SOBRE ONTEM DE MADRUGADA

SÃO PAULO(putz) – Uma hora ia aparecer. Um torcedor filmava o resgate do carro de Sutil quando Bianchi aparece como um foguete e atinge o trator. As cenas são fortes.

Parece evidente que os tratores para resgate de carros são uma aberração. Daquelas que daqui a alguns anos vamos dizer: lembra quando colocavam uns tratores? Da mesma forma que dizemos hoje: lembra quando os carros de F-1 não tinham nem cinto de segurança?

Pois é. Avisos foram dados, muitos. Em 2003, especialmente, no GP do Brasil. Quase houve uma tragédia na Curva do Sol.

A FIA deveria banir esses tratores e estabelecer algumas condições e procedimentos muito simples. Gruas, apenas. Como em Mônaco. Se em Mônaco, que é apertado pacas, eles conseguem espalhar gruas pelos pontos mais críticos da pista, por que isso não pode ser feito em autódromos bem mais amplos, com muito mais espaço? Assim, nenhum corpo estranho sobre rodas entra na pista em casos de resgate de carros.

Outra coisa. Qualquer corpo estranho (sobre rodas ou não) que tiver de entrar na pista deve ser acompanhado do safety-car. Qualquer um. Na Alemanha, foi ridículo tirarem o carro de Sutil no braço com a corrida em andamento. Se for preciso qualquer um sair de trás do guard-rail para qualquer coisa, safety-car e foda-se.

Mais uma. Bandeiras. O que era aquele japinha com bandeira verde enquanto Bianchi se estatelava debaixo de um trator? E mesmo depois da batida o pequeno samurai continuava lá com sua bandeira verde. Cadê o diretor de prova nessa hora?

Aliás, ele pode ser responsabilizado pelo que aconteceu. O trator ficou um tempão removendo o carro de Sutil e era preciso um safety-car naquela hora. Porque se um bateu num local, é porque outro pode bater também. E onde há potencial de batida não se mantém um trator sem que os pilotos reduzam drasticamente a velocidade. E bandeira amarela é pouco. Era para safety-car.

Tinha também o problema da visibilidade. Estava escuro demais.

Resumindo, vai pra casa, Charlie Whiting. Essa aí está na sua conta. E na conta da prepotência dessa gente da FIA, que é cheia de punir piloto, mas não entende um cazzo do que se passa dentro de um carro de corrida.

Seguindo…

– Há uma simulação de vídeo que mostra a dinâmica do acidente. Está aí embaixo.

– Neste outro vídeo aqui, de telemetria, há todas as indicações eletrônicas de bandeiras amarelas no trecho, os pilotos passando por ali, e Bianchi chegando e parando depois de atingir 203 km/h. É bem impressionante.

– Bianchi, segundo o boletim médico divulgado pela FIA, está em estado crítico, mas estável. Ele foi operado ontem. Teve seriíssimas lesões na cabeça.

– No mais, semana que pode ter anúncios impactantes, como Vettel na Ferrari e Alonso na McLaren. Mas diante da situação dramática de Bianchi, acredito que tudo isso vai ficar para depois do GP da Rússia.

– E quanto ao campeonato, Hamilton virou o jogo. Será o campeão.

Comentários

  • A SEGURANÇA DO AUTODROMO,FALHOU FEIO,E A FISCALIZAÇÃO DA FIA COMEU BOLA,VOCE COLOCA PNEUS PARA PROTEÇÃO,EM CASO DE BATIDA FORTE,E POR OUTRO LADO,MANDAM UMA GRUA RETIRAR O CARRO,EM FRENTE AOS PNEUS,DEU NO QUE DEU.NO LOCAL TERIA QUE TER UM GUINDASTE DO LADO DE FORA DOS PNEUS,QUINDASTE COM BRAÇO LONGO,PARA RETIRAR O CARRO,COMO É FEITO EM ALGUNS AUTODROMOS.

  • Aí eu pergunto. A FIA obrigou os pilotos a correrem até o fim da prova com pneus intermediários ? Um temporal caindo na pista e ficaram com os intermediários. O Massa vem chorando que o carro estava aquaplanando… que trocasse o pneu. Será que o acidente aconteceria se os pilotos estivessem com pneu de chuva ?

  • Boa tarde, Flávio.
    Não sei se já comentaram antes, mas houve um outro “quase” acidente com trator no GP da Alemanha de 2007, no qual Luizzi chegou a encostar no trator de resgate depois que caiu um dilúvio após a primeira volta, eu acho.
    Ainda houve a chance de atingir o safety car, que passou “lambendo”.
    Vários carros entre ele o do Hamilton (que foi colocado de volta à prova) foram para a brita.
    Segue o link:
    http://www.youtube.com/watch?v=P3t56uLqlVI
    O lance está com 2:22 de vídeo
    Um grande abraço,
    Denis

  • A mais de 203 km/h o carro foi como um míssil acertando o trator como um alvo. Só um popular torcedor para nos mostrar essa vergonha trágica da FIA que poderia ter sido evitada e não subestimada. Pela velocidade eu acho que nem um cockpit fechado salvaria o Bianchi dessa. O porta-voz de Suzuka ainda diz que foi má sorte, e sorte que não foi ele. Todos os cartolas e dirigentes tem sua culpa desde outros tempos, mas nessa hora todos encolhem o seu rabo.

  • Outro erro da FIA que pouca gente comentou foi a liberação do DRS quando os carros estavam com pneus intermediários. Não havia condições para isso, o Hamilton e o Vergne (em momentos distintos) por pouco não perdem o controle do carro no fim da reta de largada por conta da asa móvel. #ForzaJulies

  • Tinha que ter Safety car. Vejam que mesmo que não houvesse o trator ali o Bianchi iria bater frontalmente a 150 km/h na barreira de pneus, mesmo que esta absorvesse bem o impacto, ainda seria uma forte batida frontal…

  • O acidente seria bem feio até se o trator não estivesse ali. Bianchi vinha de frente para o guard-rail, á toda velocidade.

    E mesmo com barreira de pneus, pela velocidade, seria um acidente bem sério. Como um avião caindo de “bico” a quase 300km/h.

    E poderia ter pego um fiscal de pista e/ou o Adrian Sutil.

  • A verdade é que houve um erro de procedimento, ainda mais chovendo no circuito onde a aderência fica baixa pra esses carros. Se um carro sai em determinado trecho do circuito por causa das condições da pista é claro e evidente que a chance de outro bólido sair no mesmo local é grande. Primeiro demoraram pra tirar o carro do Sutil, e Segundo o trator não deveria estar dentro do circuito, mas atras do guard-rail motivo maior das consequências do acidente, que alias pode ter interrompido a sequencia da carreira deste jovem e promissor piloto.

  • Havia bandeira amarela no posto anterior? Se não havia a coisa é pior ainda. De qualquer maneira concordo que o pior erro foi a falta do safety car. Infelizmente um acidente que poderia ser evitado.

  • No GP da Europa de 2007 em Nurburgring, tinha tratores andando à vontade nas áreas de escape. O Vitantonio Liuzzi chegou a bater de leve num trator. Antes, ele quase bateu no safety-car, mas o piloto deste deve ter visto o Liuzzi sem controle pelo retrovisor e saiu fora antes.
    Neste GP, o Hamilton saiu da pista e ficou atolado na área de escape, mas numa cena bizarra, um trator recolocou o carro dele na pista e acabou chegando em nono.
    Veja no vídeo abaixo:
    http://www.dailymotion.com/video/x9t9hs_f1-german-gp-2007-nurburgring_auto

  • Flávio, posso não entender picas de corridas mas vai a minha opinião.

    A bandeira verde nesse caso está corretíssima. O fiscal sinaliza o perímetro, que é do local do posto dele e ADIANTE. Antes do posto nada deve ser sinalizado.
    Ele estava com duas amarelas sinalizando enquanto o trator removia o carro do Sutil depois do posto de sinalização. Quando o mesmo fica em posição anterior ao posto, o fiscal faz o procedimento de bandeira verde (sinalizando que o trecho POSTERIOR ao posto está livre).

    Essas são regras do ANEXO H da própria FIA.
    Sou fiscal de pista do GP Brasil de F1, e esse tipo de situação é treinada a exaustão.
    Repito: são regras da própria FIA, antes do posto, nada de sinalizar. A bandeira amarela continuava no posto anterior, e o piloto tinha ciência disso, pois a sinalização também aparece no volante do carro, devido ao acionamento dos painéis luminosos.

  • Olá Flávio,

    Acho que o Hamilton, certa vez, bateu no pneu de um trator, quando saiu da pista em uma corrida em que a pista estava molhada e havia um trator retirando outro carro acidentado. Creio que isso aconteceu em um dos três primeiros anos de carreira dele. Tente encontrar essa informação na internet, mas não consegui. Vocês se lembram desse fato?

    Abraço,

    Élcio

  • Uma outra evidência da falha da direção da prova: Chovia e o Sutil aquaplanou.
    Isto já não configura uma saída de pista normal e, se um carro aquaplanou ali, a chance de qualquer outro carro aquaplanar ali precisaria ser considerada antes de mandar um trator entrar na pista (situação muito semelhante àquela do GP Brasil 2003)

    Chuva aumentando + pneus intermediários + céu escuro + chance de aquaplanagem no setor = Safety Car… Aquele trator não poderia estar lá…

      • Olha, ainda não havia pensado nisso, mas em se tratando de EUA, faz sentido.

        F-Indy é feita (organizada) mais para ser “espetáculo”, corridas que durem horas e assim tenha bastante espaço (tempo) para veicular anunciante.

  • Vai pra casa Charlie Whiting!,Concordo plenamente, já deveria ter aposentado há alguns anos,faltou humildade em parar,parece sofrer demência ,é lento para tomar decisões que necessitam uma rapidez maior.A demora em acionar o safety-car quando necessário é proporcional a demora em recolhê-lo,quando as condições da pista já permitem o recomeço da prova.

  • Até o acidente de Ronnie Peterson em Monza em 1978 e também o de Ricardo Paletti em 1982 no Canadá,as largadas eram dadas por diretores de provas locais. Após muitos acidentes a FIA instituiu um starter oficial,que se não me engano era o próprio Charles Whitting. O mesmo deve ser feito em relação ao pessoal de pista. Há vidas e muito dinheiro envolvido para que continuem utilizando voluntários amadores. Deveria haver uma equipe da FIA que deslocaria-se para cada GP.

  • Srs Flávio Gomes.
    Li uma resposta sua que dizia: “Vcs não entendem picas de corrida”.
    Pois bem, o posto de sinalização estava no mínimo 20 metros após o trator dando ré. (Veja no Google Maps ou em outros sites que tentam mostrar para seres com menos neurônios a distância).
    Não sei se sabes, pelo jeito não, mas o posto anterior é o que interessa e deve estar com bandeira amarela agitada e o painel luminoso piscando também. No vídeo da telemetria (que você comenta, inclusive) mostra o luminoso acionado antes do Bianchi se aproximar.
    Agora te pergunto, óhhh super-piloto, em Interlagos você espera ser avisado pelo posto 19 que tem um acidente pouco antes dele, ou pelo posto 17????? Quer ser avisado pelo 13 que há um carro parado no Pinheirinho pouco antes dele, ou pelo 12 entrando no S?
    A vontade de achar culpados algumas vezes mostra claramente a falta de capacidade de alguns. Incluo você, Reginaldo Leme e o graaaaande Téo José.
    Agora eu te falo: “Vc não entende picas de sinalização”.

  • Outra situação anterior em que esse acidente quase aconteceu, no GP da Europa de 2007, em Nurburgring. Observem a partir dos 2:20, o carro do Liuzzi quase acerta tanto o Safety Car quanto o tratorzinho que está indo recolher os carros que aquaplanaram na chuva: http://www.youtube.com/watch?v=P3t56uLqlVI . Alguém já apontou uma situação quase igual à do Bianchi com o Brundle em Suzuka na década de 90 e também o GP do Brasil de 2003. Essa é uma cagada em que a FIA tem reiteradamente insistido ao longo do tempo, não foi um erro específico dessa corrida. Alguma hora ia dar merda nessa loteria.

  • Olá Flávio e demais colegas do blog,

    Depois de tudo que li sobre este caso, não vi ninguém se lembrar do acidente de Maria de Villota (também Marussia), na época foi veiculado que ela havia se chocado a um trator, embora nunca tenha se confirmado tal informação.

    A turma parece que já se esqueceu disso em especial porque ninguém teve acesso às imagens deste fatídico dia. :(

  • Esses tratores, como disse o FG, são incompatíveis com o automobilismo atual. Lembrei de um caso recente na categoria (não sei se alguém já reportou):
    No GP do Canadá de 2013, um trator conduzindo um F-1 guinchado, atropelou e matou um dos fiscais que participavam do resgate.
    Por estranha coincidência, o carro guinchado também era uma Sauber.

  • Por esse vídeo, não consegui reparar se há caixa de brita no local. Parece-me que não; a impressão é que a margem da pista é revestida por grama.
    Esse é um grande erro da FIA: substituir as antigas britas por gramado ou asfalto. A brita, certamente, reduziria a velocidade do carro e o impacto com o trator seria em menor velocidade.
    De qualquer modo, deveria haver safety car a cada vez que o trator entrasse na pista.

  • Só para registrar a minha indignação ! Até que ponto vão os canalhas, seja de que tipo for, para proteger o seus negócios ! Simplesmente não divulgaram o vídeo do acidente e ainda tentam tirar da internet o vídeo do espectador japonês ! Este mundo está cada dia mais podre tudo em nome do politicamente correto, ou seja em nome da grana !

  • É ridículo ficar esperando o óbvio acontecer para tomar uma atitude. Sair de cima do muro só depois que o evento acontece é muito mais fácil, mas a FIA já tem algum tempo que só toma medidas depois que algo acontece. Ninguém ali está pensando em nada para se antecipar a qualquer coisa que seja.

    Fechar o cockpit no fundo eu não gostaria, mas também é óbvio que é inevitável, os pilotos precisam desta proteção. Quando ocorrer algo novamente similar ao que ocorreu com o Massa e com aquele piloto da GP2 que levou um pneu na cabeça, acho que vão fazer algo, mas vai ter que ser grave, antes disso vai ser mais fácil esperar do muro pra tomar a decisão.

  • Um ponto que também precisa ser revisto pela FIA e que eu não vi nos comentários: simplesmente inviável a regra que proíbe mudar o acerto dos carros entre o treino oficial e a corrida, em provas com chuva. Com o acerto para seco os carros aquaplanam com qualquer condição de tempo pior que uma garoa.

  • Assistindo o video do impacto, me chamou a atencao o fato de os fiscais agitarem no local do acidente agitarem a bandeira verde antes de Bianchi bater. Primeiro agitam a dupla bandeira amarela enquanto Sutil sai do carro. Depois, segundos antes de Biachi passar feito um foguete, agitam a bandeira verde e continuam agitando a bandeira verde mesmo depois do forte impacto.
    Depois, assistindo o vídeo da telemetria e das bandeiras postado pelo Flávio, notei que nenhum dos carros que passou pelo local depois do acidente de Sutil diminuiu a velocidade. Todos que tiveram a velocidade medida chegaram a mais de 200km/h, inclusive Biachi, que bateu, e Ericsson, que passou pelo local logo depois, demonstrando que, ou nenhum piloto respeitou as bandeiras amarelas balancadas no local (e assim a urgência da entrada do Safety-car); ou ouve confusao na cor das bandeiras balancadas. Se a FOM liberasse o video mostrando como Bianchi escapa da pista (que definitivamente existe, já se pode ver o cinegrafista oficial filmando a pista no video feito pelo fa), essa questao poderia ser esclarecida….

