MENU

quinta-feira, 9 de junho de 2016 - 17:09F-1

FICOU VERDE

SÃO PAULO (como já falei, pelo menos é boa…) – Bem, já se sabia que iria ser anunciado agora, e foi. A Heineken passa a ser a principal parceira comercial “civil” da F-1 a partir do GP do Canadá, neste final de semana. Na verdade, o contrato de patrocínio máster começa em 2017, e no ano que vem três corridas levarão a marca da cerveja no nome oficial. Mas já nesta temporada uma etapa do Mundial será batizada pela cervejaria. A prova de Monza será chamada de Gran Premio Heineken D’Italia. E, em Montreal, já se vê a estrela vermelha sobre fundo verde espalhada pelo autódromo.

Quando chamo a Heineken de “civil”, refir0-me à não-relação direta do produto com o esporte em questão. Pirelli e Rolex, maiores patrocinadores da F-1 atualmente, têm ligações claras com a categoria — uma fornece pneus, a outra carimba a cronometragem.

Segundo os envolvidos, a parceria pretende mudar a relação da F-1 com os fãs. Hoje ela é pré-histórica, com pouquíssimo uso da internet e das redes sociais — além de um estúpido controle sobre as imagens das corridas no YouTube, por exemplo.

Aguardemos. A F-1 é muito moderna na tecnologia que move seus carros. Mas é arcaica no resto.

heinf1

32 comentários

  1. Paulo Vinicius disse:

    O peruquinha branca mesmo quem transformou a F-1 no que é hoje. Virou evento premium, para gente diferenciada, que vai às corridas com convite VIP para discutir negócios.

  2. Wilian Esteves disse:

    Concordo que esse controle sobre as imagens do YouTube é ridículo. Fiz um vídeo com uma música sobre o Ayrton Senna (não sei se vc lembra, mas te mandei e vc disse que não curtiu a música) e consegui publicá-lo apenas no Daily Motion, que não tem 10% do público do YouTube.
    Até hoje tenho problemas em divulgar o vídeo, já que pouca gente no BraZil sabe da existência desse site.

  3. Eduardo_SC disse:

    Ponto para o Bernie de novo. A F1 tem que se associar à marcas populares. A cara do espectador da F1 é daquele que vai ao GP do Brasil (a meu ver o mais old school de todos), não do GP de Dubai.

  4. Paulo Pinto disse:

    Nada mudou. Eu bebo Coca-Cola.

  5. EduardoRS disse:

    Estrela vermelha na F1? ‘Bora bater panela e pedir intervenção militar já. Daqui a pouco vão querer criar o bolsa-equipe pra distribuir dinheiro para as nanicas.

  6. Wesley disse:

    Será que é o fim das Nova Skins na corrida em Interlagos? Seria uma maravilha!!

  7. Brabham-5 disse:

    Será que veremos novamente carros verdes com o patrocínio “master” da Heinekken em alguma equipe?
    Não gosto muito da cor verde, mas nos carros da Jaguar dos tempos de Mark Weber e Luciano Burti, e e da Lotus (a outra Lotus de alguns anos atrás) eram pinturas bem legais.
    Manda aquela bocó gerente/advogada-que-não sabe- p… -nenhuma-sobre-o que-é-ser- um-piloto-de-corridas da Sauber dar uma sondada na Heikennen pra ver se topam a patrocinar a equipe!
    Do azul ESTÉRIL do Ericsson, o amarelo capenga do “BB” do Nasr, para o verde da Heinekken.
    Quem sabe…

    Um video legal sobre o GP do Canadá e sua história:

    https://www.youtube.com/watch?v=xLfIy-VdERE

  8. Fabiano disse:

    Só espero que não chamem o piloto falastrão da Ferrari de Kimi Heineken….

  9. Marcel disse:

    Patrocínio: Heineken
    Garoto propaganda: Raikonnen

    Sucesso garantido!

  10. Claudemir disse:

    Kimi Raikkonen adorou! Aposentadoria nem pensar agora. kkkkk

  11. Roderico disse:

    Sei que a briga pelos melhores virais entre Heineken e Red Bull vai ser boa!

  12. valter disse:

    Imaginem a cena; a Heineken monta uma equipe de F1 e Galvão narrando: Lá vem a HNK rasgando a reta para vencer o Gran Premio HNK D’Italia.

  13. Celio ferreira disse:

    Tudo pelos dolares, nada para o publico , que paga pra ver os esporte mais caro
    do planeta , A F1 , arrecada bem e distribui mal seu dinheiro, ( Sauber que o diga )

  14. Mickey disse:

    Legal se tiver troféu em formato de garrafa. A Heineken deve ter alguma experiência de comunicação com a Liga dos Campeões, que deve ser o produto esportivo mais lucrativo do mundo.

    Como já escrevi antes, não vejo problema algum em uma empresa de bebida alcoólica patrocinar automobilismo.

    • Fernando Kesnault disse:

      Amigo…se lhe interessa ou não, a f-1 nao esta nem entre os 10 mais eventos esportivos mais lucrativos no mundo ok?? Abraços…

      • EduardoRS disse:

        Acho que ele não afirmou isso em nenhum momento… apenas que a Liga dos Campeões é provavelmente o evento esportivo mais lucrativo.

        Isso também não significa que a F1 não possa ser transformada a ponto de entrar no top-10 dessa categoria. Só precisa ser bem gerenciada.

    • Fernando Kesnault disse:

      Outro ponto em se tratando de automobilismo ou melhor “motor races”, as 24 horas de Le Mans são as mais rentaveis e com o maior incidencia de interesses economicos.

    • Mickey disse:

      Que a Fórmula 1 não é o evento mais lucrativo, já imaginava, sim. Agradeço o comentário.

      Conforme escrevi acima, imaginei que fosse a Liga do Campeões da Europa, campeonato de futebol do qual a Heineken é uma das patrocinadoras.

      De qualquer forma, aproveito para fazer uma observação. A Liga dos Campeões da Europa (UEFA Champions League, futebol) não é o evento mais lucrativo, embora seja o mais rico, segundo os critérios da Forbes. O mais lucrativo é o Super Bowl.

      No automobilismo (considerando aqui como corrida de carros), de acordo com a mesma fonte, o evento mais lucrativo é Daytona 500.

  15. Fabio Mesquita disse:

    Espero que traga ares modernos à categoria. Ou melhor, apenas a melhore. Mas acho, no mínimo, controverso uma bebida alcoólica patrocinar corrida de carro.

  16. Renato de Mello Machado disse:

    Eu achei quê era um patrocinador master, de uma equipe só. Mas é do certame todo.Contudo tá bom.

  17. João disse:

    Não sei quanto é “culpa” da Heineken, mas a Champions League, também patrocinada pela cerveja, deu uma crescida absurda nos últimos anos.

    • O patrocínio certamente ajuda a trazer um público novo para acompanhar determinado esporte, mas o crescimento dele em audiência não depende apenas disso. De nada adianta ter um patrocinador monstro na Fórmula 1 se as corridas continuarem uma merda, se compararmos com a relevância e o alto nível de competitividade que a categoria ainda tinha até meados dos anos 90 e alguns resquícios nos anos seguintes. Hoje, tem muita gente que ainda acompanha a F1, mas é mais por hábito do que realmente satisfação. Quanto ao público mais jovem, a maioria não quer nem saber dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *