MENU

quarta-feira, 15 de junho de 2016 - 21:55Dica do dia

DICA DO DIA

Mario Andretti

SÃO PAULO (sim, choro) – Este é certamente um dos textos mais lindos que li na vida. Uma carta de Mario Andretti a… Mario Andretti. Mario, 76 anos, escreve para Mario, 15, que está num navio deixando a Itália pós-guerra rumo à América.

Na carta, Mario conta para Mario como será sua vida. A perda de tudo que sua família tinha — as terras dos Andretti ficaram na recém-criada Iugoslávia –, a chegada a Nova York, a viagem para Nazareth, o trabalho num posto de gasolina, o sonho de ser como Ascari e correr em Monza, o primeiro carro de corrida, o acidente do irmão, as vitórias nos EUA, a chegada à F-1, o título amargo conquistado com uma vitória na pista que sonhava, mas num dia em que um acidente horrível levaria seu melhor amigo.

Foi o blogueiro Jundy quem mandou o link. Só tenho a agradecer.

18 comentários

  1. Antonio Seabra disse:

    Um grande texto, dos mais lindos, como você bem disse. Li o tempo todo com olhos marejados.
    Um tributo a si mesmo, porém escrito com intensa humildade. Um tributo a memoria de amigos, especialmente tocante quando ele fala do Ronnie. Afirmar que ainda hoje trocaria seu sonho, seu titulo de Campeão Mundial de F1, pela volta do amigo a vida, é pungente e vigorosamente tocante. E não soa piegas.
    Mario é um dos pilotos que mais admiro, um dos mais completos de todos os tempos, senão o mais completo “at all”. Guiou tudo e ganhou tudo. Faltou só Le Mans….Lembrem-se que ele foi um dos poucos pilotos que fez pole position em sua estreia na F1. E ganhou em sua primeira corrida na Ferrari, quando ainda era um piloto “part time”, na Formula 1.
    Curiosamente, em meados dos anos 60 eu não gostava dele, e torcia contra. Talvez porque era rápido, muito rápido, e era o piloto que mais ameaçava o meu ídolo, Jim Clark, na Indy 500. Eu justificava, dizendo que ele só era rápido na Indy. Eu, ainda menino e fanático, estava errado: Mario (como Clark) foi rápido em tudo o que guiou, ao longo de sua longa carreira. E ainda saiu vivo no final, como dizem americanos e ingleses, “in one piece”.
    Um grande texto, por um Grande Piloto.
    Um texto fantástico, por uma pessoa que ama carros e corridas, e viveu a vida com eles, e por eles.
    Grande Mario.

  2. Charles Sampaio disse:

    “The irony is that it will be Ronnie’s accident that will clinch the world championship for you.
    And it’s a world championship — the ultimate dream come true — that to this day I would gladly trade to have my friend back.
    That’s the harsh reality of racing.”

    Um dos trechos mais emocionantes, na minha humilde opinião. Valores, como esses, devem ser reverenciados sempre. Daí se explica o porquê de alguns ganharem campeonatos e mal serem lembrados ou pouco mencionados, enquanto outros se transformam em verdadeiras Lendas. Mario Andretti faz parte desta última categoria. Cheers!!!

  3. JP disse:

    Tirei duas (possíveis) verdades da carta. Primeira: se quiser ser bem sucedido/feliz, não tenha plano B. Segunda: a vida te dá, mas também te tira. No caso dele, tirou muitos colegas de forma trágica.

  4. Afrânio Costa Pereira disse:

    Show de bola o texto… Muitos ensinamentos!!

    Poderia passar esse trecho para os afoitinhos da Mercedes:

    “Os piores erros são muitas vezes no início da corrida, porque você tem tanta adrenalina e você acha que você tem que ganhar a corrida na primeira volta.
    Você não pode vencer a corrida na primeira volta, Mario.
    Mas você pode perdê-lo.” Mario Andretti

    Abs FG!!

  5. Saima disse:

    O melhor texto que li ultimamente, escrito por um dos pilotos que mais admiro.

  6. Leandro Batista disse:

    A carta praticamente explica porque os pilotos, mesmo com os riscos absurdos que existem, arriscam suas vidas nas pistas. Por paixao. Um dos melhores textos que li na minha vida.

  7. Helvécio disse:

    Bela leitura. Muito emocionante e mereceria um filme. Quando Peterson faleceu, eu era um grande fã. Estava assistindo o GP e temi o pior (o que veio a acontecer). O resgate foi terrível. Se não me falha a memória, os tanques de combustível eram laterais e isso contribuiu para que o carro incendiasse quase que totalmente. Após esse acidente, mudaram isso. Um tanto quanto tarde.

  8. Fernando disse:

    Lindo o texto. Realmente emocionante.

  9. Hurricane disse:

    Lindo o texto de brotejar agua nos olhos.

  10. Moy disse:

    Show de bola!
    Tem um site onde vc envia um email pra sua própria caixa postal, informando quantos anos no futuro vc quer receber a msg.
    Fiz um texto pra receber após 2o anos. Se estiver vivo …

  11. Tomé disse:

    Pois é Flávio:

    “your father was the administrator of that land. Then, when World War II ended and the peninsula on which Montona was located became Yugoslavia, your father — out of patriotism and to escape the new communist rule — decided to move the family from its home and head for the new Italian border.”

    Terras do pai dele foram confiscadas pelo governo comunista que vc tanto ama.. Vai dizer o quê? “nenhum governo conseguiu chegar perto do comunismo puro do marx”, ou “foi bom, porque confiscaram tudo e ele virou o mario andretti, se não fosse isso teria ficado lá sendo um trabalhador de lavoura normal”.

  12. Cristian Dorneles disse:

    Muito bom… Apenas um parentese, não sabia que ele e Peterson eram grandes amigos.

    • Zé Maria disse:

      Andretti fazendo média com o sueco, simples assim!
      Peterson, piloto pagante, por imposição de Chapman, jamais deveria disputar com Andretti.
      Era como que um castigo, pelo fato dele ter dado pinote no começo de 76, sem paciência para desenvolver o carro, e ido pilotar um March.
      Andretti tinha tudo, Peterson nem carro reserva tinha!
      O sueco fazia a pole, a melhor volta, o escambau, mas a vitória, nas CNTP, deveria ser obrigatoriamente de Andretti.
      Em Monza, após o acidente nos treinos, Peterson largou com um chassi do ano anterior, a 79 reserva estava ajustada para Andretti, punto e basta!
      Tanto que ao final do ano ele iria dar pinote da Lotus.

  13. De tirar o fôlego, de fazer tremer o queixo, de fazer pensar que, no fundo, tudo isso talvez possa valer a pena..

  14. JT disse:

    Não sou tão velho, mas também já escrevi uma carta para mim mesmo, bem mais jovem. Realmente, o texto do Mario Andretti é para fazer parte de uma antologia de nossa era. Grande mote para um livro, um filme.

  15. Speeder76 disse:

    Tinha lido o texto no domingo. E de facto, tens razão: é dos melhores textos que jamais li em muito tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>