    • Mariana, é bem capaz de esse vídeo estar guardado a sete chaves no cofre na sala proibida da FIA, junto com o vídeo do carro do Senna!

      Essas imagens devem ser incriminadoras demais para ser liberadas!

  • Concordo com tudo mas tenho 2 observações:

    1 – O Bianchi, independentemente do trator, iria bater de frente nos pneus o que já seria um acidente forte;
    2- O trator estava dando ré, por questão de segundos ele passaria atrás do trator e não bateria nele;

    Tudo isso poderia ter sido evitado, mas ainda assim houve uma fatalidade.
    Vamos torcer para que ele se recupere.

    • Acidentes dificilmente acontecem por apenas um fator. Por exemplo, em TODOS os casos da F1, foram a soma de fatores que levaram a óbito os pilotos. Tire o Paletti: não foi o fogo – disseram que ele já estava morto por conta da quebra e consequente imersão da barra de direção com volante em seu peito. Isso porque antigamente os carros, com seus lindíssimos bicos curtos, não tinham como absorver a pancada. Mas ele só bateu porque o Pironi não largou, e a direção da prova não abortou, o Paletti não viu o que estava a frente… Enfim, se um dos fatores (Pironi largasse, carro mais seguro, direção da prova abortasse a largada, Paletti desviasse) o italiano não teria falecido.

  • Flavio
    Na filmagem ele bate de frente e na simulacao de traseira, me parece que Bianchi deve ter perdido controle mais perto do carrode Sutil pisando na grama e indo reto, ou perdido o controle do volante ( com 01/05/1994é lera considencia ).
    quando bateu sob o trator do santo antonio para traz foi dividido e ficou o resto seguiu para frente inlcusive o piloto que bateu a cabeca na traseira inferior do trator.

    Abracos

    Luiz

    • O carro do Sutil estava bem mais pra frente, tanto que o trator estava dando ré para entrar na “porteira” ali existente e tirar o carro do lugar. Podem até ter saído no mesmo lugar, mas no mínimo o ângulo foi diferente.

  • Eu estou deixando de assistir vários GPs nos últimos anos, por puro desinteresse mesmo, e não vi o GP do Japão. Mas, pelo visto, novamente tivemos a inversão de valores da direção de prova, e desta vez custou caro. Se preocupam em punir o piloto que bate roda com outro numa disputa de posição, ou que passa com uma roda na faixa branca na saída dos pits, mas deixam que um TRATOR entre na pista enquanto cai uma chuva torrencial e ninguém enxerga picas.

    Pede pra sair, Whiting!! Não bastasse transformar a F1 em um absoluto porre pra quem gosta de corrida, ainda bota a vida dos pilotos desnecessariamente em risco. Pelo tamanho da panca, só o fato do Bianchi não ter morrido na hora já é um pequeno milagre.

  • Outra coisa que este acidente me chama atenção,a fragilidade do santantônio.Certo a maguinitude do acidente foi terrivel,um trator é algo muito rigido e pesado,mas a FIA faz Crash Test de resistência nos chassis e os testes no Santantonio sao de cima pra baixo,impactos laterais eles são bem frageis,lembro de um que quebrou no Sauber de Pedro Paulo Diniz em 1999,No caso de Bianchi se o santantonio nao tivesse sedido creio que poderia ser diferente

    • O material utilizado é feito para absorver impacto, e para ser o mais eficiente possível, os engenheiros estudam a forma mais comum de impacto onde a peça servirá, que é sempre quando o carro vira de ponta-cabeça ou se algum outro carro vem por cima. Assim é “tramada” a manta de materiais compostos/fibra de carbono. Não tem como prever que o santo-antônio vá segurar uma pancada de frente. Aliás, foi até bom ele ter cedido, já que se tivesse “travado” o piloto e mandado o carro para trás com efeito elástico, aí a desaceleração seria muito, mas muito mais brutal…

  • Nesse ponto acho que a F1 poderia aaprender com a F-Indy. Lá por qualquer mínimo motivo é “bandeira amarelo em todo o circuito e safety car na pista.” lembro disso de tanto que o Tel falava.