tem jeito. vai ser sempre assim.

    desisti da corrida. 700 lascas pra ver el fodón de las astúrias é muito. nao vou mais pra sampa tb. sossego pra vc e gominhos.

    abracao de BH

  13. Um excelente evento, como já era esperado! Só tenho a agradecer aos amigos vemagueiros pela recepção. Da parte dos Passat, uma pena que poucos puderam comparecer dessa vez (por culpa do 2º turno das eleições), mas os amigos que compareceram estão de parabéns!

    Rodei cerca de 1050km com o Passat LSE entre ida e volta. Tudo sem o menor problema. Espero repetir a dose no ano que vem, seja em Poços de Caldas ou Caxambu, seja de LSE, de 4M ou sabe-se lá com que carro.

    Que venha o próximo!

  14. Jonny'O disse:

    Pelo menos um Blue Could fui conhecer!!!

    Nem podia deixar de ir, Poços é encostado em Andradas e Sábado cedinho já tava lá, 8h da manhã ainda não tinha quase ninguém, mas é assim que gosto, chegar antes do movimento, poder olhar detalhadamente cada carro, fiquei muito surpreso com a quantidade de 2 tempos expostos no patio, imaginava uma quantidade menor, um boa surpresa!

    Claro que fiquei muito tempo contemplando as formas do Malzoni, só havia um 66, os demais eram os Puma Malzoni ,lindos claro!

    Ai por volta das 10hs alguém me chamou, para minha surpresa era meu amigo Caique Pereira do Rio de Janeiro, sempre muito otimista e falante como todo bom carioca, um grande amigo!!!!

    Depois encontramos com o Flávio dentro do hotel, desde já quero agradecer pela atenção e pela oportunidade de conhecer mais de perto o Wartburg, incrivel como está novinho !!!Lindo ,adorei a tampa do cabeçote do cilindro que tem a arvore do comando da ventuinha em formas mais reduzidas e elegantes (pois o radiador é na frente do motor) …..e o Flávio jura que a agua de todo o sistema de refrigeração ainda é da Alemanha Oriental ,ainda não repos nenhuma gota sequer !!!!

    O problema que essas coisa vão tomando conta da gente e ano que vem já to pensando em ver novamente o encontro….a onde for!

  15. Leonardo disse:

    Por volta das 12:45h, na serra de Ipuiuna (cidade a 55 km de Poços), cruzei com um DKW novinho, azul escuro. Comentei com minha mulher que se ele estivesse parado fotografaria e te enviaria. Mal eu sabia que era coisa organizada por você.

  16. Dino Dragone disse:

    Muito bacana, FG! Baterias carregadas por +1 ano!

  17. LADArio disse:

    Flávio,

    Parabéns pela iniciativa lá em 2003 e agora o Blue Cloud não para de crescer.

    Abs

  18. Julio disse:

    Flávio, quando eu era menor, um vizinho da casa de meus pais, tinha uma Vemaguet, depois trocou em um Fissore prata, lindo! Eu sempre gostei daquele Fissore. Agora, lendo seus relatos desses encontros, me deu uma vontade enorme de me tornar um fumacento também! Onde consigo um Fissore prata? Pra eu poder ir rodando até o próximo blue cloud! Abraço.

  19. Antonio VK disse:

    Parabéns. Um dia quero ir visitar o evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>